História Help! - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Itachi Uchiha, Sakura Haruno
Tags Itasaku, Naruto, Romance
Visualizações 244
Palavras 3.181
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


CHEGUEI... Cheguei chegando trazendo treta e Itachi, querem mais?
Ah! Querem né?
Então teremos Sakura de salto quinze na cara das inimigas!

E o que melhor que a combinação Itachi delicia + Sakura rainha pra melhorar essa
depressão que chamamos de sábado a tarde?

GENTE EU TO MORTA COM TANTO COMENTÁRIO LINDO!
Vocês são divas demais, rainhas demais... Quem são as outras leitoras na fila do pão perto de vocês, mores?

Espero que gostem e boa leitura <3

Capítulo 8 - Capítulo 08


 

Batucava meus dedos em minhas pernas freneticamente tamanho o nervosismo que estava sentindo enquanto esperava por Itachi. Eram quase dez da manhã e eu estava começando a me arrepender amargamente de minhas decisões.

Hoje teríamos o tal almoço da família Uchiha, o qual Mikoto solicitou minha presença. Na hora, aceitei por que não queria demonstrar fraqueza na frente de Itachi e por que sabia que aquilo atingiria o ego de meu ex namorado, mas agora me sentia deslocada.

Eu tinha uma boa relação com todos, era verdade, mas passava o tempo todo ao lado de Sasuke e bem, agora eu não sabia mais como reagir.

O lado bom é que nessa última semana não me senti tão mal quanto na passada. Não me isolei, e isso foi bom para mim pois as meninas vieram jantar aqui e conseguimos jogar muita conversa fora, coisa que a tempos não fazíamos.

Itachi e eu conversamos bastante, mas apenas pelas redes sociais. Ele estava atolado no trabalho e eu entendia esse lado dele.

A campainha tocou e eu suspirei, agarrando minha bolsa.

- Bom dia flor do dia. – Itachi disse me abraçando com um grande sorriso. Eu não sei como ele conseguia estar tão bem-humorado logo pela manhã, mas fazer o que... Coisas de Itachi.

- Bom dia. – Disse quando nos afastamos fechando a porta do apartamento.

- Tá maravilhosa Saky, quer seduzir meu irmão novamente? – Ele riu, mas eu conseguia sentir que tinha um fundo de preocupação em sua voz.

- Não Itachi, hoje estou tentando seduzir meu amor próprio e quem sabe minha dignidade novamente. – Lhe lancei uma piscadela e caminhei até o elevador.

- Cuidado...Vai acabar me seduzindo junto... – Ele disse em tom galanteador e me lançou uma piscadela. Sei que Itachi estava brincando, mas suas piadinhas elevavam uma coisa que eu estava precisando muito: ego.

Passei meu braço por dentro do seu nos enganchando e apertando o botão do primeiro andar. Caminhamos assim até o carro onde ele fez questão de abrir a porta mantendo a pose galanteadora me fazendo rir.

- Dessa maneira eu que vou acabar seduzida aqui Itachi. – Ele não disse nada, apenas fechou minha porta e seguiu para o lado do motorista gargalhando. 

Seguimos o caminho em silencio até Itachi ligar o som e sem motivo aparente começar a dançar no banco do motorista.

- Você sempre faz isso? – Perguntei o observando.

- Ah! A maioria das vezes. – Respondeu de maneira simples com um sorriso. – Música influencia no meu humor.

- Percebe-se. – Murmurei fitando minhas mãos.

- Você deveria escutar mais músicas ou transar mais vezes, seu mal humor só pode ser isso. – Olhei para Itachi com os olhos arregalados e lhe dei um tapa no ombro.

- Quanta audácia. – Murmurei virando o rosto já corado para o lado.

- Viu só? Fala pra mim Saky, meu irmãozinho não te pegava de jeito não?  - Me engasguei. Comecei a tossir de maneira ridícula e recebi algumas palmadinhas de Itachi que rapidamente se voltou ao volante enquanto eu me recuperava.

- Itachi, eu realmente não vou falar da minha vida sexual para você.

- É? Hum.. Sasuke não tinha esse problema. – Devo ter virado a cabeça em sua direção igual a menina do exorcista por que Itachi começou a gargalhar.

