História Heartbreak Girl - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Tags 5sos, Austrália, Chloe, Luke Hemmings, Mia, Michael Clifford, Romance
Exibições 56
Palavras 3.011
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoinhas!
Desculpe por demorar a postar o capítulo... Uma vez eu disse para não criarem expectativas que não seria sempre que eu postaria duas vezes por semana... E semana passada eu postei dois capítulo, então peço desculpas por não postar o capítulo ontem... Ficou um capítulo bem grande e eu precisei pensar em cada detalhe!
Só para fazer essa nota ficar bem grande e ver se alguém nota que ela existe, vou explicar algumas coisas:
- Não sei se alguém notou, mas a fanfic se passa no período que os meninos estavam acabando os shows de abertura da One Direction e se preparando para lançar o primeiro álbum. O álbum ainda não está completo.
- Eu adoro quando vocês comentam sobre a fanfic, principalmente sobre uma parte que gostou muito no capítulo, assim vou saber se escrevo mais cenas engraçadas, ou cenas mais dramáticas, ou cenas mais fofas... Enfim, vou saber como equilibrar a história para não deixá-la muito pesada ou muito comédia.
- Só quero avisar que eu posto apenas uma vez na semana, porque faço faculdade de enfermagem e quando demoro para postar, eu posso estar em semana de prova, fazendo algum trabalho importante ou posso simplesmente estar sem nenhuma inspiração... É complicado meu processo criativo e ele é bem relativo...
- Meu nome de verdade é Aléssia, mas pode me chamar de Less ou de Lua mesmo.
- Eu sou, na verdade, Ash Girl... Aquelas covinhas me conquistaram!
- A Mia é minha personagem favorita... É a qual eu mais me identifico.
Acho que é isso! Se vocês não leram as notas dos outros capítulos e leram essa, voltem e deem uma lida... Eu tinha feito um pedido, mas ninguém me ajudou, então o próximo capítulo pode sair uma porcaria ou não!
Boa leitura!

Capítulo 8 - Capítulo 7 Sixth day


Fanfic / Fanfiction Heartbreak Girl - Capítulo 8 - Capítulo 7 Sixth day

Não posso acreditar que essa semana está acabando. Não quero que acabe. Tenho me sentido tão acolhida e bem-vinda... Mas sei que tenho que encarar a realidade e fazer as malas.

Subi as escadas, sozinha, e me joguei na cama. Olhei para o teto pensando naqueles momentos passados com cada um daqueles garotos. Mas fui interrompida por Chloe, que entrou no quarto e se jogou em cima de mim.

 - Estava com saudades, coisa vermelha! – sorri, abraçando-a. – Comecei a ter ciúmes da coisa platinada. – reclamei, fazendo biquinho.

 - Não se preocupe, dear! Michael será usado até o nosso casamento. – piscou para mim.

 - Quão sério é esse lance de vocês? –perguntei séria. – Você não vai se machucar, certo?

 - Ah, Mia! Não me importo de ter meu coração partido por Mike. – Chloe suspira. Ele é tão carinhoso e divertido, mas, às vezes, tenho que lembrá-lo dos limites da loucura. – ri do tom malicioso dela.

 - Você tem que me dar mais detalhes, Senhorita Hudson! Ele beija bem? Como, quando e onde aconteceu o primeiro beijo? – pausei e respirei. – Afinal, como ele se convenceu que você é normal?

 - Ha ha. – ela riu ironicamente. – Ele não acha que sou normal. Na verdade, segundo ele mesmo, Mike gosta das minhas maluquices. – suspirou sonhadora.

 - Está apaixonada, Chloe? – perguntei.

 - Estou completamente encantada por aquele platinado de olhos verdes. – seus olhos brilhavam. – Ele beija muito bem e tem pegada! – ela se abanava, me fazendo rir.

 - Fico feliz que esteja curtindo essa semana. – disse a abraçando mais forte.

 - E como tem sido para você? – ela pergunta curiosa. – Percebi que tem andado bem próxima do Hemmings.

 - Ele tem feito o papel de melhor amiga enquanto você se agarrava por aí com o Gordon. – maliciei. – Contei para ele sobre aquilo. E foi naquela mesma noite que a senhorita fugiu da cama.

 - Como assim você contou para ele? – ela estranhou.

