História Hermione, semideusa e bruxa? - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Alvo Dumbledore, Annabeth Chase, Bellatrix Lestrange, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lucius Malfoy, Luke Castellan, Minerva Mcgonagall, Nico di Angelo, Percy Jackson, Ronald Weasley, Sirius Black
Tags Draco Malfoy, Dramione, Hermione Granger
Exibições 52
Palavras 1.017
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


espero que gostem <3

Capítulo 33 - I would never kill you


Fanfic / Fanfiction Hermione, semideusa e bruxa? - Capítulo 33 - I would never kill you

O lago tinha a mesma brisa e o mesmo aroma, me fazia pensar em Percy. Onde ele está? Onde eles estão? Não consigo evitar de pensar neles em cada segundo do meu dia. Tudo me lembra Harry, Rony e Percy.

Me sinto tão sozinha aqui. Quer dizer, Draco está aqui, mas ultimamente ele passa muito tempo com Annabeth. Isso me deixa muito irritada, ele deveria estar me ajudando! Aliás, chamei ele para me encontrar aqui no  lago, e ele já está atrasado dez minutos.

Suspiro. Esse loiro não tem jeito.

Cinco minutos depois ele aparece.

- Você está atrasado! – digo, levantando.

- Eu sei! É que Annabeth estava me ensinando a usar arco e flecha. Quer dizer, aquele negócio é incrível! Me diverti muito. – ele ri.

- Você está esquecendo que não estamos aqui para nos divertir? – bufo. Draco revira os olhos.

- Uma diversão de vez em quando não faz mal a ninguém.

- Draco, acorda para a vida. – cruzo os braços. – Precisamos encontrar Percy, Harry e Rony e tirar Nico do Tártaro.

- Ah, por Merlin! Todo mundo sabe que Nico não vai sair do Tártaro. Você deveria cair na realidade.

- Não! Você é que tem que cair na realidade, doninha abominável. Temos coisas mais importantes a fazer do que ficar passando o tempo com Annabeth e atirar flechas por aí.

- Espera aí. – ele dá um sorrisinho debochado. – Você está com ciúmes?

- Ciúmes? Francamente! – solto uma risada.

Ele vem na minha direção e pega meus braços.

- Não se preocupe, minha doce Hermione. Só tenho olhos para você. – logo depois, ele dá uma gargalhada.

- Deuses que me livrem. – digo, me desvencilhando dos seus braços.

- Aposto que é esse tipo de coisa que o Nico falava para você! – ele ri de novo.

Reviro os olhos. Draco era muito irritante.

- Pare de rir. – dou um tapa em seu braço. – E para sua informação, Nico não falava nada disso.

Ele parecia estar se divertindo muito. Típico do Malfoy.

- Tudo bem. – continuo. – Falando sério agora, precisamos encontrar meus amigos.

- E você tem alguma ideia de como fazer isso?

Penso por alguns segundos.

- Não, mas...

- Eu posso ajudar. – ouço uma terceira voz. Ele surge em nossa frente, Luke Castellan. – Sou bom em encontrar pessoas.

Draco e eu nos olhamos.

- Bem, pode ser. – digo. – Tem certeza que consegue?

- Quase certeza. – ele abre um sorriso.

- Draquinho! Onde você está? – ouvimos uma voz feminina nas redondezas.

- Estou aqui! – Draco grita de volta para Annabeth.

Após alguns segundos, minha irmã aparece.

- Onde você estava? Você sumiu da arena e... – ela para de falar assim que vê Luke. – O que é isso? Algum tipo de reunião? – Annabeth cruza os braços e olha para cada um de nós.

- Luke disse que pode nos ajudar a encontrar Percy, Harry e Rony. – digo.

Annabeth solta uma risada sarcástica.

- Duvido.

- É sério, Annabeth. Você sabe que consigo. – diz Luke, baixinho.

- Não se atreva a falar meu nome! – ela grita e olha para ele enfurecida.

- Por favor, escute. – Luke suplica e Annabeth vira o rosto. – Você sabe que sou bom nisso, provavelmente sou o único do acampamento que saiba encontra-los. E se eu conseguir, peço que me perdoe.

O rosto enfurecido de Annabeth vai murchando aos poucos. Depois, ela encara Luke.

- Se você conseguir, não irei te perdoar. – ela diz. Luke parece abalado. – Mas talvez eu não seja tão rigorosa com você.

Luke sorri com um brilho no olhar. Ele, de longe, era um dos meninos mais bonitos que já vi.

- É um começo. Obrigada. – ele diz para ela. – Então, tenho trabalho a fazer. Esperem por mim.

Luke sai correndo em direção aos chalés.

- Ele realmente ficou feliz. – digo. Annebeth me encara.

- É, mas não vá pensando que ele é bonzinho. – ela observa Luke correndo.

- Afinal... – me viro para ela. – O que ele fez?

- Bom, Percy provavelmente te contou todo aquele lance com Cronos, certo? – ela pergunta. Assinto. – E ele te contou que tinha um semideus ajudando Cronos?

- Sim. – digo.

- Era Luke. – ela suspira. – Ele era como um irmão para mim, embora os sentimentos que eu nutria por ele não eram de irmãos. Agora, tudo que sinto é raiva. – os olhos dela se enchem de água. – Porém, não posso deixar de lembrar que temos um passado muito importante para mim.

Não digo mais nada.

**

- Luke! – digo assim que ele entra no chalé de Atena. Draco, eu e Annabeth levantamos do sofá.

- Uau, isso foi rápido. – Draco comenta. Realmente, Luke voltou muito rápido.

- Então, conseguiu? – pergunto.

- Sim. Eles estão no... no Acampamento Júpiter.

- O que? Impossível! – exclama Annabeth.

- Alguém pode me explicar que lugar é esse? – pergunta Draco, confuso.

- É como o Acampamento Meio-Sangue, mas é o acampamento dos romanos.

Draco arqueia as sobrancelhas.

- Esse mundo é mais complexo do que eu pensava.

- Você tem certeza disso, Luke? – Annabeth pergunta.

- Sim, absoluta certeza.

- É muito longe! Fica na Califórnia. – exclama Annabeth.

- Bom, pelo menos eles não estão em Londres. – digo.

- Você não entende! Por que Percy iria para lá? Não há motivo. Ele poderia simplesmente ter aparatado aqui em New York e vir para cá. – Annabeth parece desesperada. – Isso quer dizer que ele foi pego pelos romanos.

- Mas por quê? – Draco pergunta.

- Não faço ideia. – ela diz. – Mas precisamos ir para lá o mais rápido possível.

- Tudo bem. – digo.

- Vou com vocês. – diz Luke. Annabeth olha incrédula para ele.

- Não, você não vai.

- Por favor, Annabeth. Você disse que seria menos rigorosa se eu conseguisse, e eu consegui.

Annabeth bufa.

- Como vou saber que você não vai nos matar?

- Ei, eu nunca te mataria. Não vou matar vocês, eu prometo.

Annabeth fecha os olhos e depois de vários segundos, ela os abre.

- Tudo bem! Mas você vai fazer tudo que eu mandar. – ela diz.

- Claro. – ele abre um sorriso.

Só espero que não seja tarde demais quando chegarmos lá.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...