História Heavy In Your Arms - Capítulo 26


Escrita por: ~ e ~Cricket

Postado
Categorias Supernatural, Teen Wolf
Personagens Adam Milligan, Allison Argent, Anna Milton, Bobby Singer, Castiel, Chris Argent, Dean Winchester, Derek Hale, Gabriel, Kira Yukimura, Lilith, Lydia Martin, Personagens Originais, Peter Hale, Ruby, Sam Winchester, Scott McCall, Stiles Stilinski, Vernon Boyd
Tags Colegial, Sobrenatural, Supernatural, Suspense, Teen Wolf, Terror
Exibições 134
Palavras 4.987
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Famí­lia, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ophelia -> Pasmem, oia quem tá postando capítulo de surpresa! UAHSAUHSUAH Sábado possivelmente não terei tempo, então decidi adiantar as coisas pra vocês <3 Espero que gostem do capítulo :D E olha, segura que vai ter muita ação e pouco espaço -q UAHSUAHSUAHSA Beijão e nos vemos lá embaixo ;D

Capítulo 26 - Control


Fanfic / Fanfiction Heavy In Your Arms - Capítulo 26 - Control

 

 Maybe I'll look you in the eye               
Tell you you don't wanna die
Maybe I'll hold my breath and jump right in

 

— Derek! Derek, onde você está?!

Quando Sophie escutou a voz de Jennifer, seu estômago se revirou de raiva e teve de se conter para não sair de onde estava escondida junto de Stiles e Scott. Claire estava deitada num colchão velho perto deles, dormindo um sono agitado. A morena, então, percebeu o olhar duro de Stilinski ao escutar as explicações de Jennifer, notando as lágrimas rolarem pelo rosto dele.

Esticou a mão e apertou seus dedos, passando-lhe uma firmeza que nem mesmo ela tinha até que o tom de Blake durante a conversa com Derek mudou.

— Eles já estão aqui, não é?

Stiles e Scott saíram das sombras e Sophie os acompanhou, mantendo a expressão dura ao encontrar os olhos castanhos da professora que exibiu um pequeno e debochado sorriso.

— Onde está o meu pai? — Stiles perguntou baixo, com lágrimas que ele nem fez questão de afastar escorrendo por seu rosto pálido e cansado.

— Como é que eu vou saber?! — Jennifer o encarou com inocência e um pouco de indignação.

— Já pode parar de fingir. Você atacou a Lydia e matou todas aquelas pessoas. — Sophie rosnara. — Onde está o pai do Stiles?

Jennifer a olhou como se estivesse chocada com todas aquelas acusações. — Lydia Martin?! Eu não sei nada sobre isso.

Derek, que até agora estava impassível, suspirou. — E o que você sabe?

— Eu sei que esses garotos por alguma razão estúpida estão fazendo acusações das quais não podem provar. — Ela dissera, arqueando uma sobrancelha em sinal de deboche.

Scott enfiou a mão no bolso do moletom, retirando o pequeno frasco com visco que recebera de Deaton. — E se nós pudermos? — O beta comentou sério.

— O que é isso? —Blake perguntou um tanto insegura ao olhar o frasco.

— Meu chefe disse que é tanto uma cura quanto um veneno, e que pode ser usado contra você. — Scott comentou, abrindo a tampa do frasco antes de atirar o conteúdo dele contra a mulher.

Derek deu um passo para trás quando viu, ainda que por breves instantes, uma figura desfigurada surgir entre a névoa de visco, seguido pelos gritos de Jennifer que tratou de voltar a sua aparência humana, olhando o lobisomem mais novo com ódio. A boca do Hale se abriu em choque antes que ele apanhasse Blake pelo pescoço e a levantasse.

— Derek, não! — Scott e Stiles gritaram ao mesmo tempo.

— Você precisa de mim! — Jennifer balbuciara, segurando o braço dele.

— Derek, pare! — Sophie se intrometera e Derek respirou fundo, limitando-se a manter Jennifer a poucos centímetros do chão para atender o telefone. — Peter. Como a Cora está?