- Qual é Sakura, você não é tão inocente assim. Sasuke gostava de exibir pros homens da família a companheira que tinha entre quatro paredes. – Eu ruborizei e se tivesse um buraco eu me enfiaria lá e não sairia mais.

E então eu fiquei quieta e não ousei olhar para Itachi novamente até avistar os portões da casa dos Uchiha. Suspirei umas duas vezes quando o motor parou.

Itachi segurou minha mão e eu olhei para ele.

- Desculpe por aquilo Sakura, mas você fica bonitinha quando está corada. – Ele deu um sorriso de canto. – Tá tudo bem?

- Tá sim Itachi. Vamos? – Ele assentiu e descemos do carro.

Caminhamos lado a lado até chegar a porta branca e tocar a campainha.

Quando Dona Mikoto abriu a porta, parecia que estava vendo a melhor coisa do mundo pois abriu o maior sorriso que já vi ela dar na vida.

- Sakura minha querida!!! – Ela exclamou e me envolveu em um abraço apertado ao qual retribui com um sorriso tímido. – Que saudade! Como você está querida? – Nos separamos e eu a encarei. Mikoto Uchiha era no mínimo maravilhosa, eu quero muito chegar na sua idade com metade de seus atributos tanto profissionais quanto físicos.

- Também estava com saudade Mikoto, estou muito bem. E você? – Ela sorriu.

- Estou ótima, minha querida!

- Eu também estou aqui mãe. – Nesse momento viramos para Itachi que estava com um sorriso nos lábios e os braços cruzados.

- Ah meu amor, eu te vejo sempre. – Ela disse em tom de brincadeira, mas foi lhe dar um abraço também. – Que bom que vocês vieram! Vamos, estamos lá na piscina.

Seguimos Mikoto casa a dentro e eu me sentia tremula.

“ Respira Sakura, respira. “

Assim que passamos as grandes portas de vidro, várias cabeças se viraram em nossa direção.

- SAKYYY!!! – Rin correu para me abraçar sendo seguida por Obito.

- Oi Rin! Quanto tempo! – Sorri e ela retribuiu.

- Linda como sempre Sakura. – Disse Obito segurando a cintura da namorada. - Que bom que você veio. – Ele abaixou o tom de voz. – Ficamos sabendo do que aconteceu.

- Lamentamos Saky, mas vejo que você é rápida hein... – Disse Rin com um sorriso malicioso e eu segui seu olhar, encontrando Itachi.

- Não... Não é isso. – Engoli em seco. Que situação estranha! – Ele é um grande amigo e acabamos nos aproximando mais com o ocorrido, mas para por ai Rin sua maliciosa. – Disse dando uma gargalhada.

- Vou fingir que acredito Saky. – Disse ela estreitando os olhos.

- Mas a gente está realmente feliz que você veio Sakura, temos algumas novidades para contar a família e queríamos muito você aqui. Me lembre de agradecer Itachi mais tarde. – Disse Obito me lançando uma piscadela e eu revirei os olhos.

- Mas olha se não é a nossa florzinha preferida! – Eu virei, mas já sabia que o dono daquela voz era Madara.

- Oi Madara, tudo bem com você? – Sorri o abraçando.

- A pergunta aqui é se você está bem florzinha. – Disse ele de maneira séria. – Não acredito que aquele pirralho fez isso com você. – Murmurou fechando o semblante. – Juro que se não respeitasse tanto meu irmão, eu teria o prazer de dar uma bela surra nele por isso. – Eu ri alto. Madara tinha um temperamento explosivo e ácido, mas parece que eu também o trouxe para o lado Sakura da força.

- Não se preocupa com isso Madara, ele vai ter a lição que merece. – Lhe lancei uma piscadela e ele sorriu.

- Assim que eu gosto.

- E a Tsunade? – Pergunto correndo os olhos pelo local.

- Não conseguiu vir hoje, está presa no hospital. – Ele revirou os olhos. – Viu só o que te aguarda no futuro se continuar insistindo em seguir os passos dela? – Eu sorri, mas meu sorriso foi murchando gradualmente à medida que vi Sasuke surgir com uma morena estonteante ao seu lado.

Estonteante e extremamente vadia, diga-se de passagem.

Mantive minha postura ereta e voltei com o sorriso no rosto, decidida a ignorar o Uchiha, voltei-me para Madara.

