História Heaven - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Super Junior
Personagens Cho Kyuhyun, Heechul, Henry Lau, Kangin, Kim Ryeowook, Lee Donghae, Lee Sungmin, Park Jungsu, Zhou Mi
Tags Heechul, Heery, Henchul, Henry, Kangin, Kangteuk, Leeteuk, Super Junior
Exibições 47
Palavras 2.320
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei! Não se intimidem com o título do capítulo, tem uma boa surpresa nele!

Boa leitura!!!

Capítulo 21 - Maybe it's better if I leave


Fanfic / Fanfiction Heaven - Capítulo 21 - Maybe it's better if I leave

Você tem meu coração

E nós nunca estaremos em mundos distintos.

 

Quando o sol brilhar, brilharemos juntos

Te disse que estaria aqui para sempre

Disse que sempre seria seu amigo**

E o que eu jurei eu vou cumprir até o fim.

 

Umbrella - Rihanna

 

 

 

 

            Heechul, após sair do estágio, procurou pelo fantasma nos lugares de costume, a loja, o bar, o teatro da universidade, contudo, agora que o fantasma estava menos medroso, se arriscava a passear pela cidade, e se ele não quisesse ser encontrado, sabia que nunca o encontraria, então sem alternativa, desistiu, sendo obrigado a esperá-lo.

            Porém, mesmo desistindo, a ansiedade, não o abandonou. Ghost naquela manhã quase tinha desaparecido, não iria se acalmar até o fantasma aparecer.

            Comprou um maço de cigarro numa loja de conveniência perto do dormitório e subiu ao telhado para fumar e esperar pelo mais novo, sabia que ele apareceria ali, como de costume.

            Olhou pensativo, para o cigarro, já acesso e deu um sorriso triste, tinha 16 anos quando a mãe o pegou fumando na esquina da rua onde morava, lhe deu uma surra e o fez prometer que nunca mais colocaria aquilo na boca.

            - Desculpa mãe._ sussurrou antes de tragar o cigarro.

            Se sentiu estranho ao fumar o primeiro, mas logo se acostumou e quanto percebeu, já estava no quinto, tamanho sua agitação.

            - Heechul..._ o estudante sorriu aliviado ao ouvir a voz tímida do fantasma ao seu lado.

            Contudo parou de sorrir, quando a ansiedade fora substituída pela raiva. Olhou ameaçador para o fantasma, que deu um passo para trás.

            - Qual a porra do seu problema?

            Ghost, mesmo com medo daquele tom agressivo, cerrou os punhos, respirou fundo, e com raiva também, respondeu:

            - Você sabe muito bem qual é a porra do meu problema.

            - Você, recentemente, me prometeu que não sumiria por causa de mal entendido, e quebrou essa promessa na primeira oportunidade que teve.

            - Eu não vou bancar o forte, fingir que está tudo bem. Porque eu não estou.

            - Você é um idiota, que só sabe agir com irresponsabilidade.

            - Acha que quero será assim?_ Ghost perguntou com a voz trêmula, tentando segurar um choro eminente._ Se eu pudesse, seria forte, teria pelo menos um pouco de orgulho e fingiria que sei lidar com o ciúme egoísta que sinto de você. Mas não consigo Heechul. Quando te vejo com outro, sou fraco e covarde e antes que perceba, já desapareci da sua frente._ o fantasma não conteve mais o choro, e assim que as primeiras lágrimas desceram, se calou e abaixou o rosto, já tinha se humilhado demais.

            - Você prometeu, merda._ Heechul falou, para surpresa do fantasma, chorando também.

            -Desculpe, mas essa promessa, eu não posso cumprir._ disse olhando para o estudante, que ainda chorava.

            O cigarro estava esquecido no chão, queimando sozinho.