Sophie olhou um tanto surpresa ao ouvir aquilo, já que não tinha ideia de que sua meia irmã estava doente e muito menos na companhia de Peter. O Hale colocou a ligação no viva-voz e a garota pode ouvir a voz desesperada de seu tio.

— Ela acorda e apaga, e está vomitando uma substância bem estranha.

— Visco. — Derek dissera de maneira seca. — Não saia daí, estamos indo buscar vocês.

— Venham logo de preferência, porque essa tempestade está cada vez pior!

O alfa desligou o telefone e apertou um pouco mais o pescoço de Jennifer, que arfou em busca de ar.

— A vida dela está nas minhas mãos! — A mulher ganiu até que Derek simplesmente a largou, fazendo-a desabar no chão.

Jennifer levou alguns segundos para se recompor e sorriu com deboche para os presentes. — Vocês todos precisam de mim. Se eu morrer, você nunca irá encontrar seu pai, Stilinski, e sua irmã irá morrer engasgada com visco, Derek. — Falou. — Mas se pudermos trabalhar juntos, todos saem ganhando.

Stiles se afastou um pouco quando ouviu Claire se mexendo no colchão e estendeu a mão para a ruiva quando ela fez menção de levantar, notando a confusão nos olhos dela. — Você está bem? — Perguntou.

Claire piscou e assentiu. — Sim.... Estamos no loft?

— Por pouco tempo. Vamos buscar o Peter e a Cora no hospital. — Stilinski respondeu.

— Claire, você consegue andar? — Sophie perguntou ao ver a amiga de pé.

A ruiva sorriu de leve. — Sim, consigo. E... O que ela está fazendo aqui? — Falou, enrugando a testa ao ver Jennifer parada perto de Derek.

Blake esboçou um sorriso para a ruiva. — Claro que você está aqui, Claire. E aparentemente teremos mais um tempo para nos conhecermos. Além do período escolar, é claro.

— Cale a boca. — O Hale bufara. — Vamos logo.

~*~*~*~*~

Por mais que Jennifer assegurasse a Derek que iria ajudar, o Hale mantinha a mão firme no braço dela, arrastando-a pelo corredor quase vazio da recepção do hospital. O grupo notou, inclusive, o caos que estava do lado de fora com uma tempestade e que tinha atingido tanto a parte elétrica do Beacon Memorial quanto muitas janelas encontravam-se despedaçadas com galhos de árvore atravessados.

— O que vocês estão fazendo aqui, o hospital está sendo evacuado! — O grupo foi parado pela mãe de Scott, que os encarou preocupada. Sua voz soava mais alta por conta do barulho da tempestade forte.

— Viemos buscar a Cora. — Sophie falou rapidamente.

Melissa enrugou a testa. — Todos vocês? — A mãe de Scott ergueu uma sobrancelha, mas por fim rolou os olhos. — Tudo bem! O hospital vai ser totalmente evacuado em trinta minutos, tem duas ambulâncias para sair, Cora precisa estar em uma delas e vocês a encontrarão no lado oeste do estacionamento. Por favor, estejam em uma delas!

— Obrigado, mãe! — Scott falou, puxando os presentes até o elevador.

Scott apertou o botão do segundo andar e as portas metálicas se fecharam. Apenas naquele momento, Jennifer notou a hostilidade de seus acompanhantes: Scott a encarava pronto para se transformar, Sophie tinha sacado um punhal, Derek não largava seu braço e Stiles mirava em sua cabeça com o taco de baseball.

Claire era a única que não apontava nada para ela. A ruiva permanecia quieta, de braços cruzados ao lado de Sophie, e diferente dos outros, não emanava aquela ansiedade quase mórbida de destruir ou possivelmente assassiná-la. Não... A jovem caçadora parecia mais esperar por algo e Jennifer sabia que não poderia ficar perto dela para que seu plano funcionasse.

Se a Winchester pudesse precisar, diria que ainda estava processando todos os acontecimentos daquele dia. A orquestra soava muito vívida em sua mente para que pudesse opinar sobre o que fariam agora, embora ela tivesse um pouco de noção de que estavam indo buscar Cora e Peter. Também sabia que o pai de Stiles havia sido levado e a pistola dele encontrava-se no cós de sua calça.

