História Heirs - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Naruhina, Naruto, Sasusaku
Exibições 47
Palavras 1.899
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa tarde amores.
Fiquei muito contente com o recebimento da fic, percebi que estão com muitas espectativas com a história, espero satisfaze-las😊
...
A fic vai ser dividida em três parte, sendo a primeira com o título de:Verão, porém não será muito extensa.
...
Boa leitura!

Capítulo 2 - Verão


Fanfic / Fanfiction Heirs - Capítulo 2 - Verão

                           Heirs

Capítulo dois:Verão

By:Miray

                       Sakura

A Haruno não estava tendo um bom dia. A contragosto arrumava sua mala, iria viajar. Não que ela não gostasse de viajar mas ela não iria para passear e sim para estudar, e Sakura odiava estudar. O pai garantiu um intercâmbio para ela o mês passado com seu chefe, era revoltante ter que estudar nas férias e ainda por cima teria que ir sozinha já que o resto da família iria para a Austrália naquele mês pois Kora iria se apresentar.

O irmão que não ouvia,tocava violino e frequentava uma das melhores escolas de Seul. O garoto possuía um QI elevado. Soltou seu décimo resmungo, não queria ir, queria acompanhar a família ou ficar vegetando no sofá o resto do mês.

-Querida já terminou de fazer a mala?-a mãe perguntou se escorando no batente da porta.

-Mãe, eu não quero ir, peça para o pai me deixar ficar-choramingou.

-Sakura “um raio não cai duas vezes no mesmo lugar”-Mebuke gostava de ditados- e você sabe como seu pai  trabalhou para garantir esta viagem para você…

-Expandir seu conhecimento e blá blá-conhecia aquele discurso de cor.

-Termine logo e dessa para comer, e só para lembrar, seu vôo sai as sete.-avisou dando as costas.

O relógio em sua cabeceira  marcava 6:00pm. Soltou mais um resmungo inconformada.

O avião levantou vôo e Sakura observou tudo lá em baixo desaparecer. Respirou fundo e afundou-se na poltrona, não gostava de altura. Acordou com a aeromoça lhe chacoalhando, tinha chegado ao seu destino, agarrou sua bolsa e saiu do avião. Com a mala na mão, a moça caminhava pelo aeroporto italiano tentando achar seu guia. O infeliz não tinha ido recebê-la.

Não ficou esperando um milagre acontecer, decidiu ela mesma procurar o hotel onde ficaria. As aulas de italiano começaria no outro dia e como ainda era 9:00am aproveitaria o dia para conhecer o lugar, mesmo estando ali a contragosto tinha o direito de aproveitar.

                     Sasuke

Pegou a última onda com gosto. O surfe era um de seus passatempo preferido. Mergulhou assim que a onde foi se quebrando. Ao voltar a superfície encontrou James na praia com uma carranca.

-Hey man-chamou- o que ouve?

-Nada-deu de ombros- tem festa na Mila hoje-comentou.

Sasuke não disse nada, conhecia James bem demais, era um cara legal mas quando se fala em festa cigarro,bebida e ele andavam de mãos dadas. Não que o Uchiha não bebia mas ele sabia quando parar, já James não.

-Essa eu passo.

-Qual é Sasuke-resmungou- não estou te reconhecendo.

O Uchiha riu, James era um garoto exagerado.

-Vou dar uma volta por aí,te encontro depois-avisou já dando as costas.

A coisa que o moreno mais apreciava era o silêncio e infelizmente ele e o colega não partilhavam deste mesmo gosto.

                         Naruto

Tudo que o loiro conseguia ouvir era o barulho dos pingos d’água lá fora. L.A foi presenteada com uma forte chuva de verão. Era uma pena,teve que suspender seus planos para aquele dia, ao invés de sair,ficou trancafiado no quarto em meio ao edredom.

Mudou de canal mais uma vez, nada lhe agradava. Não que Naruto não gostasse de ver TV,mas ele queria aproveitar a cidade, mas a chuva o privava,era frustrante porque ele também gostava de chuva.

Agarrou o telefone e pediu um hambúrguer com bastante bacon e batata frita. Chutou a coberta e cambaleando partiu para o banheiro. Depois de fazer suas necessidades,lavou o rosto e tomou uma ducha. Assim que colocou a última peça de roupa sua comida chegou.