            - Você podia ter sumido qualquer dia, Ghost, mas hoje não. Não depois de quase ter desaparecido, não depois de ter ficado naquele estado._ nesse momento o estudante chorava copiosamente, fazendo o fantasma voltar a chorar também._ E se você sumisse para sempre? Como iria te achar? Não é como se eu pudesse te ligar, ou mandar um sinal de fumaça. Se você desaparecer para sempre, o que eu vou fazer? Hum?_ os dois se olharam, ambos com lágrimas descendo pelo rosto, em silêncio.

            - Talvez..._ o fantasma se manifestou._ Talvez seja melhor se eu partir, será melhor assim. Se eu for sugado de novo, não devo te gritar, nem pensar em você e simplesmente, ir embora.

            - Não diga besteiras.

            - Estou falando sério. Você finalmente ficará livre. Poderá viver de verdade novamente. Não será considerado louco ou drogado, poderá sair com quem quiser sem se preocupar se estará me magoando ou não. Não terá que correr atrás do meu passado e se focar inteiramente no seu curso e no seu futuro.

            - Cala a boca, por favor._ exclamou, passando a mão pelos cabelos, nervoso.

            - Eu sempre soube que era egoísta em relação a você, mas antes não tinha escolha, para onde iria afinal? Mas agora tenho um lugar para ir, o lugar onde eu realmente pertenço. Eu não quero mais ser egoísta, não posso mais continuar sendo um peso para você.

            - Já mandei calar a boca._ disse alterando a voz._ Chega de falar besteira!

            - Você sabe que não é uma besteira!

            - O que eu sei, é que se você desaparecer, não saberei o que fazer.

            - Você vai viver!

            - Eu vou morrer aos poucos.

            - Você finalmente terá paz.

            - Vou ficar atormentado, me perguntando como está, onde está.

            - Você será feliz.

            - Viverei amargurado, sentindo sua falta.

            - Um dia vai parar de sentir, você vivia muito bem sem mim.

            - Antes de te conhecer eu estava bem, mas agora eu te conheci, não quero te perder Ghost. Quando vai entender que também gosto de você?

            - Eu sei que gosta, mesmo que seja como um amigo, um irmão mais novo. Eu sei, eu sinto.

            Heechul desviou o olhar do fantasma e se focou no campus, em conflito. Mordeu os lábios, e então voltou a olhar para ele. Deu um passo a frente e segurou sua mão, ou tentou.

            - No começo sim. Eu gostava de você como um amigo, mas isso mudou há tempos. Eu não tinha percebido, e quando percebi, me apavorei, na verdade ainda estou apavorado Ghost, porque também gosto de você, e não é apenas como um amigo, é mais.

            O fantasma o olhou surpreso, mas logo abaixou a cabeça.

            - Não. Você só está falando isso para que eu me sinta melhor. Mas não precisa.

            - Me escute._ disse tocando seu queixo._ Olha para mim, por favor.

            O fantasma, mesmo triste e envergonhado, levantou a cabeça, encontrando o olhar desesperado do estudante.

            - Estava em dúvida, mas agora tenho certeza. Ghost, mesmo apavorado não posso mais negar que estou apaixonado por você.

Ghost o olhava boquiaberto, as palavras tinham sumido, sua mente estava em branco, e mais vez, seu inexistente coração pareceu bater, estrondar. Ganhar vida.

            - O que...?_ perguntou, num fio de voz, ainda em transe.

            - Isso mesmo que ouviu. Eu me apaixonei por você. Mas não sabia o que fazer, por isso estava em conflito, negando aceitar que também gostava de você, afinal como podia estar apaixonado por você? Por um fantasma? Como que a primeira pessoa que me apaixono não está realmente entre os vivos? Que tipo de futuro teremos? Mas resolvi parar de pensar em lógica e sentido. Não posso mais mentir pra mim, pra você. O que o sente por mim, é recíproco.

            O fantasma chorava, incrédulo, mas ao ver o estudante chorando, sério, percebeu que não era uma brincadeira. Heechul estava falando a verdade.

            - Heechul..._ choramingou.

