História Heavy In Your Arms - Capítulo 18


Escrita por: ~ e ~Cricket

Postado
Categorias Supernatural, Teen Wolf
Personagens Adam Milligan, Allison Argent, Anna Milton, Bobby Singer, Castiel, Chris Argent, Dean Winchester, Derek Hale, Gabriel, Kira Yukimura, Lilith, Lydia Martin, Personagens Originais, Peter Hale, Ruby, Sam Winchester, Scott McCall, Stiles Stilinski, Vernon Boyd
Tags Colegial, Sobrenatural, Supernatural, Suspense, Teen Wolf, Terror
Exibições 257
Palavras 3.357
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Famí­lia, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ophelia -> Hello people! Cá estamos nós com mais um capítulo e... Tenho nem o que dizer porque chegamos aos 200 comentários + 255 favoritos com quase 20 capítulos!!!111111 Sério... Obrigada não é o suficiente pra expressar o quanto eu me sinto grata por cada comentário e favorito. Eu sou eternamente grata a vocês <3 E agora, parando um pouco de fazer cena -q como não poderia deixar isso passar em branco, vocês se preparem que tem treta (mais ainda -q) a caminho :3
Beijinhos e nos vemos lá embaixo! :D

Cricket -> Olá pessoal, espero que gostem do capitulo e que não morram em nenhuma parte kkkk beijao ❤

Capítulo 18 - Trouble is a Friend


Fanfic / Fanfiction Heavy In Your Arms - Capítulo 18 - Trouble is a Friend

So don't be alarmed if he takes you by the arm              
I won't let him win, but I'm a sucker for his charm
Trouble is a friend, yeah trouble is a friend of mine

 

Nem Alek ou Brian se importariam se Claire tivesse optado por ficar em casa naquela manhã, especialmente depois de seu episódio de sonambulismo que fora contado e recontado pela ruiva automaticamente ao ser inquirida sobre o mesmo. A mãe de Dallas que agora se ocupava em cuidar do filho mais velho que permanecia de cama pelo que, segundo o médico disse, era uma intoxicação alimentar. Mesmo que intoxicações não precisassem necessariamente de cama, Dallas vomitava qualquer coisa que comesse misturada a pequenos viscos e, por bem, Claire decidiu não tentar leva-lo para a viagem do campeonato, deixando o jipe do rapaz na garagem.

Era a quinta ou sexta vez que recebia mensagens de Sophie. Sua amiga parecia estar bem, apesar do que acontecera com Derek. Scott pelo que se lembrava, tinha certeza de que o alfa havia morrido com a queda, mesmo que não tivessem visto o corpo dele após Deucalion e os alfas terem colocado todos para correr.

Enquanto caminhava pela calçada, pegando os atalhos que Isaac havia lhe mostrado em algumas voltas, a ruiva deslizou o indicador pela tela do aparelho, colando-o à orelha.

— Sophie.

—.... Oi, Claire.

— Como você está?

Sophie respirou profundamente. — Sinceramente, acho que ainda não digeri, ao contrário da Cora.... Ela está mal e decidida a se vingar.

— Ela quer morrer? — Claire ergueu as sobrancelhas.

Quem sabe. E outra, o Peter também sumiu, então.... Somos só nós duas aqui. — Ela soltou o ar pela boca. — E os meninos?

— Não sei ainda, vou me encontrar com eles na escola. — A ruiva respondera, olhando de um lado para o outro antes de atravessar a rua correndo.

Ah, certo, o campeonato! — A irmã de Derek suspirou. — Claire, eu.... Eu sempre acho que devia fazer mais, sabe. Às vezes acho que Cora tem razão em dizer que sou uma garotinha birrenta e inútil que só está nos lugares para ser salva.

Claire arrumou a mala vermelha que Dallas lhe emprestou no ombro. — Sabe quem ouvia isso?

Quem?

— Eu. — A ruiva contara de maneira casual.

O quê?! Como assim você?

