História Hearts Don't Break - Capítulo 7


Escrita por: ~ e ~Acinorev

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), Emma Swan, Lacey (Belle), Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Visualizações 51
Palavras 2.487
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello, espero ter voltado mais rápido desta vez.

Bom agora a historia será contada do ponto de vista dor personagens, já era algo que eu sabia que iria mudar.
Tirando a Zelena todos os outros amigos irão voltar a ter a amizade que tinham a 10 anos atrás, ao longo da história vocês irão descobrir o pq.

Capítulo 7 - A dor ao lembrar do passado


Regina P.O.V

 

Depois do meu encontro com a Zelena voltei para casa inspirada para continuar com uma história que eu já tinha começado a algumas semanas, passei a tarde toda escrevendo sem ao menos me dar conta, parei apenas quando ouvi batidas na minha porta.

 

- Entre. - fechei o notebook e me virei para porta vendo apenas a cabeça do meu irmão - o que foi pirralho?

 

- A mamãe ligou. Ela disse que vai chegar mais tarde hoje.

 

- E daí? Ela chega tarde quase sempre. - o encarei curiosa, para ela vir até meu quarto me notificar deveria estar querendo alguma coisa.

 

- Posso dormir aqui com você? Não gosto daquele quadro que a mamãe colocou no meu quarto. - ele me olhou timidamente.

 

- Claro que pode, vá pegar seu travesseiro. - ele se virou mas o chamei antes que sumisse de vista - você já fez o seu dever de casa?

 

- Já.

 

- Bom garoto, amanhã irei lhe fazer uma surpresa. - ele se aproximou curioso.

 

- O que é?

 

- Surpresa oras. - comecei a rir - agora vá buscar a coberta.

 

Ele se virou e foi até seu quarto, guardei meu notebook na gaveta e tranquei a mesma, adquiri esse hábito depois que minha mãe começou a mexer nas minhas coisas.

 

- Voltei. - meu irmão reapareceu e se deitou no canto da minha cama.

 

- Você já vai se deitar? - olhei para o relógio.

 

- Quero ver filme, vamos? - ele apontou para a televisão.

 

- É o que tem para hoje não é mesmo? - me sentei ao seu lado e liguei a Tv - O que você quer ver?

 

- O bom dinossauro.

 

Coloquei no filme e começamos a assistir. Meu irmão adorava animações, foi inevitável não me lembrar da Zelena, quando éramos crianças ela amava qualquer tipo de animação e desenhos.

 

- Gina? - o olhei e fiz sinal para que ele continuasse - Você fala porque aquele quarto ao lado do meu vive trancado.

 

Fiquei sem saber o que responder, o quarto ao qual ele se referia era o antigo da Zelena, depois de que ela se foi nossa mãe o trancou e jogou a chave fora.

 

-  Digamos que a chave foi perdida. - forcei um sorriso e ele se contentou com a resposta.

 

Passamos o resto da tarde e boa parte da noite assistindo Tv, como nossa mãe tinha avisado que não chegaria cedo aproveitamos pois Henry nunca pode ver tv quando ela está em casa.

Depois de algumas horas olhei para o lado e vi meu irmão dormindo, desliguei a tv e fui para a cozinha, fiz um sanduíche para mim e o comi na cozinha mesmo, limpei tudo o que sujei e quando estava indo de volta para meu quarto ouvi a porta sendo aberta. Queria passar correndo mas Cora já tinha me visto.

 

- Onde está seu irmão?

 

- Boa tarde mamãe, estou ótima e minha tarde foi maravilhosa. - respondi ironicamente - Henry já está dormindo. Caso não tenha percebido já é madrugada.

 

- Espero que ele não esteja no seu quarto. Você sabe que não gosto quando ela dorme lá.

 

- Se você não tivesse colocado aquela pintura horrenda no quarto dele talvez ela não fugisse do próprio quarto. - me virei porem ela me segurou.

 

- Antes que vá se deitar quero ter uma conversa com você, sente-se. - ela apontou para o sofá, mas como eu sou eu me sentei na poltrona.

 

- Sou todo ouvidos. - sorri.

 

- Não quero você perto da sua irmã. - processei a informação por um tempo.

 

- Como é? - tentei me manter calma - Você não quer?

 

- Tá surda? - comecei a rir - Regina, eu não estou brincando. Não quero que você sonhe em se encontrar com ela novamente.

 

- Você não tem esse poder sobre mim, eu vou ver minha irmã quer você queira ou não. - fiquei totalmente séria.

 

- Enquanto você morar na minha casa você tem que fazer o que eu mando - ela sorriu - ou você se esqueceu que essa casa é minha?

 

- Como se eu pudesse me esquecer disso. - sussurro - a questão mamãe é que eu não vou obedecer a essa sua ordem ridícula. Pode esquecer.

 

- Essa é a sua palavra final? - o sorriso no seu rosto sumiu.

 

- Sim. - me levanto - e nem pense que você vai poder me ameaçar… Henry já tem 9 anos e não depende mais de mim como antes.

