História Heat - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Rap Monster
Tags Abo, Bts, Namjin, Rapjin, Seoknam
Exibições 1.023
Palavras 2.595
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ALOCA, OLHA QUEM TA AQUI!!!11!1!1! MANO ESSE É O ÚLTIMO CAP, ME SEGURA Q EU TO LOCA!!1!1!!

Na verdade eu ainda vou fazer um "epílogo" bonitinho, mas esse é o fim da treta toda, então eu espero que vocês tenham gostado e que não me matem por eu terminar o cap assim, amo vocês hehe!

MANO, eu sinceramente queria agradecer vocês por tudo o que me proporcionaram desde o primeiro capítulo de Heat. Não sou a melhor para fazer esses tipos de texto, porque nem que eu tentasse muito conseguiria agradecer o bastante por toda a felicidade que vocês me trouxeram por causa dessa história que eu comecei a postar sem pretexto nenhum, só porque era um plot que eu já queria escrever a muito tempo. Sério, quem me conhece sabe que eu surto completamente por cada favorito que eu recebo em qualquer uma das minhas fanfics. Cada notificação é um grito, e a melhor parte do meu dia é abrir esse site e ver o quanto o ser humano pode ser legal com os outros. Vocês dizem coisas lindas nos comentários, coisas que (sério) já me fizeram chorar várias vezes e eu não tenho como agradecer ou retribuir tudo isso. Pode parecer simples (e até besta), mas são nesses momentos que eu percebo que ainda existe esperança na humanidade, que as palavras não possuem apenas o poder de destruir alguém, mas de melhorar o dia de muita gente. Eu sou eternamente grata a cada um de vocês por usarem um pouco do tempo que vocês tem para me dizer palavras tão bonitas. A vida é muito complicada, e na maioria das vezes ela não é gentil. Vocês são e foram, diversas vezes, o motivo do meu sorriso no final do dia. Obrigada por isso.

Eu queria pedir desculpas também por cada momento que eu demorei para atualizar essa fanfic. Eu não esperava que gostassem tanto, mas como leitora sei que muitos de vocês ficaram esperando por uma atualização que quase sempre demorava, e eu sei o quão chato e ruim isso é. Me desculpem mesmo. Eu amo vocês por terem a paciência que tiveram de esperar, e ainda sim estarem aqui até esse final.

E eu posso estar parecendo muito melosa, mas cada palavra que eu disse é séria. Vocês são incríveis, e eu não preciso estar todos os dias ao lado de cada um para ter certeza disso. Obrigada gente, por tudo! ♥

ENFIM, não vou demorar mais hehe Até o epílogo, e boa leitura xx

Capítulo 8 - Seu.


É como se... como se já estivéssemos destinados. Era para você estar lá, e eu te conhecer e então tudo isso acontecer, porque precisamos estar juntos, deixar que o que sentimos se mostre, e eu não quero mais fingir o contrário.

 

Após o fim das aulas do dia, Seokjin acompanhou o Alfa até a sua casa. O Ômega estava nervoso, não sabia muito bem como agir e pensava em mil coisas diferentes ao mesmo tempo, por isso permaneceu calado quase o caminho todo, não dando oportunidades para que Namjoon estendesse uma conversa por muito tempo.

Diversas coisas o assombravam, como por exemplo o fato de estarem andando naquele momento, lado a lado, em direção à casa de Namjoon. Aquilo basicamente significava um pacote de “primeiras vezes” que Seokjin não sabia muito bem como lidar.

Para começar, era a primeira vez que entraria na casa do Alfa. Se seus pais estivessem lá, ele provavelmente entraria em colapso, procurando onde poderia cavar o chão para se esconder. Seria também a primeira vez que conheceria os pais de alguém que gostava, afinal Namjoon era o primeiro e tudo indicava ser o único também.

