História Hey, Capitão! - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Capitão América, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton, Dr. Bruce Banner (Hulk), Jane Foster, Nick Fury, Steve Rogers
Tags Capitain America, Capitão América, Fanfic, Romance, Steve Rogers
Exibições 43
Palavras 1.696
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 25 - Fury.


[Helena ponto de vista].

– Graças á Deus! – corri para abraça-lo.

– Ai! – ele resmungou dando um fraco sorriso – está doendo.

– Ai Deus – estremeci soltando-o – desculpa.

– Tudo bem – ele me deu um selinho.

– O que ela fez com você? – sussurrei lhe fitando nos olhos.

– Não importa – ele sorria – eu acabei com ela.

– De vez?

– Sim – Tony parou do nosso lado – ele acabou com ela, o corpo deve estar na S.H.I.E.L.D. agora – ele sorriu – seu namorado foi muito...

Ele então escutou alguém resmungar perto de si, todos olhamos na direção de Mary quem mantinha os braços cruzados, a cara fechada e seu escudo contra tudo e todos. Não adiantava falar com ela que o segredo não era meu e que eu não podia simplesmente contar, porque envolvia Steve e Os Vingadores, mas agora – após essa batalha catastrófica – que estavam presentes ela havia fechado mais a cara ainda. Como uma criancinha mimada que não ganhou o que queria.

– Quem é ela? – Tony perguntou.

– Uma amiga – respondi.

Clint e Natasha então ficaram ao meu lado e de Steve.

– Vamos ter que apagar a memória dela – Natasha sugeriu.

– Ninguém vai apagar minha memória! – ela gritou ficando de pé.

Ficamos em silêncio quando Mary gritou e se afastou de todos.

– Quem é você?! – ela perguntou me fitando e com as lágrimas escorrendo – e o que fez com a minha melhor amiga?!

– Eu sou a mesma! – gritei de volta – e você também pelo visto.

– O que aconteceu? – Steve sussurrou.

– Ela descobriu que você é o Capitão América e está surtando porque escondi isso dela.

– Olha, queridinha – Tony a fitou ainda com a armadura – isso é uma coisa muito séria, se sua amiga te contasse, você estaria em perigo assim como ela esteve tantas vezes.

Mary apenas fitou Tony quem não parecia muito paciente com Mary. E no fundo eu estava gostando disso, afinal, alguém tinha que fazê-la entender. Ou pelo menos aceitar que não pude contar para seu próprio bem e por não ser um segredo meu.

– Alguém pode me levar de volta para Nova York?

– Quer carona? – Tony ironizou.

Segurei a risada e então fitei Steve.

– Como voltaremos?

– A S.H.I.E.L.D. mandará um avião – Bruce disse desligando o telefone e deu um breve sorriso – acabei de entrar em contato com eles.

– Tudo bem – sorri – obrigada, Bruce.

– Helena, você pode vir aqui um minuto? – Natasha perguntou.

– Claro – balancei a cabeça.

Fomos andando até o canto da enorme sala da casa de Tony em Malibu. Pude ver Mary revirar os olhos e tornar a sentar na escada, afastando todos á sua volta. O único que ficou parado na sua frente foi Steve, quem parecia que queria falar com ela. Mas não podia prestar atenção nos dois, porque Natasha queria falar algo comigo e, pela cara que ela estava fazendo, parecia algo sério.

– Temos que apagar a memória dela.

– Tem mesmo necessidade? – perguntei lançando um rápido olhar para trás.

– Ela sabe quem somos, além de estar em perigo, ela pode falar quem somos.

– Ela não faria isso, Natasha.

– Como tem tanta certeza?

– Apenas acredito – dei de ombros lhe fitando.

– Acreditava que ela brigaria tanto com você do modo que ela provavelmente brigou? – Natasha perguntou me fitando.

Claro que não. Esperei e acreditei que ela seria compreensiva quando eu contasse, mas as coisas saíram do controle, acredito que também surtaria. Ou não. Não respondi Natasha.

– Não vi a briga, mas acredito que te pegou de surpresa.

– Você sabe que sim – falei.

– Temos que fazer isso.

– Natasha, sinto muito, mas não acredito que ela irá contar para alguém que possa prejudicar vocês. Eu conheço ela desde que tínhamos... Sei lá, oito anos e ela sabe guardar segredo, mesmo irritada.

Natasha então me fitou – Se algo sair do controle...

– Eu me responsabilizo – a interrompi antes que ela me ameaçasse, ou algo assim.

Ela apenas balançou a cabeça e assim que me virei Steve estava sentado ao lado de Mary, uma Mary que mantinha a cabeça abaixada e fitava os dedos machucados e sujos, ela parecia que queria chorar e infelizmente eu não podia fazer nada para amenizar. Eu sabia que ela guardaria segredo, confiei segredos e confissões nela por anos e ela nunca me traiu, então sei que não faria o mesmo. Nem quando brigamos por causa de um garoto na oitava série ela foi capaz de contar que eu gostava dele quando perguntou para ela.

Fiquei parada em um canto apenas fitando Steve e Mary conversarem, o modo como ele tentava explicar as coisas para ela e como ela estava calma, eu sabia que ela não estava aguentando mais e logo depois que Tony havia sido sarcástico com ela, percebi no exato instante que ela quis chorar.

– Então você é a nova noiva?

Olhei para trás e vi Clint com um fraco sorriso no rosto bem ao lado de Bruce quem também sorria. Por certo tempo, enquanto ficava apreensiva com Steve nas mãos de Makaya, esqueci que tinha sido pedida em casamento. Esqueci que estava noiva. Apenas sorri quando lembrei e então fitei Clint.