As portas do elevador se abriram e o grupo deixou a caixa metálica. As luzes fluorescentes do corredor piscavam, deixando-o parcialmente escuro e, com as janelas quebradas, o vento entrava assoviando de maneira macabra o suficiente para que os pelinhos de seu braço ficassem eriçados.

— Onde eles estão? — Stiles falou nervoso ao abrir uma e depois outra porta, encontrando quartos vazios e escuros.

— Peter! — Sophie chamara, porém fora Scott quem encontrou o único quarto aberto, notando a gosma preta com visco ao pé do leito, além das gotículas indicando que Cora havia sido movida.

— Vamos! — Scott falou sério, seguindo a trilha de gotículas e parou há alguns metros de duas portas que davam para outra área do corredor, sem se dar nem ao trabalho de abri-las já que Peter viera deslizando deitado e o claro uivo dos gêmeos fora escutado pelo grupo, deixando todos em alerta.

— Temos um problema. — Peter sorriu com ironia, embora ninguém fizesse menção de ajuda-lo.

Derek largou o braço de Jennifer e se transformou, assim como Scott que correra em direção aos gêmeos. Stiles, Sophie e Claire encaravam a tudo um tanto atônitos, até que a morena vira sua irmã deitada de lado no chão não muito longe de toda a briga.

— Stiles, me ajude! — Dissera Sophie assustada e puxou o braço de Stiles para que passassem pela briga sem serem atingidos.

Claire tirou a pistola do xerife do cós da calça, conferindo rapidamente se havia munição antes de esticar a mão para Peter e ajudá-lo a se levantar. — Vamos, levanta! — Disse com urgência ao mais velho e os dois correram até a briga, com a ruiva mantendo a distância para poder mirar na perna da forma gigante de alfa dos gêmeos, acertando dois disparos.

— Ethan, Aiden, parem! — Scott gritou ao ser atirado na parede.

— TUDO O QUE QUEREMOS É ELA! — Eles disseram ao mesmo tempo com uma voz grossa e alterada.

Quando se deram conta, Jennifer havia tomado distância e correu em direção ao elevador, apertando um dos botões do painel, fazendo com que os gêmeos parassem de dar atenção à Scott e corressem até a caixa metálica, porém, deram de cara com as portas fechadas do mesmo.

Claire estava pronta para atirar de novo quando Peter a puxou pelo braço. — Guarda munição, ruivinha, vamos! — Gritou o tio de Derek e a ruiva bufou, seguindo-o até a outra área do hospital onde o grupo se encontrava em busca de alguma sala em que pudessem trancar a porta.

— Vamos, vamos! — Derek gritara assim que Claire e Peter passaram, ouvindo os rosnados devidamente irritados dos gêmeos vindo logo em seguida.

Stiles deu a volta e ficou ao lado da porta, mantendo seu taco de baseball firme apesar dos protestos de Sophie e Derek para que saísse dali. Porém, assim que os gêmeos surgiram, o garoto mirou e acertou bem na parte de trás da cabeça do grande alfa, destruindo quase que por completo o taco de baseball, embora não tenha causado qualquer tipo de dano a eles, que apenas rosnaram.

Stilinski apenas largou o resto do taco no chão e correu em direção às portas, enquanto Scott e Derek rosnavam para os gêmeos. O beta então dera um pulo com a ajuda do alfa, acertando a enorme lâmpada acima de suas cabeças com uma das mãos, fazendo com que o objeto se soltasse e balançasse apenas uma vez, atingindo os gêmeos em cheio.

Embora isso tenha apenas lhes dado a vantagem de conseguirem correr e se trancar numa sala de operação, onde Peter e Sophie deitavam Cora em uma das macas de maneira apressada.

— O que vamos fazer agora? — Stiles perguntou nervoso, quase devorando a carne do polegar.

Claire conferiu a munição da pistola e suspirou. Ainda tinha munição para algumas distrações, porém sabia que não ia durar para sempre, fazendo com que guardasse a arma no cós da calça.

— Não sei vocês, mas eu não volto lá fora sem algum tipo de vantagem. — Peter comentara.