Como se não bastasse apenas isso, não era por um motivo muito confortável que estava indo até lá. A primeira vez de Seokjin falando sobre o amor que sentia por aquele Alfa seria naquela casa.

Tantas primeiras vezes, e tão pouco psicológico para aquentar todos os baques intensos que aquilo causava no corpo esguio do Ômega assustado, porém decidido que teria que fazer o que propusera fazer: aquela era a hora, não havia mais como esperar.

- Meus pais não estão em casa. – o Alfa avisou, assim que chegaram ao enorme portão branco – Eles estão de viagem, mas eles sabem sobre você. Estão loucos para te conhecer.

- S-so-sobre mim? – Seokjin perguntou, gaguejando de forma nervosa. Namjoon sorriu, deixando que Jin passasse pelo portão e o seguisse em direção à porta bonita, também branca, da casa grande.

- Sim, Jin. Sobre você.

- M-mas o que você d-disse sobre mim? – perguntou, assim que entrou na sala espaçosa, bem decorada da casa do Alfa. Namjoon fechou a porta, e então olhou para Seokjin, respondendo-o enquanto o encarava.

- Eu disse que... bem, que eu gosto muito de você, e que eu quero te fazer meu Ômega, quando você estiver pronto. – Namjoon respondeu, observando atento à forma que Seokjin corou de forma violenta e rápida demais, ao mesmo tempo que arregalava os olhos.

- V-você quer? Me-mesmo? – Seokjin perguntou, piscando várias vezes. Não conseguia acreditar direito no que ouvia e se sentia um idiota, gaguejando daquele jeito enquanto sentia as bochechas fervendo.

- Quero, mas não fique tão nervoso, sim? Eu disse que esperaria por você, e vou. – Namjoon lembrou, aproximando-se de Seokjin que deu um passo para trás. O Alfa franziu o cenho, pensando que talvez tivesse dito coisas demais na hora errada. – Jin?

- Namjoon... – o Ômega disse o nome do Alfa, fazendo o outro alertar-se. Seokjin quase não parecia bem, como se fosse cair a qualquer momento e Namjoon estava levemente assustado com essa ideia. Ele era tão sensível? Como nunca notou que seu Ômega era tão sensível?! – Podemos ir para o seu quarto?

- Sim, mas... Você quer um copo de água? Está bem?

- Estou bem, só quero conversar lá. Tudo bem?

- Certo, vamos. – Namjoon assentiu, ainda um pouco preocupado, e seguiu o caminho na frente de Jin para que ele o seguisse, atento ao ficar virando-se para ver como Jin estava.

O Ômega olhava para tudo com atenção, tentando acalmar-se. Queria falar para Namjoon que queria ser Marcado, mas não sabia como. Afinal, ele tinha dito que Jin não estava pronto a apenas algumas semanas e o Ômega tinha que provar para ele que estava errado ao dizer aquilo, mas como se fazia isso?

Talvez ele devesse ter perguntado para a mãe como que ela foi Marcada e então tentar adaptar o que ela contasse para a situação em que estava com Namjoon. Mesmo sabendo que provavelmente não ia funcionar, afinal parecia mais que eles estavam numa situação única. Nenhum outro Ômega deixou de ser Marcado quando pediu. Ele sabia que Namjoon estava sendo precausivo, mas aquele cuidado todo estava trazendo suas consequências agora, e elas eram um Jin nervoso, encabulado e confuso, tentando pensar num jeito de provar para o Alfa à sua frente que queria ser seu, mesmo que antes tivesse dito que odiava essa coisa de pertencer ao outro.

Droga, eu deveria pensar mais nas coisas antes de falar. Seokjin pensou, mirabolando formas de provar à Namjoon que nada do que tinha dito com tanta conviccção a tempos atrás era verdade, que ele estava sendo o mais sincero possível agora e que sabia o que significava a coisa a qual pediria.

Seria mais fácil se tivesse sido teimoso com Namjoon no ano anterior, e não no mês passado.

