História HELP-ME ~Vkook/TaeKook ♡ - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Tags Taekook
Exibições 135
Palavras 739
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Josei, Lírica, Luta, Poesias, Policial, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


:3

Capítulo 8 - CHAPTER 8♡


Fanfic / Fanfiction HELP-ME ~Vkook/TaeKook ♡ - Capítulo 8 - CHAPTER 8♡

Oi?

Meu Nome é Kim Taehyung, mais deixe de formalidades e me chame de Tae.

Sou um jovem de 18 Anos acabei o ensino médio a pouco, trabalho feito um condenado pra sobreviver tenho 3 três trabalhos de meio periodo, pela manhã trabalho numa loja de conveniência, atarde num restaurante fast-good e anoite numa lanchonete próximo a um boliche famoso entre os jovens.

Bem, família? Tenho sim. Minha mãe e uma faxineira/mãe/saco de pancada.

Sim ela e frequentemente agredida pelo bosta do meu padrasto, pai? Morreu quando tinha 10 anos, ele era uma ótima pessoa, me amava, amava minha mãe, mais um acidente de trânsito tirou ele de nós, depois de um tempo conseqüentemente minha mãe arranjou outro marido, que no começo aparentava ser como meu pai so que depois do casamento mostrou-se a praga que é.

Começou com um simples empurrão, e o primeiro perdão, aceito, depois um tapa, e outro perdão, aceito, um soco e outro perdão, até que quando eu não aguentava mais ver minha mãe apanhar entrei na frente dela, oque aconteceu ?

Eu apanhei, mais pude dar bons socos nele oque me fez sentir valer a pena ter apanhado, o gosto de ver ele no chão sentindo dor foi impagável, oque não me deixa esquecer? Uma pequena cicatriz provocada pela queda, oque me faz rir todas as vezes que vejo.

Meu pai? Como disse morreu, so tenho o estorvo do meu padrasto, um cara que nao trablha, coça o saco o dia todo, um bebado sem escrúpulo, um grande FDP.

Irmãos? Tenho 1 de 6 Anos, fruto do "amor" da minha mãe com o quem eu gosto de chamar o FDP , ele aparentemente e um garoto traumatizado pela infância que teve cercado de brigas, ver nossa mãe apanhar quase todo dia, algumas vezes ele se escondia debaixo da cama e la ficava por horas por causa das brigas, ele gritava de madrugada, e não falava muito.

Minha casa? Alugada, Carro? Ônibus, felicidade ? Não tenho, amores? Dispenso, personalidade ? Forte, traumas? Muitos..

Tenho 1,81 e 64kg, gosto de música, mais nunca cantei, cabelo castanho mais gosto frequentemente e trocar o tom, agora está vermelho, tenho olhos negros, e bem puxados e o sorriso que todos nomeiam "quadrado".

Sou uma pessoa de personalidade forte, brincalhão, amável, gosto e fazer as pessoas rirem, adquiri esse gosto por causa da minha mãe vê-la triste me deixa triste então quando ela estva tiste fazia de tudo pra faze-la rir.

Acordo todo dia as 5 da manhã pego 2 ônibus o que leva cerca de 1:30 pelo transito,e o local que moro que e muito dificil, passa um onibus "acada 2 anos", isso tudo pra chegar no primeiro trabalho, de atendente numa loja de conveniência, o movimento lá e fraco, e muito entediante estar lá, depois de quatro horas vou pro segundo emprego, o fast food,estar lá quando não se tomou café da manhã ou comido nada e difícil, so posso comer no fim do meu expediente ou seja 8 horas sem comer desde as 5 da manhã, aí percebe o porque dos meus 64 kg.

Enfim anoite o último emprego o no restaurante perto do boliche, e o mais movimentado, dependendo do dia à filas enormes o que me faz ficar depois do horário,meu chefe? Um poço de ignorância e chatice, não posso parar um minuto, da um respiro de alívio, que ele ja me chama de vagabundo, e que vai me demitir, não posso reclamar e o emprego que mais ganho dinheiro então não posso posso perde-lo.

Anoite chego em casa e tenho que aguentar o FDP, oque ele faz?

Dorme até 12, depois vai pro sofá come igual a um porco, fica assistindo futebol, filme e outras porcarias, atarde vai pro bar e volta so as 20:00 brigando com Deus e o mundo.

Se gosto dessa vida? Não, meu sonho era estar numa faculdade agora, so me preocupando com os meus estudos, pra um dia dar a vida que minha mãe e meu irmão merecem, quem sabe um estágio na área que iria atuar?

Mais vou levando essa vida, o resultado de tudo isso ? Cansaço, raiva, traumas, dores, choros, desespero, as vezes tenho vontade de me matar, mais lembro da minha mãe e meu irmão, e sei que sem mim Aqui as coisas serão pior pra eles oque me faz repensar.

Mais enfim essa é minha vida, vivo todo dia com a esperança de ser meu último ou pelo menos o último do meu padrasto hehhehe.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...