História Hells Angel - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Adam Milligan, Anna Milton, Ash, Balthazar, Bela Talbot, Bobby Singer, Castiel, Chuck Shurley, Claire Novak, Crowley, Dean Winchester, Diana Ballard, Ellen Harvelle, Gabriel, Jo Harvelle, John Winchester, Lilith, Lúcifer, Mary Winchester, Meg Masters, Michael, Miguel, Personagens Originais, Rafael, Ruby, Sam Winchester
Tags Arcanjos, Bobby, Castiel, Crowley, Dean, Irmãs, Sam
Exibições 135
Palavras 1.898
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hello, hello minhas pudinzinhas!
Como estão meus amores?
Bem, vocês sabem que hoje é dia das crianças, então resolvi trazer um presente para vocês - Um não, dois - Um novo capítulo de Between God and the Darkness e Hells Angel
Espero que gostem

Capítulo 4 - Little piece of Heaven


Fanfic / Fanfiction Hells Angel - Capítulo 4 - Little piece of Heaven

Assim que sai do quarto, ouvi sons vindo do primeiro andar, provavelmente o John havia chegado. Ele veio correndo para o segundo andar, quando viu os garotos os abraçou, parei próxima a porta e fiquei acompanhando.

- Dean, você se machucou? O Sam está bem?

- Sim pai, estamos bem.

- Como você conseguiu fugir? – O garoto desviou os olhos do pai por alguns instantes, por um momento achei que ele fosse contar.

- Eu peguei o Sammy e corri aqui para cima, fiquei bem quietinho com ele no guarda-roupa até você chegar – Sorri fraco e o John abraçou o filho.

Eles pegaram suas coisas e o John se despediu da Missouri. Eles saíram de Lawrence antes que qualquer um pudesse perceber. John levou os meninos com ele até Eureka, Fletcher disse que ele conseguiria algumas respostas por lá. O que ele conseguiu foi só o tio da Mary, Jacob, na cola deles.

Ele e o John saíram do hotel em que John se hospedara com os meninos e ficaram fora por um bom tempo. O Dean brincava com o irmão, mesmo em meio a todas as desgraças e problemas que ele já tinha passado, ele ainda dava seu melhor pelo irmão.

Me lembrei do meu tempo com meus irmãos, do tempo em que não tínhamos as grandes preocupações de batalha e responsabilidade, tínhamos apenas que treinar e vivenciar.

Eu, Samuel, Gabriel, Zadquiel e Jofiel tínhamos nosso próprio lugar, era um carvalho um pouco afastado do Salão Principal. Passávamos a maior parte do tempo lá, quando podíamos é claro. Gabriel e Zadquiel estavam contando mais uma de suas maluquices, eles “pegaram emprestado” – Como eles disseram – Os arcos e flechas dos cupidos.

- Vocês dois não tomam jeito não é – Jof falou e nós rimos.

- Ah qual é, vocês são certinhos demais, esse é o problema – O Zad falou.

- Vamos falar do que agora? – O Sam perguntou.

- Vamos falar sobre a Hanni – Era o apelido que ganhei do Gabe – Ela é sempre a mais quieta entre nós – Os outros o encararam e concordaram.

- O que vocês querem saber?

- O que tem nessa bolsa? – O Zad perguntou olhando para a bolsa ao meu lado, era onde eu carregava meus cadernos e materiais de desenho.

- Nada de importante.

- Fala sério, você anda com essa coisa por todos os lugares – O Gabe falou e os outros concordaram.

- Vamos lá Hanni, nos mostre o que é – Os encarei tentando buscar o apoio de alguém para que não tivesse que mostrar o que tinha ali, mas pelo jeito estava em desvantagem.

- Certo seus chatos – Eles riram – E não quero uma palavra com os outros sobre isso – Eles assentiram e peguei minha bolsa, tirei um dos cadernos de desenho e alcancei para o Gabe, já que ele tinha começado a me incomodar por isso.

- Minha nossa! – Eles alternavam os olhares entre mim e o caderno.

- Foi você que fez isso? – O Sam perguntou e assenti – São muito lindos – Sorri fraco.

- Obrigada.

- Sério Hanni, por que não mostrou isso antes? – O Jof perguntou e dei de ombros.

