História Her - Camren - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren
Exibições 1.134
Palavras 1.874
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 35 - Ela é minha


Fanfic / Fanfiction Her - Camren - Capítulo 35 - Ela é minha

Camila POV

Ela não voltou em uma hora. Não voltou em três horas. Clara estava me mostrando algumas fotos de família quando o resto da família chegou. Todos estavam lá, menos ela.

Nós conversamos por um tempo. Parecia estranho eu estar ali sozinha e eles achando que eu namorada nela. Me perguntei mais uma vez se nós estávamos namorando agora. Se não estivéssemos, então o que nós éramos?

- Eu não consigo falar com a Lauren. O celular dela parece estar desligado. Mas amanhã é segunda, então ela vai ter que aparecer na empresa. – Mike falou voltando da cozinha com seu celular na mão. O meu havia descarregado.

– Você pode dormir aqui de novo e esperar por ela ou eu posso ir te deixar em casa.

- Ahmm... Não precisa, eu pego um ônibus. Ainda não é tão tarde. – Me levantei do sofá e respirei fundo. Onde céus ela havia se metido?

- Não seria incômodo a deixar em casa. – Ele falou novamente e a porta se abriu. Lauren entrou e fechou a porta. Ela estava sorrindo, mas parou assim que nos encontrou a observando. - Bem, acho que não preciso mais insistir. Eu vou ali.

Ele sorriu quase sem graça e desapareceu da sala em segundos. Lauren se aproximou, jogou o casaco no sofá e caminhou até parar na minha frente.

- Você me deixou sozinha. – Falei. Ela respirou fundo.

- Não te deixei sozinha. Você tinha minha família. – Deu de ombros. Talvez agora me entendam sobre o porque eu digo que não a entendo. – Você fica bem nas minhas roupas.

- Onde você estava? Eu te esperei por cinco horas. – Falei novamente me afastando dela quando tentou me abraçar.

- Eu saí. Só isso. – Revirou os olhos e pegou o casaco no sofá. – Não vou brigar com você agora. Nós não temos nada, então eu não preciso me explicar.

Essa doeu até no fundo da alma. Como ela poderia dizer isso? Não tínhamos nada? O que ela queria dizer com isso?

- Não temos nada? Então o que é isso que temos? – Apontei entre nos duas. – Isso é nada?

- Camila...

- Okay. Eu entendi. Ta tudo bem. Eu to indo embora. – Passei por ela em direção a porta e ela me seguiu para o lado de fora.

- Eu estava com a Lucy. Nós conversamos sobre algumas coisas e acabei perdendo o horário. Não iria ter te deixado o dia sozinha se você tivesse acordado.

- A culpa é minha? – Puxei meu braço quando tentou me segurar.

- Camila, eu não disse isso.

- Só me leva pra porcaria da minha casa. Eu não quero ficar aqui. – Caminhei sozinha até seu carro. Ela continuou parada em frente de casa. – O que está esperando?

- Pensei que fosse ficar. – Caminhou na minha direção.

- Pensou errado, da mesma forma que eu pensei que tínhamos algo, talvez. – Ela destravou o carro e eu entrei batendo a porta em seguida sem me importar com algum dano. Havia dano demais na minha mente.

- Eu não quis que isso saísse desse jeito. – Entrou também e colocou a chave no lugar. Ligou o carro.

- Só me leva embora.

Ela respirou fundo. Não disse mais nada. Dirigiu de volta pra minha casa. Eu encarando o nada fora da janela do carro enquanto minha mente recebia tiros dele mesmo. Como ela podia dizer que não éramos nada?

Seu carro parou e eu simplesmente saí. Bati a porta novamente e não olhei pra trás. Eu sabia que ela estava me olhando confusa. Mas eu não tive forças para a olhar uma última vez. Entrei em casa e segui pro meu quarto sem falar com meus pais. Sofia dormia no sofá da sala.

Havia terminado meu banho quando voltei para o quarto e Lauren estava sentada na minha cama. Eu quis revirar os olhos, mas em vez disso, eu quis realmente chorar ou bater nela.

- Você pode sair do meu quarto? – Perguntei passando para o outro lado do quarto atrás de alguma roupa para dormir.

- Deixa eu falar com você primeiro.

- Não quero ouvir nada do que você tem pra falar agora. Só vai embora. – Vasculhei as roupas. Nada parecia confortável.

- Eu saí com a Lucy...

- Não precisa me dar satisfações da sua vida, Lauren. Nós não temos nada, então relaxa.

- Vai ficar assim comigo agora? Eu já falei que não queria que isso tivesse sido dito assim. Não era o que eu estava querendo dizer. – Levantou da cama e caminhou para perto. Eu sentindo um arrepio na coluna por ela ter se aproximado tão rápido quando deveria simplesmente ir embora. – Não vou te pedir em namoro assim. Eu quero esperar o tempo certo. A hora certa. Não quero errar com você. Eu prometi pra sua mãe.

- Eu não estou dizendo que tem que me pedir em namoro. Você simplesmente jogou as palavras como se não houvesse nada entre nós. Você é muito... – Eu não iria falar.

- Eu sou muito o que? – Perguntou cada vez mais perto.

- Você me deixa confusa e eu não gosto disso. Se eu digo que gosto de você, então diga que gosta de volta ou que não me quer de uma vez. Eu acabo entendendo um dia e se...

- Eu não gosto de você, Camila. O que eu sinto é muito mais forte. Tente me entender. Eu não posso errar com Você. – Ela me abraçou por trás. Meus olhos fecharam e meu corpo todo explodiu em chamas. Eu me sentia tão quente perto dela. – Me desculpa ter te deixado sozinha. Eu realmente não vi o tempo passar enquanto conversava com a Lucy. Você estava tão cansada, só te deixei descansando. Eu não vou fazer de novo.

