História Herdeiros de Salem - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 8
Palavras 3.198
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Esta é a primeira vez que estou escrevendo algo e publicando, faço isso com a intenção de receber criticas construtivas já que pretendo, no futuro, escrever um livro. Peço a ajuda dos moderadores para me informar caso haja algum erro quanto a classificação dentre outros detalhes.
Espero que gostem e desde já peço desculpas por ainda não saber como mexer neste site e também por erros ortográficos que possam vir a aparecer. Tenho está conta já a algum tempo mas só estou usando-a agora.

Capítulo 1 - A Iniciação


Fanfic / Fanfiction Herdeiros de Salem - Capítulo 1 - A Iniciação

Estavam todos em uma Van velha e simples. O motorista é também, o homem que havia recrutado os jovens. Ele dirigia em total silencio. Seu cabelo é curto e negro, seus olhos pretos de um olhar sedutor e a presença de uma espécie de tatuagem: uma baleia nadando perto de algumas algas, imagem que ficava dentro de um circulo. Possuía traços másculos e belos, sua barba perfeitamente aparada, juntamente com a roupa que usava fazia dele um homem bonito e muito charmoso. No total, sem contar com ele, eram seis passageiros. Além dos adolescentes havia uma mulher de longos cabelos vermelho escarlate no banco ao lado do motorista. Seu cabelo chegava até o meio das costas, seus olhos azuis e delicados faziam um par interessante com seus lábios vermelhos. Ela vestia uma calça Jeans, tênis e uma blusa banca de manga comprida comum com um blazer.

A estrada era de terra. A Van passava por um campo aberto, onde era possível ver algumas árvores e fazendas no horizonte à medida que avançavam. O silencio dominava a situação até que a garota de pele dourada, cabelos e olhos negros e traços tailandeses resolveu falar:

–Então gente, que silêncio, porque não acabamos com isso?. Meu nome é Mona, qual o nome de vocês? – E todos olharam para ela, porem continuaram em silêncio.

–Ta bem, começa por você, qual o seu nome? – Apontando para a mulher de cabelo vermelho.

–É bom ver alguém tomando a iniciativa para falar, eu estava morrendo de tédio. Meu nome é Lily, futura professora de vocês. E qual o nome de vocês dois? – Disse ela perguntando com sua voz macia e delicada, para os gêmeos que estavam no canto esquerdo da van.

Eles tinham cabelo castanho claro que ia até as orelhas, olhos verdes e pele branca, a única maneira de diferenciá-los é através de suas roupas já que possuíam estilos diferentes. Um vestia uma roupa mais social e o outro possuía um estilo mais largado, usava uma calça bege larga e cheia de bolsos, camisa verde larga e um tênis semelhante a um coturno.

–Bem – Falou o irmão de roupas folgadas, enquanto o outro permanecia quieto.  – Meu nome é Liam e meu irmão aqui é o Alex, temos 16 anos. Agora você, mocinha ai de trás – E apontou para uma garota gordinha e voluptuosa que estava no fundo do carro, de cabelo loiro bem claro, quase branco, que ia até os seios, uma pele branquinha e olhos azuis, parecia uma européia, que rapidamente ficou com as bochechas rosadas.

–Eu? Ah... Me chamo Sara, tenho 16 anos também. – E abaixou a cabeça enquanto mexia nos próprios dedos, todos perceberam então que ela era bem tímida e então logo desviaram o olhar para a ultima garota que disse:

–Bem, meu nome é Suzy, tenho 17 anos. – Ela possui pele negra, lábios carnudos , olhos pretos e cabelo crespo estilo Black Power, usava calça jeans, all-star e uma blusa comum – E você motorista?

–Achei que não iriam perguntar – indagou ele – meu nome é David, tenho 30 anos de idade e também sou um dos seus futuros professores, não precisam me chamar de motorista, sabe? - Falou meio risonho. – Diga a sua idade também Lily – E riu.

-Você sabe muito bem que uma dama não diz sua idade. – Disse com um olhar brincalhão.

