História Desnaturados - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Rap Monster, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekho, Baeksoo, Chanbaek, Chanhun, Chansoo, Chenbaek, Colegial, Deem Amor A Essa Fanfic, Exo, Exo M, Exo-k, Hunhan, Kaibaek, Kaichan, Kaiho, Kailu, Kaisoo, Kray, Krischen, Krishan, Krismin, Kristao, Krisyeol, Não Desiste De Mim, Sebaek, Seho, Sekai, Sesoo, Susso, Suyeol
Exibições 218
Palavras 982
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Panela de pressão e Nutella


.Kyungsoo.

            Sexta-feira havia chego e junto com ela a barra de ter que compartilhar as poucas coisas importantes da minha vida com nove desconhecidos, até por que Baekhyun e Minseok sabem da minha vida. Sabe aquela missão de achar coisas realmente relevantes da minha vida, deu certo graças a Jasmine, minha babá desde que eu me entendo por gente, me contou coisas sobre mim que eu nem mesmo sabia. Se eu ganhar um dez nesse trabalho tenho que me lembrar de agradecer a ela.

      As aulas foram entediantes como o esperado, nem sei por que eu crio expectativas de que um dia as aulas vão me fazer vim para a escola sem querer cometer um genocídio. No intervalo fomos para o jardim que ficava perto do prédio desativado. Xiumin e o Baek começaram a conversar sobre o tal encontro que faríamos para decidir como levaríamos o trabalho adiante. Por que só temos 30 dias para se conhecer ao ponto de virarmos melhores amigos.

            Ainda me pergunto o que esse professor tem na cabeça, juntar 12 estudantes e obrigar-los a virarem amigos me soa bem ditador. Afinal, não tínhamos chance de nos recursamos a fazer o trabalho, visto que o mesmo valerá a nota das duas provas e ninguém quer reprovar no último ano, certo?

            Maldito seja Kim Namjoon!

.Kris.

            Hora do intervalo. Para muitos significa relaxar, conversar, comer ou fazer qualquer outra coisa proativa. Mas para os jogadores de basquete, inclusive eu, significa mais treino, suor, correr pela quadra e ouvir os gritos do treinador. Pelo amor, não podemos ter nem um tempo de descanso? Pelo amor, um treino não vai fazer a gente perder o campeonato. Alguém tem que fazer o treinador aprender isso o mais rápido possível.

            Graças a Deus é o meu ultimo ano, meus pais querem que eu faça medicina, para seguir os passos da família. Porém, eles mal sabem que o mais perto que eu vou chegar de um hospital será pelo Netflix assistindo Grey’s Anatomy.

Falando nos meus pais, eles moram em Nova York e comandam o Wu Clinical Medical. Eles me emanciparam para eu não precisar morar com meus avós. Motivo? Eles são extremamente homofóbicos e quando eu me assumi para a minha família eu fui recebido com vários xingamentos. Pelo menos meus pais foram dignos e me aceitaram do jeito que eu sou.

Bem, eu só me assumi para a minha família, ainda não criei coragem o suficiente para me assumir publicamente gay. Meus colegas de time desconfiam, eu acho, por que em todas as festas que eu vou eu nunca pego ninguém. E ninguém vem tirar satisfação comigo pelo simples fato de eu ser 2x mais alto que qualquer um ali.

.Chanyeol.

            As aulas haviam acabado já estou indo em direção à casa do Kris, a gente vai se encontrar lá por que a casa dele fica no centro e perto da escola. O que torna tudo mais fácil para todo mundo. Eu fui o único que ainda teve que ir a casa, por que eu não tive a brilhante idéia de levar uma roupa reserva na mochila e também não ia passar à tarde toda com a mesma roupa que eu fui para a escola. Felizmente o percurso até a casa do Yifan não demorou muito, quando percebi já estava no portão dele.

            Eu que não iria gastar minha saliva gritando por ele, certo?

            Então mandei uma mensagem no grupo:

Chanyeol: Alguém abre a porta para mim, paz.

Kyung: Sério que você mandou uma mensagem apenas para isso?

             

Chanyeol: Sim, agora pelo amor de Lady Gaga.

Abre essa porta antes que eu morra de calor aqui.

Kyung: Estou indo, espera um momento.

            Chanyeol: Ei

Chanyeol: Alguém abre a porta.

Chanyeol: MINHA SANTA MADONNA ABRE A PORTA.

E esse momento durou um minuto, dois minutos, cinco minutos quando eu já queria estrangular todo mundo à porta se abriu e naquele momento eu descobri a verdadeira felicidade.

- De uma hora para a outra vocês ficaram tetraplégicos e não puderam abrir a porta? – Indaguei jogando minha mochila no chão.

- Ah... É que a gente teve um problema com a comida. – Chen falou desconcertado, e eu sabia que algo eles fizeram algo muito errado.

- O que vocês fizeram? – Fiz a minha maior cara de bravo, ou melhor, eu tentei.

- Resumindo, a gente colocou a carne para fazer na panela de pressão, só que ao invés da gente marcar no relógio quantos minutos teríamos que esperar fomos jogar vídeo game. Sabia que o Kris tem um Playstation 4?  Então, a gente começou a jogar vídeo game e nem nos ligamos para o tempo, daí na hora que você mandou mensagem eu levantei para abrir a porta, só que a gente ouviu um barulho muito alto, fomos ver e esquecemos-nos de você. – Xiumin explicou.

- E o que aconteceu? – Perguntei

- A panela de carne explodiu, vamos ter que ir ao mercado comprar comida, por que eu só tinha essa carne na geladeira. – Kris falou e todos olharam para ele – Qual é, eu moro sozinho e não me preocupo em fazer as compras.

- Então vamos! – E assim foi feito.

Dividimos em três uber’s* e fomos em direção ao Walmart*, quando o carro estacionou e pagamos os motoristas entramos no mercado todo mundo na formação da Queen Bey. Sou muito Beyhive sim senhor.

Entramos no corredor de doces e foi como se eu tivesse vendo Deus, tinha um fucking pote de cinco kg de Nutella, numa pensei em assaltar um super mercado como agora. Os meninos começaram a escolher o que quiserem e eu fiquei namorando aquela Nutella quando eu percebi que seria muito difícil eu conseguir comer aquilo sozinho.

Na vida a gente tem que lidar com verdades, dura lição para se aprender em quanto se observa um pote de Nutella gigante. Fazer o que né? Às vezes na vida você quer Nutella e vai ter que se contentar com um pacote de Doritos.

E foi o que eu fiz, peguei um saco de Doritos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...