História HeartPure - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Burgerpants, Chara, Doggo, Error Sans, Flowey, Frisk, Gerson, Greater Dog, Grillby, Ink Sans, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Visualizações 9
Palavras 1.421
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oooe eu queria postar frequentemente mais ocorreu um problema e eu sem querer exclui o capitulo 2 *bate a cabeça na mesa* entao ja virão ne tive que rescrever tudo
E como tradição ex a música para escutar enquanto lêem : CAPITILO 2: http://www.youtube.com/playlist?list=PL0Dnp8xr6HZrrrecN4D2Dn9AaL0W5PW1u
Sem mais delongas boa leitura

Capítulo 2 - Uma pessima Decisao


Fanfic / Fanfiction HeartPure - Capítulo 2 - Uma pessima Decisao

Hydra levantou do chão colocando a mão em seu nariz tentando estancar o sangramento caminhou ate a cabana um pouco tonta ela girou a maçaneta, entrando na casa ela fechou a porta subindo as escadas segurando no corrimão, ela caminhou pelo corredor sintindo o sangue escorrer pelo seu rosto ela o limpava com a manga da blusa ela entrou em seu Quarto se aproximou da cama e pegou em baixo dela uma maleta com ataduras remedios e curativos nos últimos tempos aquela maleta era sua unica amiga Hydra realmente estava sozinha ela tirou um algodão da maleta e colocando de um lado do nariz, tirou de um compartimento secreto uma pequena caixa preta se levantando e caminhou ate a comoda pegou uma toalha saindo do quarto caminhando ate o banheiro seus ela ouviu papyrus entrando dentro da casa colocou rapidamente a caixa em seu bolso e o viu subindo as escadas ficando na ponta do corredor ele a olho e em um tom serio dizia caminhando em sua direçao - Eu vou fazer o jantar nao demore no  banho e dessa Hydra - ela consentiu com a cabeça entrando no banheiro ligando o chuveiro esperando ele aquecer, tirou suas roupas observando o grande ematoma que estava em sua barriga e os os cortes em seu braço mais aqueles ela que os fazia ela pegou a caixa preta e de dentro tirou uma laminha que encontro nas coisa de seu irmão ela se sentou no chão abrindo alguns cortes nao muito profundos so o suficiente para sentir aliviado sim, ela ja estava se viciando encostando a cabeça na parede deixou a agua cair por sua cabeça molhando seu corpo passando pelos seus cortes os fazendo arder a fazendo respirar fundo sangue escorrendo por seu corpo a fazendo deita sua cabeça sobre o joelho sua barriga ainda doía muito e começava aos pouco ficar amarelada hydra suspirou e levantando dando inicio ao seu banho, quando terminou colocou umaregata braca e uma blusa vermelha com capuz(o da foto do capitulo)  que as mangas podiam esconder seus cortes colocou um shorte saiu do banho caminhando para o andar de baixo ja podia ouvir papyrus colocando a mesa ,ela entro na cozinha ele logo disse - ja ia subir pra te chama oque tanto faz hydra que demora tanto? - ele a olho levantando a sombrancelha  ela colocou as maos para tras entrelaçando os dedos - Eu... Estava lavando o cabelo papyrus- ele a encarou por algum minutos mais voltou sua atenção para a panela no fogo - OK então sente-se  o jantar esta pronto - Hydra o obedeceu ele se aproximou colocando o jantar dos dois e então como todas as noites o silêncio reinou durante todo o jantar ela tossiu chamando  atenção dele - P.. Papyrus Porque nunca vamos a cidade - ele fechou os olhos colocando o garfo sobre a mesa - A cidade nao é um parque de Diversão Hydra ja conversamos sobre isso Você sabe muito bem minha resposta então se quizer viver nunca se afaste dessa casa - ele levantou da mesa rapido e violento - Arrume tudo e vá durmi - ela olho pra ele vendo que ele nao tinha terminado seu prato - V.... Você nao t-erminou.... - ele olho pro prato a encarando - É graças a você  eu perdi a fome - ela se manteve calado ele saiu da cozinha se direcionando a seu quarto a deixando sozinha chegando nele Papyrus foi ate sua comada pegando um maço de cigarros acendendo um e caminhando ate a janela tentando se acalmar , olhou para o copo em cima do criado mudo dentro dele tinha tres dedos de Whisk ele tomou de uma vez sentindo queimar por dentro ele apertou os dentes deu um trago em seu cigarro e sentou na cama enchendo mais uma vez o copo memorias voltando cada vez mais seus pensamentos o torturando ele deu mais gole acabando com a dose deu um trago olhou para o copo o arremessando contra a parede hydra conseguio ouvir o copo se quebrando ela abaixou sua cabeça terminado de limpar a cozinha papyrus deitou em sua cama colocando a garrafa em cima do criado mudo segurando seu cigarro dando alguns tragos colocando um de seus braços atras da cabeça olhando pro teto,  vendo a fumaça subir e desaparecer hydra saiu da cozinha apagando a luz indo pro seu quarto chegando nele se jogando na cama e refletindo oque papyrus disse na mesa e pensando se oque brotava em sua mente era mesmo uma boa ideia ela olhou para o teto observando o mofo que já brotava no canto da parede ainda disfarçado por causa do cinza das paredes ela deu um sorriso de canto lembrando quando ela e Papyrus as pintaram e como ele tinha ficado sujo de tinta, em um suspiro pesado ela  olhou para as próprias mãos tentando achar algo que ocupasse sua mente mais cada vez mais parecia ser  inultio  lutar contra, ela levantou da cama e foi ate a janela vendo a neve branca la fora relembrando dos treinamentos diários e como aquela neve parecia rochas quando seu corpo batia no chão sem saber o porque estava treinando o porque estava apanhando e sangrando por nada talvez ? ela precisava acabar com isso ela nao queria mais, aquilo nao é viver ela rapidamente foi ate seu guarda–roupa e pegou uma mochila e algumas peças de roupas vestiu uma sobretudo marrom e botas para neve ela rapidamente saiu do quarto e com cautela andou pelo corredor como se estivesse pisando em ovos ela podia ouvir Papyrus se remexendo na cama por  ela podia sentir seu coração batendo cada vez mais rápido ela engulio a saliva e olhou para a escada e continou andano quando já se encontrava na metade dos degraus ouviu um ranger de porta ela podia ouvir seu coração falhando aos poucos passos, pelo corredor cada vez chegando mais perto ela sem muito tempo correu para a sala se escondendo atrás da poltrona com sua respiração descontrolada ela tampou a boca com a mão ela viu papyrus caminhando ate a cozinha e pegando um copo no armários seus olhos estavam fundos por conta da falta de sono e por causa da bebida seu coração se quebrava em partes ao velo assim mas Hydra não podia fazer nada para ajudalo ela tentou de todas as formas mais tentar conversa com papyrus era como. Dar murrros em ponta de faca. 

