História Hearts on Fire (TaeGi) - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Muito Drama, Muito Fluff, Namjin, Piadas Sem Graça, Taegi
Exibições 196
Palavras 2.339
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiiii minhas leitoras!!!
Finalmente, depois de 17 capítulos, essa caralha (só eu posso chamar de essa caralha) tem uma capa *grito da vitória* eu gastei umas três horas naquele desenho, sério. E o Tae tá mais escuro que o Suga porque eu procurei uma versão deles sem whitewash porque na minha história eles não são idols e pah. Posso pedir oq vocês acharam da capa? Ficou boa? Ficou uma bosta? Eu quero saber para ver o que eu posso melhorar nela. Na verdade, seria outra, mas eu não posso fazer agora porque ia dar altos spoilers.
E eu ia postar cap ontem de noite mas caiu a internet. Pois é, é triste a vida.

Capítulo 18 - Precisamos conversar



Suga's POV
    Caminhei até o mercado, e no caminho pensei no que aconteceu a uns minutos atrás, "por isso que eu te amo"...e eu fiquei quieto. Ele pareceu estar meio distraído e não ter percebido o que acabara de falar. Mas eu prestei atenção. Acho que foi a primeira vez que ouvi isso sair sinceramente da boca de alguém que não fosse ou appa ou omma. E finalmente eu pude o beijar...de novo. Eu queria aquilo...e foi algo tão bom quando aconteceu. Como eu queria o ver agora, amanhã,  todos os dias...
    Cheguei sorrindo no trabalho e permaneci assim. De noite até liguei para meus pais, estava com saudades deles. Não falei de Tae, mas tivemos uma boa conversa. 
    Fiquei sem vontade de dormir, então resolvi entrar no meu facebook e ver qualquer coisa aleatória. Percebi que fui marcado por alguém em uma publicação. Uma publicação da Hannah. Seja lá o que a vadia fez,  eu não queria ver, então saí do face e fui dormir mesmo já que não tinha nada pra fazer.
Tae's POV
    O que foi que eu fiz?
    A pergunta ecoou pelo resto do dia em minha cabeça. Provavelmente era só uma ameaça. Como ela vai saber exatamente que eu estive lá? A carta parecia estar lá por um bom tempo, então será que ela vai todos os dias até lá para ver? E afinal, onde ela vai postar isso? Não é possível que o mundo inteiro veja. Minha omma até tem um face, mas Hannah não deve saber quem ela é, e por fim, omma só tem um por ter. E caso ela me marque, eu posso escolher se quero que fique na minha timeline ou não. Respira Taehyung, vai dar tudo certo. Eu sabia que estava mentindo para mim mesmo...Eu simplesmente decidi tomar um banho, jantar e dormir cedo. O que não ajudou nada, pois tive vários pesadelos diferentes de formas diferentes em que eu possa tomar no cu. 
    O despertador tocou, e mais uma vez acordei. Mais uma vez porque fiquei acordando e dormindo de novo a noite inteira, então deveria estar parecendo um zumbi. Arrumei-me e desci para tomar café como sempre faço. Omma e appa me esperavam lá, nós conversamos sobre coisas normais e eu fui pra escola. 
    Caminhei lentamente, com uma bela vontade zero de ir para a aula ter mais um dia normal. Eu poderia até estar feliz por Yoongi e tal, mas provavelmente agora vai tudo por água abaixo,
    Entrei na escola e vi vários olhares repousarem sobre mim, mas não liguei muito, estava preocupado demais para me importar. Só levei um susto quando notei Kook com uma cara apreensiva do meu lado.
Kook: Hãã...você veio?
Tae: Sim, por que não viria?
    Ele me olhou como se tivessem avisado que o mundo acabaria em dois minutos e eu não estivesse sabendo. Ele ficou em silêncio, puxou o celular com as mãos trêmulas, abriu o face dele e deu o play em um vídeo, em que de alguma maneira ele foi marcado. Bati o olho na publicação e vi vários nomes da escola...
    O vídeo era o mesmo que Hannah tinha me mostrado, o beijo. Pensando bem, preferia o fim do mundo.
