História Help Me - Capítulo 7


Escrita por: ~ e ~Senpai_nii

Postado
Categorias Vocaloid
Personagens Gakupo Kamui, Oliver, YOHIOloid
Tags Vocaloid Oliver
Visualizações 31
Palavras 943
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Canibalismo, Mutilação, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


O.O postando de dia. Uma boa acoisa aconteceu hoje. hahahah

Boa leitura!

Capítulo 7 - Help Me VII


Fanfic / Fanfiction Help Me - Capítulo 7 - Help Me VII

No silêncio da noite.

Oliver escutou a madeira ranger. Mas em seguida emudeceu.                       

E somente as sombras dançavam. O lençol cobriu a boca e o nariz deixando somente os olhos atentos. O coração acelerava.  Um silencio ensurdecedor que faria qualquer mente fértil imaginar coisas... coisas que existem ou não.

Pov Oliver 

Eu estava me sentindo cansado, mas não estava conseguindo dormir.  Estava sentindo falta de alguém. Era estranho como não conseguia sentir mais ele por perto. E tivera percebido isso quando entrei aqui. Ele nunca foi tímido desse jeito.

Passei a sentir outra coisa...  sabe quando você sente medo de repente mesmo não  tendo acontecido nada? Era isso que eu estava sentindo agora...

Havia uma coisa parada na frente da porta.

- É você ?

Com certeza não era... esse era so meu desejo. Porque aquilo que estava parado na frente da porta parecia um adulto. A sombra de um adulto... era incrível como as sombras tinham vida naquele lugar.

Fiquei olhando... mesmo me encolhendo na cama não conseguia parar de olhar.  Aquilo agora parecia me atrair.

- Qual é seu nome?  

                    

Não ouve uma resposta e sim um murmúrio "ka-ga-mi-ne"                       

A sombra que era mais escura que a escuridão atravessou a porta.                       

Os olhos azuis em forma de seta. Parecia ter cabelos longos.                       

A sombra passou por Oliver como se não o visse. Pousou a mão no berço.                       

E em seus passos flutuantes se aproximou da cama. Mas ao pisar no símbolo caiu e desapareceu com se caísse um buraco no chão. Então tudo permaneceu calmo.                       

Oliver ficou olhando para o berço aonde a sombra havia pousado a mão , e se aproximou da beira devagar, para ver o símbolo aonde aquele ser havia deixado seu último vestígio.  

O simbulo “Kagmine”                    

Voltou a se cobrir na cama e fitou a porta.                        

- Revilo...                       

A sensação era tão familiar que Oliver poderia achar que era quem pensava.  Porém essa tinha uma áurea mais pesada....tanto... que percebeu que sua mão tremia segurando o lençol                       

O silêncio pairava destacando sons comuns                       

O tic tac do relógio                       

O som dos sapos gorgeando lá fora.                       

O vento uivando entre as frestas.                       

Até o som da torneira pingando no andar de baixo.                       

Tudo era absurdamente nítido.                       

E tinha sua beleza singela.                        

Capaz de acalmar lentamente o coração.                        

Até que o sono e o cansaço dos lençóis quentinhos vencessem o medo e as memórias do que acabara de ver.                       

Na manhã seguinte ouviu-se o som da porta sendo aberta as 6:30 da manhã.                       

Kamui: - Bom dia! Acorda que passarinho que mão deve nada a ninguém tá voando faz hora                       

Oliver se sentou na cama com os cabelo tudo em pé :- bom dia ... ~ boceja                       

Se levanta escorregando pra fora da cama. Meio cambaleando, estava com um pouco de sono ainda.                      

- Qual lugar vamos assaltar dessa vez ?... Pode ser um que vende panquecas?                        

 ~coça o olho direito distraídamente . Pessoa achando que tá na rua ainda com Tyler.                       

Oliver só sentiu o peteleco na testa: - Você não é ladrão. Vai escovar os dentes e cem trabalhar                       

Oliver levou a mão na testa. Os olhos haviam se arregalado enquanto pergunta preocupado.                        

- Mas... o senhor disse que só ia ter as coisas trabalhando. Esta me dispensando ??                       

Sr. Kamui:- Estou te mandando trabalhar de verdade. Comece escovando os dente coma um pão com manteiga e venha me ajudar na cozinha. 

Pov Oliver

Que susto. Senti meus ombros relaxarem. Eu realmente não quero voltar para rua. Nunca achei que me sentiria diferente se alguém me dissesse isso. Eu tive vontade de trabalhar e fazer algo.  Aqui era diferente... era bom. Eu podia sentir isso... mesmo depois de ontem. Acho que agora entendi a reação de Yohio. Eu deveria contar para o Sr. Kamui? Não quero incomoda-lo... será que isso irá acontecer todas as noites?  

Pensava nisso enquanto corria para o banheiro fazer o que o Sr. Kamui pediu.

O Sr. Kamui quase sorriu.                       

Minutos depois garoto sentado na mesa terminando a fatia de pão com gosto.                       

Oliver:- Aonde está o Yohio?                       

Kamui: - Atrasado como sempre.                       

Oliver:- Sr. Kamui a quanto tempo Yohio trabalha com o senhor?                       

Sr. Kamui:- Hm... Faz muito tempo                       

Oliver:- desde que ele era pequenininho? Vocês parecem pai e filho                       

Sr. Kamui: ....     

Alguem ficou em silencio por um tempo.                 

Sr. Kamui:- Hm. Isso não tem cabimento.Vá lavar os tomates.                       

Oliver se levantou e começou a lavar tudo que sr. Kamui pedia.                       

Oliver:- sr. Kamui, o senhor dormiu bem?                                     

Sr. Kamui: - Claro.  Os fantasmas não me incomodam                       

Oliver quase deixou o tomate cair.                       

Oliver:- o senhor também os vê?                       

Sr. Kamui:- Tudo se vê. Não se preocupe só os deixe passar e tudo passa.                       

Oliver sorriu de canto e colocou na cesta para escorrer.                        

Oliver:- não gosta de conversar com eles?                       

Lavando agora as cenouras    

Sr. Kamui:-  Não faria diferença. Eles não estão realmente ouvindo.                       

No final vão fazer só  o que querem                                         

Oliver:-  Eu gosto ...

Oliver deixou as cenouras perto dos tomates e pegou as beringelas                       

Oliver:- Mas tem alguns que ouvem e nos ajudam... e não nos deixa sentir tão sozinhos                                              

" e estranho como consigo conversar tão tranquilamente com ele"                       

Sr. Kamui: - Tem certeza Oliver?  Você nunca foi obrigado a fazer algo que não queria?                       

Oliver ficou pensativo. E sacudiu em negativo. Não que ele se lembrasse                       

Oliver:-  O senhor tem mesmo 240 anos?                       

Foram interrompidos pelo som da porta dos fundos abrindo com tudo, Yohio surgia ofegante, como se tivesse feito uma maratona. Os trajes sociais estavam amassados e sujo como se tivesse rolado no chão e as olheiras fundas entregavam uma noite mal dormida.   


Notas Finais


(suspiro)
Parte do misterio foi revelado. Porem isso é somente a ponta do titanic.
Espero que tenham gostado,

(>_<)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...