História Her - Camren - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren
Exibições 1.070
Palavras 1.826
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Sorriso da Camila acaba comigo!! 😍

Capítulo 36 - Resultado


Fanfic / Fanfiction Her - Camren - Capítulo 36 - Resultado

Camila POV

Duas semanas passaram como apenas uma. Eu ainda não entendia Lauren muito bem, mas estava quase desistindo. Ela me queria por perto um dia e no outro nem ao menos respondia minhas mensagens.

Hoje eu não estava preocupada por ela não ter me respondido sobre que horas me buscaria para um jantar que havia me convidado. Pelo que pareceu, ela me chamou para sair para se desculpar de uma briga que havia tido com uma das minhas amigas. Ela não gostou da proximidade da garota.

O resultado da prova do vestibular finalmente havia saído e eu estava no meu caminho para a universidade, torcendo para que meu nome estivesse em um dos papeis na parede.

Não demorei muito para chegar. A cada passo que eu dava em direção ao corredor com algumas pessoas checando também seus nomes, meu coração saltava um pouco mais. Era quase como se minhas pernas quisessem desistir de andar e eu simplesmente fosse cair de cara no chão. Eu queria tanto meu nome da lista.

Esperei que três pessoas alegres e divertidas terminassem suas breves comemorações no momento por terem encontrado seus nomes e então saíssem mais saltitantes que cangurus. Me aproximei. Cheguei a primeira lista. Nada.

Meu nome não estava em nenhuma das três primeiras folhas. Meu ânimo foi ao chão. Respirei fundo. Talvez não fosse dessa vez.

- E aí garota perdida no campus. Não consegui te encontrar no festival. Você pareceu lá? – O garoto que havia me ajudado no dia da prova me cumprimentou sorrindo.

- Ei. Sim. Eu fui, mas não assisti muito os shows. Desculpa, não devo ter te visto tocar. – Ele se aproximou olhando para as folhas espalhadas na parede.

- Você vai ter outras oportunidades. E aí, já achou teu nome? – Perguntou ainda olhando as folhas.

- Não. Talvez não tenha sido ainda. Próximo ano tento outra vez.- Eu tentei sorrir, mas deve ter sido bem triste. Ele pareceu triste.

- Fez prova pra qual curso? Negócios?

- Não. As listas são por cursos? – Fiquei confusa.

- Claro. Aqui. Tem varias listas. Acho que você só checou a primeira. Tenta encontrar o curso para o qual se escreveu e você vai achar seu nome no topo da lista. Eu preciso ir agora. Boa sorte na procura do teu nome. – Ele se afastou sorrindo com suas covinhas e cabeço cacheado e o meu ânimo e esperança reapareceram.

Eu nem ao menos tinha lido o nome Negócios no topo das 3 primeiras folhas que eu havia verificado. Fui passando pelas outras folhas de cursos aleatórios até que finalmente encontrasse o meu e no topo da primeira folha, eu finalmente li meu nome.

Minha boca ficou seca. Meu coração estava em um ritmo desconhecido. Eu queria gritar e me jogar no chão pulando, se fosse possível, continuaria pulando mesmo jogada no chão. Respirei fundo. Engoli a pouca saliva na boca. Sorri o mais forte que consegui.

Meu nome era o primeiro na lista. Eu havia passado em primeiro lugar e após perceber isso, as lágrimas começaram a cair involuntariamente. Eu finalmente consegui entrar na universidade! Mal podia esperar para contar aos meus pais.

Li meu nome mais umas 30 vezes antes de tirar outras 20 fotos com meu celular do meu nome ali. Deixei a Universidade mais feliz do que tudo. Lauren me ligou no caminho para casa.

“Eu não tinha visto a sua mensagem. Posso ir te pegar as 19h?” Perguntou. Eu tentando focar no trânsito, no que ela perguntava e na minha felicidade.

“19h parece ótimo. Eu estou dirigindo. Te ligo depois.”

“Pra onde está indo?” Ela perguntou e eu sorri mais forte do que antes. Eu não queria que ela fosse a primeira a saber e sim os meus pais, mas...

“Eu tava dando uma volta. Nada demais. Te ligo mais tarde. O sinal abriu. Tchau.” Desliguei.

Cheguei em casa e sabia que meus pais ainda não estavam lá. Sofia estava com a babá, no caso, irmã mais nova da Lauren. Taylor.

- Pensei que tivesse saído pra comprar comida. – Taylor pareceu confusa e me olhou procurando por sacolas. Droga.

- Não tinha nada muito bom no supermercado. Vou fazer pipoca e mais tarde posso pedir algo em um restaurante. – Abracei Sofia e segui com elas duas para a cozinha.

- Pensei que fosse sair com a Lauren. – Taylor riu. Deixei Sofia sentada na bancada.

- Você pensa demais, Tay. Olha a Sofia pra ela não cair. Estão se dando bem? – Perguntei procurando uma panela para fazer pipoca.

- Tem os de microondas. – Sofia gritou quando peguei a panela.

- Nahh... Eu quero fazer as de panela. São mais gostosas. – Franzi o nariz pra ela e ela gargalhou.

- Ela é ótima. Estamos nos dando bem. E é muito comportada, então eu mal tenho trabalho. – Taylor respondeu a minha pergunta. O celular dela tocou. – É a Lauren. Posso atender?

- Claro que sim. Só desce a Sofia da bancada primeiro. – Respondi e ela fez o que eu disse. Sofia me olhando com um sorriso sapeca no rosto. Taylor se afastou para atender o celular. – Por que está sorrindo assim Sofi?

- A Lolo fica ligando pra saber de você. – Ela gargalhou.

- Saber de mim? Taylor você está sendo babá da minha irmã ou espionando minha vida para informar a sua irmã? – Perguntei alto e ouvi Taylor gargalhando do outro cômodo.

