História Herdeira Manhattan - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Watchmen
Personagens Personagens Originais
Exibições 2
Palavras 1.535
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Super Power, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ooooiiiiiii (não me matem)
Foi mal a demora. Mas acho que esse vai compensar a demora ^^
Boa leitura!

Capítulo 30 - O que disse?


Fanfic / Fanfiction Herdeira Manhattan - Capítulo 30 - O que disse?


Uma equipe medica o levou direto para a sala de cirurgia, não quero ficar aqui, volto ao apartamento, ele esta vazio, Rorschach ainda não voltou.


Me sento e tento usar meus dons, nada. Sons de passos ecoam no corredor, não me preocupo acho que é o ruivo, que engano:


- Olá Calim!  Ou devo dizer, Irina?- seu sorriso sarcástico combina com os cabelos grisalhos- Como vai seu amigo?


Tento ataca-lo, ele desvia com facilidade, para um velho ele é bem ágil, segura meus pulsos e fala em meu ouvido:


- O que acha de conversarmos como pessoas civilizadas?- ele me solta, volto a me sentar, ele se recosta na mesa e larga a bengala- Então como esta seu amigo?


- Por que esta aqui?- ele me olha sorrindo, esse velho, acho que vou matar ele a qualquer momento.


- Vim ver como esta minha mais perfeita criação! Achei que precisava de companhia, afinal enfrentar Henry e deixar seus amigos amigos se machucarem não deve ter sido fácil!- controlo minha raiva, sei que só esta me provocando- Mas, perder seu dons e de uma forma tão repentina! Isso deve ter sido quase uma morte para voce!


- Você não respondeu minha pergunta, por que veio ate aqui?


Se levanta e caminha pela cozinha, analisa tudo, parece procurar algo:


- Bom acho que você tem direito a respostas!- ele abre os braços e sorri, consegue ser mais irritante que o Adrian-  Pode perguntar querida!


O que vou perguntar, minha vontade é de quebrar todos seus ossos.


- Foi voce quem mandou me sequestrar?- levanta uma das sobrancelhas, puxa uma das cadeiras e volta a se sentar.


- Direto ao ponto, voce daria uma ótima aliada!- reviro os olhos provocado alguns risos nele- Sim fui eu, afinal voce é minha, não existiria se não fosse por mim, tecnicamente não foi sequestro!


Sádico, ele tem uma maneira estranha de ver as coisas, retiro a mascara e ele me analisa:


- Você superou todas as minhas expectativas! Só é uma pena que tenha que te controlar de uma maneira tão invasiva!- ele desperta minha atenção, seu sorriso diminui mas não some- Eu posso te dizer a maneira de retira-lo, mas teríamos que fazer um acordo!


- Como se você fosse me entregar isso de bandeja! O que quer em troca?- começa a riscar a mesa com uma faca que estava ali.


- Nada de mais, só me obedeça quando eu chamar, assim que fizer tudo que eu pedir tiro isso de voce!- quase ri com esse comentário- Ora! Vamos Iri,  você tem muito a perder!- ele se levanta e caminha a minha volta- Daniel, Carly,  Bianca, Walter!


Levanto em um pulo, tento socar seu rosto, mas ele é mais rápido, me imobiliza contra a parede:


- Como voce descobriu sobre ele!- ouço seu riso rouco, me debato e ele aperta meus pulsos com mais força.- O que voce sabe sobre o Walter?


- Achou mesmo que não ficaria de olho em voce, que não teriam pessoas te vigiando, Irina eu sempre estive de olho em voce! Quando ao seu "namoradinho", eu sei quem ele é! Não vou machucar ele, ainda!


Larga meus braços, pega sua bengala e caminha em direção ao corredor:


- Lembre que eu sempre vou saber onde voce esta! Caso mude de ideia!- ele deixa um cartão sobre a mesa e parte.


Acaricio meus pulsos, estão um pouco doloridos, pego cartão deixado na mesa, um cartão negro com números brancos.


Tenho que achara aquele ruivo e rápido.



Pov's Rorschach


Ainda estou no hospital, não sairei daqui ate acabar a cirurgia, nenhum dos funcionários me incomodou. Os médicos conversam sobre Daniel, o quadro não é nada bom, não consigo evitar de me preocupar com ele.


Calim não voltou a me procurar, não voltarei aquele lugar tão cedo, um medico vem em minha direção, esta visivelmente nervoso, engole seco antes de falar comigo:


- O, que você é, bom, dele?- encaro o doutor a minha frente, suspiro, não sei como responder a isso.


- Ele é...- respiro fundo, olho pelo janela da sala de cirurgia- Meu amigo!


- Bom, notei que se... Preocupa com ele!- toca meu ombro com cuidado, pela primeira vez eu não reajo- Ele esta muito ferido, mas vai ficar bem!


Como um peso tirado de minhas costas eu relaxei, notando minha expressão corporal ele partiu, abriu a porta da sala e entro, fechando em seguida as cortinas para iniciar o procedimento.


