História Herdeira Manhattan - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Watchmen
Personagens Personagens Originais
Exibições 11
Palavras 1.744
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Super Power, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Três pessoas favoritaram eeeeeeeeeeee!
Muito feliz aqui, obrigado gente!
Espero que gostem!
Boa leitura!

Capítulo 9 - Energia


Fanfic / Fanfiction Herdeira Manhattan - Capítulo 9 - Energia


Acordei e me vi dormindo ali na cama, (hã? Pera, foi isso mesmo produção?) observei com atenção, era eu mesma ali deitada:
-"Mas que porra!"- gritei mais ninguém pareceu ouvir, nem mesmo o Manhattan sentado ali ao meu lado- "Oi! Esta me vendo?"
Balancei a mão na frente dele, mas não adiantou, ele continuava olhando meu corpo físico, olhei minhas mãos e elas estavam com uma cor azul bem clara, quase transparente.
-OK! Isso é estranho!- olhei ao meu redor e pensei em sair.
Quando reparei eu já estava flutuando para fora, coloquei os braços na frente do rosto, mas atravessei a parede sem problemas, bom já que ninguém me vê, que tal dar uma voltinha!
Sorri, ou melhor o eu "fantasma" sorriu, flutuei a esmo, entrando em uma sala ou outra, numa delas tinha um maquina enorme, parecendo um gerador, onde soltava raios azulados, Manhattan estava la, mas eu sabia que ele podia estar am vários lugares ao mesmo tempo.
Sai dali, fui para outra sala, olha se fosse meu corpo físico que estivesse ali teria babado, tinham vários tipos de doce, e muitos chocolates, vou voltar aqui depois.
Flutuei mais um pouco até encontrar o quarto do Adrian, acho que ele tem complexo de superioridade, eu nunca tinha visto alguém ter um quadro gigante de si mesmo acima da cama escrito " O ser humano mais inteligente do planeta", ri daquele quadro tosco. Vi que Veidt estava dormindo ali, será que consigo zualo sendo uma projeção?
Havia uma caneta no criado mudo ao lado da(gigante, assim como tudo ali, inclusive o quarto) cama, tentei pega-la, não consegui, me concentrei e movi ela com a mente. Ri de satisfação, controlei e escrevi no rosto dele.
Flutuei para fora do quarto, ouvi uma conversa em um comodo que devia ser uma sala de convivencia:
- Rorchach arrasador de corações!- era a voz do comediante, riu como o maluco que era.
Não teve uma resposta do Rorchach, ele continuava olhando pro nada sem se importar com as palavras do comediante:
- Deixe ele em paz Blake!- olhei para única mulher ali, Laurie Juspeczek, a espectral- Ele não tem culpa dela ser atirada!
Haaaa mulherzinha, me chamou de atirada, vai ter volta bonitinha:
- E tem mais, ela estava bêbada não é! Deu uma de fangirl!- ela riu do comentário
- Entao você também daria um "ataque" desses!- Eddy perguntou e ela revirou os olhos, depois mostrou o dedo do meio para ele
- Foi um momento de fraqueza dela!- todos olhamos o Rorschach- Ela perdeu uma pessoa próxima a pouco tempo!
Laurie ficou chocada, Blake não reagiu ele já sabia, Rorschach voltou a ficar em silencio, sai dali e fui a sala de monitoramento, vários cientistas e doutores estavam ali, olhavam os monitores onde meu corpo estava, olhei a parede tinha alguns exames.
Olhei mais de perto, meu nome estava ali, mas as datas nao batiam ali estava marcado 4 de março de 1976, hoje era 18 de março, aqueles dados são do meu coma, haviam alguns relatórios ali.
" Altamente instável, sem controle dos poderes. Demonstra uma aversão a tentativas de testes mentais.
4 de março de 1976"
Tinha outro relatório ali do 6 de março
" Tivemos sucesso com a intervenção mental, porem a paciente esta acordada, apagamos algumas memórias, não queremos que se lembre do que ocorreu aqui!"
Comecei a ficar nervosa, eles já me analisaram enquanto estive ali, procurei mais alguns e achei um que realmente me preocupou
" Os testes são consistentes, a paciente tem energia suficiente para o experimento, mas não temos certeza se ela ira sobreviver. Não podemos manter ela em como induzido por mais tempo já estão a procura dela"