Com isso, o grupo se ateve a fuçar nas gavetas daquela sala de operação, enquanto Sophie usava a manga do casaco para limpar a boca de Cora e enxugar sua testa, notando a palidez excessiva em seu rosto.

— Estou começando a sentir falta de você me chamando de princesinha. — Sophie resmungara para a meia irmã e Claire se aproximou dela.  

Claire pegou numa das mãos de Cora e respirou fundo. — Jennifer disse que está com a vida da Cora nas mãos, certo?

Sophie a encarou. — Certo...

— Eu vou tentar algo, afinal... Druidas são curandeiros, então... — Claire sorriu nervosa antes de apertar a mão da beta e respirou profundamente antes de baixar um pouco a cabeça e fechar os olhos.

A Fletcher pareceu um pouco tensa com isso, tanto pela situação como por Claire estar possivelmente mexendo com algo que era completamente desconhecido. E por esta razão que, impulsivamente, Sophie colocou a mão por cima das de Claire, olhando-a fixamente.

Claire enrugou a testa com suavidade. Os sons da chuva abafaram as vozes do grupo e tudo que havia ao seu redor pareceu se harmonizar, unindo-se ao seu pedido mudo de cura. Sentiu as mãos de Sophie por cima das suas, e como a água da chuva fluía através dela, lavando qualquer vestígio de doença no corpo de Cora. E aos poucos como se de fato a tempestade estivesse chegando ao fim, os sons foram diminuindo até a ruiva ter plena certeza de que estava na sala de cirurgia, com um Stiles e Derek discutindo sobre um desfibrilador enquanto Peter e Scott mexiam em gavetas.

Abrira os olhos, soltando o ar de maneira demorada e quando olhou para Cora, notou os olhos abertos e escuros da beta.

— Meu Deus amado, Cora! — Sophie exclamou.

Derek, que até agora parecia ligado no modo automático, largou tudo o que fazia e correu até a maca onde sua irmã estava deitada, assim como Peter. — O que vocês fizeram? — Ele perguntou e sorriu nervoso ao ver Cora piscar, um tanto desorientada.

— Ah não olhe para mim, Claire fez tudo sozinha. — Sophie mordera a língua, enquanto Peter e Derek pareciam rodear Cora quase como pais nervosos.

Claire apenas sorriu quando fora encarada pelos dois. — Eu não sei o que eu fiz, sinceramente. Mas funcionou. — Falou, estendendo a mão para a outra irmã de Derek quando esta fez menção de sentar na maca, respirando profundamente.

— Precisamos tirar você daqui. — Derek falou tenso e olhou torto quando a outra porta fora aberta por Jennifer, que parecia um tanto assustada. — Olha quem voltou.

— Não precisamos mais dela, que tal a entregarmos para os alfas e fica tudo certo? — Peter arqueou uma sobrancelha. — Ou melhor, vamos tortura-la para saber aonde está o xerife e entregamos o que sobrar dela para o Deucalion com um grande laço vermelho?

Scott bufara. — Não vamos torturar ninguém, nem matar. — McCall dissera sério e o mais velho apenas rolou os olhos.

— Você não cansa de ser tão moralista o tempo inteiro?

— Se vocês acham que eu vou falar qualquer coisa, estão muito enganados. O xerife morre se qualquer um de vocês tentar alguma gracinha. — Jennifer suspirou. — E a vida de sua irmã ainda está nas minhas mãos, Derek. Essa menina que mal sabe usar o próprio poder não vai conseguir curá-la se eu fizer qualquer coisa.

Claire arqueou uma sobrancelha e soltou uma pequena risada. — Ela está desesperada.

Blake a encarou de maneira cínica. — Estou? — Falou entre dentes e a ruiva se limitou a rir novamente.

C-com licença, o senhor Deucalion.... Ah, desculpe, só Deucalion, ele pede que entreguem a mulher chamada Jennifer Blake a ele. Se o fizerem, podem sair daqui sem que se machuquem.... Vocês têm dez minutos. — A voz da mãe de Scott ecoou pelas caixas de som do andar.

— Agora você está. — Peter riu. — Então...

— Eu preciso sair daqui viva, e apenas depois disso é que você irá ver seu pai de novo, Stilinski. Só depois disso. — Blake alertara. — E eu garanto que sua amiga não vai conseguir encontra-lo.