 - Depois de brigar com o Jacob algumas vezes, tive um pesadelo com a noite que conheci os meninos, acho que gritei e Luke ouviu e veio correndo. Ele me acalmou e eu acabei contando. Além disso ele também me consolou quando Jake teve um ataque antes de ontem e resolveu que seria melhor darmos um tempo. – falei de uma vez e senti meus olhos umedecerem.

 - Ah, Mia! Sinto muito não perceber que tinha algo acontecendo! Sou uma péssima amiga. – ela me apertou em seus braços. – Estava tão distraída comigo mesma que não percebi que você estava mal. Me perdoa. – ela pediu arrependida.

 - Calma, Chloe! Você não tem culpa de nada por estar feliz! Se você está bem, isso o que realmente importa. No fim ganhei um bom amigo. – sorri. – Você não tem que ser perdoada.

 - Não rolou nada entre você e o Hemmo? – Chloe perguntou com uma centelha de esperança no olhar.

 - Claro que não, Chloe! Somos apenas amigos! E eu ainda sou namorada de Jacob, nunca o trairia e você sabe disso! Você sabe como eu gosto dele! – afirmei veementemente.

 - Ok. Não está mais aqui que falou. – me lançou um olhar engraçado. – Mas eu gosto mais de Luke do que do Jacob, você sabe bem disso, né?

 - Nem vou falar nada. – revirei os olhos. – E não pense que escapou de me responder algumas perguntinhas, acha que eu não te conheço? Você é tão boa quanto esses garotos quando o assunto é fugir de um assunto. – acusei-a.

 - Me rendo! – ela levantou os braços. – O que quer saber? Eu já disse que Mike beija bem!

 - Quero saber como isso realmente aconteceu! Foi você quem chegou como uma louca e agarrou o garoto, provavelmente o deixando muito assustado. – expliquei.

 - Depois daquele desastre que foi vocês me acordando, Mike veio me procurar e perguntar por que eu não o matei. Ele perecia assustado de verdade. Falei que eu gostava dele. Mas não queria dizer gostar num sentido romântico, afinal eu sabia que nunca teria nenhuma chance. Acontece que ele entendeu errado e começou a ficar estranho. Não se afastou nem nada, apenas ficou pensativo. Pelo resto do dia ficamos conversando sobre coisas aleatórias. Fomos assistir ao filme, mas conversar com ele estava tão mais legal que o Tobey Maguire numa roupa colada! Vocês todos dormiram e nós dois continuamos conversando e em algum momento nossos rostos estavam muito próximos e então nos beijamos. Ele disse que eu era a pessoa mais legal que ele conhecia, eu corei e ele ficou rindo das minhas bochechas vermelhas. Eu escondi meu rosto no seu pescoço e sem perceber fui embalada e dormi agarradinha com ele. – Chloe sorria ao lembrar dos detalhes. Ela sempre contava cada pedacinho da história. Mal de escritora.

 - Não acredito que vocês se beijaram do meu lado enquanto eu dormia! – fingi estar magoada. – Nem quero saber o que vocês fizeram antes de ontem, então!

 - Não é nada disso que você está pensando, dona Mia! – minha amiga entrou na defensiva. – Mike estava sem sono e fez o maior barulho quando passou pelo corredor. Eu acordei e fui ver o que era, dei de cara com ele na cozinha e fiz leite com mel morno para nós. Quando estávamos subindo para o quarto novamente Mike me beijou. Tudo bem que as coisas esquentaram, mas não aconteceu nada, ok? Como eu disse, às vezes eu precisava lembrar ele dos limites. Então só dormimos juntos do mesmo jeito que dormimos na sala.

  - Que fofos! – eu pulei em cima de Chloe. – Digo, vocês não estão namorando nem nada. Vá com muita calma, Hudson.

 - Nem precisa pedir! – ela sorria imensamente. – Eu só não quero que essa semana acabe. Mesmo Mike prometendo que não perderia contato, eu sei que não teremos nada sério. – seu sorriso murchou.

 - Eu sei bem como é. Parece que quando voltarmos para a vida normal, tudo não vai passar de um sonho distante, em que nós duas conhecemos nossos ídolos. – suspirei. – Também não quero que acabe.

 - Mas sabe de uma coisa? – ela me olhou determinada. – Temos que guardar nas nossas memórias de adolescente cada um desses momentos, ok? Cada minutinho foi muito especial, certo? – eu concordei com a cabeça. – Então vamos aproveitar essas últimas 48 horas ao máximo, sem pensar muito no depois, combinado?