-Dama? Aonde? – Disse ele sorrindo.

-Idiota! – Após dar um soco em seu ombro os dois deram umas risadas até que foram interrompidos ao passar por uma porteira – Finalmente, chegamos galera!

Assim que o automóvel parou e todos saíram do carro, deram de cara com uma casa de aparência rústica de dois andares. As janelas eram largas e a porta também, sua aparência era a de uma casa antiga. Enquanto todos retiravam as suas malas do bagageiro com a ajuda de David, Lily foi dentro da casa e gritou '' Ágata! Chegamos, vem logo! Os novatos estão esperando!'' e voltou para dizer:

– Esperem aqui, minha irmã já vem, ela será para vocês uma espécie de diretora. Ainda hoje vocês vão descobrir que tipo de lugar é esse, vocês vão amar!!.– E encerrou sua frase com um lindo sorriso no rosto.

Todos ficaram muito confusos e aguardaram até que uma mulher caucasiana de cabelos brancos presos em um coque alto apareceu na porta. Ela usava um vestido longo e de mangas compridas, ele era azul escuro. Ela tinha um rosto sério mas ao mesmo tempo descontraído, possuía uma aparência jovem, seus olhos são acinzentados e seu cabelo ondulado, algumas mechas da sua franja caiam sobre seus olhos.

–Olá meus queridos, meu nome é Ágata, e hoje é um dia muito especial, o dia em que vocês vão descobrir o quão especial vocês são e que o mundo é muito mais do que vocês imaginam. – Ela fez um gesto chamando a Lily e o David. – Estes, juntamente comigo, serão uma espécie de professores. Por enquanto é só o que tenho a dizer, fico muito feliz em recebê-los, David e Lily vão ajudar vocês a encontrarem um quarto na casa, entrem e se ajeitem, mais tarde haverá uma refeição a espera de vocês e a noite, vamos ter nossa primeiro encontro. Tenho umas coisas a tratar e infelizmente não vou poder ficar com vocês e explicar algumas coisas como eu gostaria. – Ela parecia realmente animada com a chegada de todos, e então após soltar umas palavras para Lily, finalizou dizendo: – Por enquanto é só, qualquer coisa podem chamar a Lily ou o David, meu marido. Bem vindos! – Ao se virar foi perceptível para os jovens uma marca semelhante a de David, porem era uma coruja em uma árvore.

 

Depois, sussurrou mais algumas palavras em seus ouvidos e entrou para dentro de casa, os outros dois guiaram os novos alunos, mostraram seus quartos e após todos se ajeitarem foram chamados para um tour pela casa. Os irmãos ficaram em um quarto só, de resto, todos individuais. Os quartos eram simples, havia um guarda-roupa, cama , beliche no caso dos irmãos, estante de livros, vazia, e uma mesinha para estudos, com cadeiras, e coisas do tipo. Por dentro a casa era suficientemente grande, havia moveis de madeira em todos os cômodos. Na cozinha uma grande mesa retangular cheia de cadeiras e um tipo de balcão separando a geladeira, o fogão e a pia do restante. A sala era super confortável, possuía sofás macios e uma mesinha de centro, sem televisão. Nos banheiros, um em baixo, dois em cima, o piso era branco, e os azulejos também, banheira em vez de chuveiro e só, o resto é o que haveria de comum em qualquer casa. A Madeira da casa era branca, exceto do lado de fora.

 

 Após algumas horas foram todos comer, havia uma mesa farta de alimentos saudáveis a espera deles e por fim, houve sobremesa. Foi um pequeno momento de socialização. Mais tarde todos foram convocados para a primeira aula. Ela se iniciou as sete e meia da noite. Foram todos para o jardim dos fundos, havia mesas e cadeiras de madeira debaixo de uma tenda, nelas se encontravam uma bola de cristal, algumas pedras e velas acesas, a frente estavam os três: Ágata, David e Lily. Um cheirinho de incenso estava no ar.