– Sim – eu ri fraco – acho que sou.

– Então ele realmente a pediu em casamento! – Clint berrou – parabéns, Capitão!

Tony novamente veio até mim com Pepper ao seu lado – O que foi? Por que ele merece parabéns?

– Olha isso – Clint ergueu sua mão e deixou-a no ar de modo que colocasse a minha por cima da dele para que todos vissem o anel, fiz o que ele pediu.

– É muito bonito! – Pepper sorriu – você nem me contou.

– Nem pensei nisso, estava preocupada com Steve – ri.

– Ai que lindo! – Tony gritou chamando Steve e fazendo uma voz bem estranha – o amor é tão lindo!

Vi Steve chamando Mary para ir consigo, mas ela apenas balançou a cabeça negativamente dando um fraco sorriso, me lançou um olhar e apenas fiquei fitando-a enquanto falavam sobre meu anel, e nos parabenizavam. Ela mudou o olhar de direção e colocou seu rosto entre as mãos, Steve me abraçou pela cintura e deu um sorriso me olhando.

– Até esqueci – ele riu e voltou a olhar para os outros – só tinha um pensamento na cabeça.

– E você conseguiu concluí-lo – Bruce sorriu.

– Ainda bem – Steve deu uma fraca risada.

– Hey, nova-iorquinos – Natasha parou na enorme porta de vidro na entrada – o avião da S.H.I.E.L.D. está ai, mas primeiro Nick quer falar com a garota – ela disse me lançando um rápido olhar.

Todos olharam para Mary no mesmo instante e ela apenas ficou de pé indo até Natasha. E quem é Nick? Apenas fitei Steve sem entender e ele sussurrou que esperássemos aqui dentro.

– Quem é Nick? – perguntei assustada fitando Mary sair pela porta – o que eles vão fazer com ela?

– Nada – Steve tentava me acalmar – ele só deve pedir para que ela mantenha segredo.

– Natasha está lá por quê? – perguntei.

– Porque ela é da S.H.I.E.L.D. – Clint respondeu.

– Todos vocês são e nem todo mundo foi, se é só para pedi-la para guardar segredo porque precisa falar com ela em particular? Natasha queria apagar a mente de Mary e eu sei que ela não falaria nada que prejudicasse vocês.

Steve me fitou – Ela me prometeu que não falaria.

– Vocês se lembram que Fury estava escondendo sobre os mísseis de Tesseract quando Loki estava na Terra? – Tony perguntou.

– O que? – perguntei completamente confusa.

– Ela não faria nada com ela – Bruce disse.

– Não tenha tanta certeza – Clint disse – vou lá e me certifico para você, tudo bem?

– Vou com você – falei confiante – já sei de tudo mesmo.

Clint não teve muita escolha quando saí andando, Steve, Bruce e Tony vieram logo atrás, assim que saímos da porta e fomos para o avião, Mary estava sentada paralisada na cadeira macia no lado de dentro, fitava Fury com os olhos cheios de lágrimas enquanto ele ordenava para ela ficar quieta.

– Fury! – Steve gritou.

Ele então virou-se para trás e encarou Os Vingadores presentes ali, desceu o olhar até mim e então fui andando até ele, senti que Steve tentou me segurar, mas ele estava tentando forçar Mary a algo, provavelmente á perda de memória.

– Ela não vai fazer a lavagem cerebral – falei entredentes.

– Quem é você? – ele me fitou e então deu um fraco sorriso – ah, claro! A noiva de Steve. Acho melhor ficar fora disso, não é questão de vaidade, está colocando a vida dela em risco!

– Não estou! Ninguém sabe da presença dela lá, a única que sabia era Makaya. Ela está em perigo desde que comecei a namorar com Steve e ninguém fez nada com ela, e não acredito que fará.

– Esses vilões são perigosos, Helena – ele disse colocando os braços para trás e me encarando com seu único olho nu – você viu o que Makaya fez com você, Jane e Pepper aquela vez...

– Ela não vai contar nada!

– Você não sabe! – ele aumentou o tom de voz me fitando.

Steve então me empurrou levemente para trás quando a voz de Nick Fury ecoou no avião. Ele segurava seu escudo e mantinha uma expressão séria, pude vê-lo fechar o punho em volta do escudo.

– Fury, ela me prometeu que não irá contar. Helena e Mary são melhores amigas desde criança. Elas se conhecem, Mary jamais trairia a confiança de Helena. E somos Os Vingadores, temos poderes e disposição para atacarmos qualquer um que ameaçar a vida de alguém. Seja Mary, Helena, Pepper ou até mesmo você. Então, confie na garota. Não há necessidade de uma lavagem cerebral, não vou deixar Helena e ela vai saber que namoramos, ou acabará descobrindo. O que põe Mary em perigo não é o fato dela saber quem somos e sim o fato de ser amiga de Helena – ele então respirou fundo – e eu fiz um trato, que todos sabem, e se você não sabe, Fury, vai ficar sabendo agora. Meu trato é simples, é uma promessa que eu mesmo fiz: irei proteger Helena até o fim dos tempos. Não importa o que aconteça.

Fury então fitou Steve furioso e virou as costas indo para a cabine do piloto. Mentalmente eu torcia para que ele não fosse o piloto. Fitei Mary quem me fitou assustada com os braços agarrados na cadeira e com os olhos lacrimejantes. E ela deu um fraco sorriso.

Um sorriso tranquilizante e aliviado. Dei o mesmo sorriso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...