A ruiva riu do espanto da amiga. — Sempre fui muito pequena, muito delicada, então.... Meus irmãos costumavam achar que eu não iria aguentar a barra e tentavam facilitar tudo. Até eu morar com o Bobby, ele não facilitou em nada e até foi bom, sabe. Então... Sophie, o que eu vi quando nos conhecemos não foi uma garotinha assustada, você estava manuseando uma das minhas adagas e estava pronta para cortar uma garganta.

Ela ouviu a morena rir fracamente do outro lado da linha. — Obrigada, Claire..., mas em comparação com os lobisomens, eu...

— Corrigindo, nós. Também sou humana, Sophie e sempre acho que vou acabar morrendo em algum momento, mas.... Se eu conseguir salvar alguém no caminho, vou me sentir bem com isso. — A ruiva comentou. — E eu posso estar muito, muito errada Sophie, mas.... Acho que Derek pode estar vivo.

— Por quê?

— Porque ele é um sobrevivente. E de algum jeito, sobreviventes sempre conseguem sair de situações como essa. Ele pode não gostar muito de mim, mas eu reconheço um sobrevivente quando vejo um. — Claire riu de leve.

Ouviu Sophie rir baixo. — Sim, ele é um sobrevivente. Ouça, Cora está saindo, vou garantir que ela não destrua a cidade.

— Faça isso. E qualquer coisa, me ligue.

— Pode deixar.

Claire guardou o celular no bolso e continuou a andar, e mesmo que estivesse tentando não pensar naquela luta do dia anterior, porém as imagens vinham. Se tivesse de escolher o momento mais estranho, seria quando Ennis tentou ataca-la e batera de frente com..... Algo que a ruiva não soube dizer o que era, mas que funcionou momentaneamente como uma barreira.

— CLAIRE!

Talvez tivesse sido um exagero, mas Claire pulou ao escutar seu nome e olhou para a rua, encontrando um jipe azul ocupado por quatro garotos (ou talvez três lobisomens e um garoto, se fosse pensar melhor).

— Sobe aí, a gente te dá uma carona, estamos todos indo para o mesmo lugar. — Isaac, que tinha passado mais uma noite na casa de Scott, abriu a porta do jipe. — Stiles disse que vai adorar sua presença.

— Sério, qual é a utilidade dele além de falar merda? — Stilinski falou desgostoso e Boyd dera risada junto com Scott, mesmo que McCall parecesse um tanto.... Quieto e suado como se estivesse passando mal.

A ruiva entrou no jipe e bateu a porta, deixando sua mala no chão perto de seus tênis encardidos. — Scott você está bem? — Ela perguntou ao se debruçar no banco da frente e McCall se limitou a assentir com a cabeça.

— Sim, só estou cansado... — Respondera em baixo tom e um tanto encolhido com a cabeça encostada no vidro do carro.

— Eu disse para ele, não devíamos ter vindo. — Stiles comentara nervoso. — Mas ele me escuta? Não! Claro que não.... Podíamos ficar com a Sophie e a Cora porque, caramba, elas perderam o irmão, mas não...

— Acabei de falar com a Sophie, ela e a Cora estão indo até o shopping abandonado para busca-lo. — A ruiva comentou. — O problema é....

— O quê? — Isaac a olhou com curiosidade.

— Eu não acho que ele esteja morto.

Boyd ergueu a sobrancelha. — Ele caiu de três andares com aquele Ennis, não sei se ele ia sobreviver a uma queda dessas. Mesmo sendo um alfa.

— Você tem um ponto. — Claire comentou.

— E como eu disse, deveríamos estar com as meninas lá, não indo para um jogo idiota em outro estado ficar cinco horas presos numa droga de ônibus com o treinador Finstock querendo arrancar nossos couros! — Stilinski protestara mais uma vez, fazendo Isaac rolar os olhos.

Stiles estacionou o jipe em sua vaga habitual e encarou com desgosto o ônibus escolar amarelo que estava parado não muito longe dali, com uma fila de alunos esperando para entrar e o apito do treinador Finstock soando agudo em seus ouvidos. Logo, os cinco apanharam suas malas e se aproximaram da fila.