Sophie suspirou, ajudando Cora a ficar de pé. — Que seja, se você calasse a droga da boca por cinco segundos, conseguiríamos pensar. Derek, a Cora ainda está debilitada, não podemos simplesmente sair com ela de peito aberto.

— Você tem razão.

— As ambulâncias ainda estão lá, não ficamos tanto tempo aqui. Podemos chegar lá a tempo. — Scott falou de maneira otimista. — Mas vamos precisar distrair os gêmeos para vocês poderem passar.

— Eu ajudo você. — Derek ofereceu.

— Desculpe, Derek, mas não vou a lugar nenhum sem você. — Jennifer se intrometera.

Claire tirou a arma do cós da calça. — Ainda tenho algumas balas, acho que dá para atrasá-los.

— E vou ajudar vocês, também. — O tio de Derek comentou.

— Ok. Derek, você leva a Jennifer até o elevador. Sophie, Stiles vocês atravessam o corredor e vão até o estacionamento, Stiles sabe onde fica, usem a escadaria. — Scott comentou. — Nos encontramos lá embaixo, mas se não aparecermos.... Vocês saiam daqui o mais rápido que puderem.

Os presentes assentiram. Peter apanhou a injeção de epinefrina que Scott havia encontrado e a enfiou no próprio peito, levando alguns segundos para estar, de certa forma, um pouco mais forte que o normal.

Claire recarregou a arma e conferiu mais uma vez o pente, travando-o de volta na pistola. Ergueu brevemente os olhos ao ver Sophie e Stiles segurando Cora, um de cada lado como se estivessem se preparando para correr, contudo, fora a aproximação de Derek que a pegou de surpresa.

— Pronta? — O Hale perguntou, sentindo os olhos de Jennifer em sua nuca.

— Sim, é só um alfa gigante. — A garota riu de leve.

— Se algo der errado, corra.

Claire sorriu de leve. — Eu sei, mas obrigada. Às vezes me esqueço de que não tenho superpoderes, embora.... Agora eu os tenha, mas não sei como usá-los, então.... Vou ficar com o que eu sei por enquanto. E você trate de voltar inteiro.

Derek também sorriu. — Farei o possível.

Pela primeira vez, Claire sentiu que deveria. Na verdade, foi o pequeno frio em sua barriga que a fez puxar Derek mais perto, o suficiente para que ele se inclinasse e ela selou seus lábios nos dele com um pouco de urgência, afastando-se sem dar muito tempo para que o lobisomem pudesse compreender o que tinha acontecido, embora o sorriso de canto que ele dera a fez perceber que ele provavelmente tinha previsto isso.

— Vamos! — Scott gritara, abrindo as portas com pressa e Peter passou por ele rosnando, chamando a atenção dos gêmeos que estavam em suas formas individuais de lobo, embora se juntassem instantes depois ao perceberem o ataque repentino.

Claire se abaixou perto de uma maca e apontou a arma enquanto a briga se desenrolava, com Peter e Scott apanhando mais que o necessário, afinal de contas, por mais tapados que Ethan e Aiden fossem, eles ainda eram alfas.

Puxou o gatilho duas vezes quando Peter foi jogado de um lado e Scott do outro, abrindo caminho até ela. Claire fora para trás quando a maca que estava usando para pegar cobertura fora atirada para longe e, em seguida, foi pega pelo pescoço pelos gêmeos, embora não derrubasse a arma.

— Estamos tentando não machucar vocês! — A forma gigante do alfa gritou com aquela voz alterada e Claire arfou por ar, apontando a arma com um pouco de dificuldade para baixo, rezando para acertar em algo e, de fato, descarregou o pente de balas num único joelho do lobisomem, que a largou e ganiu de dor, afastando-se.

Scott encostou Peter na parede e correu até a ruiva no chão, levantando-a de maneira apressada. — Claire, você está bem?

— Estou ótima! — A garota exclamou. — Deu tempo?

— Sim, agora nós... — A fala de Scott fora cortada quando as luzes do hospital se apagaram. — Oh...