 - Cominado! – fiz nosso toque especial. – Me promete que não deixará seu coração se partir?

 - Eu juro de dedinho! – ela disse entrelaçando nossos dedos mínimos.

 - Obrigada! Você sabe que eu me preocupo com você, não sabe?

Ela apenas me abraçou e logo nós lembramos que deveríamos estar arrumando nossas malas. E foi o que fizemos.

~*~

 - Mia! Chloe! – Ashton gritava de algum lugar do primeiro andar.  - Reunião na sala!

 - Já vamos, senhor covinhas! – Chloe respondeu enquanto fechava a mala. – Pronta?! – virou-se para mim.

 - Pronta! – puxei Chloe pela mão e descemos as escadas.

 - Senhor covinhas? – Ashton perguntou para Chloe com uma sobrancelha erguida e um sorriso que mostrava suas covinhas.

 - Isso mesmo! – eu e ela respondemos ao mesmo tempo e cutucamos os buracos nas bochechas do baterista.

 - Enfim! Fazer o quê? – ele deu de ombros.

Abracei Chloe pelos ombros e a puxei até a frente de Michael, que estava sentado no sofá.

 - Aproveite enquanto pode, ok? Essa coisa de cabelo vermelho vai se casar comigo!

 - Não se eu conquistá-la primeiro! – Mike se defendeu.

 - Então quer dizer que as coisas estão ficando sérias? – Calum surpreendeu-se. – Que orgulho, Clifford!

Olhei para Chloe que estava muito corada, assim como Michael. Abracei o platinado e sussurrei no ouvido dele de modo ameaçador:

 - Não ouse menosprezar os sentimentos de Chloe e nem sonhe em magoá-la! Se machucá-la poderá dar adeus às suas futuras gerações, ok?

Soltei-o e vi Mike engolir em seco. Segurei a risada e pisquei um olho para ele. O garoto se escondeu atrás da minha amiga, todos olharam para nós e riram da minha cara de inocente.

 - Não estamos aqui para falar da minha relação com o Gordon, né? – Chloe mudou o assunto. – por que nos chamou, Irwin?

- O nosso produtor ligou e nos informou que a rádio que fez a promoção quer que façamos uma entrevista sobre como foi a semana. Vocês foram avisadas antes? – ele nos perguntou.

 - Não lembro de minha mãe falar nada. – dei de ombros.

 - E eles querem vocês no programa também. – concluiu.

 - Espera. – raciocinei por um momento. – Eu e Chloe vamos falar em um programa de rádio?

 - Sim. E a entrevista será transmitida ao vivo no site também. – ele explicou.

 - Eu não gosto de falar em público. – soltei. – E a única vez que falei alguma coisa na rádio, foi quando atendi o telefonema e me disseram que eu tinha ganhado esse sorteio. Só saiu meu nome! – disparei.

 - Calma, Little Mia! Respira! – Luke veio até mim e colocou as mãos nos meus ombros. – Não tem nada demais. É só uma pessoa que te fará algumas perguntas, sem pressão. Você já viu alguma das nossas entrevistas, certo? É bem tranquilo. – tentou me acalmar.

 - Mas estarão gravando! Eu não gosto de câmeras! – comecei a roer as unhas. – E se eu fizer alguma coisa idiota?

 - Não se preocupe! Estaremos junto com você. – Chloe colocou uma mão no meu joelho.

 - Exatamente! É só fingir que está conversando com mais um de nós. – Cal propôs. – Seja honesta, seja você mesma e se não quiser responder a alguma pergunta, enrole.

 - Você consegue! Você é uma de nós agora. – Ash concordou.

 - Tudo bem! Que mal tem, certo? – perguntei insegura.

 - Certo! – Mike concordou. – Mas vou roubar sua amiga mais um pouquinho, nossos dias estão quase acabando, sabe como é, né?

 - Já está avisado, Clifford! – fiquei séria.

Ele saiu assustado com Chloe e eu e os meninos tivemos crise de riso.

~*~

 - Boa noite, Little Mia! – Ash veio até o sofá que eu estava deitada e beijou minha testa.  – Dorme bem. Amanhã será um grande dia!

 - Durma bem, Ash! – dei um beijinho em sua bochecha.

