História Heartbreak Girl - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Tags Friendzone, Musica, Primeiro Amor, Romance
Exibições 103
Palavras 3.463
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa Leitura!

Capítulo 3 - Eu escolho o Luke


Fanfic / Fanfiction Heartbreak Girl - Capítulo 3 - Eu escolho o Luke

No dia seguinte

Luke Hemmings – 5h45

 

Acordei mais cedo do que o normal — o que é muito raro.

Fiquei encarando o rosto angelical de Scarllet, enquanto ela dormia. Sua boca carnuda estava seca, totalmente vermelha, seu nariz era perfeitamente fino, seus olhos fechados ressaltavam os cílios longos. Os fios loiro-escuros do cabelo estavam bagunçados, deixando a cena um pouco engraçada. Seu peito subia e descia calmamente.

Ela era tão perfeita.

Ontem eu tive a ideia de fazer uma brincadeirinha com a Sky para ver sua reação, e ela se assustou. Não sei se isso é bom ou ruim, mas sei que ela ficou nervosa, e sei também que ela estava imaginando coisas erradas, que guardou apenas para si, enquanto fitava meus lábios e mordia os seus.

Eu estou preocupado com o que está por vir entre ela e James. Se eles terminarem, será o melhor dia da minha vida. Mas igual às outras milhares de brigas, ele apenas vai se desculpar e ela, derreter-se em seus braços e se esquecer de tudo o que aconteceu.  

Fiquei observando-a mais alguns minutos antes de me levantar e pegar minhas coisas. Deixei um bilhete em cima do travesseiro que eu havia dormido e pulei para a minha sacada. Eu já havia feito tanto isso na adolescência, que me acostumei e virei um profissional nessa “atividade”.

Ao entrar no meu quarto, vejo que ele está mesmo uma bagunça — quando dona Liz entrar aqui, vai me matar —, mas não me importo. Nem adianta arrumar se em menos de duas horas estará desarrumado de novo.

Coloquei minhas coisas no canto do guarda-roupa, onde já se encontrava uma pilha de possíveis roupas sujas, e fui arrumar minha roupa de hoje. Assim que o fiz, fui organizar minha mochila, que só continha o meu caderno de música. Por fim, fui tomar meu amado banho morno.

Por sorte, meus machucados de ontem não estavam muito visíveis, porém, eu sabia que se chegasse assim na frente de Emma, ela me faria ficar imóvel para rebocar minha cara com maquiagem.

ღღღ

Saindo do banheiro já vestido e com o cabelo arrumado, vejo Sky do outro lado da sacada, arrumando seus enormes fios de cabelo. Ela também já estava vestida. Usava uma calça jeans preta, uma camiseta de frio também preta e com alguns detalhes e seus antigos e surrados Vans pretos. Ô menina para amar preto.

Quando ela se virou para a sacada e me viu observando-a, sorriu o sorriso mais maravilhoso do mundo, e que me fazia ter um ataque cardíaco. Ela acenou e fez sinal de que estava descendo. Concordei com a cabeça e peguei minhas coisas, descendo para a cozinha e encontrando dona Liz acordada tomando café.

— Mãe, hoje é dia de tomar café na casa de Sky. Beijo, até mais tarde — falei rápido, dando um beijo em sua bochecha e saindo de casa. Eu odiava tanto a ideia de acordar cedo. A única coisa que me fazia levantar todos os dias era Scarllet.

Eu odeio ser apaixonado por ela.

Caminho até a porta de entrada e, antes mesmo de eu tocar a campainha, a porta se abre, deixando-me ver a criatura mais linda do mundo.

Luke, pelo amor de Deus, para de ser gay. O dia mal começou.

— Bom dia, flor do dia. Como você está? Entre na minha pequena e humilde residência — disse em tom brincalhão, fazendo-me soltar uma risada um pouco alta. Ela logo riu junto comigo. Uma coisa que a casa dela não é, é pequena ou humilde. — A Lily está fazendo bacon com ovos.

— Hum... O cheiro da comida da Lily logo de manhã já é sinal de que o dia será brilhante — falei, sentando-me à mesa com Scarllet.

