História Heaven and Hell - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias AnnaSophia Robb, Chandler Riggs, The Walking Dead
Personagens Aaron, Abraham Ford, Carl Grimes, Carol Peletier, Daryl Dixon, Enid, Eugene Porter, Gabriel Stokes, Glenn Rhee, Maggie Greene, Michonne, Morgan Jones, Negan, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Rick Grimes, Rosita Espinosa, Sasha, Tara Chambler
Tags Carl Grimes, Chandler Riggs, The Walking Dead
Visualizações 61
Palavras 1.200
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


EXPLICAÇÕES NAS NOTAS FINAIS!

Capítulo 12 - Espera


Fanfic / Fanfiction Heaven and Hell - Capítulo 12 - Espera

Meira


Fiquei por alguns segundos, talvez minutos, parada, apenas sentindo os lábios de Carl colados aos meus, se movimentando. Senti sua mão andar com lentidão para a minha cintura.


Não faz isso cara…


E mesmo sendo um pequeno toque entre nós, eu o empurrei, interrompendo - o bruscamente. Passei uma das mãos rapidamente pela boca, tentando limpar os vestígios da sua saliva. Levantei o olhar e o encarei incrédula, enquanto ele tinha um sorriso no rosto.


Cretino.


-Seu… Seu… - Eu não conseguia terminar a frase, parecia que eu não sabia do que xinga - lo. Frustrada, bufei e lhe dei as costas, entrando dentro da casa a passos duros.


Eu pensei ter ouvido ao longe as risadas de Carl.


♢♢♢


Já fazia horas que o dia tinha amanhecido, mas eu continuava deitada na cama, apenas encarando o teto. Eu não havia dormido naquela noite por causa dos pensamentos.


Ninguém sabia, mas eu tinha ataques de pânico semanais e possuía síndrome de pensamento acelerado em um alto nível, tendo a minha mente sempre cheia e por isso, pelo menos aquela noite, eu não havia nem cochilado por míseros segundos.


Suspirei quando ouvi passos no corredor. Sabia que alguém viria me ver, sempre viriam. Eu ainda era a traidora maluca que eles tinham que ficar de olho e atirar se fosse necessário, ou seja, os passos continuaram por um bom tempo.


-Meira? - Ouvi alguém batendo na porta. Levantei a cabeça e fiquei encarando a porta trancada - Posso entrar?


-Claro - Respondi, e a porta se abriu. Era uma mulher de cabelos curtos e grávida que se encontrava ali, com um sorriso gentil.


-Oi, Maggie - Disse, estendendo a mão. Mesmo hesitante, a apertei - Seu café da manhã já está lá na mesa se quiser ir comer.


Assenti novamente, e ela saiu do quarto me deixando sozinha novamente. Eu não estava com fome, então não comeria nada naquele momento.


Suspirei, me levantando da cama com lentidão, caminhando em direção á porta. Eu não conseguiria me esconder para sempre.


Assim que entrei na cozinha, percebi que havia apenas Carol ali que segurava Judith, Carl que parecia entretido conversando com uma garota, que só então percebi se tratar da menina que eu havia “salvado” de D.


Carol fora a primeira me perceber, e sorriu assim que me viu encostada na porta com minha típica calça jeans e tênis surrados, vestindo uma regata preta solta e os cachos louros presos em um coque com algumas mechas soltas como eu adorava.


-Meira! - Cumprimentou - me sorridente, fazendo a atenção das duas outras pessoas se voltarem para mim. Apenas levantei o canto dos lábios, em um quase sorriso - Vou levar Judith para passear, tem algumas panquecas no microondas.


Assenti vendo ela sair do cômodo e rapidamente andei até lá, apanhando o prato onde havia três panquecas simples, mas deliciosas apenas de observar. Abri uma gaveta e peguei um garfo, já colocando um pedaço com agilidade na boca.


Enquanto mastigava, fechei o microondas com o cotovelo e o armário com o quadril, degustando do sabor ignorando os olhares de Carl e da garota sobre mim. Quando se tem comida o resto não importa.


Puxei uma cadeira e me sentei, ainda comendo e olhei para os dois a minha frente, erguendo as sobrancelhas. Quando eu finalmente terminei de mastigar e engolir tudo, encarei Carl.

-Quem é a sua amiga? - Perguntei distraída, encarando a garota.


-Enid essa é a Meira, Meira essa a é a Enid - Apresentou - nos, apontando os dedos para cada uma respectivamente.


-Olá, Enid - Cumprimentei, sorrindo ironicamente. Me levantei da cadeira deixando o prato dentro da pia e fui até o banheiro rapidamente. 