– Olá, sentem-se – Disse Ágata. Todos sentaram sem entender o que estavam acontecendo – Hoje será a iniciação de vocês, mas primeiro quero lhes explicar tudo o que esta acontecendo, imagino que devem estar confusos sobre o que realmente é tudo isso. Vocês não foram selecionados por acaso para estudar aqui, cada um de vocês tem algo especial dentro de si e viemos apresentar o que é, alguém tem alguma idéia? – Silêncio. Tudo que havia era os som do sapos de um brejo que havia ali perto - Pois bem, esta não é a escola que mostramos há vocês, na verdade não houve nenhum tipo de seleção, fizemos uma espécie de propaganda falsa e logo entenderam por que, mas primeiro quero que saibam que a maioria dos pais de vocês sabem de tudo que está acontecendo aqui. Por fim, muitos de vocês, através das histórias, já devem ter ouvido falar sobre magia e é exatamente isso o que vai acontecer aqui. Cada um de vocês possui um pouco do místico do universo dentro de si, possui magia por conseguir acessar essas energias. Nós possuímos muitos nomes na linguagem popular, mas só poderemos nos encaixar em um deles a partir do momento em que decidirem que linha de estudos vocês pretendem seguir, mas ninguém precisa de rotulagens. Estamos aqui para ensinar vocês a usar e controlar esse dom. Sem a iniciação que vai haver hoje, cedo ou tarde, vocês iriam despertar e provavelmente perderiam o controle, por isso estamos aqui, e para ser honesta isso não é Hogwarts. O nome correto é Coven mais cedo ou mais tarde chegaram mais membros para desfrutar deste espaço conosco, por hora será apenas nós, Alguma duvida? – O silêncio persistia, até que a Suzy resolveu falar:

–Ta falando sério? – Disse Suzy desconfiada, todos olharam para ela. – Que eu saiba isso tudo só existe na ficção.

–Parecemos estar brincando? – Respondeu David sendo o mais delicado possível, aparentava ser um grande cavalheiro – Há muito mais seriedade nisso do que pensam, logo você verá do que estamos falando. – Como demonstração, ele pegou uma das pedras da mesa, fechou os olhos por alguns minutos e à assoprou, imediatamente surgiu um brilho como se houve-se uma pequena estrela dentro dela. Alguns ficaram surpresos, outros curiosos mas todos ficaram admirados com a beleza da luz.

–Eu tenho – Disse a Mona que não desgrudava o olho da pedra, até que ela parou de brilhar – Já que inicialmente não vamos ter nenhum nome, como vocês se definem? Qual a palavra que vocês usam para diferenciar a gente da nossa espécie? – Falou com um tom de curiosidade.

-Eu gosto de Herdeiros de Salem – Soltou Lily com algumas risadas. Em seguida Ágada Fitou-a com um olhar sério e ela tampou a boca com uma das mãos tentando se segurar. Os alunos menos tímidos, Suzy, Liam e Mona, riram também.

–Bem, podemos nos chamar de Bruxos, não é politicamente correto uma vez que vocês não vão praticar apenas bruxaria, afinal com o tempo suas afinidades com novos ramos vão aparecer. Mas acabou se tornando um nome popular para nossa raça. Algo mais?

-Você disse Herdeiros, significa que nossos pais são bruxos também? – Perguntou Alex

– Exatamente, mas como uma de nossas regras eles ficaram em silêncio. Não queremos viver o mesmo tipo de catástrofe que houve em Salem centenas de anos atrás. – Respondeu Lily tentado ser séria. Todos ficaram em silêncio e pensativos assim que disseram isso, exceto Mona e os Gêmeos – Há um feriado no ano aonde eles viram aqui e vocês poderão conversar com eles, fiquem tranquilos.

– Então não vamos poder falar com eles enquanto não chegar esse dia? – Perguntou Sara enquanto ficava toda vermelha de tão tímida que era.

–Sim, vão poder, mas não há telefones nem televisão ou computadores aqui, vão poder se comunicar por cartas, mas escrever nas cartas qualquer coisa sobre bruxaria, qualquer coisa que nos revele, é proibido, por segurança, todas as regras serão repassadas a vocês quando acordarem do sono duradouro que vocês vão viver esta noite – Disse Ágata com seriedade.