Lily era sua empregada e meio que babá. Como a mãe de Sky sempre viajava, ela contratou Lily para tomar conta da casa e da filha. Lily sempre cuidou de nós dois, e faz coisas deliciosas para comermos. Ela é praticamente da família, e nenhum de nós gostava de chamá-la de “empregada”. Sem contar que ela sempre ajudou a gente em tudo — nos trabalhos da escola, nas provas, na minha carreira e na carreira de atriz da Sky. Ela sempre nos ensinou a seguir os  nossos sonhos e a viver o momento, e não o futuro. Além de saber fazer o melhor bolo de chocolate do universo, ela também sabia o que eu sentia por Scarllet.

Acho que todos sabiam, menos a própria.  

— Eu ouvi isso, Luke — ouvi sua voz doce atrás de nós. Ela colocou o café na mesa e se sentou ao nosso lado para comer. — E fico feliz em saber. — Ela sorriu.

Enquanto comíamos, ficamos conversando sobre algumas coisas, em especial a peça da escola que a Sky fará o teste para a personagem principal e a minha apresentação na casa de shows para ganhar contrato com a gravadora.

— Mas enfim, vai ser sobre o que essa tão esperada peça? — Lily indagou.

— Romeu e Julieta — Scarllet respondeu, sorrindo de orelha a orelha, enquanto eu me engasgava com o bacon. Romeu e Julieta? Ela vai fazer o teste para o papel de Julieta. Isso significa que ela vai ter que beijar outro garoto? — Ai, meu Deus, Luke! Você está bem? — perguntou dando tapinhas nas minhas costas, o que não adiantou muito. — Luke? Pronto?

— Pronto — assegurei em voz baixa, recuperando-me, enquanto via Lily rir. Ela provavelmente sabia o motivo de eu ter “passado mal”.

Depois do meu mini-ataque, terminamos de comer, e Sky foi pegar seu material lá em cima.

— E quando você vai contar a ela? — Lily perguntou, arrumando a louça.

— Quando eu estiver seguro e pronto — sussurrei, e ela riu.

— Não sei como ela ainda não percebeu... Vi os dois dormindo hoje quando cheguei. Eu gosto tanto de vocês e amo a ideia de vê-los namorando. Porque todos nós sabemos que isso uma hora ou outra irá acontecer! — Ela se referia aos meus pais, aos meus irmãos e à mãe de Scarllet. De novo, só Scarllet que não sabia. — Sem contar que não vejo a hora de ela largar aquele garoto.

— Nem fale, Lily — disse fraco. — Eu odeio James a tratando como se fosse qualquer uma. Ontem eu falei umas verdades para ele, ele se doeu e veio para cima de mim.

— Já estou sabendo, Scarllet me contou tudo, até mesmo as coisas que você disse para James. Ela me falou que amou o que disse — Lily contou, sorrindo e cantarolando as últimas palavras.

— Detalhes, Lily. Eu só trabalho com detalhes.

— Ai, Lily, ele foi tão fofo. Ele disse todas as coisas que eu queria dizer para James e nunca consegui, talvez por medo. Tudo o que ele disse foi maravilhoso, mostrou pela milésima vez que se importa comigo e que gosta de mim de verdade, que me ama como se fosse a irmã dele, sabe? Ele me defendeu como todas as outras vezes, só que de um jeito perfeito! Eu namoraria Luke, mas ele é meu melhor amigo e eu... Ah, não sei — Lily imitou o jeito de falar de Scarllet, fazendo-me rir. — E ela disse isso e um pouco mais. No final, quando eu comprei a ideia de te namorar, ela ficou vermelha — falou, rindo. — Luke, ela não vai demorar a perceber... Conte logo!

— Contar o que e para quem? — a voz de Scarllet soou, fazendo-me pular de susto da cadeira.

— Nada, não. Vamos! — respondi, puxando-a pelo braço. — Tchau, Lily! — gritei da porta, em coro com a garota ao meu lado.

ღღღ

Scarllet White

Luke estava estranho comigo ultimamente, de um jeito que ele nunca foi. Ele estava sendo mais fofo comigo, mais próximo e contente, o que era ótimo. Eu fiquei muito preocupada há dois anos, quando ele quase entrou em depressão com o sumiço da vadia da Vanessa. Eu apenas a aturava por ser irmã do meu namorado, meia-irmã do meu amigo e namorada do meu melhor amigo.