    No final pedi para ele me mostrar as pessoas marcadas nisto. Um frio correu por minha espinha quando achei o nome da minha mãe ali. Não! Não está acontecendo! Fiquei com uma cara de idiota querendo mais uma vez ser uma avestruz. Até o sinal bater por onde eu passava escutava risinhos maliciosos, e sabia que todos estavam direcionados a mim. Fomos até a aula, e as três primeiras eu senti os olhares de todo mundo sobre mim. Taehyung, o alien. Ok, eu fiz um pequeno drama quando disse que todos me chamavam de alien. Eram só uns poucos professores e alunos. É mais porque quase ninguém fala comigo então...
    Bateu o sinal do lanche, e todos fomos para lá. Sentei-me com Kook, como sempre, e nesse tempo nós vimos vários dedos de pessoas de outras turmas apontando pra nós. Eu estava contendo as lágrimas, e olhando os comentários da publicação. A maioria me marcava perguntando o que estava acontecendo. 
    Quando vieram as outras aulas eu notei que os professores também me olhavam, julgando-me internamente. E aí teve a penúltima aula de história. A professora mandou abrirem a janela completando com : Está um dia muito bonito hoje! Não vamos ficar trancados assim!
    "Fale por você" pensei.
PSI: Sim, um belo dia, onde passarinhos estão finalmente saindo do armário e espalhando os arco-íris por aí!
    A sala inteira soltou uma risada, a sala inteira, menos eu e Kook. A professora ignorou completamente o que foi dito. Afinal, não tinha muito o que fazer. Encolhi-me na carteira e acho que já contei pra vocês do meu sonho de ser uma avestruz...
    Tiveram mais alguns comentários na aula, mas eu fiz de tudo para não ouvir. Eu estava concentrado em não chorar, porque odiava ser visto chorando, não por querer ser o fortão, mas por não ser o frágil. Quando a aula acabou eu praticamente me joguei na direção da porta da sala. Como a maioria das pessoas faz isso, eu não estava tão atrás. O meu único problema, foi que me esperando do lado de fora, estava a pessoa que eu menos e ao mesmo tempo mais queria ver no momento. Yoongi. Senti uma vontade de olhar pro céu e gritar "tá de brincadeira comigo né?"
Suga: Oi Tae!
    Meu GDeus eu senti uns aaaahhh ali atrás, e vi com o canto dos olhos umas pessoas tipo "olha lá eles!"
Tae: Hãã...Yoongi! Por que...veio me buscar?
    Ele se aproximou e me puxou pela mão. Olhou pra mim com uma cara de "não pergunte". E ele estava me levando para fora da escola. Até que tinha tudo para dar certo, mas a vida não deixou.
PSI: Ei! Você é o namorado do Taezinho viado?
    Suga olhou para eles com uma cara que era uma mistura de desgosto e de curiosidade tipo "como eles sabem disso", pareceu ponderar sobre o que falar até abrir a boca.
Suga: Viado? Eu? É Yoongi para vocês crias sem sal!
    Ele voltou a andar.
PSI: Eu te fiz uma pergunta! Não vai responder não viado?
Suga: Sou sim o namorado dele! Algum problema?
PSI: Todo. 
Suga: Por quê? Queriam uma rola no cu de vocês também? 
    As pessoas vendo o ocorrido soltaram um "fssss" até porque concordo que aquela doeu na alma. (Autora: sim eu sei que ficou pesado, mas eu precisei colocar essa frase) 
    Não tive muito tempo de raciocinar a patada quando fui puxado por Suga para longe da escola. Eu não esperava por ele falar isso, de verdade. E, assim, "também?" Acho meio estranho mas tudo bem. 
Suga: Como eles sabiam?
    Fui tirado de meus pensamentos por Yoongi que me olhava com uma cara preocupada e ao mesmo tempo confusa.
Tae: Você não viu? A Hannah, ela postou um vídeo de nós nos beijando na festa e marcou praticamente todo mundo que eu conheço...inclusive minha mãe.
    Suga soltou um puta que pariu baixinho mas alto o bastante para que eu pudesse escutar. Eu concordei com a cabeça. Aí, ele baixou a sua mão até a minha, pois antes me segurava pelo braço, entrelaçando nossos dedos. Eu sorri um pouco, por um breve momento.