— Bem... Merda.... — Stiles cutucara Scott quando vira, mais à frente, Danny e Ethan conversando de maneira amigável.

Claire colocou os braços na frente de Isaac e Boyd quando estes ameaçaram dar passos para frente. — Nem pensem nisso.

— Se não fosse por ele e aquele irmão, Derek ainda estaria vivo. — Isaac rosnou.

— Exatamente!

A ruiva bufara. — E vocês querem ir para cima dele assim, no meio de todo mundo mostrando as garras e os pelos na cara? — Ela sibilou, chamando a atenção de Scott e Stiles.

— Isaac, Boyd, não podemos fazer isso. — Scott falara com uma voz pastosa, embora tentasse mantê-la firme. — Não quero ver mais ninguém morrendo, por favor. Me deem uma chance de resolver isso sem mais ninguém sair machucado.

Isaac olhava com raiva para a nuca de Ethan, assim como Boyd, porém, os dois assentiram após respirarem fundo, mesmo que parecessem contrariados em fazê-lo. — Está bem. — Falou, enfiando sua mala no bagageiro do ônibus, assim com o restante do pequeno grupo.

— ENTREM NO ÔNIBUS SEUS DELINQUENTES! —O treinador Finstock apitara na orelha de Stiles, que dera um grito antes de ser empurrado para dentro do ônibus.

Stiles praticamente arrastou Scott até os lugares no fundo do ônibus, sentando-o perto da janela enquanto os outros alunos se acomodavam. Isaac e Boyd ficaram mais no meio do ônibus e Claire se sentou um banco na frente de Scott, aproveitando que este ficara vazio para se esticar.

— Já que vamos ficar umas cinco horas presos nesse ônibus... — Stiles olhara para Claire com uma ruga entre as sobrancelhas assim que o ônibus começou a se mover em direção à avenida principal. — Vamos brincar de que palavra é essa... — Ele comentou sério, tirando um tablet do bolso interno do moletom abrindo-o num dicionário. — Inerente!

  Scott se mexera e Claire ergueu uma sobrancelha. —.... Pode usar numa sentença? — O lobisomem perguntou.

— Sim, o choro é inerente às pessoas tristes.

— Ligado, necessário.... Inseparável. — Scott comentou.

 — Correto! Próxima palavra... Anuência. Vamos lá, senhorita caçadora. — Stilinski rira de leve.

— Concordância, consentimento. — Claire respondera, observando a rua por alguns momentos. — Parece que estou de volta na minha vida. — Falou para ninguém em particular.

Durante aproximadamente duas horas o silêncio fora quase total, cortado apenas por conversas paralelas e apitos do treinador. Já estavam na estrada comprida que Claire conhecia muito bem sob o céu cinza do que seria uma tempestade ou, segundo a voz estridente do treinador, um tornado.

— VOLTE AO SEU LUGAR! — Gritou o treinador com um rapaz que estava em pé, fazendo-o bufar antes de retornar a seu acento.

— Sabe, tem uma parada não muito longe daqui! — Stiles comentara como quem não queria nada, porém a reação do treinador fora assoprar seu apito alto o suficiente para fazer um aluno mais na frente tapar a orelha com o dedo. — Nós podíamos parar pra...

— STILINSKI CALE A BOCA, O ÔNIBUS É PEQUENO, PARE DE FAZER PERGUNTAS!

Stiles respirou fundo, batendo a testa em seu tablet. — Meu Deus.... Enfim, próxima palavra.... Incongruente.

— Pode usar numa sentença? — Claire perguntou antes que Scott o fizesse.

— Sim, é completamente incongruente estarmos num ônibus indo para um campeonato idiota depois do que aconteceu! — Stiles bufara.

— Ridículo, absurdo. — Scott riu de leve, porém quando o ônibus pulara, ele gemeu de dor encostando a testa no vidro. —.... Estou bem...