- Só faço por diversão e por que o Pai pediu.

- Olha Hanni, sem querer ofender, mas não quero ver seus desenhos – O Zad falou – Eu me senti humilhado agora – Nós rimos dele e o Gabe alcançou o caderno para os outros olharem.

- Você já tentou desenhar alguém? Algo além das paisagens? – O Jof perguntou.

- Nunca tinha pensado nisso, mas posso tentar.

- Eu quero que ela me desenhe primeiro – O Gabe falou.

- Ah fala sério Gabriel, vai estragar os desenhos dela com essa sua cara – O Zad falou e nós rimos.

- Vão rindo, quando ela fizer meu desenho vocês vão implorar por um igual.

- Claro que vamos – O Sam falou e me entregou o caderno – Eles são muito bons mesmo – Sorri fraco e guardei o caderno de volta na bolsa.

- Agora próximo pergunta, você nos deixou mais curiosos Hanni – O Gabe falou e os outros assentiram.

- Certo, qual é a próxima?

- Qual seu treino favorito? – O Jof perguntou.

- Tentem adivinhar – Falei e eles se encararam.

- Combate? – O Zad falou.

- Nem perto.

- Música? – O Sam falou.

- Gosto muito de música, mas não.

- Ah fala logo qual é – O Gabe falou e ri, ele não conseguia esperar.

- Transfiguração.

- Sério? – O Gabe perguntou e assenti.

- Nos mostre alguma coisa – O Zad pediu e os outros concordaram.

- Querem que eu faça o quê?

- Mude a cor do seu cabelo – Meu cabelo era loiro escuro.

- Certo – Me concentrei e logo senti uma espécie de energia se concentrar nas minhas mãos, passei-as pelos meus cabelos e gradativamente eles tomaram a cor de castanho.

- Isso é muito incrível! Você faz isso parecer tão fácil – O Jof falou.

- Mas o problema é que isso tem duração a longo prazo, pelos próximos dias vou ficar com meu cabelo assim.

- Mas essa cor combinou com você – O Sam falou e sorri fraco, o Gabe e o Zad se entreolharam e me encararam.

- Próxima pergunta – O Zad falou e assenti.

- Já tem algum pretendente Hanni? – Os outros riram e corei.

- Você não consegue ficar sem cantar alguma mulher quando vê Gabriel? – O Jof falou e ele riu.

- Tenho que ter conhecimento, uma coisa é anjos, outra é uma arcanjo, ainda mais que é só ela.

- Não tenho ninguém em mente, minhas prioridades não são essas Gabe – Os arcanjos riram.

- É Gabriel, parece que ela não caiu no seu charme – O Zad falou e riu.

- Tenho uma ideia, vamos apostar – Nós encaramos o Gabe – Quem vocês acham que quer ela?

- Sério mesmo que vão fazer isso? – Perguntei, mas eles ignoraram.

- Dos anjos ou arcanjos? – O Zad perguntou.

- Os anjos não contam, tem que ser um dos arcanjos – O Gabe falou.

- Eu voto no Samuel – O Zad falou e o Gabe concordou.

- Eu também.

- Eu? Por que eu? – O Sam falou.

- O jeito de vocês dois juntos, é suspeito. Esse é o nosso palpite, qual o seu Samuel? – Ele me encarou e sorriu.

- Eu voto no Samael – Olhei pra ele, até ele aceitou entrar nessa brincadeira?

- Por quê? – O Gabe perguntou animado.

- O jeito dele quando estamos treinando, ele é nosso tutor por assim dizer, mas parece que tem um jeito diferente com ela.

- Estão sentindo esse cheiro? – O Zad falou – Acho que é cheiro de ciúmes – Nós rimos e o Sam jogou uma das bolotas que tinha caído do carvalho.

- Como vocês são idiotas – Falei.

- Qual é Hanni, você sabe que um dia alguém vai gostar de você, além do “ser irmã” – O Jof falou.

- Até você Jof? Esperava isso dos dois – Apontei para o Gabe e o Zad.

- Ah fala sério, vamos voltar nesse assunto daqui uns tempos e ver se as suas prioridades mudaram – O Gabe falou e suspirei.