- Ah! É o que eu amo. Se eu pudesse teria feito medicina de cara, mas não passei na federal. – Falei divertida lembrando do quão péssima fui no vestibular.

- Você com certeza chega lá. – Disse Madara também ignorando o Uchiha mais novo que se aproximava de Mikoto. A expressão de minha ex sogra foi tão hilária, que eu juro que gargalharia se a oportunidade me permitisse.

Itachi se aproximou de nosso pequeno grupo e parou ao meu lado, encostando nossos ombros.

- Tá tudo bem? – Perguntou e eu assenti.

- Itachi... Aquela não é a... – Obito começou e fez uma careta como se estivesse fazendo força e Itachi assentiu prontamente.

- Anko? É sim. – Obito começou a rir e eu fiquei com a melhor cara de quem não tava entendendo nada.

- Quem? – Pedi e Itachi passou o braço por meus ombros, puxando-me para perto.

- Sai com ela algumas vezes Sakura. Parece que meu irmão está querendo provocar. – Madara e Obito começaram a rir enquanto Rin fazia uma careta. – Mas ele é um péssimo jogador.

Precisei concordar com Itachi e comecei a rir. Sasuke teria passado menos vergonha se não trouxesse ninguém.

- Me responde uma coisa Saky, você não tá a fim de me ajudar num joguinho minimamente perverso? – Olhei para Itachi.

- Fale-me mais Itachi.

- Já que Sasuke quer jogar, que tal mostrarmos que em quesito provocação somos uma dupla muito superior?

- Aqui? Na frente de toda família? – Ele ergueu as sobrancelhas.

- Vocês se importam? – Pediu Itachi aos três que observavam o desenrolar da cena em silencio.

- Se importar? – Madara soltou uma risada maléfica. – Sobrinho, se for preciso eu até pago para ver o Sasukezinho ali arrancando os cabelos.

- Eu apoio! – Disse Rin toda empolgada batendo palminhas.

- Itachi você não presta. – Disse Obito. – Eu te venero cara, tem todo meu apoio.

Itachi me olhou com um sorriso maldoso como se dissesse “Viu só?”

- Mas e a sua mãe? Seu pai? – Ele sorriu de maneira tranquila e começou a caminhar comigo.

- Relaxa Saky, vamos lá cumprimentar meu irmãozinho tolo. – Nos aproximamos e eu segurei a cintura de Itachi para evitar tropeçar ou fazer qualquer coisa vergonhosa.

- Oi Sasuke, oi Anko. – Desgraçado! Ele fez questão de mostrar que lembrava dela.

- Oi Itachi... Sakura. – Os olhos de Sasuke seguiram as mãos de Itachi em meus ombros e depois caíram para a minha na cintura do irmão e ele não segurou a careta de desgosto.

- Tudo bem Sasuke? – Eu não sei de onde tirei tanta cara de pau, mas eu tava adorando.

- É, mas vejo que você tá melhor. – Alfinetou e um sorriso se fez presente em meu rosto. Olhei para Itachi e ele retribuiu.

- De fato, não há como discordar. – Olhei para frente em tempo de ver Sasuke revirando os olhos.

- Ah! Desculpa, mas quem é você?  - Pediu a tal Anko se agarrando no Sasuke como um carrapato em uma vaca.

- Sou Sakura Haruno, ex namorada do Uchiha que tá do seu lado e você é...?

- Me chama de Anko, sou a atual do Uchiha aqui e ex do outro que está do seu lado. – Ouvi Sasuke engasgar e se afastar da moça de maneira brusca.

- Você não é minha atual porra nenhuma. De onde tirou isso? – Ela o olhou de maneira incrédula e tanto eu quanto Itachi seguramos o riso.

- Eu pensei que depois de ontem... – Ela ficou boquiaberta enquanto uma veia começava a pulsar no pescoço de Sasuke.

- Você entendeu tudo errado. – Disse Sasuke.

- De fato entendeu, por que sabe Anko, você não pode se intitular ex ou atual de ninguém sem a pessoa pelo menos saber, né?! – Alfinetei e Itachi soltou uma risada que a muito estava presa em sua garganta.

- Está insinuando que não dormi com Itachi então? – Ela estreitou os olhos e eu sabia que Sasuke estava querendo morrer. Retirei a mão da cintura de Itachi e então ergui as duas em sinal de rendição.