–O que vamos fazer agora? Já que estamos aqui, como vamos nos preparar para o mundo? Vamos ter que deixar nossos lares e nossos amigos? – Indagou Suzy

–Não – Disse David – Isto não é uma prisão, o que vão fazer aqui é aprender a entender o que tem dentro de si e a controlar, é como uma escola, vão ter férias. A magia esta ligada às nossas emoções também, imagine só o que aconteceria caso um bruxo despertasse em um momento de raiva? Seria uma terrível. Além disso, a partir do momento em que isso acontece muitas coisas podem acontecer, afinal seu dom esta solto. Mudanças físicas, mudanças espirituais, coisas estranhas acontecendo a sua volta, imagine você andando na calçada e todos os alarmes disparando? Os animais avançando nas pessoas que você não gosta? Coisas desaparecendo? Uma nevasca em pleno verão? Pois é.

– Mais duvidas? – E o silêncio permaneceu, alguns olharam para as pedras tentando entender o que foi feito mas nada de perguntas - Então tudo bem, vamos iniciar vocês agora. Peguem essas pedras e coloquem em volta da bola. - E assim todos fizeram - Agora eu vou mostrar o que vocês devem fazer.

Ascendeu as velas que ali estavam, e os incensos. Fez um gesto, para que a Lily e David se sentassem, todos colocaram as pedras em volta da bola e em seguida colocaram as mãos em suas laterais e começaram a se concentrar, nas mesmas começaram a surgir imagens em seus interiores, na da Ágata aparecia uma coruja, ela voava no céu escuro da noite e até que pousou em uma oliveira, na do David apareceu uma enorme baleia cachalote, ela nadou próxima até uma floresta de algas vermelhas e desapareceu, na da Lily, o primeiro a aparecer foi uma Aceroleira, então a imagem se ampliou e mostrou nela uma pequena Joaninha vermelha com bolinhas pretas.

–Agora – Disse Lily soltando a mão do globo fazendo com que a imagem desaparecesse - O que vocês vão fazer é, acender os incensos e as veles, há uma caixinha de fósforos em baixo da mesa, e depois tocar na bola, assim como nós fizemos, e tentar esvaziar o corpo como se seu espirito entrasse no globo e ao mesmo tempo mentalizar a vida que há no seu interior. Quem gostaria de ser o primeiro a tentar?

 

Quase que imediatamente a Mona levantou a mão, todos olharam enquanto ela se concentrava. Uma imagem foi surgindo, era de alguns arbustos de amora selvagem, e deles saia um Lince acinzentado com pequenas manchas pretas no pelo, ele parecia ter se escondido ali. Assim que ela abriu os olhos e viu a imagem, ela se arrepiou por inteiro, suas pupilas dilataram e ela se sentiu viva como nunca. O lince começava a olhar para ela e andar na sua direção como se estivessem no mesmo lugar.

–Tem algo aparecendo na nuca dela. – Seu cabelo estava preso e então Sara pode perceber – Parece a mesma imagem do globo. O que é isso?

–É a Marca dela. – Disse David – Todos temos uma na nuca, ela representa quem somos, é uma espécie de digital.

A imagem era preta mas em alguns pontos ela ia mesclando com a pele, os traços eram delicados e perfeitos . Em volta do desenho havia um circulo.

– Seu animal é o Lince e sua planta é a Amora Selvagem, não se esqueça disso, agora vamos ao próximo, – Disse Ágata.

