História Hey Angel - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~OkumuraDante

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, One Direction, Sussurro (Hush, Hush), Taylor Swift
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Luke Hemmings, Niall Horan, Personagens Originais, Taylor Swift, Zayn Malik
Tags 5 Seconds Of Summer, 5sos, Angel, Anjo, Harry Styles, Liam Payne, Luke Hemmings, Niall Horan, One Direction, Taylor Swift
Exibições 13
Palavras 1.788
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fluffy, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Como eu disse no capítulo anterior, talvez eu postaria o primeiro capítulo da fanfic para vocês saberem um pouco melhor como ela será e aqui estou eu com ele. Apesar que a base de toda a história está no prólogo...

Não esqueçam de ler as notas finais, por favor! Agora vamos ao capítulo <3

Capítulo 2 - A Thousand Miles


Fanfic / Fanfiction Hey Angel - Capítulo 2 - A Thousand Miles

Fazia alguns meses desde o acidente que tirou a vida da namorada e do melhor amigo de Liam. Desde então, o garoto vem tentando seguir a vida e fingir que tudo estava bem, mas a verdade é que não estava. Quase 6 meses depois e as lembranças daquele dia ainda o assombravam. Talvez se não tivessem faltado a aula naquela sexta para ir a casa de praia, aproveitando que já passariam o final de semana lá, isso não teria acontecido. Ou se primeiro tivessem feito as compras e depois beberem, não precisariam sair com o carro de madrugada enquanto chovia. Se tivessem bebido mais, prestado mais atenção… Tanta coisa que poderiam ter feito e não fizeram. Agiram sem pensar e acabou tudo errado no final.

Lágrimas ameaçam rolar pelo rosto do garoto, mas ele as engole. Estava em sala de aula e não iria se permitir chorar de jeito nenhum ali. Resolveu deixar para desabafar suas lágrimas daqui a pouco, em seu esconderijo secreto no colégio.

Ao ouvir o som alto do sinal avisando que havia acabado o intervalo do Ensino Fundamental, voltou seu olhar para frente, mais precisamente na professora de Sociologia falando sobre a Revolução Tecnológica.

- Alguém sabe me dizer um exemplo de consequência da Revolução Tecnológica que mudou a vida de vocês e por quê?

Bianca, a aluna mais inteligente e dedicada da classe, levanta a mão para responder.

- Bianca - a professora diz permitindo que a mesma responda.

- No meu caso acho que seria o Kindle, porque agora posso ler meus livros onde e quando eu quiser sem precisar ficar trazendo o livro físico. Sem contar que o livro digital é bem mais barato.

- Essa é uma boa escolha Bianca - a professora elogia e observa a mesma sorri em agradecimento.

Enquanto isso Liam novamente se distraí da aula, relembrando uma conversa que havia tido com Liz sobre o futuro, dias antes de viajarem.

Eles estavam deitados no gramado dos fundos da casa de Liz olhando as estrelas no céu, um passatempo que ele fazia com o pai quando era criança. Liam passava as mãos no cabelo de Lizzie, como uma forma de carinho, enquanto ela o abraçava mais forte, com a cabeça encostada em seu peito.

- Não quero que você vá - ela começou.

Eles haviam combinado na semana anterior a esse dia que Liam dormiria na casa da mesma devido a festa que a mãe dela daria acabar tarde e ser perigoso para ele ir sozinho para casa, mas acabou que houve um imprevisto e a mãe de Lizzie teria que ficar mais tempo fora de casa tendo como consequência chegar mais tarde na própria festa, então achou melhor cancela-la e deixar para marca-la em outro dia. Por causa disso Liam decidiu que não dormiria na casa da namorada.

- Lizzie, já conversamos sobre isso. Não tem porque eu dormir aqui hoje.

- Tem sim - ela responde mordendo o lábio fazendo-o rir.

- Outro dia pequena - ele dá um beijo na cabeça da mesma e volta a olhar as estrelas - Sabe o que eu estava pensando?