- De maneira alguma, mas sabe como é né... Não é só por que você deu pra pessoa uma vez que pode chamar de relacionamento. – Itachi começou a gargalhar, mas gargalhar muito. – A não ser claro, que as definições de relacionamento tenham sido atualizadas e ninguém me avisou.

Vi Anko abrir a boca várias vezes e por fim fechar a cara e virar as costas, rumando com passadas duras para dentro da casa. Sasuke suspirou profundamente e a seguiu.

Olhei para Itachi e comecei a rir, gargalhar... Coloquei a mão na barriga e me curvei.

Me levantei algum tempo depois limpando as lágrimas e buscando controlar a respiração enquanto Itachi me olhava com um grande sorriso.

- Sakura, Sakura... Que língua afiada, uh?! – Eu sorri e voltei a minha melhor postura.

- Estou convivendo muito tempo com você Itachi. – Ele sorriu e me abraçou. Fechei meus olhos e retribui, me perdendo na curva de seu pescoço.

- Mas olha quanto amor Fugaku! Não te lembra os velhos tempos? – Me afastei às pressas de Itachi ruborizando como nunca enquanto encarava meus ex sogros com sorrisos maliciosos no rosto.

- Claro que sim Mikoto, você era tão linda quanto ela, aliás, ainda é.  – Ele deu um sorriso doce para a esposa e se aproximou de mim, me abraçando. – Oi querida, como está?

- Está tudo muito bem.. – Me forcei a manter a voz firme. – E com o Senhor?

- Ah! Já falamos sobre esse “Senhor” hein Sakura. Me chame só de Fugaku. – Ele sorriu. – Nos desculpe mesmo pela atitude do Sasuke, não esperávamos que ele fosse trazer alguém.

- Já resolvemos papai, nem se preocupe. – Itachi sorriu. 

- Então venham, vamos nos juntar aos outros. Shisui e os demais já devem estar chegando.

Caminhei ao lado de meus ex-sogros não entendendo porra nenhuma. Mas que merda foi aquela de “mas olha quanto amor”?!

Eu juraria de pé junto que eles me olhariam de maneira torta e mais ainda para Itachi por estar abraçado a mim, mas eles pareciam felizes... Deus, como isso é possível?

Que espécie de pai fica contente ao ver o filho com a ex do irmão?

Sinceramente estou sem conseguir entender esses fetiches estranhos da família Uchiha. 

Sentamos a mesa, Itachi ficou ao meu lado e Mikoto do outro.

Logo o almoço foi servido. Para minha felicidade Sasuke simplesmente sumiu e não voltou mais.

- Bom, quero pedir um momento de atenção a todos. – Disse Obito levantando. Após todos ficarem em silencio fitando ele e Rin que também levantou, ele pigarreou e prosseguiu. – Então, eu estava aqui pensando tem algum tempo já... Se essa mulher não desistiu de mim até agora, é por que de fato ela me ama. – Disse ele todo sorridente arrancando algumas risadas. – E como eu percebi que estou com a corda no pescoço, decidi que está na hora de se enforcar de vez. – Mais risadas foram ouvidas. – Então solicitei esse almoço para anunciar oficialmente que em seis meses, Rin e eu nos casaremos.

Dona Mikoto foi a primeira a levantar e aplaudir, sendo seguida pelos demais e por eu mesma. Obito depositou um beijo apaixonado na bochecha da namorada que pediu um pouco de atenção também.

- E tem mais... – Disse ela parecendo estar nas nuvens.

- Mais? – Obito olhou para ela com um sorriso e uma careta, o que a fez sorrir mais ainda.

- Em seis meses nos casaremos e em nove seremos três. – Todos pararam para absorver as palavras de Rin e então começaram a gritar. – Estou grávida de três semanas. – Obito olhou para a namorada boquiaberto, ele parecia estar incrédulo e então, todos viram lágrimas se formarem em seus olhos.

- Eu... vou... ser... pai? – Disse ele devagar, como se estivesse absorvendo a notícia.

- Vai! – Disse Rin e ele a pegou em um abraço, a fazendo girar.

