História Heaven - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, F(x)
Personagens Kai, Krystal Jung
Tags Jongin, Kai, Kaistal, Krystal, Soojung
Exibições 12
Palavras 1.065
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu não sei narrar ação, desculpa.
Desculpa também pela demora.

Capítulo 3 - Reset


Fanfic / Fanfiction Heaven - Capítulo 3 - Reset

"É só um vento passageiro
Eu tento gritar com a pessoa do meu lado
Mas apenas o silêncio
Me observa
Eu estou andando também
Mas por que eles estão ficando mais distantes?
Por que eu estou de pé aqui sozinho?
Por que só o meu mundo parou?

Eu os vejo ficando mais e mais distantes
Eu não me importo que seja apenas uma pessoa
Olhe para trás, por favor, segure a minha mão
Eu não me importo que seja apenas uma vez
Por favor, segure a minha mão
Por favor, alguém pare por um instante.." - Reset, School 2015





Depois de um bom tempo pensando em várias coisas sem solução, eu consegui dormir.

Acordei, olhei para fora da janela e vi que o tempo estava nublado, fui passando os olhos pelo quarto até parar em um relógio, eram exatamente 09hrs da manhã.

Levantei e fui ao banheiro, me olhei no espelho e vi que meu rosto estava inchado, ótimo. Termino de me arrumar e saio.

Vou até a cozinha e sinto o cheiro de café no ar.

- B-bom dia. - Falei baixo, mas o suficiente para ele ouvir. O mesmo posicionou os olhos em mim e deu um sorriso.

- Bom dia, Soojung. - Falou, voltando a atenção para os ovos que estava fritando.

Pude perceber quando olhei para ele que seu rosto estava inchado. Então ele chorou? Ou só dormiu demais?

Sentei-me no banco perto do balcão e peguei uma torrada para comer. O silêncio se instalou.

- Então, você tem certeza que quer ir na casa do seu ex para buscar suas coisas? - Falou, olhando pra mim.

- Sim. - Falei simplista.

- Não acho que seja uma boa idéia, e se você se magoar mais ao ver ele? - Falou em um tom de preocupação.

- E-Eu vou ficar bem, prometo. - Falei terminando a torrada e tomando um gole de café.

- Se você diz, pode comer mais, eu vou me arrumar e a gente sai. - Disse, saindo da cozinha em direção ao seu quarto.

Minutos depois de sair do seu apartamento chegamos a tal casa. Confesso que estava com medo, ele me expulsou friamente, sentia nojo de todo o tempo de mentiras que vivi com ele.

Desci do carro e fui até a porta.

- Tem certeza que não quer que eu entre? E se ele fazer algo contra você. - Falou, vindo em minha direção.

- Ele deve estar trabalhando nesse horário. - Digo sem expressão.

- E a senha? - Ele pergunta.

- O idiota usa a data de aniversário como senha, se não tiver mudado. - Falei ríspida.

Coloco a senha na porta e desbloqueia. Olho pro Jongin e ele dá de ombros.

Entra na casa e não vejo ninguém. Decido subir pro quarto.

Vejo que ele está dormindo, pro meu azar que achei que ele estaria trabalhando. Sinto um cheiro muito forte de bebida lá dentro.

Procuro minha bolsa e coloco meus documentos e algumas roupas dentro dela. Quando eu já estava saindo, sinto um braço me puxar e caio no chão. Era ele, completamente bêbado.

- Então você voltou? - Falou com um tom debochado.

- Me solta, eu só quero minhas coisas. - Falo, quase gritando.

- Agora não, eu quero me divertir um pouco. - Falou, passando a mão pelo meu corpo.

- ME SOLTA! - Gritei na esperança de Jongin me ouvir.

- CALE A BOCA. - Gritou em seguida, começando a me dar tapas fortes na cara.

Comecei a chorar e debater contra ele.

- Por favor, para. Você está bêbado. - Falei chorando.

Ele não me ouviu, agora querendo tirar a minha roupa.

- SOCORRO! - Gritei, uma, duas, três vezes.

Jongin apareceu desesperado.

- Soojung! Aish, esse animal. - Falou, tirando aquele homem de cima de mim.

- Quem é você? Já me traiu, Soo-ah? - Falou, partindo pra cima de Jongin.

Por impulso, eu o segurei para que ele parasse de bater em Jongin. Mas o mesmo me jogou contra a parede. Jongin o jogou no chão e começou a dar socos fortes nele.

Eu comecei a chorar desesperadamente sem saber o que fazer.

- Soojung, ligue pra polícia. - Jongin gritou, em meio ao socos que dava naquele homem.

Passei a mão pelo rosto para conter o choro e procurei meu celular dentro da bolsa. Disquei o número da polícia e esperei que algum carro chegasse.

- Jongin, por favor, pare! Você está machucado, ele está sagrando! Isso já foi longe demais.. por favor, pare. - Falei com a voz embargada de choro, e segurando o braço de Jongin.

Quando ele se afastou ao perceber meu estado, a polícia chegou.

- Vocês não querem nos acompanhar até a delegacia e dar queixa dele? - Um policial nos perguntou.

- Não... ele estava bêbado, é melhor levá-lo para um hospital. - Falei olhando para o policial.

- Eu não quero mais ficar aqui. Jongin, vamos, por favor. - Falei, com a cabeça baixa e segurando o braço de Jongin.

Entramos no carro, e ficamos em silêncio até chegar em casa.

- Eu preciso cuidar dos seus machucados. - Falei, olhando pra ele.

- N-não precisa. - Falou, desviando o olhar.

- É claro que precisa, eu só quero um kit de primeiros socorros. - Falei, andando pra cozinha e mexendo nos armários pra achar algum.

- Aqui, eu achei. - Falei, voltando pra sala e o fazendo sentar no sofá.

- Vai doer um pouquinho no canto da sua boca. - Falei, tirando o algodão e o remédio e aplicando devagar.

- A-ai, isso dói. Já acabou? - Falou, com os olhos fechados devido a "dor".

- Calma, falta só um curativo na sua testa e pronto. - Respondi, guardando as coisas no kit e levando pra cozinha.

- Eu sinto muito pelo que aconteceu, eu não tinha idéia de que ele estaria em casa. - Falei baixo.

- A culpa não foi sua. Ele era um babaca! Fiquei com tanta raiva na hora que acabei batendo nele. - Falou, segurando o meu rosto.

- E-Eu preciso tomar banho.. - Falei tirando sua mão do meu rosto.

O que foi aquilo? Esquece, Soo, Você precisa ligar pra sua Omma.

Tiro meu celular e vejo muitas mensagens, ignoro e ligo pra ela.

- O-omma, está tudo bem por aí? - Falei, tentando segurar o choro.

- Sim, minha filha, como vai você e seu noivo?

- Eu... Eu terminei com ele, omma. Mas não se preocupe, eu vou ficar na casa da Sulli até conseguir outro emprego mais perto daqui. - Menti. Ela não poderia saber do que aconteceu.

- Nunca fui com a cara dele. Você fez bem. Mande um abraço pra Sulli, agora eu preciso desligar, a comida está no fogo.



Notas Finais


Obrigado por ler e pelo apoio de alguns que favoritaram a fic <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...