História Help Me - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~Senpai_nii

Postado
Categorias Vocaloid
Personagens Gakupo Kamui, Oliver, YOHIOloid
Tags Vocaloid Oliver
Visualizações 24
Palavras 1.493
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Canibalismo, Mutilação, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Noite! Aqui vai mais um capitulo.




Boa leitura! (^_^)

Capítulo 6 - Help Me VI


Fanfic / Fanfiction Help Me - Capítulo 6 - Help Me VI

O Sr. Kamui tinha os olhos no relógio:  - Rápido.  Temos 1 hora pra resolver tudo.                       

Eu quero estar dormindo as 18:30.

Retirei meu avental e o segui pelo corredor do restaurante. O lado dos quartos ficava nos fundos, o restaurante era relativamente grande. Somente uma porta que os dividia. Enquanto olhava para o balançar dos seus longos cabelos roxos perguntei realmente curioso.

 - Porque o senhor dorme tão cedo?                        

 - Porque eu sou chato. E ser chato cansa tanto quanto ter 249 anos.                       

- O senhor não aparenta ser...tão velho assim                       

O Sr. Kamui deu uma risada e destrancou a porta que ah poucos havíamos parado: - As pessoas nunca aparentam ser o que são.                       

Na hora que entramos já foi passando a mão no interruptor mas o mesmo nem deu sinal que iria funcionar: - vou ter que trocar isso amanhã.                       

Caminhou um pouco mais a frente e ligou um abajur: - vai ter que se contentar com isso hoje. 

Era um abajur antigo feito de tecido, seu tom era vermelho como o das cortinas do restaurante. Fiquei olhando por um tempo...  ate que voltei meus olhos para tudo que o abajur conseguia iluminar. Era um quarto pequeno. Dava pra ver a estrutura de madeira que sustentava a lâmpada.  As paredes tinham um velho papel de parede listrado de roxo e azul Uma cama de casal que estava virada pra cima. Indicava que não era usada à muito tempo. O curioso era o berço no canto.

Ao lado da porta ficava uma cômoda.         

Haviam umas duas ou seis cadeiras jogadas lá. Além de uma escada                       

Sobre a escrivaninha tinha a marca de poeira do que poderia ter sido um ou 2 porta retratos. Tudo naquele quarto parecia antigo.                                      

O Sr.Kamui desceu a cama.

- Consegue trazer as cadeiras para o corredor?                      

 Afirmei com a cabeça e já fui pegando uma delas e arrastei para o corredor.

 Sr. Kamui: - Vou pegar lençóis limpos e uma vassoura.Vá tirando as cadeiras e puxe os lençóis.                       

 Fiz isso com as outras. O acarretava um enorme barulho que parecia ecoar pelo restaurante.  Quando voltei para o quarto limpando minhas mãos uma na outra observei melhor o que esse quarto parecia.                      

- Senhor, quem dormia aqui?                       

Me agachei para pegar a minha boina que havia caído quando estava arrastando as cadeiras, foi então que percebi algo desenhado no chão... parte do seu contorno era feito de poeira e parecia que um velho tapete já esteve sobre ele.            

Sr. Kamui: - Já foi o quarto de uma família feliz.                       

Apoiei um dos meus joelhos e me inclinei um pouco mis,  enquanto limpava para ver melhor o desenho. Era um ideograma e lia-se nele “ Kagamine”, eu não entendia japonês, mas havia uma leitura escrita em baixo em romanji.                

Sr. Kamui:-  Eu durmo no sótão, ou seja não faça barulho. Meu sono é leve e eu sou um velho mau humorado.                       

Assim que o ouvi dizer isso me levantei. Aquele desenho no chão acabou me destraindo:- Espera , porque o senhor não dorme aqui? Tem espaço                       

Mas ele apenas havia desaparecido da porta e do corredor... mas pude ouvi-lo murmurar.- Eu prefiro dormir sozinho. 

Suspirei cansado. Havia sido um dia longo, e depois de tudo que havia acontecido, olha aonde fui parar... não tenho porque reclamar este lugar é aconchegante... (^_^)

Fiquei olhando para aquele desenho no chão por algum tempo, e agora que havia reparado, já tinha visto esse simbulo antes, na verdade o dia todo... tinha esses ideogramas gravados em vários locais do restaurante. Inclusive na porta deste quarto... nas janelas... portais e cortinas.                    

- “Kagamine”. ... o que isso significa ?                       

O olhar já estava sobre a porta.  Então passei a reparar outra coisa, não havia sequer um espelho em todo o local. Não que precisa-se... mas nem mesmo no banheiro que era um lugar para se ter não tinha. Havia sido retirado.  O único lugar que não sei se tem é o quarto do sr. Kamui, ou melhor sótão... porque ele dormiria em um lugar como aquele?

Caminhei até a cama aonde me sentei, ainda era cedo para dormir.                    

- Este lugar é estranho.... Você está aí?                       

Olhei de um lado para o outro e suspirei. Teria sido só impressão minha? Eu não tenho sentido você faz um tempo... achei que você ficaria comigo, esse era nosso acordo.                   