— Não, você não está nada bem... — Stiles dissera irritado.

— Está doendo ainda porque foi de um alfa, leva mais tempo para cicatrizar.... — O rapaz comentou.

— Ajudaria se pudéssemos ver como está, Scott. — Claire comentou.

Stiles apontou para ela. — Viu? Se ela está falando, significa que eu não estou louco! — Exclamara, fazendo Claire rir levemente.

Scott respirou fundo e levantou a camiseta. Claire não se impressionou com o tamanho e profundidade do corte em suas costelas, ao contrário de Stiles. — Devia ter trazido um kit de primeiros socorros. — A ruiva comentou frustrada.

— Eu estou bem.... Vai curar logo.

Stiles fez uma careta deslizando o dedo por seu tablet com um pouco de raiva. — Próxima palavra.... Intransigente. — Disse cinicamente, olhando seu melhor amigo.

— Teimoso, obstinado... — Scott riu, embora fizesse mais uma careta de dor quando o ônibus passou por um buraco na estrada. —... Ethan fica checando o telefone toda hora. — Comentou e Stiles olhou na direção dos bancos mais à frente, onde Danny e Ethan estavam sentados.

— Sim, deve ser algo mal, você sabe que sou muito perceptivo com coisas do mal... — Stiles falou erguendo as sobrancelhas.

— Ele parece preocupado. — Claire comentou observando o loiro que estava sentado ao lado do amigo de Sophie de forma mais atenta.

— Não gosto dele sentado perto do Danny. — Scott comentou com a voz meio mole e Stiles concordou, deixando seu tablet de lado para tirar o celular do bolso. — O que está fazendo?

— Perguntando, é claro. — Stilinski enrugou a testa e digitou uma mensagem com os polegares, enviando-a para Danny.

Claire ergueu a sobrancelha quando viu Danny olhar para onde estavam sentados, fazendo que não com a cabeça de maneira um tanto irritada. Stiles enviou mais uma, duas ou três mensagens para ele.

— A Sophie envia o alfabeto quando eu deixo ela no vácuo. — Claire comentara quando viu Stiles batendo o dedo na tela com tanta força que poderia quebrar o vidro.

— Com quem você acha que ela aprendeu isso? — Scott comentou de forma divertida, inclinando a cabeça na direção do melhor amigo e rindo levemente, embora tenha se arrependido se o fazer logo depois por conta da careta de dor que emoldurou seu rosto em seguida.

Stiles se debateu perto de Scott como se estivesse querendo estrangular Danny, até que o rapaz bufara e Claire o viu trocar breves palavras com Ethan antes que o alfa olhasse com uma ruga entre as sobrancelhas para trás, fazendo com que Stilinski quase se enfiasse embaixo do banco junto com o beta.

— Ok.... Isso não foi muito sutil... — Ele reclamara, endireitando-se.

Claire esticou a mão e tocou a testa de Scott, embora o lobisomem tentasse se esquivar. — Scott, você está com febre.

— O quê? Tá legal, já chega, eu vou ligar pra Lydia e pra Allison. — Stilinski olhou preocupado para o amigo. — E você está sangrando, Scott.... Que merda!

— Como elas vão nos ajudar lá de Beacon Hills? — Scott ergueu uma sobrancelha.

— Elas estão bem atrás de nós o tempo todo... — O garoto comentou extremamente concentrado em achar o número da garota em seu celular e balançou a cabeça como se não acreditasse. — Patético.

Claire tirou seu próprio celular do bolso quando o mesmo vibrou com uma mensagem de Sophie, distraindo-se do que Stiles conversava com Lydia ao ler o que a irmã de Derek lhe escrevera: Peter apareceu, estamos indo até a clínica do Deaton.

—.... Você conhece esse cara? Deus do céu... Eu vou tentar! — Stiles falou um tanto irritado ao desligar seu celular após uns minutos de conversa com Lydia no telefone. Claire seguiu o garoto com os olhos e apenas ergueu as sobrancelhas à medida em que ele tentava, inutilmente, argumentar com o treinador.

