História 「HeaTens」Jikook - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~Amy-Ruby

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook
Exibições 22
Palavras 536
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Leiam as notas finais pfv

Boa leituris <3

Capítulo 5 - A origem de Park Jimin.


Fanfic / Fanfiction 「HeaTens」Jikook - Capítulo 5 - A origem de Park Jimin.

JIMIN POVS:

-Ok, então eu falo com ele. -Falo dando os ombros.

-Não. -Ela bota o braço na minha frente. -Eu falo com ele.

Bufo e saio batendo o pé irritado.

JUNGKOOK POVS:

Eu não sei o que deu em mim, mas deu uma imensa vontade de chorar.

Eu me senti muito arrependido por ter feito isso.

Mas não por eu ter beijado um garoto.

E sim por medo dele me odiar.


O quê eu vou fazer?

Ouço batidas na porta, mas eu as ignoro, pois eu pensava que era Jimin.


-Jungkook, é a Yuh, eu quero falar com você. -Ao reconhecer a sua voz, me alevanto vagarosamente e caminhando até a porta, abrindo-a em seguida.

Ela entra e se senta na cama.

-Você quer falar sobre isso?

-Acho melhor não. -Me deito na cama novamente e a mesma suspira.

-Olha, Jungkook, eu... -Ela para. -Eu... Vou ser bem sincera com voce.

-Do que voce ta falando? -Pergunto confuso.

-Kook, voce e um peculiar, não e? Então... Peculiares podem ter uma personalidade... Meio...

-Sim, eu já entendi.

-É, e eu meio que acho... Que e culpa minha.

-Não é sua culpa eu ser peculiar.

-Não é isso... Bem... É sobre Jimin. -Ela brincava com os dedos. -Sobre... Eu ter resgatado.

-Resgatado? Como assim?

-B-Bem... Eu sabia que essa pergunta viria... -Ela sorri fraco. -Eu não saberia como te contar... Ainda por que a historia de Jimin e bem complicada e... Forte.

-Tudo bem, e pode deixar, eu não irei contar pra ninguem. Mas se voce nao quiser, eu nao te obrigarei.

-Eu irei contar entao. -Me sento ao seu lado.

Tudo começa com um homem chamado Peter, ele aparentava estar com seus 30 e poucos anos, era pobre, e era casado com a sua gentil esposa, Ely.
Mas ele não era normal e como era pobre, ele queria muito ter riqueza e dinheiro, alias, quer nao quer?

Ele era um homem muito sábio, e com seus esforços, ele entrou no CEH (Centro de Esperimentos Humanos).
Lá, ele começou a ter mais fama por ser muito sábio, e tinha já o seu projeto para aumentar o lucro e realizar o seu desejo de ser milionario.
Ele criava humanos para serem assasinos á sangue frio, mas para isso. Eles tinham que ser possuidos por espiritos do mal, mas precisamente, os Óweins.
Óweis eram espiritos de crianças aprisionadas, que naquela época, amaldiçoavam ou até possuiam possiveis assasinos ou simples pebleus, como Peter.
Até ele mesmo conseguir, depois de 50 anos de pesquisa, ele conseguiu criar um garoto e uma garota.

Enfim... Um dia Peter saiu ás pressas do trabalho.

-Onde você vai? -Pergunta Ely.

-Eu vou trabalhar, estou atrasado. -Peter diz, se vestindo rapidamente.

-Peter... Eu sei que você quer ganhar dinheiro... Mas olha... Acho que você está se esforçando demais... Você deveria descan...

-Não! -A interrompe.

-Mas e o seu almoço? Vai ficar a tarde inteira lá.

-Eu não preciso disso. Eu vou agora. Tchau. -Fala fechando a porta.

-Ele nunca me esculta... -Ela murmura.

Ely fica o dia todo em casa, apenas olhando para o teto.
Até que no final da tarde, Peter chega com um sorriso largo.

-Oi, querido. Como foi o trabalho? -Fala Ely, sorrindo também.

-Eu consegui criar duas crianças! -Fala jogando as malas no chão e correndo abraçar a sua esposa.

Ely não entendia muito esse emprego.
Peter apenas criava pessoas por experimento, é isso?
Claro que não, estava na cara que tinha algo a mais, e pretendia descobrir.

Continua...?


Notas Finais


Um cap bem + ou - pra dar continualidade.

Me dizem oq vcs acham nos comentarios:
Um cap grande por semana, ou um cap pequeno por dia?

Me diga nos comentarios pfv
Ñ custa nada ;-)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...