Nos últimos dias eu me aproximei muito dos garotos. Calum é aquele que sempre anima quem está por perto. Ele é do tipo que sempre conta piadas e está sempre em situações constrangedoras, mas ele nunca se envergonha delas.

Michael é o tipo de garoto que sempre propõe as coisas mais divertidas e criativas, mesmo dizendo que não tem nenhuma criatividade. Ele é especial para Chloe e sei que ele nunca deixará a vida entediante.

Ashton se tornou o irmão mais velho que eu nunca tive. Ele sempre cuida de quem está perto dele. Sempre me ajudando com qualquer coisa que eu peço, Ashton está sempre disposto para dar uma mãozinha.

E Luke. Eu não consigo entender que tipo de relação ou sentimento eu tenho pelo loiro. Eu sei que posso confiar nele de olhos fechados. Sinto que ele sempre estará ali para me confortar e me salvar do perigo. E o abraço de Luke Hemmings, sem dúvidas, é o melhor do mundo. Ele se tornou essencial para mim em apenas uma semana. E isso me assusta um pouquinho.

 - No que está pensando, esposa? – Cal veio até mim.

 - Em você e nos meninos. – respondi olhando para ele.

 - E o que você estava pensando sobre nós? – perguntou curioso.

 - Sobre como eu me aproximei de vocês de modos diferentes, mas que vão me fazer uma falta e tanto. – sorri para ele.

 - Eu sei. Você e a Chloe farão falta também. – ele parou um segundo. – Mas ainda vamos nos ver, não se preocupe, ok?

 - Tudo bem, asiático falsificado. – sorri para ele.

 - Já conversamos sobre isso, senhorita Mia. Eu sou metade escocês e metade neozelandês. – fez um biquinho.

 - Ok, Cal. Nunca mais te chamarei de asiático, pode ser? – apertei suas bochechas gordas.

 - Pode ser, esposa. – ele sorriu. – Mas agora vou dormir um pouquinho. Você vai subir agora?

 - Vou ficar mais um tempinho aqui. Boa noite, Kiwi*. – mandei um beijinho para ele.

 - Boa noite, Mia. – deu um beijo na minha bochecha e subiu.

Sozinha novamente. Olhei para um porta-retratos que tinha em cima da prateleira, junto com o X-Box. Era uma foto dos meninos, parecia o primeiro show deles na turnê com a One Direction, no O2 Arena, em Londres. Eles pareciam se divertir, cada um com seu instrumento. Parecia mágico estar naquela plateia ou naquele palco.

 - O que você tanto pensa jogada nesse sofá, pinguim? – Luke se aproximou, sentou-se ao meu lado e eu coloquei a cabeça nas suas pernas.

 - Estava pensando que eu gostaria de ir a um show. Vocês parecem muito felizes lá em cima e é contagiante. Meu coração aperta só de saber que ainda  não consegui ver vocês tocando num palco tão grande e ao vivo. – suspirei com aquela sensação apertando a boca do meu estômago.

 - Você ainda terá várias chances de ir. Aquele foi apenas o primeiro de muitos. E você sabe que logo teremos a turnê. Rock Out With Your Socks Out Tour vai arrasar! – ele disse empolgado.

 - Espero conseguir comprar ingressos para ficar bem na frente. – sonhei.

 - Prometo que estará na primeira fila, ok? – ele piscou.

 - E backstage? – eu me empolguei.

 - Posso tentar. – prometeu.

 - Eu vou cobrar. – ameacei.

 - Pode cobrar. – ele confirmou. Luke realmente parecia querer ser meu amigo. O loiro começou a fazer carinho nos meus cabelos. – O que você estava conversando com Calum?

 - Você é muito curioso, girafa! – desviei o assunto. – Eu estava falando pra ele como vou sentir falta de vocês, mas que cada um me marcou de uma maneira diferente.

 - E como eu marquei você, Mia? – ele falou baixinho e mordeu o piercing.

 - Eu não sei explicar. – voltei a pensar nas sensações que Luke me passa. – Você sabe me confortar. Eu sinto que se eu pular de um penhasco, você estará lá em baixo para me segurar. Você me passa toda essa sensação de calor, de paz, de “esse é o meu lugar”. Eu sei que posso confiar em você.  – pausei. – Você com certeza se tornou um amigo que eu não vou saber viver sem. – sentei no sofá e olhei para Luke. – Obrigada por aparecer na minha vida de um jeito ou de outro.