 

- Então você já sabe o que fazer…

 

- Você sabe que se eu for ele vai junto. - sorri abertamente. - Ou você se esqueceu que você não tem mais a guarda dela a anos.

 

- Isso não quer dizer nada, afinal vocês dois fazem tudo que mando. - ela sorri novamente - Quantas vezes você já arrumou suas malas dizendo que irá embora?

 

-  Henry não está feliz mamãe. Tenho certeza de que ele ficará feliz em partir...

 

- Você não vai tirar meu filho de mim, não tem esse direito. - ela se aproximou ameaçadoramente, porém não me intimidei.

 

- Claro que tenho, você não se lembra que você quase o matou uma vez? - ouvi uma das portas batendo e fui até meu quarto, o que eu mais temia tinha acontecido.

Henry não estava em lugar nenhum, troquei de roupa rapidamente e sai correndo atrás do meu irmão. Não era a primeira vez que ela fugia mas era a primeira vez que fugia no meio da noite. Fui primeiro na praça, depois no parque, em seguida eu fui para a biblioteca, passei em todos os lugares que Henry gostava porém ele não estava em nenhum deles. Minha ideias de onde ele poderia estar estava se esgotando, estava andando quando o avistei aparentemente conversando com alguém, não conseguia ver o rosto da pessoa pois a mesma estava abaixada, fui andando apressada até meu irmão.

 

- Henry Daniel Mills, o que pensa que está fazendo? - tentei a todo custo não gritar.

 

- Regina? - a pessoa se levantou e foi impossível não perder a fala. - Mills? É você mesmo?

 

- Emma? - abri um sorriso e fui correndo abraça-la. - O que faz aqui? Pensei que tivesse ido embora para nunca mais voltar.

 

- Nunca disse que não voltaria. - ela sorriu - Quanto tempo não é mesmo?

 

- Sim, quase dez anos - suspiro e volto a atenção para o meu irmão. O que pensou que estava fazendo?

 

- Eu… Você… - ele começou a gaguejar, sempre fazia isso quando ficava demasiadamente nervoso.

 

- Não brigue com ele Regina, ele estava assustado, diria até que estava com medo. - fechei a cara e a olhei.

 

- Não me diga o que fazer… Ainda não gosto disso. - ela revirou os olhos e me virei mais calma para meu irmão.

 

- Percebe-se. - ela se virou para ir embora porém segurei seu braço.

 

- Você sabe que está super encrencado não mesmo? - ele acenou com a cabeça e eu o abracei - quando voltarmos iremos ter uma conversa séria.

 

- Você não vai embora vai? - não respondi e me virei para Emma.

 

- Obrigada Emma. Apesar de estar claramente embriagada, você parou para ajudá-lo.

 

- Como sabe que eu…

 

- É notável - volto a sorrir - Bom eu tenho que levar essa pestinha para casa, foi bom te ver Swan.

 

Emma retribui o sorriso e segue seu caminho, seguro nas mãos do meu irmão e o levo de volta para casa. Entramos de fininho e vemos Cora de costas falando desesperada com alguém no telefone.

 

- Eu vou falar com ela, voltei para o meu quarto. - ele obedece e sai correndo. - Mãe?

 

- Você o achou? - ela se vira e vejo que seus olhos estão vermelhos.

 

- Sim.

 

- E onde ele está?

 

- Ele foi para o quarto, disse que está cansado.

 

- NÃO QUERO SABER SE ELE ESTÁ CANSADO, ELE ME DEVE UMA EXPLICAÇÃO.

 

- Não está na hora de escândalos, ele já voltou e acabou. Eu irei dormir, espero que faça o mesmo. - sai da sala e fui para o meu quarto, Henry já tinha se deitado novamente no canto da minha cama entretanto continuava acordado.

 

- Gina, me desculpa, não deveria ter fugido. - me sentei ao seu lado e passei a mão pelos seus cabelos.

 

- Não pense nisso agora, vá dormir, você tem aula agora. - me levantei e fui até o banheiro, tomei um banho rápido e fui me deitar. Não demorou muito e peguei no sono.

 

Acordei no dia seguinte e não vi Henry ao meu lado, olhei para o relógio que tinha na parede e o mesmo marcava 10:00hs, então logicamente Henry estava na escola. Me levantei e fui até o banheiro, fiz minha higiene pessoal e me vesti para sair. Peguei as chaves do carro e fui até o café que tinha perto do hotel da Zelena, pedi um café preto e sem açúcar e fui até esperar minha irmã. Chegamos na entrada juntas, olhei no relógio e o mesmo marcava 11hs em ponto.

 

- Achei que não fosse vir.

 

- Eu disse que viria. - me dei conta de que aquela não era a minha irmã de 10 anos atras e sim uma mulher até então desconhecida para mim.

 

- Então vamos. - ela me seguiu e entramos no carro, o caminho todo foi seguido de silêncio. Chegamos ao local e ela me olhou confusa.

 

- Por que estamos em frente a escola? Não vá me dizer que esse é o seu motivo? - ela sorriu, mas ao contrário do que eu gostaria era um sorriso debochado.