— Merda. — Claire bufou assim que as luzes de emergência se acenderam. — Vamos sair daqui, vamos! — Falou a ruiva impaciente e ajudou Scott a levantar um Peter meio tonto, entrando na primeira sala que viram que a porta poderia ser trancada.

— Achei que essa droga ia durar mais... — O Hale bufou. — Tá, agora como a gente sai daqui com aquele maldito brutamontes na porta?

Scott olhou um tanto assustado pela sala e notou uma porta metálica com uma inscrição acima dela escrita “Tubo de Roupa Suja”. Olhou de Peter para Claire e escutou o Hale choramingar, porém abriu o espaço e descobriu que era largo o suficiente para que pudessem entrar e, com muita sorte, cair num grande cesto de roupas sujas.

— Você só pode estar me sacaneando....

— É isso ou enfrentar os gêmeos de novo! — Scott falou nervoso antes de, sem prévio aviso, se jogar dentro do espaço.

Claire dera de ombros e se apoiou na parte metálica, respirando fundo antes de fechar os olhos e se soltar, escorregando por um longo tubo até que caiu, rápido demais em cima de alguém além das roupas.

— Meu Deus... — Scott gemeu e poucos instantes depois, veio Peter, caindo por cima dos dois.

O beta conseguira, após alguns segundos, sair do cesto, puxando Claire consigo assim que tirou Peter de cima dela. — Vamos, temos que ir. — Dissera, apoiando um braço do tio de Derek e a ruiva fez o mesmo com o outro, de modo que pudessem caminhar o mais rápido que conseguiam.

Scott deu um chute na porta e Claire viu brevemente as luzes do estacionamento e, mais à frente, a ambulância parada, apertando mais o passo para que se aproximassem das portas traseiras do veículo.

— STILES ABRE A PORTA!

Stilinski o fez um tanto nervoso e Sophie empurrou a outra porta, dando espaço o suficiente para que pudessem acomodar Peter na ambulância ao lado de Cora.

— Scott, Claire, vimos os gêmeos passarem por aqui faz uns trinta segundos. Tomem cuidado. — Stiles falou nervoso e o beta assentira.

— Vamos tomar cuidado. — Comentou a ruiva rapidamente e ajudou Scott a fechar as portas, seguindo-o de volta para o prédio do hospital. Apesar de estar sem munição, Claire tirou a arma do cós do jeans, mantendo-a em punho embora soubesse que seria apenas uma distração.

Caminharam alguns passos pelos corredores escuros e Scott parou um pouco antes de virarem no corredor. Claire o olhou de soslaio e ele apenas diminuiu o passo, embora a ruiva tenha continuado a caminhar e, sem prévio aviso, encontrara o cano de uma arma apontado para si.

— PORRA! — Chris respirou fundo, acompanhado por Isaac e Allison.

— Caralho! — A ruiva exclamou e baixou a própria arma.

Allison arqueou uma sobrancelha. — Mas que boca vocês dois...

— Onde está a Cora? — Isaac perguntou tenso.

— Com o Stiles e a Sophie na ambulância. Vocês precisam dar o fora daqui, Deucalion, Kali e os gêmeos estão na nossa cola para pegar a professora Blake. — Claire comentou com uma pequena ruga entre as sobrancelhas.

Chris enrugou a testa. — Quem?

— Nossa professora de inglês. Vamos só encontrar um lugar mais seguro. — A morena sugeriu e os quatro concordaram, entrando numa sala de operação.

Logo, os cinco estavam ao redor da mesa. Chris recarregava suas armas e Claire acabara de pedir um pente de munição emprestado a ele, recarregando a pistola do xerife.

— Então quem é essa mulher, eu acho que não a vi no concerto. — O pai de Allison questionara.

— É nossa professora de inglês. Ela é morena, gostosa. — Isaac comentou com naturalidade, porém fora encarado pelos outros quatro de maneira confusa, enquanto Claire abria de leve a boca. Lahey abaixou de leve a cabeça e decidiu que não ia mais abrir a boca.

— Deucalion disse que se a entregarmos, podemos sair daqui.

— E onde ela está? — Allison indagou.