Suga: E...sua omma já viu?
Tae: Acho que não. Ela mal usa, só tem para dizer que tem. Mas se ela ver ferrou para nós dois.
Suga: Mas...você sabe por que a Hannah fez isso?
    Engoli em seco. Não sabia o que fazer ou dizer. Ele ia me matar se eu contasse a verdade. 
Tae: Não.
    Ele olhou nos meus olhos, não convencido com a resposta.
Suga: Tem certeza?
Tae: Ok... Eu já te contei um dia desses que tinha uma garota desaparecida chamada Sunhwan?
Suga: Sim, prossiga.
Tae: Então, disseram que a última vez que ela foi vista estava com a Hannah, e eu vi as duas um dia. Eu me senti muito mal por ficar quieto, e nesse tempo a Hannah ameaçou vazar esse vídeo se eu abrisse a boca. E ontem....eu....passei na casa dos pais dela. Eu não resisti......a única coisa que tinha lá era uma mesa com um bilhete nela....Hyung eu....eu sinto muito....eu sei que você deve estar bravo comigo....desculpa.
    Eu olhava fixamente para o chão, quando senti que Yoongi apertou mais a minha mão.
Suga: Eu? Bravo? Não, estou é furioso com aquela bitch.
    Chegamos no apartamento dele, e este abriu a porta e me guiou até seu quarto. No momento em que sentamos na cama, eu soltei as lágrimas que segurei a manhã inteira. 
Suga: Eu já vi essa cena antes!
    Ele exclamou. Realmente, já tinha acontecido um tempo atrás. 
Suga: Agora é sério. Eu também faria isso no seu lugar, não se preocupe.
    Yoongi sentava com as pernas cruzadas na cama e a minha cabeça chorosa repousava em seu colo enquanto ele fazia uma espécie de carinho em meus cabelos.
Tae: É que...é tudo minha culpa...e eu não quero nem olhar na cara de omma e appa. Eles vão me matar...os dois.
Suga: Não exagere, por mais que você tenha que ficar longe de mim eu não vou ficar longe de você TaeTae. Agora...acho que você prefere ficar aqui...eu vou fazer o almoço.
    Ele saiu do quarto me deixando sozinho. Eu poderia acompanhar ele, mas eu realmente estava precisando de um tempo para refletir sobre a minha vida.
    Até esse ponto, eu não tinha considerado a ideia de eu ser gay, digamos que eu beijei ele e tal, mas não parei para refletir sobre eu estar afirmando o fato de eu ser e estar em um relacionamento que vai acabar antes de começar direito. Pois é, e eu estava muito feliz com ele mesmo sabendo o que iria acontecer.
    Agora Hannah, eu tinha uma imensa vontade de mata-la agora. Mas como eu faria isso se sou um humano comum e ela controla ar? E se conseguiu mais poderes até agora? O que eu poderia fazer? O máximo seria sofrer em silêncio, e como eu odiava isso. 
    Também o fato de eu ser uma pessoa comum. Era do meu dia-a-dia e eu não me importava nem um pouco, só em alguns momentos, e porque ainda me resta um fiozinho de esperança nesse assunto. Eram tantos problemas passando pela minha cabeça, por mais que nunca foi muito diferente. Eu sempre vivi no mundo da lua, as pessoas me diziam para sair dele e virar gente. Tenho várias histórias só dentro da minha mente. Sempre me perdi em pensamentos. Sempre me acharam uma criança estranha e diferentona. 
    Afinal, ficar um momento sozinho até me acalmou, eu pude pensar em tudo o que estava acontecendo e organizar alguns dos meus pensamentos, como uma pasta, tinha uma ordem para as minhas ideias. 
    
    No mesmo dia, às três da tarde.
    Coloquei pra fora tudo o que precisava. Desabafei sobre todas as coisas que aconteceram comigo desde que o conheci, e ele me escutou em silêncio, quase não disse nada além de concordar e me pedir para prosseguir.