- EU VOU SER PAI PORRA! PORRA! EU TO TÃO FELIZ! PORRA! – Obito literalmente começou a gritar enquanto era parabenizado, e enquanto batia palmas para os dois não evitei as lágrimas que correram por meu rosto.

- Tá tudo bem Saky? – As limpei rapidamente e fitei Itachi. – Não está feliz pelos dois? – Eu sorri.

- Estou Itachi e muito!

- E por que as lágrimas? – Mordi o lábio inferior e voltei a sorrir, mesmo que a resposta a seguir cortasse o meu coração.

- Sasuke nunca quis casar... – Abaixei o tom de voz. - E eu não posso ter filhos. – Itachi me lançou uma careta estranha e já sabendo o que ele perguntaria, tratei de responder antes. – Eu nasci com um problema nos ovários, eles são inférteis e isso anulou minha possibilidade de ser mãe. – Sorri amarelo. Eu não gostava de falar sobre isso, mas me sentia à vontade com Itachi o suficiente para ele saber tal coisa.

- Desculpe Sakura, eu não sabia... – Ele pareceu não ter uma resposta e eu voltei a fitar o casal na outra ponta da mesa enquanto todos voltavam a sentar em seus devidos lugares. – Você seria uma ótima mãe.

Fito Itachi por alguns segundos tentando formular uma resposta até perceber Rin e Obito se aproximando.

- Parabéns cara! – Disse Itachi abraçando o outro Uchiha. – Estava mesmo na hora de parar com essa lenga lenga. – Comentou, fazendo uma careta.

- É Itachi, só está faltando você colocar uma coleira. – Lançou uma piscadela para Itachi e em seguida olhou para mim. – Não é mesmo Sakura? – Sorri sem graça.

E eu lá vou saber sobre as coleiras do Itachi?

- Desculpe Obito, esse cachorro aqui não nasceu para viver preso. – O moreno deu de ombros enquanto o outro sorria.

- Ou vai ver ainda não achou a dona certa para te deixar com o rabinho entre as pernas... – Alfinetou novamente Obito arrancando uma risada de Rin e outra minha.

- Tá bom, tá bom... Você usa de argumentos superiores aos meus. – Disse Itachi erguendo as mãos em rendição.

- É.. Sakura, Itachi... Nós gostaríamos que vocês fossem os padrinhos. – Disse Rin de uma maneira gentil e eu a fitei. Depois guiei meus olhos para Obito que sorria e para Itachi que parecia tão perdido quanto eu. – A princípio seria você e o Sasuke, mas devido aos últimos acontecimentos... Bem, a escolha ficou meio óbvia. – Ela sorriu. – Aceitem, por favor!

Olhei para Itachi e Itachi me olhou, e assim ficamos pelo o que acho ser minutos... Ou a eternidade. 

Quem se arrisca a dizer?

- Aceitamos. – Disse Itachi por fim sorrindo para o casal.

- Aceitamos?! – Repeti e olhei para Rin e Obito que me olharam de uma maneira estranha. – Ah! É, aceitamos.

Eu sorri e eles abriram grandes sorrisos, se afastando em seguida.

Me voltei para Itachi no segundo seguinte.

- Pra que fazer isso Itachi? – Desferi um tapa fraco em seu ombro. – É muita pressão!

Murmurei de maneira frustrada e Itachi me abraçou pelo ombro, me fazendo sentar novamente.

- Seria falta de educação recusar um pedido desses e ainda mais vindo da Rin de maneira tão gentil. – Disse ele após estarmos novamente sentados e o almoço ter recomeçado. – Fora que ela está grávida... Não concorda, Sakura?

Revirei os olhos e levei a salada a boca, mas obviamente Itachi entendeu minha mensagem.

Depois de romper com Sasuke, pensei que a única ligação que teria com os Uchiha seria através de Itachi quando volta e meia nos falássemos.

Terrível engano!

Além de tomar um porre ao lado do mais velho, Dona Mikoto e seu Fugaku nunca estiveram mais radiantes em me ver (em me ver ao lado do Itachi deuses! Do Itachi!) e para finalizar ainda arranjo um casamento para ser madrinha novamente ao lado de Itachi (deuses, por que do Itachi? POR QUE?)

Pois é, parece que estou mais ligada que nunca a família Uchiha. 

 


Notas Finais


Eu não consigo nem falar, só sentir...
Beijão e até o próximo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...