- O que? - ela pergunta olhando para ele.

- Como será que vai ser nossa vida daqui a uns cinco anos?

- Faculdade concluída, já trabalhando, descansando um pouco de faculdade para fazer a pós no ano seguinte e principalmente, casada com você.

- Casada? - Liam pergunta se levantando para sentar e Lizzie faz o mesmo.

- Sim ue. Achei que esse era nosso plano. Nos casar depois que concluíssemos a faculdade.

- Não acha muito cedo?

- Liam, estamos namorando desde a época em que a única definição que conhecíamos sobre namoro é andar de mãos dadas. Cedo é uma coisa que com certeza não vai ser. Só se… - antes de concluir sua frase ela toca no ombro do mesmo fazendo-o olha-la - Só se você não quiser mais casar comigo.

- Claro que quero pequena - as mãos de Liam seguram no rosto da garota fazendo-a olhar em seus olhos - Só não quero apressar as coisas. Quero que quando for a hora certa de nos casarmos, tudo saia perfeito. Não sei se em cinco anos vamos conseguir juntar dinheiro suficiente para fazer o casamento e a casa dos nossos sonhos. Quer dizer, dos seus sonhos - ele ri - Você quem quer um grande casamento e uma casa do zero.

- O que posso fazer se quero tudo como sempre sonhei e sonho alto demais? - ela pergunta e envolve o pescoço do namorado com os braços - Foi sonhar alto que me trouxe você.

- E eu nunca vou ir embora.

Quando eles estavam prestes a se beijar, uma voz chama Liam despertando de suas lembranças com Lizzie que mais uma vez voltavam para assombra-lo de culpa pelo que aconteceu a ela e a Jimmy.

- Senhor Payne? - a professora o chama de novo, mas dessa vez ela já estava em frente a sua carteira com os braços cruzados - O senhor não está me ouvindo chama-lo? Sala de aula não é lugar para dormir - ela aponta para os desenhos no caderno do garoto - Nem para desenhar.

- Desculpe professora - ele diz sem conseguir encara-la. Ninguém poderia ver os olhos marejados do garoto - Isso não irá se repetir.

- Você me disse a mesma coisa na última aula senhor Payne. Não sou de dar mais do que duas chances, a turma inteira sabe disso.

- Eu não dormi bem essa noite.

- Então me faça um favor e não venha ao colégio se não se aguenta em pé. As regras do colégio dizem claramente que não quer nenhum aluno dormindo em sala de aula - ela se vira para um garoto sentado na carteira em frente a Liam e tira um dos lados do fone de ouvido do garoto de sua orelha - ou ouvindo música.

- Sim senhora - Liam assente.

A professora respira fundo, voltando para frente da sala e repetindo sua pergunta.

- Enquanto o senhor estava dormindo, eu havia lhe perguntado qual tecnologia havia mudado sua vida. Pode nos dizer qual foi?

Apesar do silêncio que havia se instaurado na sala de aula dar o parecer de que Liam estava pensando no que falar, a verdade não era bem aquela. Ele sabia bem qual tecnologia falar. Era justamente aquela que ele evitou durante duas semanas, aquela que ele sempre sonhou em ter e era apaixonado até se tornar uma trágica lembrança de um dos piores - se não o pior - momento de sua vida. Enquanto antes aquela tecnologia era um sonho para Liam, agora ela era um pesadelo, como sua vida desde que perdeu duas das pessoas mais importantes que ele tinha.

- E então senhor Payne, já pensou em algo? - a professora pergunta novamente.

- Sim. Pensei.

- Diga-nos qual tecnologia.

- Um carro.

A classe inteira ficou em silêncio novamente. Era óbvio o porquê de ele ter escolhido aquilo. O acidente havia mexido com Liam de uma forma inexplicável. Por mais que ele tentasse, não era mais o mesmo Liam Payne de sempre.