Flutuei o mais rápido que pude para fora daquele lugar, não podia acreditar, estavam mesmo me usando de rata. Meu temor foi tanto que voltei a força para meu corpo, onde dormi o resto da noite.
########################
- Ei acorde, já é de manha!- Manhattan me acordou, abri meus olhos, será que aquilo tudo tinha sido um sonho
- Bom dia!- bocejei e ele sorriu, um sorriso bem tímido- Que horas são?
- São nove da manha!- me esprequicei e sentei na cama- Levante o café já foi servido, acho que eles tem panquecas!
Meu estômago roncou em resposta, levantei e fui me vestir.
Saímos do quarto, caminhamos em direção a cozinha, ouvi umas risadas baixas, como se tentassem disfarçar, entramos e vários olhares se voltaram na minha nossa direção:
- Bom dia gente!- cumprimentei os que estavam ali, o Blake, a Juspekzs, o Draiberg e o Veidt.
Ele assenaram e voltaram a comer tentado conter o riso, olhei em volta estranhando, só o Adriano não ria, então vi que no rosto dele estava escrito
" o + inteligente. SQÑ"
Era o que eu tinha escrito, então tudo aquilo foi real, eu ri dele:
- Posso saber o que todos estão achando tão engraçado?- ninguém se conteve, foi uma explosão de risadas
- Já se olhou no espelho hoje Adrian?- Manhattan perguntou
Veidt levantou a sombracelha estranhado, se levantou e foi olhar num espelho ali perto
- O que?- Rimos mais ainda, a cara de surpresa dele era cómica- Quem fez isso?
- Não sabemos, mas foi uma jogada de mestre!- Eddy exclamou rindo, Veidt o olhou com raiva e saiu.
- Eu brindo a quem fez isso!- Comediante ergueu a garrafa de bolso e bebeu.
Sentei na mesa e peguei algumas torradas com geleia (#amo) e um suco de laranja, comi tranquilamente, tudo o que aconteceu na noite veio a minha mente, o pior é que foi tudo real, os formulários também eram. Tentei parecer indiferente as lembranças mas era realmente difícil:
- O que esta te incomodando Irina?- Manhattan perguntou, levantei a sombracelha, claro, "esta sondando minha mente?"- Desculpe, não fiz por mal! Mas por que esta nervosa?
- Não é nada!- ele não tinha visto minhas lembranças- Só um pouco de dor de cabeça!
- Se lembra do que fez ontem?- Dan perguntou, fiz um esforço mas consegui lembrar, fiquei vermelha e ele sorriu- É bom saber que gosta de abraços!
Todos riram e eu me afundei ma cadeira, lembrei quem tinha abraçado, Rorschach me disse aquilo de forma tão cruel, que me afetou profundamente:
- Esta pronta pra treinar hoje?- Manhattan perguntou e eu sorri em resposta, se virou para o Eddy- Blake, chame sua pupila, será bom para que elas treinem juntas!
Que bom Bianca viria ate aqui, quando ela souber do Veidt, ai sim iríamos zoar.
Acompanhei o Manhattan ate uma sala que parecia ser bem resistente, era toda revestida de aço, com o teto alto, e uma cúpula de vidro la em cima:
- Não vou ensina-la a desintegrar coisas ainda!- parei minha mão no ar e minha boca aberta com um suspiro de frustração- Mas vou te dar noções básicas de teleportaçao!
Dei pulinhos de alegria, depois de desintregar, me teleportar era o que eu mais queria, Manhattan materializou vários objetos ao nosso redor, objetos que ia de relógios a brinquedos, o maior que havia ali era um relógio com pêndulo, maior que eu:
- Você vai tentar teleportar esses objetos daqui!- outro ele apareceu do outro lado da sala(tenho que aprender isso)- Pra ca!
O outro ele terminou a frase. Me concentrei em um relógio de pulso, mas o máximo que consegui fazer foi levitar ele:
- Tente se concentrar nas partículas que compõem o objeto!- o olhei sem entender nada
- Da pra explicar na minha língua? Eu não sei como "ver" partículas!
Já vi que seria difícil me comunicar com ele, nos olhamos por um tempo e uma terceira voz interveio em um alto falante:
- Imagine que esta fazendo ele pular pro outro lado da sala!- Bianca sua vaca, sorri e olhei para cúpula, alguém acenava, só podia ser ela- Só que no vácuo, entendeu bruxinha!
Mostrei o dedo e ouvi a risada dela ecoar ali, me concentrei novamente, pensei no objeto já do outro lado da sala, mas a tosse nos alto falantes me desconcentrou e o objeto sumiu:
- Que merda Iri! Não precisa tentar me matar! O relógio veio parar na minha cabeça!- Ri daquilo, somente a Bianca para achar que da pra matar alguém com um relógio de pulso.
Olhei para um urso fofinho ali, me concentrei novamente, um barulho de um puxão misturado com estática envolveu o bichinho, olhei para onde o outro Manhattan estava, demorou um pouco mas o ursinho caiu ao lado dele. Ta bom o ursinho não apareceu no chão em segurança, nem inteiro( faltava um bracinho) mas eu comemorei.
Manhattan original sorriu ao meu lado, acho que riu da minha dancinha da vitória:
- Vamos continuar?- concordei e tentei algo maior e mais pesado, um rádio velho.
########################