Ela acabou com Luke naquela época, eu fiquei sem ouvir sua risada durante meses. Sequer o via sorrir, e nem mesmo eu conseguia deixá-lo bem. Não que agora ele esteja 100%... Sei que ele ainda esconde algumas coisas, como seu caderno de músicas que ele nunca me deixa pôr a mão. E quando fico muito próximo, ele parece desconfortável, ou o jeito que ele fala comigo... Luke está me escondendo tanta coisa que eu tenho certeza que os outros sabem — até mesmo Lily. Porém, como eu sou incrível, sei que consigo puxar de Lily, sei que ela não sabe mentir como eu. E ela não vai nem ousar tentar mentir para mim. Eu poderia tentar até com a minha melhor amiga, Emma, mas ela com certeza não me contaria. Ela também não sabe mentir, no entanto, o instinto dela de proteger os outros é maior.

Desci do meu quarto com tudo pronto e peguei uma parte da conversa de Luke e Lily.

Scarllet, para de ser fofoqueira. Mas simplesmente não dá.

Luke, ela não vai demorar a perceber... Conte logo! — Foi o que eu ouvi Lily dizer baixo, quase impossível de se ouvir.

Mas eu ouvi, e não me contive, precisei entrar na cozinha na hora e perguntar.

— Contar o que e para quem? — Arqueei as sobrancelhas, encostando-me à grande passagem da cozinha para sala. Vi Luke se assustar com a minha voz e desconversar.

Agora estávamos a caminho da escola dentro do carro de Ash, que graças ao bom Deus nos encontrou no meio da rua. Também estavam lá Larie e Emma.

Larie era namorada do Ashton e morava com ele, pois seus pais se mudaram para os Estados Unidos e Larie não queria ir, então ficou na casa de Ashton, e os pais dele acolheram-na super bem, amam e cuidam dela como se fosse uma filha. Eles dão o amor que os seus pais nunca deram.

Ficamos conversando nós três no banco detrás da minivan, enquanto eu via Luke com uma cara séria fitando o estacionamento do colégio. Ao olhar na mesma direção que a dele, vi James com Tracy, a líder de torcida mais cobiçada de toda a escola.

Luke olhou para trás, em meus olhos.

— Está pronta? — questionou baixo, deixando os outros com cara de ponto de interrogação.

Assenti devagar, e Ash estacionou o carro.

Primeiro saiu Larie, então eu e Emma, que logo saiu correndo para os braços de Calum, que nos esperava na porta da escola junto com Mike e Lara.

— Vem. — Senti o braço de Luke por volta do meu ombro e sorri com isso.

Caminhamos até nossos amigos e ficamos rindo por alguns pouquíssimos segundos, até uma voz rouca e alta nos atrapalhar. James. Suspirei fundo e me virei para ele, que tinha um sorriso cínico nos lábios — seu olho continuava roxo.

Meus amigos me desejaram boa sorte como se eu fosse domar um touro agora, nesse exato momento. Saíram e foram para dentro da escola. Suspirei novamente e andei em direção a James.

— Oi, meu amor! — Ele me abraçou, fazendo cafuné em meus cabelos. — Queria te pedir desculpas por ontem, dizer que foi puro impulso e que eu nunca bateria em seu melhor amigo. Eu só estava com ciúmes e descontei nele.

— Esse é o problema, Henderson — comecei, soltando-me dele e vendo seus amiguinhos do basquete se aproximar e formar uma roda ao nosso redor enquanto riam.

Olhei incrédula para eles e puxei James para a primeira sala de aula vazia que encontrei no primeiro corredor.

— Bom, continuando. Esse é o problema, você sempre se desculpa com esse sorriso perfeito no rosto quando faz alguma merda, e eu sempre caio em seus braços falando que vou esquecer. Você sempre promete que nunca terá uma próxima vez, mas sempre tem, James! Sempre! — Eu andava de um lado para o outro, enquanto James permanecia encostado à mesa do professor.

Soltei tudo que estava preso na minha garganta há um ano. Nós namoramos faz dois anos, e no primeiro ano era tudo um mar de rosas. Do ano passado para cá que tudo desandou.

— Eu estou cansada disso, James, entende? Você e o Luke sempre brigando, você nunca podendo sair comigo ou passar um tempo comigo. Uma hora sequer ao meu lado! Responda-me uma coisa, Henderson, qual foi a última vez que você disse que me amava de verdade? — indaguei chegando perto dele. — De verdade — repeti devagar.

— Ontem, quando eu te vi pela primeira vez depois das férias, eu te abracei, te beijei e disse que te amava muito. Lembra?

— Mas foi real, James? — insisti chegando mais perto dele, com minha sobrancelhas arqueada.