Me levantei e caminhei pelo quarto, curioso pelas coisas que tinham lá.  O que aconteceu com a família que vivia aqui?                       

Pude ouvir o Sr.Kamui subir as escadas. Corri até a cama aonde tornei a me sentar, não queria que ele me pegasse bisbilhotando nada. Os passos dele rangiam no velho piso de madeira. Logo o som parou diante da porta. E agora era o som da chave rodando se tornou mais nítida, ele havia voltado. O barulho abafado de roupas sobre a cama.                        

Sr. Kamui: - Troque os lençóis.                       

Assim que ele colocou os lençóis limpos sobre a cama, seu olhar foi direto para o canto do berço aonde havia a velha katana. Não a tinha notado ali, estava coberta de poeira, e oculta pela sombra que o próprio berço fazia. Entao ele a ergueu e colocou sobre o ombro. 

... Eu estava vendo certo? No momento em que ele a ergueu para colocar no ombro... pude ver sua sombra se movimentar diferente... ela sacava a katana  na minha direção.

... foi uma questão de eu piscar o olho. Observando melhor, o Sr. Kamui agora estava passando um pano no chão. E sua sombra parecia fazer a mesma coisa...

O fiquei observando atentamente enquanto terminava de trocar os lençóis. Eu podia jurar que a sombra dele havia se movido. .. estou com uma sensação estranha mas ao mesmo tempo famíliar.                       

- Senhor Kamui.                       

Sr.Kamui: - Sim?   

Ele me respondeu recolhendo as coisas. Já havia terminado.                   

 Sr. Kamui:- Ainda tenho míseros 20 minutos de luz. Vou trazer o seu jantar.                    

Eu queria fazer isso... estava sentindo essa necessidade...

Me aproximei bem devagar, ainda meio tímido e o abracei pelas costas. Meus braços não eram longos o suficiente para envolve-lo, mas era o melhor que eu poderia fazer naquela hora como retribuição por tudo que ele estava fazendo. Encostei meu rosto em seu tronco e fechei meus olhos por um instante.

Era uma sensação compartilhada. Senti meu coração acalmar.

- obrigado senhor Kamui.  

O Sr. Kamui parecia relutante ficando totalmente desconcertado sempre que o tocavam.

Eu me afastei:- Acha que áa tempo de eu ir no banheiro?                    

Sr. Kamui: - Vá logo.

                     Ele se retirou rápido. Trouxe a comida mais rápido ainda. Abriu uma portinha estranha na parede e tirou um penico. Daqueles de porcelana com tampa. Que estava embrulhado num tecido antigo. 

Sai correndo até o banheiro do restaurante, estava mesmo muito apertado, e voltei na mesma velocidade. O Sr. Kamui iria se retirar logo, eu queria desejar boa noite. Já quase chegando perto da porta senti uma terrível fisgada no meu olho esquerdo... com se alguém tivesse espetado uma agulha... levei instintivamente minha mão ate ele e fiquei pressionando um pouco, parecia aliviar se eu fizesse isso.

Entrei no quarto com a mão sobre o olho ainda, observando o que o Sr. Kamui já havia terminado de preparar.

- Se precisar ir no banheiro à noite use isso. Eu não venho até amanhecer.                       

- está bem... boa noite senhor Kamui.

Me sentei na cama, estava um pouco preocupado com o incomodo do meu olho. Procurei massagear ele mais um pouco antes de dormir.

Não havia percebido sua aproximação. O Sr. Kamui já estava do meu lado.

- Está tudo bem?

Seu tom era tão suave que nem mesmo havia me assustado.  O mesmo estendeu a mão na direção do meu olho.

- Deixa eu ver.                       

Recuei na mesma hora. Eu não podia deixar ele ver... eu não poderia mostrar isso para ninguem :- está. .. tudo bem. Só está latejando um pouco...mas isso é normal                 Eu sinto isso as vezes. Não precisa se preocupar

Engatinhei rápido sobre a cama e me sentei no meio olhando para ele tentando forçar um sorriso de que estava realmente tudo bem.

 

Sr. Kamui: - Bom que seja então. Ponha um pouco de água gelada se incomodar muito.                       

Assenti de leve com a cabeça e  logo me deitei colocando o lençol quente sobre meu corpo.

- Não. .vai esquecer de me buscar amanhã. .                       

Sr. Kamui: - Isso não vai acontecer. E supondo que eu morra. Você pode ligar pra polícia. Oyasuminasai.                       

A porta foi trancada antes de eu responder. E pude ouvir duas voltas exatas, então tornei a ouvir o seus passos rangerem no corredor. E logo que o sol havia se posto, somente a luz do abajur permaneceu acesa...

Eu estava com medo, nunca tive medo de ficar em um quarto escuro... mas eu acho que porque nunca estive realmente sozinho como hoje...

 O meu olho está estranho... ele não para de latejar...

 

A noite vai ser longa...

 

 


Notas Finais


. O proximo capitulo promete esclarecer melhor do que acontece nesse restaurante durante a noite.


Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...