— ME DEIXA FALAR! — Stiles gritara quando o treinador assoprou o apito mais de uma vez, interrompendo sua fala até o momento em que ele o soprara de maneira constante, deixando Stilinski vermelho de raiva.

— VOLTE PRO SEU LUGAR, STILINSKI!

— OK! — Stiles berrara, soltando o ar que nem notou estar prendendo.

Claire desviou os olhos dele e sentou perto de Scott, levantando sua camisa. — Seu sangue está ficando preto... — Observara, apesar do moreno tentar se esquivar. — Scott, não está curando...

— É... — Scott balbuciou e Claire desviou os olhos dele quando escutou o barulho de alguém tendo ânsia e em seguida o som claro de algo úmido caindo no chão como uma cascata, seguido por gritos de nojo dos alunos e do próprio treinador, que assoprava seu apito com força para conter os alunos, forçando o motorista a fazer uma parada.

— JARED VOCÊ É UMA DROGA! — Gritou o homem assim que o ônibus parou e o motorista abrira as portas do mesmo e os alunos saíram desesperados dali de dentro.

Claire aproveitou a deixa e tirou Scott do banco, guinchando-o com cuidado pelo corredor estreito do ônibus até a porta do mesmo, sendo ajudada por Stiles, Allison e Lydia que tinham aparecido do lado de fora do ônibus a tirar o moreno do veículo.

— Vamos leva-lo para o banheiro. — Stilinski sugeriu enquanto Claire e Allison apoiavam os dois braços de Scott, levando-o de forma sorrateira até o banheiro masculino daquela parada de beira de estrada.

Allison o colocou sentado no chão entre duas pias e Claire se abaixara perto dele, tirando sua camisa para que pudessem ver melhor o ferimento que começava a ficar cada vez mais escuro.

— Deus, por que não disse nada, Scott? — Allison dissera assustada.

— Achei que fosse.... Curar... — O garoto comentou, lívido de suor e de olhos estreitos, fazendo com que Claire o segurasse e molhasse sua camisa na pia, refrescando sua testa.

Claire olhara os três adolescentes de pé e continuou com a camiseta molhada na testa de Scott. — Numa situação dessas, meu irmão ia pegar agulhas de costura, fio dental e uma garrafa de whisky.

Scott riu de lado. — Whisky?

— É, além de servir de anestésico, ia limpar. — A ruiva sorriu de leve.

— Claire. — Allison a chamara, sorrindo um pouco nervosa para Scott.

— Fique firme aí, eu já volto. — A caçadora se levantou e subiu as mangas da blusa de moletom, parando entre Allison e Lydia.

— E se for uma doença física por uma causa psicológica? — A garota de cabelos claros sugeriu, olhando de um para o outro.

— Psicossomático?

— Somatoforme. — Corrigira e Stiles abriu a boca. — Sim, está tudo na cabeça dele.

Claire ergueu a mão. — Então vocês estão dizendo que ele não está se permitindo curar porque o Derek morreu?

— Exatamente.... Bem, não sabemos, mas é a única explicação que faz sentido no momento.

A ruiva assentiu. — Então precisamos costura-lo. Se ele acreditar que está se curando, pode acelerar o processo. — A Winchester dera de ombros. — Preciso de agulha e....

Lydia mexera em sua bolsa, tirando de lá uma caixinha transparente com agulha e linha. — Você sabe fazer isso?

— Com fio dental, mas é na base do improviso. — Claire respondera.

— Eu ajudo você. — Allison sorriu.

— Esperem e o ônibus? — Lydia olhara para ambas.

— Você e o Stiles tentem atrasar o máximo que podem. Vamos tentar ser rápidas. — Claire sorriu. — Vão logo.

Lydia puxou o braço de Stiles e eles deixaram o banheiro, enquanto Allison tateava seus bolsos a procura de um isqueiro que não demorou a ser encontrado e acendido. A Argent esquentou por alguns segundos a ponta da agulha, enquanto Claire movia Scott o suficiente para que a morena tivesse bastante luz para trabalhar.