— Foi, você sabe disso, Scarllet! O que o Luke pôs na sua cabeça para que desconfiasse disso? Eu amo você. Sou apaixonado por você, Scarllet! E você, aqui no fundo — respondeu, apontando para o meu peito —, sabe disso! Eu poderia ter escolhido qualquer garota desse colégio, mas escolhi você! — James terminou de falar e pôs sua mão na minha bochecha, pronto para me dar um beijo. Mas eu desviei e bati em sua mão de leve.

— Esse é o seu problema, James, você nunca quer sair como o culpado, como o errado da situação. Você acabou de se entregar! Tentou passar a culpa para o meu melhor amigo! E ainda por cima se entregou, provando que é mesmo um babaca. Se você pode ter as outras, pode ter qualquer uma, por que quis logo eu? Por quê? Eu não sou tão bonita, não tenho o corpo delas, não sou líder de torcida. Eu sou nerd, não gosto das festinhas que você vai... Por que eu?

Porque eu amo você, e não as outras, Scarllet! — gritou. — É isso que eu quero que você entenda.

— Tá, James, eu também te amo e nunca te falei nenhuma dessas coisas. Nunca tentei diminuir seu melhor amigo ou a sua melhor amiga para não me sair como a culpada da história. Eu sempre assumi meus erros. Sem falar que todas as vezes que você me chamava pra sair, eu ia. Porque você tinha me pedido! E mesmo sendo uma daquelas festas insuportáveis dos seus amigos imbecis! Mas você saía comigo quando eu pedia? Claro que não! — explodi, quase voando em cima dele.

James consegue me tirar do sério!

— Me desculpe por tudo isso, eu nunca pensei... nunca pensei que você pudesse se sentir desse jeito. Foi sem querer. Mas você sabe que Hemmings e eu... — interrompi-o.

— Esse é outro problema. Ele é meu melhor amigo, meu irmão, e você vai ter que aceitá-lo! — retruquei.

— Melhor amigo e irmão que gosta de você! — ironizou. Virei para ele sem entender nada, e ele riu alto, ainda irônico, batendo palmas. — Vai dizer que não sabe?

— Não sei o quê, James? — Aproximei-me novamente, com a testa franzida.

— Isso não importa agora. Voltando para nós dois, eu não vou conseguir engolir o seu tão adorável melhor amigo, então vou ter que ser direto com você, Scarllet — respondeu, sério e com a cara fechada, voltando a se encostar à mesa. — Eu amo você, você também me ama. Mas nosso namoro começou a desandar, e o Hemmings tem um pouco de culpa nisso, pois você sabe que ele vive colado em você, e nem venha discordar! Então eu só digo uma coisa... Ou eu ou Hemmings.

Ele não está falando sério.

Respirei fundo e meus olhos marejaram nesse momento. Eu me segurei para não chorar, porém foi quase impossível; a raiva estava esquentando meu corpo a ponto de me fazer cometer uma tremenda loucura.

— Você, o garoto que eu mais amei na minha vida, o único que eu amei, o meu namorado, está me fazendo escolher entre você e o meu melhor amigo, que eu conheço há dez anos e que sempre esteve ao meu lado para tudo? — questionei, incrédula, deixando as lágrimas escorrerem pelo meu rosto. — Você só pode estar de brincadeira com a minha cara.

— Sky, você vai ter até o fim das aulas para me responder — disse assim que o sinal tocou avisando que a primeira aula estava para começar.

— Não precisa esperar — falei antes que ele deixasse a sala de aula. Passei em sua frente, ficando cara a cara com ele. Vi um sorriso vitorioso brotar em seus lábios, e ele se aproximou mais de mim. — Eu estou terminando com você, James Henderson. Ou, respondendo do jeito certo a sua pergunta, eu escolho o Luke — terminei, fazendo seu sorriso se desmanchar.

Ele achava mesmo que eu iria escolhê-lo?

Saí daquela sala recebendo alguns olhares, mas ignorei todos eles e corri para o banheiro. Chegando lá, joguei minha mochila no balcão das torneiras e me apoiei no mesmo, olhando meu rosto, que estava parecendo o de uma bruxa. Meu rímel estava escorrendo por todo ele.

Passei água gelada sobre meu rosto, tentando amenizar o preto da maquiagem. O ruim é que minha pele é branca e fica facilmente vermelha, ou nesse caso, escura. Limpei todo meu rosto e sequei minhas mãos, voltando a me fitar no espelho. Arrumei minhas roupas amassadas, suspirei fundo e sussurrei para mim:

— Você é forte demais para desabar desse jeito. — Essa era a única coisa que eu me lembrava da minha avó.