 

- Não tonta, é o que tem na escola que me fez ficar. - seu sorriso rapidamente se desfez e voltamos a ficar em silêncio.

 

- Isso vai demorar muito? - assim que ela terminou de falar ouvimos o sinal tocar, não demorou muito e as crianças saíram correndo portão a fora.

 

- Espere aqui. - sai do carro e fui até o portão, logo Henry veio igual a um furacão em minha direção.

 

- Ginaaaaaa, que surpresa… Você nunca vem me buscar. - ele se agarrou na minha cintura, tenho certeza de que só queria mostrar para os amigos a irmã linda que ele tinha.

 

- Eu disse que te faria uma surpresa… Vem. - segurei em sua mão e o levei até o carro. Abri a porta de trás e pude perceber que ele ficou curioso ao ver a figura que estava no banco da frente.

Dei a volta no carro e entrei.

 

- Zelena, esse é o motivo de eu nunca ter assinado com nenhuma editora. - apontei para o pequeno. - Henry essa é a dona da porta trancada que tem lá em casa.

 

 Henry me olhava confuso e Zelena me fuzilava com o olhar.

 

- Esse é o…

 

- Sim Zelena, esse é o nosso irmão. - olhei para trás. - Henry, essa moça é a nossa irmã Zelena.

 

- Eu tenho outra irmã? - ele abriu um sorriso gigante e foi inevitável não sorrir junto.

- Sim. - disse calma e olhei para Zelena que estava atônita. - O gato comeu sua língua, sis?

 

- Você não deveria ter feito isso. - ela desceu do carro e foi rapidamente caminhando para longe.

 

- Zelena, espera? - gritei porém ela já estava longe.

 

- Ela não gostou de mim? - Henry perguntou um pouco triste e até mesmo preocupado.

 

- Claro que gostou, ela só ficou surpresa em te ver. - sorri e levei Henry até o parque, enquanto ele brincava fiquei tentando imaginar o motivo para que Zelena reagisse tão mal.

 

Zelena P.O.V

 

Depois de ver Henry entrar no carro fiquei totalmente abalada, não sabia ao menos o que falar, o pequeno era super parecido com o nosso pai que tinha morrido pouco antes de Cora descobrir que estava grávida, ver aqueles foi demais para mim, desci do carro e fui praticamente correndo até o Granny’s. Entrei como um furacão e fui até o escritório de Killian, bati na porta e entrei ao ouvir sua permissão, mesmo estando a anos longe Killian continuava a ser meu melhor e pensando bem meu único amigo.

 

- Zel? O que aconteceu? - ele se levantou e veio ao meu encontro.

 

- Regina. - ele segurou minha mão e me abraçou.

 

- O que você fez? - lhe olhei fuzilante - Não me olhe assim.

 

- Eu não fiz nada… Isso quase me ofende - me sentei no sofá e ele se sentou ao meu lado.

 

- Me diz o que aconteceu. - contei para Killian sobre a conversa com a Regina, a viagem até a escola e o menino. - Você está assim porque conheceu seu irmão?

 

- Não, lógico que não… É que ele se parece tanto com ele. - automaticamente a imagem do meu pai vem a minha mente.

 

- Olha Zel, seu pai se foi e não tem nada que possamos fazer, contudo, seus irmãos estão aqui, vivos e querendo a sua companhia, não se prive de ficar com a sua família mais uma vez.

 

- Você sabe que eu não vou conseguir…

 

- Eu sei? - Killian levanta uma sobrancelha - no momento a única coisa que eu sei é que a mulher que coloca medo em todos os seus funcionários agora está com medo de se aproximar de sua família. Não se afaste novamente Zelena, Regina não vai suportar que você a abandone novamente.

 

Quando ia responder a porta foi aberta.

 

- Killian, olha aqui… - a morena que até então estava olhando para um bloquinho em suas mãos levantou o olhar e ficou me encarando - Zelena? É você mesma.

 

- Sim, e você é? - me recompus e olhei para Killian.

 

- Como assim você não se lembra de mim… - ela começou a rir - Vejo que continua piadista não é mesmo.

 

- Ruby, já te disse para bater na porta antes de entrar. - me virei novamente para Killian surpresa.

 

- Ruby Lucas? - perguntei e ele assentiu - Você está… diferente.

 

- Você quer dizer gostosa não é mesmo? - ela ficou me encarando - Bom, disso eu já sabia.

 

- Ruby…

 

- Deixa de ser chato Killian, não é como se não nos conhecêssemos.

 

- Bom eu tenho que ir - me levanto - obrigada por me ouvir Kill, adeus Ruby.

 

Ela ficou me encarando por um tempo e saiu da frente para que eu passasse.

 

- Nossa, tem certeza de que essa é a Zelena, porque não tem nada haver com a ruivinha. - antes que saísse pude ouvir o comentário da Ruby, respirei fundo e voltei para o hotel com a promessa de que iria procurar minha irmã durante a tarde.

 


Notas Finais


Vou tentar não demorar a atualizar.

Outra coisa, gostaria de saber se vcs gostam de capítulos maiores ou menores.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...