Fiquei parada
Esperando a hora de entrar
A porta está trancada, não dá para passar
Mas isso é bom


Lavei a boca escovando os dentes com a escova de alguém e passei uma água no rosto, me encarando no espelho.


Papai por favor, não saia de casa
É escuro aqui fora
Mamãe não guarde comida para mim
O jantar já acabou, e eu não voltarei para dentro


Meu cabelo loiro, apesar de ter dias que eu não lavava, estava em perfeito estado, ainda com o típico cheiro de grama e terra molhada que eu possuía.


É por isso, essa é a razão
Esconder é sempre a melhor forma
Por isso escondo meu rosto nas sombras 
Não mostro a ninguém quem sou, as sombras que habitam os meus olhos


Por isso não se aproxime
Nas sombras você vai entrar, e não quero que isso aconteça 
Nas sombras você vai entrar, e não quero permitir
Por isso não se aproxime


Com esses pensamentos me lembrei de Nessa, que sempre fazia piadas por causa da minha aparência dizendo que éramos irmãs e havíamos sido separadas na infância.


Deixei uma risada leve escapar pelo meu nariz, passando as mãos pelo rosto.


Aqui é escuro, cuidado
Aqui é frio, cuidado
Aqui é um labirinto sem fim, cuidado
Aqui é um lugar sem saída, cuidado

Fuja, corra
Se esconda
As sombras estão a sua procura
É por essa razão


Respirei fundo, e saí do banheiro indo em direção à sala, me acomodando no sofá e fechando os olhos. Pelo canto do olho, percebi que Enid saia pela porta da frente mas não avistei Carl atrás dela.


É por isso, essa é a razão
Esconder é sempre a melhor forma
Por isso escondo meu rosto nas sombras 
Não mostro a ninguém quem sou, as sombras que habitam os meus olhos

Por isso não se aproxime
Nas sombras você vai entrar, e não quero que isso aconteça 
Nas sombras você vai entrar, e não quero permitir
Por isso não se aproxime


Discretamente, abri os olhos, e pude vislumbrar o garoto de orbes azuladas encostada no batente da porta da cozinha. Deixei uma risada debochada escapar da minha garganta, chamando sua atenção.


-É a sua namorada? - Perguntei, sorrindo cinicamente.


Papai, não me procure ao meio fio
Os carros passam por aí
Mamãe por favor pare de rezar
Deus infelizmente não pode me ajudar


-Enid é apenas uma amiga - Ele respondeu, apertando os olhos na minha direção.


-Ela é meio sem graça mesmo - Comentei, erguendo o tronco e sentando.


As chamas aumentam a cada dia, não dá para fugir
Por isso eu me escondo através da noite
Sozinha e abandonada
Subestimada, incompreendida 

Não adianta dizer, temos que fazer
Mas não dá, a confiança se foi, e eu fugi 
Me escondi aqui
É por essa razão


Carl apenas revirou os olhos e continuou olhando lá para fora. Mordi os lábios e quando iria levantar, ouvi o barulho do portão lá fora sendo aberto.


Franzi o cenho, e encarei o Grimes que parecia um pouco assustado.


É por isso, essa é a razão
Esconder é sempre a melhor forma
Por isso escondo meu rosto nas sombras 
Não mostro a ninguém quem sou, as sombras que habitam os meus olhos

Por isso não se aproxime
Nas sombras você vai entrar, e não quero que isso aconteça 
Nas sombras você vai entrar, e não quero permitir
Por isso não se aproxime


-Que foi? - Perguntei, confusa. Eu nunca vi ele dessa forma, parecia até que um cometa cairia aqui e explodiria a casa.


Bom, eu não duvidava disso.


Papai por favor, acabou
Não há nada a fazer
Mamãe por favor, acabou
Tudo terminou, não há jeito


-Quem é? - Voltei a perguntar com o seu silêncio, irritada por não conseguir uma resposta concreta.


-Os Salvadores - Murmurou apenas, fazendo um arrepio subir pelas minhas costas.


Por isso não se aproxime
Nas sombras você vai entrar, e não quero que isso aconteça 
Nas sombras você vai entrar, e não quero permitir
Por isso não se aproxime



Notas Finais


Hi! Como vai vocês pessoa? Me desculpem por ter excluído essa Fic, mas os favoritos e os comentários estavam baixos em relação a ela, então simplesmente exclui. Desculpem!
Mas eu amo essa Fic, ela é meu xodó, então não vou excluir, vou deixar aqui. E TALVEZ, SÓ TALVEZ, Se essa fic voltar a ter leitores que comentem, eu possa voltar a postar Capítulos?

Kisses...
-Letícia.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...