História Herois e Vilões - Capítulo 4


Escrita por: ~

Exibições 1
Palavras 1.440
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Super Power, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Colega De Quarto


Horas se passaram enquanto Tay estava no bar. Ele já havia pedido mais de 2 cervejas, e não queria exagerar. Ele não tirava os olhos do seu amigo Ted conversava com a garota misteriosa. Aquilo estava o incomodando porque era ele que deveria estar resolvendo aquela situação. Se Ted pisasse em falso com Savannah e ela desconfiasse dele... Tay apertou os punhos com o pensamento.

Ele fez um gesto para o garçom finalizar a conta dele e pegou sua jaqueta de couro que estava na cadeira, até que um homem misterioso de cabelos pretos arrepiados e expressão fria entrou no bar acompanhado com uma mulher de cabelo longo castanho. Tay se arrepiou quando o viu, só não sabia o porque. Savannah que estava conversando com Ted se virou e reconheceu o homem. Era Donn. Ele se afastou para o leste do bar e sentou em uma mesa. Savannah olhou para mesa.

— Tudo bem? - Perguntou Ted, examinando sua expressão

— Está tudo bem. Só estava pensando..

— Em que? Compartilhe comigo. - Sorriu Ted

— Não. Tudo bem.

— Eu vi que você olhou para aquele cara ali. É seu namorado? - Apontou Ted para a mesa onde estava Donn e a garota

— Não. Ele não é meu namorado.

— Serio? Não pareceu.

— Olha, a conversa está agradável, mas eu tenho que ir. - Ela se levantou e pegou a bolsa

— Savannah, espere. Me desculpe por ter aparecido inconveniente. Eu irei acompanha-la até a sua casa.

— Não será necessário.

— Eu faço questão. - Sorriu Ted

— Hummmm.. Acho que não terá problema então. - Ela olhou para Donn que estava distraído

— Ótimo. Vamos lá.

Tay observava tudo em pé, e não entendeu a reação de Savannah olhando para aquele homem que tinha entrado no bar. Depois ele viu Ted sair do bar junto com Savannah. Ele ficou mais serio ainda e se aproximou de Donn que estava conversando.

— Olá.  - Cumprimentou Tay

Donn o examinou de cima baixo, com o braço em volta da cadeira onde a mulher estava sentada.

— Não vê que estou ocupado? Cai fora.

— Isso não foi muito educado.

— Não tive a intenção de ser. - Respondeu Donn friamente

— Certo. Com licença.

Tay percebeu que não seria uma boa questionar Donn sobre Savannah. Ele saiu do bar e pegou o celular dentro do bolso, ligando para Ted. Ele não atendeu a ligação, mas mandou uma mensagem.

"Estou entrando no apartamento. Te mando noticias assim que chegar em casa. "

Tay apertou o celular com a mão. Algo não estava certo, ele sabia. Ele respirou fundo e subiu em cima da moto vermelha com detalhes prateados e colocou um capacete preto dando partida na moto.

Em outro local da cidade, Savannah caminhava até seu prédio um pouco distraída. Ela pegou a chave dentro da bolsa e abriu a porta entrando no apartamento minúsculo e bagunçado. Ted olhou para o local chocado. Uma suposta vilã morando ali? Savannah jogou a chave em um canto e olhou para Ted.

— Espero que não se incomode. Não tivemos tempo de arrumar.

— Tudo bem, o que é um pouquinho de bagunça? - Reconfortou ele, balançando o pé de uma calça que ficou presa no sapato

— Ótimo..

— Me diga, onde está seu colega de quarto?

— Aparentemente, está se divertindo mais que eu.

— Sinto muito por isso.

— Está tudo bem. Agradeço a compreensão.

— Eu vou te deixar em paz agora. - Ted se virou, mas Savannah o chamou

— Espere. - Ele sentiu um suor gelado correndo sob sua pele

— No que posso ajudar? - Perguntou ele, virando o rosto para encara-la

— Eu vou fazer chá. Quer um pouco?

— Não faria essa desfeita.

— Ótimo. Espere um pouco.

Savannah se afastou indo para a cozinha, ou ao menos parecia ser a cozinha, já que tinha um fogão pequeno. Ted ficou um pouco nervoso. Ele não queria prolongar muito aquele encontro. Seu celular vibrou e ele pegou o celular do bolso vendo uma mensagem de Tay.

"Não faça nada. Estou indo para ai."

Ted guardou o celular no bolso e começou a procurar alguma informação sobre Savannah. Ele se aproximou da pilha de roupas, e começou a separa-las tentando achar alguma coisa. Se aproximou da mesinha e começou a mexer na mesa. Savannah gritou para ele da cozinha:

— Você quer chã de hortelã ou de menta?