A tarde passou rápido com as duas. Eu queria poder contar minha ótima notícia porque quase não podia conter minha felicidade, mas me segurei. Taylor foi embora as 17h. Meus pais chegaram 30 minutos depois.

- Que cara é essa Kaki? – Mama perguntou depois de alguns minutos na cozinha.

- Tenho uma notícia. – Eu sorri pressionando os lábios.

- Quem está grávida? – Papa entrou na cozinha rindo. – Não quero ser avô agora.

- Deixe ela falar. – Mama parou de beber seu café e me encarou séria. Eu querendo explodir e gritar.

-Eu tentei de novo a prova do vestibular esse ano. – Comecei a falar e agora meu pai também me encarava. Eu tinha a atenção dos dois. – O resultado saiu hoje.

- Você passou? Conseguiu? – Ele perguntou já animado. Mama com uma expressão curiosa. Eu ri.

- Consegui. Passei em primeiro lugar!! – Finalmente falei e os dois fizeram suas expressões surpresas e depois se entreolharam para então sorrirem forte e os dois virem na minha direção pra me abraçar. Eles pareciam orgulhosos e eu chorei de novo de felicidade enquanto os dois também choravam comigo.

Sofia apareceu na cozinha segundos depois e começou a chorar porque ficou confusa nos vendo chorar. Ela não estava entendendo nada, então nós a juntamos ao abraço da família e ela continuou chorando com a gente, mas passou a rir quando começamos a pular comemorando no meio da cozinha.

- Kaki passou no vestibular!!! – Papa gritou alto e beijou o topo da minha cabeça. – Nós temos que sair pra jantar fora e comemorar.

- Sim. Vamos trocar de roupa e sair pra jantar fora. – Mama concordou e me abraçou novamente depois. Sofia rindo.

Eu não lembrei da Lauren ou do seu convite para jantar fora até que ela me ligasse as 18:20. Eu estava terminando de me arrumar. Atendi a ligação e deixei no viva voz.

“Taylor disse que amou Sofi.” Ela falou depois de me desejar Boa noite.

“Sofia também gostou muito dela.” Falei enquanto vestia meu vestido favorito. O que a Lauren me deu.

“Estou terminando de arquivar uns documentos na empresa. Talvez eu atrase uns 20 minutos pra te buscar. Tudo bem?”

“Na verdade, nosso jantar fica pra outro dia. Eu vou sair pra jantar com os meus pais hoje.” Procurei algo para calçar.

“E eu não posso ir junto? Vocês vão sair agora? Eu ainda devo um jantar pra vocês.”

“Não sei. Talvez a gente saia daqui uns minutos. Estou terminando de me arrumar.”

“Me envia o restaurante por mensagem e eu encontro vocês lá. Você parece animada. Aconteceu algo?” Perguntou e eu sorri mais uma vez no dia. Era como se eu sorrisse até para o vento que entrasse pela janela.

“Se você aparecer no jantar, então saberá o motivo da minha felicidade.” Ri. Eu estava pronta. “Eu vou descer agora e perguntar ao meu pai qual restaurante. Te mando o endereço por mensagem. Tchau, Lauren.”

Desliguei a chamada e desci a escada. Meus pais e Sofia me esperando na sala. Papa me abraçou de novo e disse que estava mais do que orgulhoso por mim e feliz por eu ter passado em primeiro lugar.

Nós saímos e ele dirigiu até meu restaurante favorito. Eu enviei o endereço pra Lauren e joguei o celular na bolsa. Seria difícil conseguir uma mesa sem reserva nenhuma quase no final de semana. Eu não ficaria triste se nós tivéssemos que apenas voltar e comer um cachorro quente de rua. Estava feliz demais pra me importar com restaurantes com reservas. Ainda estava cedo porém, então talvez houvesse alguma  mesa livre.

- Hoje o dia começou bem movimentado e as mesas livres agora já tem reservas. Sinto muito. – Nos informaram e papa pareceu triste.

Alguém me abraçou por trás e eu quase dei um pulo. Seu cheiro me tranquilizou segundos depois.

- Hey, qual o problema? – Ela sussurrou. Meus pais muito ocupados tentando convencer o homem a nos dar uma mesa para perceber a presença da Lauren atrás de mim. Sofia no meio dos nossos pais.

- Não vamos conseguir uma mesa aqui. Está tudo reservado. – Falei enquanto ela beijava meu ombro.

- Não seja por isso. É o mesmo restaurante que eu iria te trazer. Espera aqui. – Me soltou e se aproximou dos meus pais. – Boa noite, Nick!

- Srta. Jauregui!. – O homem a cumprimentou formalmente e ela sorriu.

- Consegue colocar mais algumas cadeiras na mesa que reservei hoje, certo? – Ela piscou pra ele e o homem sorriu. – Eu sabia que podia. Eles estão me acompanhando.

Papa me olhou confuso e eu dei de ombros sorrindo. Pelo menos teríamos uma mesa para jantar agora. O homem nos levou até a mesa. Trouxe mais cadeiras e nos sentamos. Lauren do meu lado.

- Como sabia que  viríamos cá? – Mama perguntou.

- Camila me enviou o endereço. Nós iríamos jantar aqui, mas ela disse que vocês todos estavam vindo também e eu sabia que não conseguiriam uma mesa livre na sexta. – Lauren respondeu. – O que estão comemorando hoje?



Notas Finais


:)
Nem sei o que escrever nessa nota. Só vou dizer que não consigo parar de ouvir Bad Things e que amei.
Comentem o que acharam do cap e da música da nossa Camz.
Espero que todos estejam bem.
Se cuidem!
2bjos!!
Emma


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...