História Hello, Mr.J - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Arlequina (Harley Quinn), Batman, Esquadrão Suicida, Hera Venenosa
Personagens Bruce Wayne (Batman), Coringa (Jack Napier), Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina), Personagens Originais
Tags Arlequina, Coringa, Harleen, Harley, Joker, Mad Love, Mrj, Puddin, Quinn, Quinzel
Exibições 377
Palavras 585
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nesse primeiro capitulo vou contar como a Harley chegou no Arkham, e no seu futuro Puddin. Vai ser mais chatinho, mas esses 2 primeiros capítulos vão ser apenas introdução. Espero que gostem, me inspirei nos quadrinhos mas fiz uma versão nova.
Bjs HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHAHAHA

Capítulo 1 - Antes Dele pt.1


Fanfic / Fanfiction Hello, Mr.J - Capítulo 1 - Antes Dele pt.1

~Harleen on~
22-10-1990
Não aguento mais a faculdade de psicologia! Meu talento é ginástica, não decorar nome de síndromes estúpidas! Só entrei nesse curso para entender a loucura de meu pai, mas isso não vai mudar o fato de que ele está no hospício, então que merda eu to fazendo aqui? Bem, não interessa, se eu não conseguir nota em Comunicação (maldita matéria!) não vou ter a opção de terminar o curso ou não, até pq com um D+ eu vou arrumar estágio de gari, no máximo. Por bem ou por mal aquele velho do Prof. William vai arredondar minha nota para, no mínimo, um A-. Acho que não será difícil, visto que ele não vê um par de peitos desde a escritura da Bíblia. Vamos fazer r visita ao escritório dele...
~narrador on~
Harleen colocou uma langerie vermelha e um sobre-tudo, e se dirigiu ao escritório do Dr.William.
~ toc toc ~
-Senhor Williaaaaaam - disse Harleen
-Entre -disse o dr.
Harleen entrou lentamentee William estava sentado na cadeira de couro, e pela sua aparência, devia ter uns 50 e muitos anos.
-Sim, senhorita Quinzel?
Eu preciso que você faça um... favorzinho para mim. Pode alterar minha nota, senhor? - disse Harleen colocando a sua nota na mesa.
- E por quê eu faria isso, Quinzel?
  Então Harley tirou o sobretudo e sussurrou: me faça passar de ano e eu passarei a última noite na faculdade com você.
O professor apenas concordou e Harleen saiu para o seu dormitório, vitoriosa.
~Harleen on~
Rá! Não achei que seria tão fácil! Ele realmente não deve ver uma mulher desde a morte de Maria! HAHAHAHAHAHAHA! Como se eu fosse dormir com aquele velho!~Narrador~
Harleen conseguiu se formar, e claro, não cumpriu a promessa. Foi trabalhar no Asilo Arkham, onde se sobressaiu no tratamento de criminosos, algo que chamou a atenção do chefe do Arkham, Bruce Wayne.
-Bom dia senhorita Quinzel. -Disse Bruce
-O... Olá Sr.Wayne. Precisa de algo?- disse Harleen, surpresa por ele falar com ela pela primeira vez.
-Gostaria de lhe propor um caso em especial, mas quero que pense com muito cuidado. -disse Bruce
-Nossa! O que seria tão importante? -disse Dr.Quinzel, curiosa.
-O Joker está sobre os cuidados do Arkham, e acho que você pode ajudá-lo, devido ao seu sucesso com criminosos- disse Bruce.
-Ma... mas senhor, ainda é muito cedo! Estou no Arkham á apenas 6 meses! Não estou preparada!
-Sinto muito pelo incômodo, Harleen, caso mude de idéia, sabe onde me encontrar. -Bruce disse.
~Harleen on~
Ele está louco! O Joker é a pessoa mais perigosa de Gotham, no mínimo! Bem... talvez, assim, eu entendesse mais sobre meu pai... e... NÃO! Ele é perigoso, Harleen! Deixe disso! Sua louca!
~Narrador on~
Harleen estava indo embora, e enquanto andava pelas celas dos prisioneiros, viu o Coringa pela primeira vez, os cabelos verdes para trás, o corpo pálido, os dedos longos, e as tatuagens que o deixavam ainda mais bad ass, se for possível. Ele se virou e olhou para ela. Seus olhos eram como mil espadas a perfurando, e ele sorriu, aquele sorriso insano, que tinha matado tantas pessoas, á hipnotizou. Ela estava em transe, mas apenas virou a cabeça e seguiu em frente, repensando a proposta de Wayne.
~Harley on~
Meu deus! O que foi aquilo! Que sorriso foi  aquele? Aquele mesmo sorriso que me intriga matou tantos? Como eu gostaria de ouvir seu lado da história! Acho que talvez não seja uma má idéia aceitar essa proposta. Que mal pode fazer?


Notas Finais


Capítulo pequeno, só pra começar mesmo... o próximo sai daqui á pouco!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...