História Hey, cute little thing! - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster
Tags Abo, Cio, Cross-dresser, Hibridos, Jin, Mary Sue, Mpreg, Namjin, Rap Monster, Sap
Exibições 382
Palavras 2.688
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Fluffy, Lemon, Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello ^o^
Boa leitura!

Capítulo 2 - Capítulo 02: classification


Fanfic / Fanfiction Hey, cute little thing! - Capítulo 2 - Capítulo 02: classification

-Meu nome é Kim Seokjin.

O pequeno híbrido -que se denominava Seokjin-, continuava encolhido naquele cantinho.

-Então venha comigo, Seokjin. - sorri, estendendo minha mão a ele. -Eu não vou te machucar, eu juro.

Ainda com receio, Seokjin pegou em minha mão estendida, se levantando. Seokjin estava bastante fraco, e logo após se levantar, cambaleou, se debruçando em meus braços. Vi seu rosto ganhar uma cor avermelhada e suas orelhinhas se abaixarem.

-D-Desculpa. - pediu Seokjin, ele ainda estava bastante corado e com as orelhinhas e o olhar para baixo, era tão fofo.

-Tudo bem, você está bastante fraco, pequeno. - Seokjin continuava com o rosto corado, principalmente agora, com o novo adjetivo que lhe dei. Pequeno.

-Qu-al é seu nome? - perguntou Seokjin. Estávamos extremamente perto um do outro, e com tal aproximação, pude ver melhor toda a beleza que o híbrido possuía.

-Eu sou Kim Namjoon, mas me chame só de Namjoon. - falei sorrindo e consequentemente mostrando minhas covinhas, eu particularmente não era muito fã delas, mas com o tempo aprendi a aceitá-las em mim.

-T-tá, Nam-joon. - disse o híbrido, ele era extremamente tímido.

-Agora, vamos até o meu carro para irmos a delegacia. - falei guiando Seokjin até a porta de saída.

Não era a primeira vez que eu via um híbrido pessoalmente, um amigo meu namorava um híbrido, eles sempre falam sobre uma classificação que separa os híbridos, os ômegas e os alfas. Pensando bem, qual será a classificação do Seokjin?

Bom, deixando esse assunto de classificação de lado, eu sempre me encantei com as orelhinhas de gato, elas são tão fofinhas. Seokjin tinha a cauda cinza da mesma cor das orelhas que davam um ar mais felino para o híbrido. Seus cabelos provavelmente eram tingidos, porque que eu saiba as orelhas e cauda são sempre da mesma cor que os cabelos, ou não?

Saímos da casa, vários militares que antes estavam de ronda por perto da floresta, tiveram suas atenções para mim e para o pequeno gatinho, mas principalmente para o gatinho. Os olhares eram de curiosidade, outros de desgosto -ainda existia uma certa discriminação com os híbridos-, e também olhares maliciosos para o pequeno Seokjin, nos qual eu decidi ignorar.

Seokjin parecia ter medo dos olhares que recebia, porque ele se encolhia e tentava ao máximo ficar perto de mim.

Fui andando um pouco mais rápido até chegar a minha viatura, abri o porta do banco do passageiro e fiz Seokjin sentar no mesmo, me agachei ficando na mesma altura que o gatinho.

-Ei, eles não vão fazer nada com você. - falei passando meus dedos sobre o rosto cheio de beleza do gatinho em um breve carinho. -E se tentarem fazer algo, eu mesmo darei um jeito com quem fazer tal ato, está bem?

Seokjin fechou os olhinhos e mexeu com a cabeça em um pedido mudo para que eu não parasse com o carinho. E como eu queria passar uma impressão de cuidado com o menor, apenas continuem com o carinho, logo com as duas mãos, uma em seu rosto e outra em seus cabelos e orelhas. Seokjin sorriu levemente ainda de olhos fechados e ronronou baixinho, mas eu ouvi perfeitamente. Parecia que havia anos que Seokjin não era acariciado deste jeito tão meigo, porque ele parecia gostar tanto.