 - Foi um prazer aparecer na sua vida, Mia! Espero continuar fazendo parte dela, de um jeito ou de outro. – ele sorriu para mim e me abraçou.

 - Se você cumprir sua promessa, estarei aqui. – ri baixinho.

 - E, por favor, pare de me agradecer. Não fiz nada tão incrível assim. – ele deu de ombros. – E eu continuo sendo o seu integrante favorito?

 - Você nunca saberá disso, Hemmings! – neguei.

 - Ah, Mia! Fala sério! Conte-me! – pediu. Ele se aproximou de mim. – Fale ou morra.

 - Não vou falar! – neguei novamente, mas ele começou a fazer cócegas em mim. Eu me contorci toda, sentia cócegas sem nem encostarem em mim direito. Dei tapas em seu braço e sem querer chutei-o. – Tá! Eu falo!

 - É claro que fala. – sorriu de lado.

 - Você é meu melhor amigo agora. – afirmei.

 - Sério?! Então eu sou seu preferido ainda? – perguntou.

 - Entenda como quiser. – sorri para ele.

 - Mia! Isso não vale! – reclamou.

 - Como assim não vale? Existem regras? – perguntei.

 - Claro que sim! – indignou-se.

 - Regras são feitas para serem quebradas. – pisquei um olho.

 - Você é uma garota má! – riu.

 - Boas garotas são garotas más que ainda não foram pegas. – cantei perto do ouvido dele, só para provocar.

 - Você não tem jeito mesmo. – balançou a cabeça.

Voltei a deitar no sofá e fiquei olhando Luke. Ele olhava para um ponto fixo em linha reta. Eu olhava os pelos da barba dele que começaram a crescer. Ele ficava com uma feição mais madura de barba. Eu gostava de quando garotos deixavam a barba por fazer.

 - Por que você está me encarando, pinguim? – Luke olhou nos meus olhos.

 - Gosto quando deixa a barba por fazer, fica charmoso. – sorri para ele.

 - Você não tem namorado, senhorita? – perguntou brincalhão.

 - Eu tenho. Mas não significa que eu sou cega. – falei como se fosse óbvio.

 - Acredito. – falou sarcástico. – Falando em namorado, o que você vai fazer com ele quando voltar para casa?

 - Não sei ainda. – não queria falar de Jacob. – Ele foi um idiota e queria um tempo. Acho que vou procurá-lo depois para conversarmos. Temos que nos resolver. Seja para consertar ou acabar de vez.

 - Você está certa. Mas não o deixe pensar que pode fazer o que bem entender com você. Você me prometeu isso, não se esqueceu, certo? – perguntou.

 - Claro que não. – suspirei. Pensei em todas as coisas que contei para Luke. – Você sempre me ouve, mas não me lembro de ter ouvido você alguma vez. Sabe que pode falar comigo, certo?

 - Claro que sei! – Luke sorriu pra mim.

 - Que bom! Quero ser sua amiga assim como você é meu amigo, ok? – mostrei para ele meu melhor sorriso.

 - Mia? – ele perguntou depois de um tempo em silêncio. – O que você vai fazer depois da escola?

 - Eu não sei. Pensei em fazer fisioterapia ou enfermagem, não me decidi ainda. Por quê?

 - Estava pensando o que eu seria se não fosse músico. Sempre nos perguntam isso, mas nunca parei para pensar seriamente sobre isso. – ele começou a fazer carinho na minha cabeça novamente.  – Acho que você daria uma ótima “qualquer coisa que você escolher”.

 - Isso ficou engraçado. – ri da fala dele. – Mas obrigada. Você já é ótimo tocando, não pare, por favor.

 - É o que eu quero fazer por muitos e muitos anos ainda. – ele bocejou. – Posso me deitar aqui do seu lado?

Eu cheguei para o canto do sofá para que ele se ajeitasse ali. O sofá era bem largo e por isso coube os dois tranquilamente. Eu apoiei a cabeça no peito de Luke e pude ouvir seu coração bater. Era um ritmo calmo e foi com esse som e o cheiro da colônia do loiro que fui embalada e dormi em um instante.


Notas Finais


*Kiwi - neozelandês
Obrigada por lerem Heartbreak Girl! Vocês são demais!
Beijinhos da Lua e até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...