    Agora nós estávamos do mesmo jeito daquela vez em que ele quase me beijou, mas desta vez, um olhando pro outro. Ele me abraçava e eu me encolhia em seus braços, e sua cabeça sobre a minha. Bom, ninguém além dos meus pais já chegou assim tão perto de um jeito carinhoso e quis me escutar. Por mais que eu permanecia chorando, meu coração batia feliz naquele momento.
Suga: A gente podia...sei lá, fazer alguma coisa que você goste, ir a algum lugar, para fazer você se sentir melhor TaeTae.
Tae: Ah, hãã...sabe, acho que prefiro ficar aqui mesmo. Não sei se vou parar de chorar. 
    Falei. Era verdade, não estava com ânimo para sair e sorrir para todo mundo fingindo que é tudo um mar de rosas (por mais que nunca entendi essa expressão, porque tipo, a pessoa seria cortada com os espinhos em trezentos lugares diferentes se viesse uma maré de rosas pra cima dela. Tá, eu sei que estou sendo chato mas enfim) e que não tem nada de errado. Porque as pessoas te cumprimentam na rua e perguntam se está tudo bem, e se você parar para pensar não é uma pergunta de verdade. Pode até ter uma interrogação no final, mas só tem uma resposta possível. Sim. Se você for realista é falta de educação e não sinceridade. Ri com o pensamento, seres humanos são tão idiotas...
    Percebi que mais uma vez comecei a filosofar sobre coisas sem importância da minha vida e que tinha perdido o fio da meada.
Suga: Da próxima vez que você for pro mundo da lua me avise, porque ele parece ser muito interessante.
    Suga disse, olhando pra mim com uma cara brincalhona. Ele me largou e se levantou puxando-me pela mão para fora da cama e do quarto, nos levando até a sacada.
    Chegando lá eu olhei mais uma vez para sua sacada. Por sorte, a visão era até que boa, não tinham tantos prédios impedindo a vista. 
Suga: Eu gosto muito de ficar aqui,  olhando a cidade. Ela não é bonita?
Tae: Aham.
    Lembrei-me de que era o mesmo lugar de ontem que...é.
Tae: Sobre...o que aconteceu ontem...eu...hãã...desculpa por te parar é que...foi rápido demais pra mim.
    Ele riu de uma maneira fraca.
Suga: Acho que eu te devo desculpas...mas já falamos disso antes.
    Yoongi me compreendeu, mas rapidamente já era hora de eu ir pra casa. Não sei se eles viram, mas no momento em que estava esperando Suga preparar o almoço eu avisei eles e me disseram que estava tudo bem. Eu me despedi dele e fui até em casa com um embrulho no estômago. Cheguei lá, abri a porta naturalmente e entrei como se nada tivesse acontecido. Dei oi para os dois e estranhei que a essa hora os dois estavam em casa. No momento em que pisei no primeiro degrau, a voz da minha omma cortou a sala.
Sra. Kim: Filho, precisamos conversar.
 


Notas Finais


Aquela hora em que o V começa a refletir sobre o oi tudo bem é uma das várias reflexões minhas meio loucas. Mais delas vão vir, só aguardem...
Ah! E lembram do livro da minha prima? Eu ia colocar no último cap mas esqueci. Espero que ela não me mate
Panfletagem pq nunca matou ninguém:
Por que eu fui falar para eles? Por quê? Eu poderia ter vivido mais um ou dois anos sem saber, sem me preocupar com a verdade. E se você descobrisse que seus pais não são seus pais de verdade, que você é adotada, por assim dizer? A verdade sobre mim não é algo fácil de entender, por isso inspire e expire pelo menos 3 vezes. Meu nome é Arianne Sophia e sou filha de Afrodite, a deusa grega do amor e da beleza e marcada pela deusa Palas Atena ao nascer. Por favor, não me chame de louca, embora você já deva ter feito isso. Depois que meus pais me contaram essa bomba eu pirei, eles falaram que a minha vida ia mudar agora, para começar eu teria que mudar de escola, ir para uma escola para pessoas “como eu”, como se eu fosse alienígena ou coisa parecida. Legal, me senti ótima depois dis- so. E isso tudo foi na quinta- feira, o que acabou com o meu fim de semana.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...