História Helena ao início - Capítulo 129


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bdsm, Bebidas, Drama, Hibridos, Hot, Inocencia, Lobisomens, Original, Romance, Romance À Quatro, Sadismo, Sadomasoquismo, Sexo, Sobrenatural, Universo Paralelo, Vampiro
Visualizações 54
Palavras 768
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Festa, Ficção, Harem, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 129 - Efeito dominó


Fanfic / Fanfiction Helena ao início - Capítulo 129 - Efeito dominó

Sorri de volta _ Bom dia, Will.

_ Encontrei a sua irmã lá fora.

Will abriu a porta atrás de si, deixando a Eva entrar.

_ Desculpa aparecer sem avisar _ a Eva sorriu.

_ Não foi nada. Já conheceu um dos meus maridos?

_ Seu marido! _ o olhar guloso sobre ele não mudou.

Senti ciúmes ao vê-la ao lado do Will. O Chris estava certo. Eu senti ciúmes da Eva antes, e sentia agora.

A mesa do café da manhã ainda estava posta e o Will e a Eva não recusariam um pãozinho fresco e crocante com manteiga. 

_ Como foi a sua infância? _ o Will puxou assunto sendo bem simpático e cordial com ela.

Bebi uma caneca de café assistindo a cena.

_ Foi bem tranquila. A mamãe tinha um trabalho leve, e podia ficar comigo depois da escola. E depois eu treinei  em uma academia especial. 

_ Eu também treinei em uma academia _ o Will declarou.

Continuaram falando, mas eu parei de prestar atenção. Só bebia da minha  caneca de café, observando-os.

Parecia que era eu ali, durante aquele tempo. Me lembrei de todas as declarações de amor e de tudo o que nós superamos. Dos nossos momentos mais íntimos. Me senti dando adeus ao Will. 

Pensei no efeito dominó. Iria perder os quatro, conforme fossem sendo apresentados para a minha gêmea lobisomem. Toda malhada, cheia de poses e sorrisos, e com um ótimo gosto para roupas sensuais.

O Lui e o Uriel entraram na sala de jantar, atraídos pela conversa. Pararam ao ver a Eva. Olharam para mim e para a Eva.

_ Bom dia _ falaram antes do Will apresenta-la, todo animado.

Todos estavam muito animados com a presença da Eva.

Depois fomos para a sala. De onde, eu dei um jeito de sair de fininho, e consegui. Fácil fácil.

Fui para fora e peguei o carro sem que ninguém me ouvisse, ou se importasse.

Não que eu não me importasse. Eu os amava, mas nunca fui boa em jogos e odeio competição. 

Se eles quiserem a lobisomem, tudo bem. Se ela for melhor do que eu para eles o que provavelmente era um fato. Tudo bem também. 

Suspirei parando em um farol vermelho. Segui para o shopping. Assisti a um filme com pipoca e refrigerante. Comprei uma casquinha e um Notebook novo.

Relaxei em um Café, comendo uma fatia de bolo e um expresso. O celular vibrou e olhei a mensagem que chegara.

Chris: Estou indo para casa, amor.

Helena: Terá uma boa surpresa.

Fiz a compra da semana depois. Cheguei em casa depois das oito. Imaginei que eles tivessem saído com a Eva para qualquer lugar, e que a minha casa seria só minha.

Pensei em tomar banho e assistir doramas ou seriados comendo um pote de sorvete antes de dormir. O programa clássico de dor de cotovelo. E foi o que eu fiz.

Não tive nenhuma novidade, ou ligação, ou mensagem de ninguém.

No dia seguinte, acordei e tomei café sozinha. Peguei o carro e fui para o trabalho.

Nada além de trabalho, até o fim do expediente. Depois fiz amizades, que me chamaram para um drinque e fui. Dançamos e jogamos sinuca. Cheguei na casa vazia. Havia uma mensagem da Glória. Uma foto dela numa montanha do Alasca.

Mais uma noite sozinha. Logo eu precisaria de sangue imortal. Havia bebido o sangue do Chris, na noite anterior a Eva, ainda bem. Mas Isso seria um problema, mais cedo ou mais tarde.

O problema maior era a solidão, neste momento.

Eles me abandonaram por uma cópia de mim! Me perguntava, será que algum dia eles realmente me amaram?

Dava para entender os vampiros com o lance das reencarnações e a ligação com a minha aparência, mas o Chris...? Não conseguia entender o que motivava o Chris a me trocar por uma musculosa menos racional e mais gostosa, cheia decotes.


Tá certo que joguei eles sobre a Eva. Sim, porquê tentar deter o inevitável? Algo em mim quis provar todo esse amor que eles professavam. Dizer para mim mesma que estava errada ao sentir ciúmes.

O único problema, era que eu estava certa em sentir ciúmes. 

É tão chato estar sempre certa!

Alguém me ligou, eu já estava pronta para dormir.

Era o meu pai.

_ Oi pai.

_ Helena, boa noite. Desculpa te incomodar. Mas você viu a Eva. Ela saiu há dois dias para te visitar e ainda não voltou.

_ Ela veio aqui.

_ Foi? Então você sabe aonde ela está?

_ Não se preocupa, pai. Ela está em boas mãos.

_ Como assim?

_ Eu não vi, mas acredito que ela saiu com os meus maridos, porque eles também sumiram.

_ Pode confirmar isso para mim?

_ O senhor pode fazer, pai? Eu estou um pouco cansada.

_ Desculpa incomodar, filha. Mas eu prefiro que você ligue.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...