O Alfa abriu a porta do próprio quarto, permitindo que Jin entrasse primeiro. O Ômega olhou ao redor com curiosidade, notando como tudo aquilo se encaixava perfeitamente à personalidade de Namjoon, desde as cores da parede até os títulos dos livros da estante. Sorriu minimamente, encarando mais um pouco cada objeto.

- Bem vindo ao meu quarto. – Namjoon sorriu, dizendo para Jin que sorriu mais largo em resposta – Mas então, sobre o que queria falar?

Seokjin respirou fundo, tentando controlar o ritmo do seu coração que parecia querer saltar para fora do seu corpo. Ele já suava, mas naquele momento a intensidade da transpiração aumentou e ele não sabia muito bem o que fazer quanto às mãos inquietas.

Nem quanto ao lobo inquieto dentro de si, que clamava por dizer logo o que estava em seu coração, que clamava por pertencer a Namjoon de uma vez por todas.

- Você não quer... sentar? – ele sorriu amarelo, indicando a cama. Namjoon franziu o cenho, notando que algo estava estranho, tentando calcular o quão errada aquela situação parecia, com um Seokjin exalando nervosismo à sua frente, tão inquieto quanto se estivesse apertado para fazer xixi a uma semana inteira.

- Não. – negou com cabeça – O que está acontecendo, Jin? Aconteceu alguma coisa?

- Não! Quero dizer, sim... – embaralhou-se, dizendo a ultima frase mais em tom de dúvida do que afirmação. Aquela enrolação só fazia apertar mais seu coração e deixar Namjoon mais ansioso, por isso o Ômega engoliu em seco antes de continuar. – Eu... queria te falar uma coisa. U-uma coisa b-bem séria.

- O que? Você está me assus... Espera! Você está grávido?! – Namjoon se exaltou – Olha, se você estiver, não precisa... se preocupar. Quero dizer, precisa, mas... eu vou estar com você e...

- Não! Ficou maluco, Namjoon? Endoidou de vez?! Eu não estou grávido, aish! – quase gritou, ficando ainda mais nervoso do que estava antes. Não bravo, mas mais inquieto.

- Ahhhh! – Namjoon levou a mão ao peito – Você me assustou, cacete!

- De qualquer forma, se eu estivesse você ia assumir sim, não quero nem saber!

- Eu ia assumir, Jin. Óbvio que eu ia. – Namjoon sorriu, finalmente mais calmo. – Um filho seu deve ser a coisa mais linda do Mundo, huh? Não acha?

- Um filho nosso, você quer dizer... Porque não seria só meu. – Jin pontuou, olhando para outro ponto qualquer, deixando-se imaginar só por um momento como seria ter um ser vivo dentro de si. Um que seria dos dois ali presentes naquele quarto. – Wah, mas não é disso que eu quero falar. Aliás, é cedo demais para pensarmos em filhos, nem sei se quero ter um!

- “Cedo demais para pensarmos em filhos”, isso significa que algum dia pensaremos? Nós dois? – Namjoon perguntou, ao que Jin corou mais uma vez, desviando o olhar do Alfa – Wah, é muito bom ouvir isso. Você não tem ideia.

- Namjoon, eu quero ser seu. – Jin soltou, de uma vez, fazendo Namjoon focar totalmente nele. O Ômega engoliu em seco pelo que parecia ser a vigésima vez no dia. Céus, ele soltou aquilo tão rápido que sequer sabia como. – Eu quero ser Marcado por você, Namjoon. Quero pertencer totalmente à você.

Pronto. Estava dito. Tinha falado de uma vez? Sim, talvez rápido demais também, mas esperava que Namjoon tivesse entendido, porque não achava que seria capaz de repetir aquilo.

- M-mas Jin...