— Possivelmente presa no elevador com o Derek. — Claire respondera. — Precisamos de alguma ideia para distraí-los.

— E religar a energia. — Scott comentou. — Eu vou procurar pela minha mãe, ela ainda está por aqui, talvez ela possa religar a energia. — McCall sugeriu.

Isaac o encarou. — E se eles pegarem vocês pelo caminho?

— Espera. — Allison olhara seu reflexo por alguns momentos. — Eu tenho uma ideia, mas alguém precisa ir até o elevador e me trazer os sapatos da senhorita Blake.

— Eu vou. — Claire sugeriu. — Qual vai ser o plano?

— Enquanto Scott e Melissa vão religar a energia, eu vou correr com os sapatos da Jennifer pra atrair a atenção dos alfas, no meio tempo, Derek e ela podem descer até o hall de entrada, onde o Isaac vai estar esperando, dentro do carro do meu pai. — A Argent comentara. — Scott e a Melissa passam o mais rápido que podem e entrem no carro.

Claire suspirou. — Vamos precisar do Stiles e da Sophie, além da Cora estarem prontos. — A ruiva comentou.

— Já estou enviando para o Stiles. — Scott avisara.

— E eu para o Derek. — Isaac falou assim que tirou seu celular do bolso.

A ruiva esperou que todos estivessem mais ou menos com suas funções definidas. Ela iria se separar de Scott e Melissa e ajudar o pai de Allison com os tiros, enquanto a morena iria disparar suas flechas para confundir os alfas (muito provável que fossem Kali e os gêmeos, já que Deucalion não fazia nada quando se tratava de violência direta). Travou o maxilar e saiu da sala assim que a Argent lhe dera o sinal, indo o mais rápido e silenciosamente possível até o elevador em que Derek e Jennifer estavam presos.

E não fora muito difícil de encontra-los já que viu a porta entreaberta do elevador e as mãos de Derek para fora do mesmo, já de posse das sandálias de Jennifer.

— Estejam prontos para darem o fora daí quando as luzes voltarem. — A ruiva falou assim que pegou os calçados, olhando para os lados antes de se afastar dali e voltar o mais rápido que pode até o lugar onde o grupo ainda estava reunido.

Entregou os calçados a Allison e esperou até que todos estivessem se preparando para suas funções e conferiu sua munição nova e a reserva antes de seguir de maneira silenciosa, acompanhada pelo Argent para o lado de fora do hospital já que todo o grupo se separou para que o plano funcionasse.

— Essa é a pistola do xerife, não? — Chris indagara assim que conseguiram sair do hospital, deixando o arco e as flechas de Allison no chão para que ela pudesse pegá-los assim que atravessasse as portas possivelmente com os gêmeos e Kali em seu encalço.

— Sim. — A ruiva respondera em baixo tom. — E eu prometi que ia devolver.

Christopher assentiu, mantendo a expressão firme e concentrada quando viu sua filha atravessar as portas instantes depois e se abaixar, já com os gêmeos atrás de si e uma Kali que pulou a janela há pouca distância dela.

Allison se abaixara e, munida com o arco, passou a disparar uma flecha atrás da outra, desorientando os alfas enquanto Chris e Claire atiravam. A ruiva tinha certeza de que não estava acertando, porém, a ideia não era acertá-los, mas desorienta-los para que Isaac pudesse pegar o carro e pará-lo perto de onde a ambulância estava para, em seguida, ser manobrado até o ponto onde se encontrariam.

Contudo, após alguns minutos de tiroteio, os três alfas simplesmente bateram em retirada sem qualquer explicação. A Winchester parou de atirar e trocou um olhar significativo com os Argent, guardando a arma na parte de trás do jeans.

— Isso foi fácil demais. — A ruiva dissera.

— Sim. — O Argent concordara e viu que seu carro fora parado ali perto, ocupado por Isaac, Sophie e Cora.

— Vou procurar o Derek. — Avisara, voltando a entrar no hospital. Apesar das luzes terem voltado, algumas delas ainda oscilavam e o claro rastro de destruição era perceptível, tanto por janelas destruídas, folhas e pastas espalhadas pelo chão e galhos de árvores.

— DEREK! DEREK!