Eu ainda fazia o carinho enquanto sorria, era tão fofo ver tal cena. Vi Seokjin abrir os olhos ainda ronronando, e seu rosto ganhar uma cor um pouco avermelhada.

-D-Desculpa. - falou Seokjin abaixando sua cabeça juntamente com suas orelhinhas. -Foi só o meu ins-tinto, me desculpe.

-Não tem com oque se desculpar. - falei pegando em seu queixo e o fazendo olhar para mim. -Eu sei como é bom receber carinho.

Seokjin sorriu tímido e levantou suas orelhinhas que estavam abaixadas.

-Hyung! - ouvi Jungkook me chamar. -Hyung, vamos logo até a delegacia. Estou com sono e com saudades de alguém.

Jungkook estava em sua viatura, me olhando da janela com um olhar furioso que chegava a ser fofo, com um bico fofo nos lábios e também um pirulito azul nos mesmos. Eu sabia com quem ele estava com saudades, daquela bicha acinzentada, vulgo Park Jimin.

Não queria ouvir mais a voz de Jungkook reclamar. Me levantei e fechei a porta do passageiro e fui até o banco do motorista. Me sentei banco e olhei para Seokjin, ele me encarava com os olhos grandinhos, a boca entreaberta e as orelhinhas levemente abaixadas. Aquela imagem deveria ser pintada, enquadrada e posta em um museu. Seokjin era tão lindo.

Assim que nossos olhos se encontraram, vi Seokjin virar o rosto -que agora estava mais corado que o normal-.

Decidi ignorar, afinal não seria nada bom deixar Seokjin mais sem graça do que já estava.

                            (⌒o⌒)

A viagem até a delegacia foi deveras tranquila. Seokjin focava seu olhar no lindo nascer-do-sol pela janela. Seus olhinhos brilhando e sua cauda se movimentando devagar de alegria, ele com certeza estava feliz por ter saído das mãos daquele homem horrível.

Não demorou e logo chegamos a delegacia. Saímos da viatura e vi que Seokjin estava nervoso e preocupado, eu não tinha dúvida de que ele sentia medo agora.

-Ei, não precisa sentir medo, pequeno. - falei tentando deixar Seokjin mais confortável com a situação. -Talvez nós faremos algumas perguntas e nada mais.

Seokjin acediu sorrindo minimamente, devolvi o sorriso e peguei em uma das mãozinhas de Seokjin para levá-lo até o detetive encarregado do “crime”. A pele de Seokjin era tão macia, os cabelos dele exalavam um doce cheiro de manga. Eu amo manga!

Guiei Seokjin até a sala do encarregado, ainda segurando sua mão. Parece que Seokjin fica mais confortável comigo segurando sua mão.

Fomos andando até chegarmos em um grande corredor repleto de salas. Entrei na última sala que existia lá, encontrando exatamente quem eu queria.

-Dong-yul hyung. - chamei pelo homem que estava de costas, mexendo em alguns papéis e livros na estante. Dong-yul era alguém bastante velho em comparação com o resto das pessoas que trabalhavam nessa delegacia, eu não sei sua idade real, mas chutaria uns cinquenta e dois anos. Seus cabelos eram grisalhos e para alguém bastante velho, Dong-yul era bem conservado.

-Olá, Namjoon. - disse o velho sem olhar para mim. -A missão correu bem?

Fiquei com certo receio de falar a verdade para Dong-yul, até porque ele não era de ter paciência, principalmente quando o assunto é “missão falhada”.

-Na verdade não, Dong-yul hyung. - falei e vi o velho dar um grande suspiro decepcionado.

-Oque aconteceu para a missão dar errado? - Dong-yul perguntou com um alguma raiva na voz, ainda sem me olhar, e sem notar Seokjin ao meu lado.