- Não vai me deixar de novo? – Perguntei e ela me abraçou mais forte.

- Nunca mais vou te deixar! – Beijou meu ombro e afundou o rosto na curva do meu pescoço. Eu estava em casa nos seus braços novamente.


Lauren POV

Não me perguntem o que eu tenho em mente. Não descobri como minha mente reage a Camila. Não é como se eu pensasse direito. Era tudo tão cego e eu apenas podia a ver. Eu não sei como reagir a ela.

Não tive a intensão de dormir na sua casa, mas acabei adormecendo enquanto a abraçava. Era cedo ainda quando acordei e saltei da cama para o banheiro.

Era cedo, mas eu estaria atrasada. Camila sequer se moveu na cama. Ela permaneceu dormindo e só virou para abraçar o travesseiro e afundar ainda mais no seu sono tranquilo. Inferno, eu não a poderia perder.

Lembro quando minha mãe me disse uma vez, que se o amor chegar para você e ele for realmente profundo e forte, então você não pode o deixar ir. Eu não deixaria ela de novo. Nunca mais.

Me despedi dela com um beijo carinho em seus lábios. Eles eram tão macios. Eu queria poder a beijar eternamente. Nunca iria cansar. Ela havia sido feita para mim e só para mim.

- Te amo!! – Sussurrei quando a beijei novamente e ela se moveu para o outro lado. Sorriu. Ela havia ouvido? Meu coração acelerou.

- Lauren. – Disse sonolenta. Eu me aproximei. Ela sorriu mais forte, mas não abriu os olhos, ainda dormia. Camila estava sonhando comigo. Minha vez de sorrir forte.

Eu não a deixei, apenas me despedi por hora. Voltaria para vê-la ainda hoje. Dirigi para casa e troquei de roupa para o trabalho.

Não cheguei tão tarde. Organizei alguns documentos sobre a mesa. Arquivei outros dos projetos que já havia finalizado. Abri novos documentos para trabalhos futuros.

Procurei meu celular sobre a mesa inteira e não o encontrei. Fiz novamente meu percurso dentro da empresa para ver se não havia o deixado em algum lugar. Nada. Perdi meu celular.

- Procurando algo?  - A voz dela se fez presente atrás de mim. Eu estava verificando a mesa novamente. Sorriu quando finalmente encontrei seu olhar.

- Camila. – Eu sorri confusa, mas assim que ela balançou a mão de frente para o corpo e revelou meu celular, entendi onde o havia esquecido.

- Esqueceu no meu quarto. – Se aproximou e eu peguei o celular. Eu estaria perdida sem ele hoje. – Não teria aparecido sem avisar, mas... Eu não sei seu número aqui, então...

- Não tem problema, amor. Obrigada. – A beijei e ela pareceu tímida. Haviam algumas pessoas nos olhando. Eu ri.

- Essa é sua mesa? – Ela perguntou tentando ignorar os olhares assim como eu havia feito.

- Sim. Senta aqui do meu lado. Você tem algo para fazer agora? – Ela sentou na cadeira que eu puxei para ela e negou com a cabeça. – Então me acompanha e me ajuda enquanto eu termino o projeto dessa sala.

Camila manteve os olhos fixos na tela do computador enquanto acompanhava o desenho dos projetos que eu terminava. Eu tinha que documentar tudo o que precisaria e ela fez parte desse trabalho. Talvez tivesse um dom natural para isso. Entendeu tudo tão rápido.

As pessoas agora apenas sorriam quando passavam por nós. Camila muito focada para perceber. Eu tinha que fazer as coisas certas com ela. Eu queria que todos soubessem que ela era minha.

- Camila, vem. Amanhã eu termino isso. – Tentei a tirar da minha cadeira depois que voltei da reunião com o time do próximo projeto. Ela terminou o que eu havia deixado na metade. – Como você?...

- Eu estava te observando fazer isso e foi simples na verdade. Não ficou tão bom quanto o seu desenho, mas também não está ruim. – Sorriu.

- Isso está ótimo. – Me aproximei para observar melhor. – Você realmente tem um dom para isso. Eu demorei um pouco para chegar a esse nível, mas você me bateu tão rápido.

- Ainda não bati, mas se quiser, posso bater rápido mais tarde. – Piscou e eu a beijei.

- Êhh Lauren. Trouxe a mulher pra ajudar no trabalho? Vou trazer a minha também. – Roger passou por nós rindo.

- Como se você tivesse uma. – Falei e abracei Camila ainda sentada. Ela riu. Eu não olhei a expressão que ele deveria ter feito, mas ouvi risos de outras mesas. - Vamos, Camz. Vou te levar pra casa.

- Ainda ta cedo. A gente pode passar em casa e pegar a Sofia pro sorvete que você prometeu, mas nunca voltou para busca-la. – Levantou da minha cadeira enquanto eu arrumava minha bolsa.

- Você quem manda. Vamos buscar a Sofia pro sorvete. – Joguei a bolsa por cima do ombro e a puxei para me acompanhar até o elevador. Camila sorrindo ao meu lado. Eu poderia me acostumar com isso.


Notas Finais


E aí?!! Demorei um pouco mais pra postar esse, eu realmente estive bem ocupada nos últimos dias, mas nem demorei tanto assim. Então aqui estavamos.
Comentem sempreee!!
Obrigada a todos os comentários do cap anterior e a Lauren ainda não trouxe a aliança de compromisso pra Camz :(
Talvez num próximo?
Se cuidem!!!
2bjos
Emma


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...