Ela olhou de lado e viu um Stiles mais desesperado do que nunca perto de Derek dentro do elevador, enchendo-o de tapas numa tentativa de acordá-lo, já que o alfa parecia totalmente apagado e, como Claire suspeitava, sem qualquer sinal de Jennifer.

— DEREK! — Stilinski berrara antes de fechar a mão em punho e quando fez menção de socar o Hale, Derek pareceu acordar, segurando seu braço.

— O que aconteceu? — Derek perguntou confuso.

— A-a Jennifer sumiu, e levou a Melissa com ela... — Stiles respondera nervoso e não soltou o ar quando Claire se aproximara correndo dos dois. — Jennifer levou a mãe do Scott....

Claire travou o maxilar. — E onde está o Scott?

— Como se isso não fosse um chute nas bolas o suficiente, Scott foi embora com o Deucalion. Com o Deucalion! — Stilinski dissera rápido e Claire pode perceber o quão desesperado o garoto estava. — Vocês precisam ir embora daqui, peguem os outros e vão.

— E quanto a você? — Derek se sentou no chão e o encarou.

Stiles suspirou. — Eu vou ficar para distrair a polícia. Provavelmente já devem estar procurando pelo meu pai e... Bem, vocês sabem.

— Vamos. — Claire estendeu a mão para o mais velho e ele se levantou. — Cora e Sophie estão bem, antes que perguntem. — Ela disse antes que Derek abrisse a boca. — Estão com o Isaac.

Derek assentira. — Certo.

Stiles o seguiu até parte do caminho, ocupando um dos bancos da sala de espera assim que os dois saíram do hospital pela outra entrada.

Derek parecia sério, com o maxilar travado e seus olhos estavam distantes dali, provavelmente pensando em mil e uma maneiras que ele poderia ter matado aquela mulher que agora tinha pego a mãe de Scott para sacrificá-la.

— Eu devia tê-la matado. — Dissera um tanto baixo. — Se tivesse feito isso, não precisaríamos procurar pelo xerife e a Melissa, mas só pelo xerife... — Lamentou-se.

Claire o olhou de soslaio quando ele parou perto de seu jipe, parecendo desgostoso. — Eu tinha um palpite que Jennifer sabia que você não ia matá-la.

— Por que?

— Porque você gostava dela. Ela foi a primeira, depois de muito tempo, mulher que pareceu ser legal, longe de toda essa bagunça sobrenatural que você está envolvido, e custou a acreditar que era ela quem estava sacrificando pessoas, até Scott revela-la com o visco, mas ainda assim.... Alguma parte de você acreditava que era ela.

Derek soltou um suspiro morno e encarou a garota. — Você está enganada com uma coisa.

— Com o quê?

— Jennifer não foi a única mulher legal que eu conheci nesses últimos tempos. — Comentou o alfa. — Mas.... Não acho que funcionaria. Eu não.... Eu sou ferrado.

Claire ergueu uma sobrancelha. — Jura que você vai falar para mim que é ferrado? — A garota riu de leve.

— Ferrado. Porque todas as mulheres por quem me apaixonei me machucaram de alguma forma. — Ele mordeu os lábios. — E eu estou nisso há muito tempo para acreditar que.... Vai ser diferente agora.

A Winchester suspirou. — Talvez não. Mas agora você precisa buscar a Cora e depois nos ajudar a encontrar o xerife e a Melissa. Derek.... Nenhum de nós foi feito pra histórias de amor, você é um lobisomem e eu uma caçadora, somos agentes do caos. Nós machucamos pessoas tentando salvá-las. É isso que fazemos.

O Hale a encarou um pouco desconcertado. Admirava o fato de que Claire era objetiva e determinada, mas principalmente que ela sabia separar as coisas, diferente dele que mais parecia uma massa molenga e confusa de sentimentos que mal conseguia lidar. E por esta razão, ele concordou, entrando em silêncio no jipe somente para manobra-lo até encontrar o restante do grupo.

Tinham prioridades agora.

Talvez eu olhe em seus olhos          
E te diga "Você não quer morrer"
Talvez eu segure minha respiração e pule de uma vez

(Control – Garbage)            


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...