Percorro os corredores em direção a saída, vou achar qualquer um que seja próximo a Henry, o farei se arrepender do que fez.


Nos subúrbios da cidade encontro alguns traficantes, eles conversam sobre um possível sequestro. Seguro um deles pelo pescoço o quebrando, o segundo tenta fugir, mas é atingido por uma barra de ferro:

- QUEM FEZ O SEQUESTRO?- ele implora para que não o machuque.

Com um golpe, quebro a parte inferior de sua perna, seu urro de dor ecoa por todas as paredes do beco:


- Eu não sei, quem sabia era o Tim, mas você matou ele!- isso não me convence, levanto a barra acima de minha cabeça, ela atinge seu tórax com velocidade e força.


Sangue sai por sua boca, ele se curva e cospe, solto a barra ao meu lado, o som do metal se chorando contra o solo se espalha, seguro os cabelos negro do traficante, saliva e sangue escorrem pelo canto de sua boca.


Bato ela na parede com força, sinto seu crânio se partir, bato novamente, seus ossos se separam e furam seu cérebro, o terceiro impacto faz com que comece a grudar na parede. Sigo batendo várias vezes, exausto largo o corpo inerte no chão, meu "rosto" e roupas estão manchados de sangue.


Vou achar aquele maldito, nem que seja no inferno.

Pov's Bianca Rachel.


Eram uma 11:00pm quando me ligaram dando a noticia, Daniel no hospital, machucado e correndo risco de vida.


Tive que esperar ate o dia seguinte para ir ate la, antes de sair alguem toca a campainha:


- O que você esta fazendo aqui?- Eddy esta aqui na minha porta, nao sorri, o que é bem raro.


- Esta indo ao hospital?- afirmo que sim, ele me da passagem- Ótimo vou com você!


Não entendi essa súbita mudança, mas não irei questionar, chamo um táxi, em pouco tempo estamos no hospital.


Blake esta estranho, não fez nenhum comentário sarcástico, nem tentou me cantar, seu semblante esta abatido, nem parece o mesmo Blake. Chegamos a recepção, eles nos dão crachás de visitantes. Dan esta nas UTI's, isso so me preocupa ainda mais.


Ele esta inconsciente, parece que os médicos o estão dopando, um pequeno tubo esta em seu nariz para ajudara respirar,e aproximo e toco sua cabeça, seus cabelos estão duros, sangue seco esta ali:


- Oi, Eddy. - sua voz sai como um sussurro, ele pisca devagar- Onde esta a Carly?


- Não fale, precisa descansar!- um medico muito jovem entra no quarto, ele é ruivo e alto, seus cabelos são longos e lisos- São amigos dele?


- Sim, sou Bianca, esse é Edward!- aperto a mão do doutor- Quem é Carly?


- A criança por quem ele estava responsável!- abro a boca de leve com essa informação- Ela foi sequestrada, acho quê ele ia adota-la!


Essa noticia foi meio inesperada, mas não me surpreendeu, faz bem a cara dele.

Pov's Rorschach

Minhas buscas foram inúteis, nenhum desses vermes sabe onde Henry esta.


Estou evitando contacto com Irina? É possível, não sei como lidar com ela, a discussão de mais cedo não ajudou em nada. Volto ao apartamento, as luzes estão apagadas, subo ate o segundo piso, empurro a porta do quarto de leve.


Ela está ali dormindo tranquilamente, seu rosto esta marcado por lágrimas, me aproximo e tento tocar seu rosto, em um movimento rápido ela segura meu pulso:


- Calma, sou eu!- ela não solta meu braço, aperta um pouco mais antes de soltar- Por que estava chorando?


- Não estava!- ela passa as mãos no rosto limpando as marcas de lágrimas- Achei que tinha me abandonado.


Sua voz sai como um sussurro, retiro meu "rosto" e a olho com a mascara.


- Sabe que não gosto que me esconda coisas!- ela baixa a cabeça e mantém o tom de voz.


- Por que faz isso?- ela me encara com um olhar triste- Por que me trata assim? Não sou seu objeto, não pode mandar em mim!


- Me preocupo com você, não quero que se machuque!- ela ri e se levanta.


- E SO POR ISSO ACHA QUÊ PODE ME TRATAR COMO LIXO, QUE PODE ME DIZER O QUE FAZER?- me levanto e seguro em seus ombros, obrigo ela a parar.


- NÃO QUERO TE PERDER IRINA, VOCÊ FOI E É, A ÚNICA PESSOAL NÃO MINHA VIDA QUE ME DEU CARINHO, POR ISSO TENTO MANDAR EM VOCÊ, POR QUE EU TE Amo!- ela arregala os olhos.


A solto e caminho rápido para baixo, não devia ter dito isso. Ela segura meu braço, um sorriso esta em seu rosto:


- Repete, o que você acabou de dizer!- engulo seco, não quero falar novamente, mas minha nova parece se mover contra minha vontade.


- Eu disse, que te amo!



Notas Finais


Finalmente essas palavras saíram da boca dele ¬¬
O mininu difícil ^^
O que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...