— Ahn.. Bem, o que você preferir.

— Está bem.

Ted continuou a mexer na mesa, afastando tudo o que estava na mesa. Ele achou um caderninho vermelho e o abriu. Folheou as paginas tentando achar alguma coisa. Havia uma foto entre as paginas. Quando ia pegar a foto, ele sentiu uma batida na cabeça. Tudo ficou escuro e ele desmaiou. Donn estava atrás dele. Ele o encarava seriamente. Donn o arrastou pelas pernas e Savannah apareceu na sala com duas xicaras de chá.

— O que?! O que foi isso?! - Perguntou ela, exasperada

— Seu amigo estava mexendo na mesa. Cuidei do problema.

— Ele devia estar apenas estar arrumando sua bagunça. Não devia ser nada de mais.

— Devia me agradecer por cuidar do seu problema. Não devia trazer ninguém aqui, mas depois falamos sobre isso.

— Eu só estava me divertindo, igual você no bar.

— Eu tenho o direito de fazer isso, já que limpar sua sujeira me toma um tempo. E ao contrario de você, eu não trouxe ninguém aqui. Você é tão inconsequente assim?

— E você é tão idiota? Vão sentir falta dele, o que vai fazer?

— Não é problema meu. - Disse ele friamente

— Não é problema seu? Você o golpeou.

— Mas não fui eu que saiu com ele do bar. Se procurarem alguém, será você. - Sorriu Donn

— Pensei que quisesse evitar isso. - Savannah olhou para o lado

— E eu quero. Mas não é culpa minha você ser tão burra.

— Ótimo.

Savannah pegou o celular e discou um numero. Donn a observou curioso.

— O que está fazendo? - Perguntou ele

— Estou ligando para o hospital. Direi que alguém invadiu a casa. Não será tao suspeito assim.

— Faça o que quiser, mas já aviso uma coisa. Não me faça limpar suas confusões novamente.

Savannah o ignorou e ligou para o hospital. Não demorou muito e logo a ambulância chegou. Dois paramédicos, um loiro, e um de cabelos castanhos com uniforme entraram no apartamento e carregaram Ted com uma maca. Ele estava com a cabeça sangrando. Um dos paramédicos fizeram algumas perguntas a Savannah, que estava sozinha no apartamento, já que Donn tinha saído para não ser suspeito. Ela os acompanhou até a porta, enquanto Tay chegava com a moto.

Foi difícil para Tay achar a localização, já que não sabia onde ela morava, mas ele conseguiu achar Ted através de um aplicativo de rastreamento. Ele ficou chocado quando viu Ted sendo carregado e pulou da moto, indo furioso na direção da Savannah.

— O que você fez com ele?!

— Você de novo?

— O que fez com ele?! - Tay a segurou fortemente na parede, ela o encarou

Ela olhou nos olhos dele, e ele nos dela. Havia um leve brilho ali. Tay estava com os olhos furiosos, sua pele avermelhada parecia levemente mais vermelha. Ele a soltou.

— Eu não fiz nada com ele.

— Por que eu não acredito em você?

— Acredite no que quiser.

— Por que é tão suspeito isso ter acontecido com ele quando saiu com você?

— Como sabe isso?

— Eu estava no bar! Eu vi tudo!

— E por que está tão preocupado com ele? Como me achou aqui? - Perguntou ela, desconfiada

— Eu.. Estava com um cartão que ele tinha esquecido comigo. Eu fui atrás dele.

— Tudo isso por um cartão? Que lindo.

— Não desvie o assunto. Me diga o que fez!

— Minha casa foi invadida. Ele estava na sala, e foi atingido.

— É mesmo? Porque parece que você não sofreu nenhum arranhão.

— Eu já disse que sei me cuidar.

— Estou vendo.

— Ei, vocês dois. Qual de vocês irá acompanha-lo até o hospital? - Perguntou o paramédico

— Eu vou! - Disse Tay

— Eu irei também. - Disse Savannah

— Não precisa. - Rebateu Tay

— Eu faço questão. Afinal o cara estava na minha casa.

— Eu não confio em você.

— Não pedi que confiasse. - Savannah sorriu e caminhou até a maca, Tay a olhou serio

Não demorou muito, até chegarem no hospital,  Savannah foi no garupa da moto já que a ambulância estava cheia com os paramédicos e equipamentos. Ted foi colocado em um quarto, com aparelhos respiratórios. Tay e Savannah estavam um metro de distancia um do outro, até rapidamente, os corredores dos hospital, virem varias macas e uma enfermeira gritou emergência. Tay se aproximou de um medico.

— O que aconteceu?

— Houve um roubo no museu de Tecnocity.

Savannah e Tay olharam um para o outro.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...