Depois de ter devorado seu lanche resolveu  ir para o saguão. Sentou-se em uma poltrona e agarrou uma revista em quadrinhos.

-Não acredito que ainda gosta disso-zombou.

-Neji-resmungou-a que devo a honra de te encontrar de novo?

O moreno de olhos claros deu de ombros e se acomodou ao lado do Uzumaki.

-Meu tio tem um apreço pelos hotéis do seu pai.

-Então a família toda está aqui?

O Hyuuga sorriu.

-Se com a família você quer dizer Hinata,então sim, ela está aqui.

Um leve rubor apareceu na face do loiro, não gostava muito de Neji e um dos fatores que o levou a isso era o fato do mesmo o conhecer bem até demais.

-Não diga besteiras Neji.

-Não ligue para o que ele fala, acho que Neji nunca vai crescer- aquela voz doce o pegou de surpresa.

-Hinata por favor pare de me difamar para estranhos-resmungou.

Ela riu.

O Uzumaki claro que captou aquele lindo sorriso.

-Como se você e o Naruto fossem estranhos.

                        Sakura

A cidade italiana era linda porém seus pés doíam, estava com fome, sede e sem dinheiro. E para sua desgraça estar completa descobriu que seu guia era um malandro que só sabia extorquir estrangeiros.

Caiu sentada na areia da praia. Nem sabia como tinha chegado ali, não sabia como chegar ao hotel porque tudo ali estava em italiano e seu inglês era horripilante. Abriu a mala e de lá tirou um saquinho plástico que contém salgadinho barato. Estava só o pó pois tinha amassado todo dentro da mala.

Socou a mão lá dentro e logo em seguida a levou a boca, teve vontade de chorar. Estava ali a contragosto, seu guia era um vigarista e para piorar nem o celular queria pegar. Lágrimas já percorriam sua face e como sempre ela era tomada pelo choro compulsivo.

-Hey girl.

Assustou-se com a voz. Seu choro parou de supetão,fitou o garoto de cabelos castanhos que lhe fitava com olhos estranhamente grandes.

-Don’t cry, I’m here now- sussurrou a última parte enquanto tomava de suas mãos o saquinho plástico.

Quando a Haruno se deu conta,o americano-percebeu logo pelo sotaque-estava correndo pela praia com sua única “refeição”. Levantou-se e correu atrás do mesmo. Ele ria, ela chingava até que a mesma agarrou a blusa o puxando para trás. O resultado foi os dois se estabacando na areia.

Sakura levantou e percebeu que o garoto estava ficando vermelho. “Droga, ele deve ser alérgico a algum produto usado na composição do salgadinho” pensou se ajoelhando, quando levou as mãos ao seu peito as mesma foram afastadas com brusquidão.

-James! Hey man, look to me!- pediu o moreno.

-O que você fez?-perguntou.

-Nada, esse idiota que furtou o meu…

-Alguém chame uma ambulância-gritou- cuido de você depois- avisou.

Sakura não disse nada, não tinha o que dizer, seu dia tinha acabado de piorar.

                       Sasuke

James era um idiota mas era seu amigo e o ver naquele estado lhe deixou assustado. Agora o garoto dormia como se nada tivesse acontecido. Assinou a papelada do hospital e ligou para a tia italiana de James. Suas bagas negras procuraram a garota de cabelo cor de rosa. A encontrou do lado de fora,estava nervosa gesticulando para o policial, com certeza a idiota não falava italiano.

                         Sakura

A garota tentava a todo custo explicar ao policial o que tinha acontecido, mas o italiano não entendia coreano e seu inglês era muito ruim, mesmo morando nos EUA por anos não era muito fluente na língua, seu forte era japonês, chinês e coreano, mas seu pai queria que ela aprendesse o bendito italiano.

Estava prestes a dar as costas ao policial e correr quando um braço forte rodeou seu pescoço. Era o moreno de antes.

-Me desculpe chefe,minha namorada não é fluente em italiano…

Suas palavras morreram quando percebeu quem era.

-Então a meliante é sua namorada-riu- onde há confusão claro que tem que estar envolvido em Sasuke, quero o passaporte dela.

-Calma aí Marcos, não vamos levar para o lado pessoal, ela acabou de chegar no país.

O homem deu de ombros e estendeu as mãos.