- Eu sei do que eu disse antes. E... eu sei que não acha que eu estou preparado, mas eu estou. – afirmou – Eu não aguento mais. Essa viagem... puta que pariu, essa viagem me fez perceber tantas coisas, mas principalmente que eu sou um idiota, que eu deveria ter te deixado entrar na minha vida antes, de um jeito mais fácil, e não ter sido tão babaca com você. Porque agora você não acredita que eu te queira dessa maneira, mesmo eu mal conseguindo guardar dentro de mim o quanto eu gosto de você, e o quanto eu preciso de você.

- Jin...

- Eu não sou tão forte quanto pareço, Namjoon. Não quando se trata de você... Tudo o que você faz, tudo o que você já fez por mim, mesmo eu sendo grosso com você na maioria das vezes... Eu... me desculpe, mas eu tinha medo. Eu tenho medo. Porque eu criei muralhas, e você as destruiu de uma vez só, me fez sentir saudade pela primeira vez, e querer alguém pela primeira vez, e eu tenho medo de que eu não seja o suficiente e você vá embora, que você me deixe com minhas muralhas destruídas ao meu redor, sem proteção nenhuma, sem você.

- Jin, eu...

- E eu tamb...

- Kim Seokjin, pelo amor de Deus! – Namjoon exclamou, fazendo o Ômega parar de falar e olhar diretamente para o Alfa diante de si – Pare de dizer essas coisas, como se você tivesse culpa de tudo.

- Você que tem que parar de tirar a culpa de mim, sabe que eu fui um idiota!

- Você foi. Foi sim, um belo babaca, devo ressaltar. – Namjoon disse, fazendo Jin quase se queixar da forma como dissera – Mas eu também fui. E não foi, necessariamente, culpa nossa. Só... era para ser. É nossa história, e eu não mudaria nada.

- Sério? – os olhos meio arregalados e tristonhos de Jin se endireitaram, encarando o Alfa que sorriu diante da cena. Seokjin era extremamente lindo e fofo, e seu. – Mas... então, você acredita em mim? No que eu disse?

- Você não viria até aqui em casa e diria todas essas coisas se não fossem verdade. – Namjoon aproximou-se, erguendo uma das mãos até a testa de Jin, tirando dali uma mecha do cabelo castanho que caía sobre os olhos do outro. – Você fica lindo desse jeito, sabia? Tão natural e sincero. Você está sem nenhuma máscara diante de mim agora, sem fingir que não se abala, e que não está nervoso, ou que tem certeza de cada passo que vai tomar na sua vida. É bonito te ver como você é. – Namjoon disse, baixo. Seokjin estava atento em cada palavra, querendo ouvir mais da voz gostosa do outro, aproveitando da forma como ele parecia desvendá-lo por inteiro em segundos – Eu quero que saiba que comigo você pode tirá-las, huh? Eu sei que... quando estiver no colégio, ou em qualquer outro lugar, quando nos representar e se tornar quam você deve ser, você irá colocá-las de novo, porque precisamos disso na frente das outras pessoas. Você é forte Jin, naturalmente forte, mas cansa ser assim vinte e quatro horas por dia, portanto... quando estiver comigo, eu quero que me deixe ser forte por você. Promete?

O moreno estava se segurando forte para não soltar as lágrimas que lhe ameaçavam, mas deixou de prendê-las nos próprios olhos. Ele estava nu para Namjoon, não de corpo, mas de alma, como o Alfa lhe acabara de pedir para ser. Então deixou que elas rolassem pelo seu rosto, enquanto assentia com a cabeça, convicto do que estava concordando.

O Alfa afastou o corpo de Jin do seu por um momento, usando a própria mão para limpar os resquícios de lágrimas que passaram pelo rosto sem imperfeições. Não demorou a aproximar-se novamente, dessa vez colando seus lábios no do mais novo, contornando a boca macia para adentrar sua língua saudosa na cavidade quentinha e convidativa.