O estudante deu um passo mais um passo à frente e o abraçou como pode, fechando os olhos, junto com ele._ Você não podia me corresponder, o que faremos?

- Tarde demais, Ghost._ respondeu se afastando, por causa do frio que já estava lhe incomodando, apesar de gostar de abraçá-lo._ Eu também não sei o que fazer, mas vamos descobrir juntos. Então, nunca mais, não depois de tudo, desapareça da minha frente. Nunca mais vá para onde não possa te ver, ok?

- Ok._ disse abaixando a cabeça, sentindo vergonha novamente, por ter sumido mais cedo, por ter sido infantil.

- Vamos descer, já estou com frio._ Heechul disse quando os dois ficaram alguns segundos em silêncio, sem saber como olhar um para o outro.

 

 

***

 

            - Eu vou estudar._ Heechul anunciou após jantar e tomar banho, andando em direção a mesa onde estava o notebook e seuslivros.

            - Eu vou deitar, ainda estou enjoado por causa do que aconteceu hoje cedo.

            - Certo. Descanse.

 

            Heechul fingia estudar e o fantasma tentava manter os olhos fechados, mas já estava agoniado. Queria falar com o estudante, mas não sabia o que. Da mesma maneira, o estudante também tentava puxar algum assunto com o fantasma, mas nada parecia fluir.

            Desistiu de estudar e foi escovar os dentes para deitar, não adiantava ficar tentando, sabia que não conseguiria se concentrar. Enquanto estava no banheiro, se lamentava por nunca ter gostado de ninguém, pois se já tivesse gostado, saberia como agir, o que falar, mas infelizmente sua experiência em romance e namoro, era zero.

            Quando voltou para o quarto, viu o fantasma ainda com os olhos fechados, deitado de barriga para cima. Apagou a lâmpada e deitou ao seu lado, o imitando.

            Fechou os olhos também, sem saber como pediria para segurar sua mão essa noite. Se ele não fosse um fantasma, apenas a seguraria, mas ele não sentia seu toque, e ainda estava com olhos fechados.

            - Você..._ falaram ao mesmo tempo.

            - Você primeiro._ os dois, após falarem juntos mais uma vez, gargalharam.

            - Está melhor?_ Heechul perguntou.

            - Sim. Conseguiu estudar?

            - Sim._ o estudante mentiu._ Vai me acordar amanhã?

            - Sim. Posso ir almoçar com você e o Leeteuk amanhã?

            - Sim. Irá desaparecer de novo?

            - Sim. O quê? Aish. Não!

            Heechul gargalhou, deitando de lado para olhar o fantasma, que estava corado.

Ghost se virou para ele também, irritado.

            - Palhaço.

            - Desculpa, não resisti.

            - Claro que não._ desdenhou fazendo bico. Heechul parou de sorrir e suspirou._ Você fuma agora? Eca._falou após ficarem novamente em silêncio.

            - A culpa é de quem por eu ter fumado?

            - Minha?

            - Claro! Quem desapareceu por horas e me preocupou até a morte?

            - Sinto muito, mas não precisa estragar sua saúde.

            - Então não desapareça.

            - Não vou, não mais. E principalmente agora que até fumou, urgh!

            - Não sei por que está com nojo, você não vai sentir.

            - Não sentir o que?

            - Não vai sentir o cheiro quando fizer isso._ Heechul se aproximou e encostou os lábios nos dele. O fantasma, num impulso fechou os olhos, desejando, com todas as forças, sentir seus lábios, até mesmo se tivesse com gosto de cigarro._ Ghost?_ Heechul o chamou, segundos depois._ Não vai abrir os olhos? Ou quer outro beijo?

            - N-n-não, não é isso...

            - Quer outro beijo. Entendi._ o provocou, se aproximou novamente, o beijando de novo.

            Ghost fechou os olhos, mas não os manteve assim por muito tempo, quando os abriu, viu Heechul se afastando com um grande sorriso, e mesmo corado, lhe sorriu também.