Por um momento a professora ficou em silêncio, pensando se devia ou não pedir que ele explicasse por que. Ela sabia que deveria ser devido ao acidente que tirou a vida de sua irmã e não queria relembrar aquilo nem fazer o garoto pensar naquilo de novo. Apesar da raiva que sentiu do mesmo no instante em que soube que a irmã morreu em um acidente de carro após sair da casa de praia de Liam e o dono do carro ser ele, ela sabia o quanto eles se amavam. Não havia porque Liam fazer aquilo para feri-la de propósito e a forma com que ele ficou após o acidente foi a prova disso.

Mas aquilo era uma sala de aula e ela havia pedido a todos que explicassem porque fizeram tal escolha, então querendo ou não, ela tinha que pedir que Liam fizesse o mesmo.

- Pode nos explicar por quê?

- Porque foi com essa tecnologia que perdi duas pessoas importantes para mim.

- Boa escolha, senhor Payne. Eu também escolheria essa.

Um clima pesado se instala na sala que continua em completo silêncio até que o sinal toca avisando que o intervalo do Ensino Médio havia começado e o barulho de cadeiras sendo arrastadas para seu devido lugar começa.

Olivia, a professora de Sociologia e irmã de Lizzie, continua parada observando Liam desenhar mais alguma coisa em seu caderno. Apesar do que havia acontecido, Liam sempre se esforçou para manter sua nota na média. Ele havia prometido a Liz após saber da morte da mesma que iria se dedicar para concluir os estudos e fazer a faculdade que eles tanto sonhavam em fazer juntos e era isso que estava fazendo.

O garoto percebe que a professora o observa e arruma seu material levantando para seguir rumo ao seu esconderijo secreto. O olhar de Olivia sobre ele não era nem um pouco confortante ou agradável. Ele sabia o que aquilo queria dizer. Ela queria conversar sobre a perda de Liz e ele não queria falar disso, nem com ela nem com ninguém.

- Liam, podemos conversar? - ela o chama assim que ele chega a porta da sala.

- Eu preciso ir pegar algo para comer antes que o intervalo acabe - ele pensa rápido em uma desculpa para sair logo dali, mas não funciona.

- Não me vem com essa, Liam - ela diz caminhando até ele, que ainda está de costas - Se você estivesse com tanta pressa assim para comer teria saído junto com os outros. Você não foi porque não está bem e eu quero te ajudar. Não foi só você quem perdeu alguém aquela noite.

Irritado, ele se vira.

- E não é você quem tem pesadelos todas as noites com aquele momento e que sente cada vez mais a culpa te corroer por dentro - ele diz quase gritando - As pessoas tentaram me ajudar Olivia - por um momento ele esquece que estava em sala de aula - Não adianta. Os sorrisos, os conselhos, os “siga em frente” ou “você é forte”… Nada que falam ou façam muda o fato de que me sinto culpado por ter arrastado a Liz para a minha vida. Sua família não queria esse namoro no começo e talvez tivesse sido melhor se tivéssemos escutado eles.

Sem esperar que ela responda algo, ele sai da sala batendo a porta e indo em direção a uma estufa que ficava nos fundos do colégio. Precisa ficar sozinho. Longe de tudo.

Cause everything's so wrong*

And I don't belong living in your precious memories**


Notas Finais


E aí, o que acharam do capítulo? Espero que tenham gostado! Como eu disse no capítulo anterior, quando tiver uma boa quantidade de capítulos continuo com a fic. Quando ao jornal que eu havia prometido, acabei não conseguindo postar ontem, mas postei hoje e deixei o link abaixo para se quiserem ver. Beijos <3

Música: A Thousand Miles da Vanessa Carlton
https://www.youtube.com/watch?v=Cwkej79U3ek
*Porque está tudo tão errado;
**E meu lugar não é vivendo na tua preciosa lembrança.
Jornal: https://spiritfanfics.com/perfil/isaa_horan/jornal/fanfic-hey-angel-7181316


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...