Depois veio a Suzy que não teve muita dificuldade, rapidamente ela pode ver que seu animal interior era um flamingo até pousar no galho de um Baoba, ao mesmo tempo que ela visualizou a imagem e libertou seu poder, uma imagem de um flamingo no galho de um baobá surgiu em sua nuca. Em seguida, veio os gêmeos, Alex e Liam, eles fizeram ao mesmo tempo. Para Liam veio uma flor de lótus boiando na água de um lago, em seguida uma abelha pousou para colher seu néctar, para Alex apareceu uma mariposa que pousou em uma dália para também se alimentar do seu néctar. Do mesmo jeito, apareceu as imagens dos mesmos em suas nucas. E por ultimo foi a Sara, estava nervosa por todos olharem pra ela e pela tarefa aparentemente complicada que lhe foi dada, mas depois de alguns minutos e da ajuda de David ela conseguiu relaxar e realizar o feitiço. Apareceu para ela uma ostra branca e aberta, havia uma pérola em seu interior, e então a ostra se fechou e fez movimentos com a concha e através da propulsão da água se locomoveu para o lado de uma alga com folhas largas e esverdeadas, e o mesmo surgiu em sua nuca. Sempre com um circulo em volta do desenho.

–Então, agora cada um de vocês sabe o animal e a planta que há no interior de vocês. Estes, representam e protegem vocês, além de te darem poder. O Universo é um mistério e parte dele vive em vocês, assim como parte da vida que há na natureza. Vocês vão encontrar um caderno em branco de baixo da mesa de vocês, peguem ele e coloquem em cima da mesa, podem arredar as pedras e a bola de cristal. – E assim todos fizeram – Este será o grimório pessoal de vocês, aqui na casa há uma enorme biblioteca subterrânea, vamos lhes mostrar depois, lá vocês vão encontrar uma variedade de feitiços, rituais, receitas para poções e outros. Vocês vão poder pesquisar a vontade e anotar o que quiserem em seus livros, vale lembrar que é um grimório e não um diário. Antes vocês devem transformá-lo.

–Por que não pegar um livro qualquer? Já pronto? – Perguntou Mona.

–Por que você não vai querer que uma pessoa normal encontre o seu grimório, ao transformá-lo você vai deixar seu conteúdo visível apenas para bruxos e outros, aqueles desprovidos de magia vão ver folhas em branco. Há uma folha debaixo da mesa de vocês com algumas palavras, recite-as mentalmente e coloquem a mão sobre o caderno. – O caderno era, na verdade, um livro de capa dura branca cheio de folhas em branco.

 

Assim que todos fizeram, se arrepiaram, e o caderno a baixo de suas mãos foi criando cores e desenhos, cada um com o mesmo desenho que há em sua nuca no centro da capa, um circulo com um animal e um vegetal.  Em seguida, Ágata começou a explicar algumas coisas.

–Por hoje é só, na verdade a iniciação só começou, vocês libertaram a magia interior e isso significa que nos próximos dias coisas estranhas vão acontecer, afinal o poder de vocês esta solto dentro de si, mas por isso estão aqui. A noite de hoje será mais longa do que vocês pensam, vocês vão dormir por nove dias e nove noites, tempo em que o seu corpo vai absorver o que há na sua essência e então será criada uma ponte entre os dois. Assim que acordarem vamos ensinar a vocês às artes do ocultismo, mas o conhecimento em diversidade de feitiços, rituais e todo o resto vai depender de vocês virem na biblioteca e estudarem. Venham conosco, vamos mostrar a vocês onde ela fica.

 

Eles foram levados até uma parede onde havia um quadro, Ágata mencionou umas palavras e então uma porta secreta se abriu, havia algumas escadas e lá em baixo várias estantes e uma mesa enorme de madeira. Foram apresentadas a eles cada corredor e seu assunto, depois foram levados a uma parte mais ao fundo da biblioteca aonde ficava o local de preparações de poções e outros afins. Assim que voltamos para a casa Ágata disse:

–Por hoje é só, vão e durmam, vejo vocês daqui a alguns dias. Peço que vejam isto aqui como a casa de vocês, um Coven é mais que uma escola, é como uma família. Ah! não posso deixar de dizer, o uso de magia sem alguém para supervisionar é proibido, uma vez que podem acabar criando algo que não podem controlar.

Que seja um longo e proveitoso repouso.


Notas Finais


Espero que tenham gostado c:


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...