ele foi ate a pia e encheu seu copo e foi ate a gaveta do armario pegando uma cartela de comprimidos provávelmente soniferos deu meia volta em seus calcanhares voltando de novo para o quarto ela o observou de tras da poltrona  subindo as escadas e escultou a porta de seu quarto se fechar ela levantou caminhou ate a porta a destrancando com cuidado para nao fazer barulho e abriu a porta bem devagar saindo. Da casa e se deparando com a imensidão da floresta ela fechou a porta ainda exitando de ir, respirou fundo e soltou a maçaneta e caminho floresta a dentro podia ver ao poucos sua casa sumindo por conta das arvores depois  de algum tempo de caminha da ela ja podia sentir seu corpo clamando por uma pausa suas pernas fraquejando, seus ombros doloridos más era tarde de mais para dar meia volta  ela tinha que continuar ela iria andar até nao sentir mais seus pés ela tinha a determinação queimava dentro de sí Hydra ja tinha chegado a parte mais densa  da floresta as folhas das arvores impediam de que a luz da lua podece iluminar seu caminho tornando cada vez mais dificil de ver em que estava pisando até que uma maldita raiz enroscou em seu Pé fezendo a colidir com o chão -mais uma vez no chão -  quando se levantava viu um barulho entre as árvores 

- é essa com certeza deve ter doido.... - ela olhou em volta mas não conseguido ver nada apenas ouvir os ruidos Dos galhos ela se manteve no chão tentando achar uma pedra quando ouviu o galho quebrar - oque faz aqui essa hora?Nao Devia estar em casa? - no meio da neve ela encontrar um pedra pequena e pontuda levantando do chão com ela em mãos a segurando  ele acende o esquerio trazendo um pouco de luz - se eu quisese te matar ja teria feito isso- ele coloca fogo em um galho fezendo uma espécie de tocha - bom isso deve servir, aproposito meu nome é corbell. 




Notas Finais


Obrigado por ler
Desculpe qualquer erro ortográfico
Espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...