            - Está com vergonha? Será que você é mesmo um fantasma virgem ressentido?

            - Cala a boca._ pediu cobrindo o rosto com as mãos.

            - Se não está, então olhe para mim.

            - Você é um chato._ respondeu.

            - No sábado tenho uma surpresa pra você.

            - Sério?_ perguntou empolgado, retirando as mãos do rosto.

            - Sim. Muito sério. Agora me deixe dormir, que amanhã ainda tenho aula.

            - Tudo bem, vou tentar manter minha empolgação sob controle.

            - Isso. Boa noite.

            - Boa noite, durma bem._ disse sentindo uma pontada de tristeza pelo maior não ter pedido sua mão.

            Ficou olhando triste, mas ao mesmo tempo admirado, aquele rosto lindo tão próximo ao seu.

            - Pare de me encarar tanto, ou vai abrir um buraco no meu rosto._ Heechul sussurrou, entreabrindo os olhos.

            - Durma seu chato.

            - Pra você me olhar até enjoar?

            - Exatamente._ respondeu lhe mostrando a língua.

            - Mão. Ou achou que te deixaria livre para sumir de noite? Ainda não confio em você.

            Ghost, levou sua mão até a do estudante, sorrindo ao vô-lo, desnecessariamente, tentar entrelaçar seus dedos.

            - Você gosta tanto assim que eu segure sua mão?

            - Sim._ respondeu olhando sem graça para ele._ Agora vá dormir que amanhã eu não vou te dar direito à soneca.

            - Eu durmo se você me beijar._ Heechul o provocou.

            - Sua vingança por eu ter sumido é me fazer passar vergonha?

            - Na verdade, é te ver corado, então se eu tiver que te deixar com vergonha para isso... Deixarei.

            - Aish._ exclamou fechando a cara.

            - Fazer esse bico vai apenas piorar, porque aí me vingarei te deixando irritado, só pra você fazer esse bico fofo.

            - Durma!

            - Meu beijo primeiro.

            - Heechul...

            - Ghost..._o imitou._ Vem._ pediu sério._ Me beija.

            Ghost ao escutar aquele pedido, mais sério e desejoso, se aproximou devagar, enquanto Heechul acompanhava sua aproximação, com os olhos abertos, só os fechando quando o fantasma tocou em seus lábios.

            Assim como Ghost, que também fechou os olhos quando encostou naqueles lábios que tanto queria sentir. Porém, com os olhos fechados, imaginou como seria sentir o Heechul, seu hálito quente, a maciez dos seus lábios, sua língua explorando sua boca. Sentiu as lágrimas querendo descer, mas as segurou, Heechul gostava dele também, e era o que importava.

            - Pretende manter seus lábios nos meus até eu dormir?_ Heechul se afastou um pouco pra ver o que mais gostava no fantasma, suas bochechas pálidas, ganharem cor.

            - Eu te odeio._ disse voltando a deitar em seu lugar.

            - Não foi o que me disse no telhado.

            - Eu estava sob efeito de drogas.

            - É com quem conseguiu? Com os anjos é que não foi.

            - Durma pelo amor de Deus.

            Heechul parou de sorrir, e se acomodou melhor, ainda de lado, olhando para o fantasma, que mantinha os olhos fixos em suas mãos ainda unidas.

            - Achei que não saberia como agir quando confessei que gostava de você também.

            - Você não sabe. Só sabe me envergonhar.

            - E beijar.

            - Sim, mas disso não tenho o que reclamar.

            - Você não é mais fantasma virgem ressentido, é um fantasma safado.

            - Claro que eu sou o safado, afinal era eu quem estava implorando para ser beijado por um fantasma.

            - Não implorei o beijo de um fantasma.

            - Não? O que implorou então?

            - Implorei um beijo do cara que gosto.

            Ghost perdeu as palavras outra vez, e só assim, ao vê-lo desconcertado, Heechul, sorrindo, fechou os olhos para dormir.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...