História Helena ao início - Capítulo 130


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bdsm, Bebidas, Drama, Hibridos, Hot, Inocencia, Lobisomens, Original, Romance, Romance À Quatro, Sadismo, Sadomasoquismo, Sexo, Sobrenatural, Universo Paralelo, Vampiro
Visualizações 53
Palavras 528
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Festa, Ficção, Harem, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 130 - Representando


Fanfic / Fanfiction Helena ao início - Capítulo 130 - Representando

Comecei a falar palavrões na minha mente e respirei fundo, para me acalmar. Era inacreditável. Eu ia ter que encontrar a minha irmã vadia enroscada nos meus maridos para que o meu pai ficasse em paz. E a minha paz?

Busquei os canalhas na minha mente. Estavam na casa do Uriel. Todos os dois vampiros e um híbrido. O Chris havia sumido do meu radar. Isso não me preocupou. Fazer o papel da esposa traída era a minha única preocupação. Eu não queria isso. 

Preferia nunca tê-los conhecido a ter de me sentir assim. Mas estava me sentindo e fim. 

_ Deixa comigo pai _ me rendi.

Desliguei e liguei para o Uriel. Chamou, chamou, ninguém atendeu. Tentei o Lui e nada. O Will foi o próximo para quem eu liguei. Lembrei-me dele conversando com a Eva como se eu não estivesse aqui e não sei como fiz, mas explodi meu próprio celular só com o ódio que senti.

Levantei da cama e vesti um penhoar branco por cima da camisola vermelha. Ia até a casa vizinha a minha passei por cima do muro levitando e caminhei pelo jardim. As luzes estavam acesas e havia música lá dentro. Abri a porta da frente e caminhei até a sala de estar onde os vi jogando Twister as gargalhadas sem me notar. 

Peguei o controle sobre o sofá e desliguei a música. Foi quando me olharam.

_ Boa noite _ falei diante dos olhares atentos _ Desculpa interromper. Mas o David está preocupado com a filha que não atende o celular _ sorri um meio sorriso por notar uma expectativa deles com relação a mim, mas me neguei a fazer parte do número _ Só liga para o papai, Eva.

Deixei o controle remoto onde encontrei e comecei a fazer o percurso de volta para a minha casa.

_ Helena!

A voz do Uriel vinha de trás de mim no jardim. Me virei para ele.

_ É só isso? Você não tem nada para nos dizer? _ parecia muito decepcionado com a minha atitude.

_ O que deveria ser? Vocês encontraram um brinquedinho novo e interessante. Aproveitem _ disse e recomecei a caminhar.

_ Não era isso o que eu esperava ouvir _ me disse entrando na minha frente.

_ Oh, não? _ pensei um segundo _ O que quer de mim? Que eu te peça para ficar comigo? Por quê me tomas? Faça o que quiser.

Continuei a andar.

_ Você não sente nada por nós? _ seu tom era triste e bravo ao mesmo tempo.

_ Eu sinto, Uriel. Mas não são os meus sentimentos que merecem ser questionados diante dos acontecimentos, não é? 

_ Nós só pensamos que talvez você preferisse ficar só. Afinal decidiu vir para o Brasil, do nada. Parecia estar fugindo de nós.

_ Só queria mudar de ares. Meus filhos se mudaram, eu não tinha mais motivos para ficar lá. Não fugi de vocês. Mas se quer saber se fugiria agora? A resposta é sim. Você viu o Chris?

_ Está dormindo em um dos quartos.

_ Claro que está _ sorri divertida _ Volte para a sua convidada e me desculpe, mais uma vez _ levitei acima do muro e voltei para a minha cama para não conseguir dormir.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...