Sasuke suspirou e virou-se para a Haruno que fitava os dois sem entender nada.

-Ele quer seu passaporte.

-O que? Por que?

-Ele só vai checar algumas coisas,quando terminar ele vai me ligar para te devolver.

Não estava certa se acreditava no moreno mas mesmo assim entregou o passaporte para o policial,  trocou mais algumas palavras com o garoto ao seu lado sumindo logo em seguida.

-Sou Sasuke-o moreno resmungou-posso saber o nome da quase assassina do meu amigo.

-A culpa não é minha se ele é um ladrão-se defendeu.

-James não é ladrão, ele só estava brincando.

-Então seu amigo tem um senso de humor muito bizarro.

-É ele tem-concordou dando de ombros.

Ela o observou. Ele era alto, cabelos e olhos incrivelmente negros, lábios rosado e músculos proporcionais para seu corpo. Era um completo pedaço de mal caminho.

Balançou a cabeça,não era hora de ter tais pensamentos.

-Sakura, meu nome é Sakura- disse por fim.

-Então Sakura, quer uma carona?

                      Sasuke

Dirigia em alta velocidade pelas ruas largas de Fiumicino*. A garota ao seu lado se encontrava de olhos fechados aproveitando a sensação de perigo.

Dobrou a esquina e seguiu mais alguns minutos em linha reta. Estacionou em frente de um prédio  que caia aos pedaços.

-Tem certeza que é aqui?

Ela conferiu o endereço  e confirmou.

-Obrigada Sasuke-agradeceu  assim que ele lhe entregou sua mala.

-Sakura…

-Está tudo bem, pode ir você já me ajudou demais.

-Se você diz-deu de ombros entrando no carro a deixando sozinha.

Olhou o relógio e os ponteiros marcavam 8:30pm. O calor do dia já tinha se dissipado e a leve brisa tomava conta da cidade.  Terminou de comer sua refeição, pagou e em passos lentos foi até seu carro. Fitou o pequeno restaurante de aparência peculiar, gostava dali, era calmo e silencioso.

Entrou no carro e soltou um resmungo. A garota de cabelo cor de rosa não saia de sua mente. A menina era estranha e teimosa.

-Garota idiota- resmundo dando partida no carro.

                      Sakura

Suas pernas doíam, e seu estômago roncava. O hotel era sujo e o dono pedófilo. Percebeu quando ele pediu que para passar a noite ela o deixasse  tocar  seus seios. Deu meia volta e correu o quanto pode,mas a mala em suas mãos logo pesou,seus passos diminuíram e percebeu que não estava nem  no fim da rua mas estava longe o suficiente do hotel e mais uma vez naquele dia sentiu o peso do calote que o pai levou. Chegou a conclusão de que não gostava dos italianos.

Sentou no asfalto frio, se encolheu e esperou a chuva começar. Porque era isso que acontecia no filmes, quando você se  encontra na pindaíba vem a porra da vida e termina de fode-la mais.

Mas não choveu e nem foi mordida pelos cachorros que a encarava com olhos raivosos. Ao invés disso a noite chegou trazendo o frio e os dois cachorros tornaram-se seus amigos.  O barulho do carro espantou os animais, é parece que os cães italianos não eram muito corajosos.

Não se importou com o automóvel,apenas se concentrou em manter a cabeça baixa.

-Três horas que te deixo sozinha e já está mendigando por aí.

Aquelas voz a fez levantar a cabeça rapidamente. Encarou aqueles olhos negros. Ele estava zombando dela.

-Seu senso de humor é mais que bizarro.

-Não tão bizarro como o seu estado-apontou- chega a ser deplorável, meus olhos doem só de te olhar.

-Então pode ir, não preciso que me fale que estou deplorável, sei da minha situação.

Ele simplesmente desceu do carro e pegou a mala a jogando no banco de trás. Entrou no veículo e a encarou. Ela o olhava com um ponto de interrogação enorme estampado no rosto.

-Não posso deixar que seu estado continue  empobrecendo esta cidade-zombou- vou te adotar por esta noite-piscou.


Notas Finais


*Fiumicino:Fiumicino é uma comuna italiana da região do Lácio, província de Roma, com cerca de 50.441 habitantes.
....
Bom é isso,estou morrendo de curiosidade para saber o que acharam,beijinhos no❤e até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...