No fim da tarde eu já estava exausta, suando bastante, consegui teleportar tudo inteiro para o outro lado, só restava o relógio enorme:
- Se conciguir mover esse, vou ensinar você a se teleportar!- me animei com aquilo.
Respirei fundo, olhei para aquele enorme relógio ali, usei toda a minha energia, em segundos o relógio tinha sumido, aparecendo inteiro ao lado do outro Manhattan. Cai deitada no chão, estava moída, não tinha força nem para me manter em pé:
- HAAAAA VIVA A IRINA! VOCÊ CONSEGUIU, SUA VACA EU SABIA QUE IA CONSEGUIR!- tapei os ouvidos, a voz estridente da Bianca saia por todos os lados, a estática não ajudava
- Me da isso aqui!- Eddy deve ter tomado o microfone dela- Parabéns docinho! Ei loirinha me devolve isso!
Vários sons de batidas e vozes que eu não entendi ecoaram, eles estão brigando pelo microfone, de relento ouço um baque e depois estática.
Maravilha eles quebraram o microfone, típico da Bianca.

Pov's Adrian Veidt

Estou no laboratorio, obcervando as leituras dos poderes de Irina, ela é quase tao forte quanto o Manhattan, conseguiu teleportar todos os objetos, mas temos que fazer mais testes para sabermos o que ela é capaz.
Ja temos certeza que a energia dela é quase infinita, um quase bem pequeno:
- Senhor! O exame de DNA saiu!- um dos meus cientistas parou ao meu lado- O DNA dela, bate com o do Manhattan! Ele é o pai dela!
Sorri com a confirmação, já desconfiava, mas aquilo foi ganhar na loteria:
- E tem mais uma coisa!- o olhei esperando que continuasse- Nos descobrimos que é a mãe dela!
Foi sorte demais para um dia.


Notas Finais


Zoando o Ozy kkkk
Coitadinho do urso, que bá você Irina!
O que acharam?
Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...