— Estou cansado... — McCall balbuciou.

— Fique acordado, Scott. — Claire comentou, apoiando a cabeça do beta em sua perna, enquanto Allison brigava com a linha e a agulha. — Allison...

— Minhas mãos não param de tremer... — A Argent falou com desespero ao tentar firmar as mãos, porém sem sucesso. — Estou tentando... — A morena respirou fundo e Claire a viu fazer uma careta de choro antes de dar um grito, assustando Scott deitado no colo da ruiva. — CLINICAMENTE! E SEM EMOÇÕES.... Sem emoções...

— Allison, respire. — Claire segurou a mão trêmula da Argent. — Respire.

Allison baixou as mãos e fechou os olhos, puxando o ar pelas narinas demoradamente antes de encarar a agulha, passando a ponta da linha pelo buraco da mesma. — Claire, me ajude aqui. — A morena sussurrou e Claire firmou o ferimento com os dedos, possibilitando que a outra caçadora pudesse passar a agulha e começar a dar pontos em Scott.

Levou mais ou menos dez minutos para que a morena terminasse, rompendo a linha com um puxão ao dar o último ponto.

— Scott? — Allison o chamou, sacudindo-o já que o beta tinha apagado no colo de Claire. — Scott?

— Acorde, Scott... Scott! — Claire o sacudiu também, percebendo o desespero de Allison. — Scott!

O lobisomem acordou num pulo, encarando as garotas com absoluto terror no rosto. — A culpa foi minha... — Ele falou sem nem pestanejar. — A culpa é minha que o Derek está morto...

— Scott, não foi culpa sua, está bem? — Allison falou e o ajudou a sentar. — Não foi culpa sua, nada disso.

Embora não a contrariasse, Scott suspirou, observando o ferimento suturado. — Vocês fizeram isso? — Perguntou, olhando de uma para a outra.

— Mais a Allison. — Claire riu.

— Legal... — Ele riu em resposta. — Obrigado.

Allison sorrira. — Consegue levantar? — Perguntou, estendendo as mãos para erguê-lo enquanto Claire o apoiava nas costas. — Aqui, vista isso. — A morena tirou uma camiseta de mangas compridas num tom de cinza de uma bolsa, colocando-a sobre a cabeça de Scott, que a vestira logo em seguida.

— VAMOS LOGO, VOLTEM PRO ÔNIBUS! — O treinador Finstock apitara e alguns dos alunos se mexeram para retornarem ao ônibus, porém um som claro de socos sendo trocados impediu que todos se dirigissem ao veículo, cercando a briga que acabara de começar.

Boyd segurava Ethan enquanto Isaac desferia uma porção de socos em seu rosto, não parando nem mesmo quando o treinador viera apitando e um Danny desesperado tentou sem sucesso, apartar a briga.

Ethan mal se mexia, na verdade parecia estar se divertindo apanhando de ambos para o desespero total dos alunos que ainda tentavam inutilmente, separá-los.

— ISAAC! — Fora a voz de Scott, carregado por Allison e Claire que se sobressaiu a ponto de parar Lahey, que olhara na direção dele com o punho erguido. — Soltem ele, agora! — Scott se soltou das meninas e parou diante dos dois. — Soltem ele!

Boyd largou Ethan no chão e Isaac relaxou as mãos, encarando-o de maneira preocupada. — Stiles disse que você estava ferido ainda.

— Estava, estou bem agora.

Claire se distraiu por um instante, sentindo o celular vibrar no bolso traseiro do jeans e se afastou da briga já dispersa, atendendo-o somente para ouvir uma voz um tanto afoita dizer uma única frase.

Claire... Acho que o Derek está vivo.

 

Então não se alarme se ele te puxar pelo braço         
Eu não vou deixá-lo ganhar, mas eu sou fraca pelo seu charme
Problema é um amigo, yeah problema é um amigo meu.

(Trouble is a Friend – Lenka)            


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...