Jin aceitou-a de imediato, trançando seu próprio músculo ao do Alfa numa dança prazerosa que apenas os dois conheciam. Seokjin apressou-se em passar suas mãos pelo corpo bonito de Namjoon, mesmo por cima das roupas, matando a saudade que estava de tocá-lo daquele jeito mais íntimo.

Namjoon, por sua vez, sorriu por entre o beijo ao sentir as mãos esguias lhe apalpando. Desceu as suas próprias, apertando a cintura fina de Jin, logo direcionando ambas as mãos para sua carne traseira, dando um aperto ali também que provocou uma arfada em Seokjin, desnorteando-o.

O Alfa passou a guiar Seokjin até a própria cama, fazendo o Ômega logo cair no colchão macio. O ar faltava quando o fez, mas Namjoon não perdeu tempo, direcionando sua boca já inchada para o pescoço de Seokjin, inevitavelmente sentindo as presas abrirem espaço em sua gengiva enquanto aquele tesão inconfundível invadia-lhe o corpo.

Seokjin sentiu quando as presas do outro roçaram em seu pescoço. Seu corpo, já quente, pareceu subir de temperatura ainda mais rápido. Ele estava ansioso, mal podia calcular o quanto queria aquilo naquele momento.

Sentiu as mãos de Namjoon na barra da sua camiseta, e sem pensar duas vezes, o Ômega endireitou-se na cama, ajoelhando-se mais para o meio dela, tirando a peça de roupa superior logo em seguida.

Os olhos de Namjoon não estavam em sua coloração normal. O tom era mais dourado, levemente puxado para o vinho e seu rosto tinha uma expressão suave, mas tão ansiosa quanto a de Seokjin.

Namjoon aproximou-se do Ômega, subindo em sua própria cama e ajoelhando-se bem de frente à Jin, que o observava atento. Queria guardar aquele momento na memória, cada pedacinho dele, principalmente a forma como Namjoon o olhava, como se fosse uma obra de arte perfeita e intocável.

O Alfa se sentia exatamente assim, como se Seokjin fosse tão único que qualquer movimento brusco poderia rachá-lo. Ele era tão único, e seria seu. Completamente e unicamente seu.

Seus dedos longos deslizaram desde o maxilar até o ombro de Jin, voltando-se para o local exato, perto da clavícula, onde queria que a Marca ficasse. Sempre fora apaixonado por aquele canto especial de Seokjin, e agora entendia o porquê: era aquele o local que permitiria ser somente do Ômega para sempre, e ele apenas seu.

Jin jogou a cabeça para trás ao sentir Namjoon se aproximar, de forma que o ar quente que saía de sua boca batesse exatamente naquele local em específico do seu pescoço. Namjoon sentiu o cheiro gostoso da pele de Jin, e beijou diretamente a pele antes de finalmente cravar as presas ali.

O Ômega gritou, mas não de dor. Imediatamente, o sangue de Seokjin preencheu a boca do Alfa, fazendo-o sentir-se leve de repente, como se flutuasse. Para ambos, a sensação era extasiante e maravilhosa, como se não houvesse mais nada no mundo ao redor dos corpos que só conseguiam aproveitar aquele momento intenso.

Namjoon retirou as presas da pele do Ômega, lambendo o local mordido em seguida para que cicatrizasse mais rapidamente. Seokjin arfou ao sentir o músculo quente naquele local, sorrindo abobado em seguida.

O Alfa lambeu também os próprios lábios, capturando os últimos resquícios do sangue doce de Jin. Do seu Jin. Sorriu junto dele, inclinando-se novamente para beijá-lo mais uma vez.

Estava feito. Um era do outro agora, pela eternidade.


Notas Finais


Leiam as notas iniciais viu, seus bando de preguiçoso que eu amo hehe ♥

AGORA EU QUERIA DIZER QUE: NAMJIN FODE A MINHA VIDA, MAS EU GOSTARIA MSM QUE FODESSEM NA FRENTE DE UMA CÂMERA P EU VER DEPOIS, NE NOM?????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...