Toda vez que eu ia para sua casa, havia um parquinho nos fundos da grande chácara. Quando eu caía de um brinquedo e pensava em desistir dele, ela sempre me dizia essa mesma frase, que eu sou muito mais forte do que isso. Eu sinto falta dela.

Respirei fundo, tentando controlar as lágrimas que queriam voltar a cair, e peguei minhas coisas. Estava me preparando para sair do banheiro e ir para árvore na lateral escondida da escola, onde eu e o resto dos meus amigos ficávamos, quando uma criatura da mesma altura que eu, loira e com um sorriso nos lábios entrou no banheiro, empurrando-me para trás.

Carly Jones.

A quase ex-namorada de Luke.

— Ora, ora, ora... Veja se não é a tão amada do colégio, Scarllet White, chorando por ter acabado de terminar seu tão doce namoro com o capitão do time de basquete — zombou, fingindo, por fim, uma cara triste.  

— Isso não é da sua conta, Jones — rebati, tentando caminhar para fora do banheiro.

Mas ela me puxou de novo.

— Claro que é, pois agora você sabe como é ser humilhada e sentir um vazio no seu coração que sempre estará ali, sempre. O seu primeiro amor... Aconteceu isso comigo, lembra? Quando você atrapalhou o meu namoro com Luke! — disse pondo o dedo indicador sobre o meu peito. Quem essa vadia acha que é?

— Minha querida, eu não atrapalhei o seu namoro com o Luke. Pelo contrário, eu queria que vocês dois namorassem para que ele se esquecesse da Vanessa! Eu até te ajudei, Carly! Faça-me um favor, garota! Eu era sua amiga! — Comecei a ficar irritada. Eu vou ter que me segurar ao máximo para não dar na cara dessa garota que não me pegou em um bom dia.

— Pena que ele não gostava de verdade de mim, certo? Porque ele era apaixonado por outra garota!

— A Nessa? Ele não era mais apaixonado por ela quando eu ajudei vocês a ficarem!

— Não estou falando da irmã do seu ex-namorado — destacou o “ex”, fazendo-me bufar e revirar os olhos, impaciente.

— Está falando de quem então, garota? — perguntei, irritada, quase gritando. Porém, fomos interrompidas por uma terceira voz dentro do enorme banheiro.

— Sky, vamos! Não gaste seu tempo discutindo com essa aí! — Larie olhou Carly de baixo a cima com uma cara de nojo, puxou-me pelo braço e me arrastou para fora daquele lugar. — O que ela te disse? — indagou assim que chegamos ao corredor dos armários.

— Quando ela ia falar, você chegou, Moreau. — Revirei os olhos, e ela suspirou aliviada. O motivo? Não faço a mínima ideia, meus amigos não me contam praticamente mais nada.

Eu contei tudo o que havia acontecido nos últimos minutos, que eu tinha terminado tudo com James pelo que ele tinha feito e falado. De primeira, Larie quis matá-lo assim como eu. Eu e a Gaabs éramos as mais chegadas em James, porém, como eu disse antes, ela tinha mudado há um ano, e ninguém sabia exatamente o motivo.

Larie me deixou matar aula e ficar na nossa maravilhosa árvore dos pensamentos. Eu não ia conseguir ficar no mesmo ambiente que o do James por um bom tempo. Fui para a enorme árvore na lateral afastada do colégio, e me sentei ali, encostando minha cabeça no tronco.

Deixei os meus pensamentos fluírem.

Eu estava tão confusa naquele momento, nem acreditava no que acabara de acontecer. Comecei a chorar ao me lembrar de James e de nossos bons momentos, apesar de sentir ódio dele ao mesmo tempo. Para falar a verdade, não sabia direito o que eu estava sentindo. Até que uma voz muito conhecida atrapalhou meus milhares de pensamentos confusos.

— Scarllet?

"Odeio não conseguir te odiar,

por mais que eu tente, eu não consigo..."

Continua...


Notas Finais


Carly Jones: https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/originals/82/d9/b2/82d9b203ee276fdc72f268167355ae85.jpg

Voltei uma semana depois como prometido com um capítulo que eu amei escrever pela segunda vez <3
Espero que vocês também tenham gostado, me digam o que estão achando e até semana que vem!
Beijooo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...