- Por que não vai lá falar com seu pretendente Hanni, acho que ele está cansado de ser ignorado – O Sam falou e olhamos na direção oposta a nossa, em baixo de outro carvalho Samael estava deitado.

- Eu não tenho porque falar com ele.

- Só eu que acho que a Hanni está com medo de ir falar com ele? – O Zad falou, eles sabiam que eu odiava ser desafiada.

- Não estou.

- Ou a pessoa que você está afim está aqui? – O Gabe falou e olhou para o Sam.

- Você é um idiota Gabe – Falei e me teletransportei até onde o Samael estava, ele estava deitado de olhos fechados – Oi Samael – Ele abriu os olhos e me encarou alguns instantes, ele tinha os olhos negros, muito negros mesmo, cabelos pretos escorridos e um pouco abaixo dos ombros.

- Hanniel – Ele arrumou e se sentou – Algum problema?

- Só queria conversar.

- Sobre?

- Eu não sei, talvez por que você não fica perto de nós – Apontei para os outros arcanjos.

- Não tenho a mesma afinidade que vocês para estar lá.

- Mas se não conversar conosco, como vai ter afinidade? Você, Rafael, Miguel e Uriel não se misturam conosco.

- Vocês são mais jovens e imaturos.

- Jovens? Samael, eu sou a segunda da Criação, sou mais velha que os outros.

- Você é, mas os outros ainda são imaturos demais.

- Eles podem até ser, mas fazemos o que nosso Pai sempre nos disse, somos livres.

- Liberdade é uma coisa, irresponsabilidade é outra – Ele era como um cego.

- Você leva certas coisas a sério demais, deveria aproveitar o tempo que tem Samael, pense um pouco sobre isso – Me teletransportei e voltei até os outros.

- E então, quando vão começar a se pegarem? – O Gabe falou assim que apareci.

- Quieto Gabe, não vamos nos pegar e nem nada, só conversei com ele.

- E?

- E nada – Fui pegar minha bolsa para sair dali quando ouvi um farfalhar de asas, olhei para trás e vi Samael parado próximo a nós.

- Algum problema Samael? – O Sam perguntou e o Samael me encarou.

- Será que aceitem mais um? – Sorri fraco.

A partir daquele dia Samael começou a passar mais tempo conosco, seu humor também mudou muito. Antes ele era sério e fechado em si mesmo, mas com o passar das semanas ele mudou. Seu jeito comigo e com o Sam nos treinos também mudou, ele não nos cobrava tanto e nos ajudava da melhor forma que podia.

Na última semana, John matou um metamorfo e o Dean assistiu quando ele atirou na cabeça da criatura. Eu fiquei muito mal com isso, durante a noite ele tinha pesadelos, sabia que eram do dia do incêndio e do dia em que o pai matou o metamorfo. Eu usava meus poderes com ele para acalmá-lo, mas eu ficava muito fraca com isso. Enquanto minhas asas não crescerem, eu não vou conseguir ajudar eles como gostaria. O Sam chora muito durante a noite, em pouco momentos ele fica quieto. Eu entendo, ele é apenas um bebê, ele quer a mãe.

John conheceu um casal de caçadores, Bill e Ellen Harvelle, eles tem uma filha chamada Joanna, mas que todos conhecem como Jo - Ela é um pouco mais velha que o Sam. John começou a deixar os garotos com a sobrinha da Ellen, a Pam, ela o ajuda cuidando deles enquanto ele vai para as caçadas.

Estava os observando, o Dean sempre vigiando o irmão. John deu uma responsabilidade ao Dean que ele não deveria ter, ele é só uma criança, não um soldado ou um substituto da mãe para ficar cuidando do irmão. Mas quem sou eu para falar algo sobre não cuidar dos filhos? Eu mesma não pude criar nenhum dos meus.

Senti uma dor horrível nas minhas costas, passei a mão e vi que havia sangue ali. A hora tinha chegado, minhas asas ia começar a nascer. Olhei mais uma vez os garotos e garanti que eles estariam bem, não estaria durante um bom tempo com eles, já que o processo para as minhas asas crescerem ia depender só de mim. Quando vi que estava tudo certo, me teletransportei para o mais longe dali, fui para as montanhas, longe de qualquer um.


Notas Finais


Por hoje era isso
O que estão achando?
Até o próximo pudinzinhas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...