-O indivíduo já esperava nossa vinda, ele fugiu antes de chegarmos lá. - falei decidido e senti um aperto em minha mão. Seokjin estava muito assustado. -Mas, felizmente encontramos o Seokjin, e como tudo indica ele era próximo ao pedófilo.

O homem se virou e encarou Seokjin que ia cada vez mais para trás e para perto de mim. Olhei para ele, ele estava com a orelhinhas abaixadas e com a cabeça abaixada.

-Nós não podemos perder mais tempo. - falou Dong-yul vindo até minha direção e puxando o braço de Seokjin, o fazendo soltar sua mão da minha. -Eu vou conversar com esse híbrido, e pegar informações. Espero que ele seja útil.

Dong-yul saiu da sala e me deixou lá, em pé, e preocupado com Seokjin. Ah, Seokjin deve estar muito assustado.

Saí daquela sala e fui até um café que tinha lá mesmo na delegacia. Pedi um café com leite a moça que trabalhava lá e me sentei em um banco perto da pequena fonte que tinha lá. Lá era o único lugar ao ar livre da delegacia, ela tinha lindos jardins e grandes árvores que faziam grandes sombras. Bebi um pouco do meu café com leite e peguei meu celular, abrindo as mensagens.

Jiminzin:
6:16

Kim Namjoon

Jiminzin:
6:16

O Kookie me falou que vc está muito cansado, deixe esse caso do pedófilo fujão pra lá só um pouquinho, vc precisa descansar

Jiminzin:
6:16

E se estiver muito cansado, vc não precisa ir comigo até o shopping

Jiminzin:
6:17

Só não quero te ver desmaiando de fome e de sono

Jiminzin:
6:17

Eu me preocupo com vc seu bosta

Jiminzin:
6:18

Vc é um irmão pra mim e vc sabe muito bem

Jiminzin:
6:19

Te amo tá? <3

Jimin era tão bom comigo, ele realmente era um irmão para mim, desde a infância.

Você:
6:24

Eu não vou desmaiar de fome e nem de sono v_v

Você:
6:24

E não se preocupe eu vou com vc no shopping sim ;)

Você:
6:25

E logo logo eu estarei em casa

Você :
6:25

Te amo tmb flori <3

Você:
6:26

Mas não deixa o Kookie saber em kaajankaj

Saí do aplicativo de mensagens e joguei o copo descartável vazio no lixo. Me levantei e fui em direção as salas onde com certeza Dong-yul levou Seokjin.

Estava prestes a chegar na sala de confissões quando ouço um pequeno barulho vindo de uma sala onde se guardava fardas. Abri a porta e senti uma raiva enorme denominar meu consciente. Havia um militar prensando Seokjin na parede enquanto beijava seu pescoço. Seokjin estava com os olhos fechados e eu juro que vi uma lágrima solitária descer de seus olhos.

Sem pensar duas vezes, empurrei o tal militar o tirando da frente de Seokjin, e logo o acertando um soco não tão forte.

Respirei fundo, puxando Seokjin para mim e tentando ter calma para não gritar e não assustar ainda mais Seokjin.

-Se você por acaso encostar um dedo sequer nesse híbrido novamente… - comecei a falar, apertando mais Seokjin contra mim e começando um carinho em suas orelhas, na tentativa de o acalmar. -...Eu não responderei pelos meus atos, seu imundo.

Vi o militar engolir seco, se levantar e ir embora correndo. Eu sempre fui muito intimidador.

-Ah Seokjin, me perdoe por favor. - falei o abraçando forte e quase chorando durante o ato. -Eu não vou mais te deixar sozinho nessa delegacia cheia de pervertidos.

-Tudo bem, Nam. - falou Seokjin, me fazendo sorrir pelo modo carinhoso que o mesmo falou meu nome.

-O Dong-yul hyung conversou com você? - perguntei e vi o semblante de Seokjin mudar de neutro para triste e outra lágrima cair de seus olhos e suas orelhinhas abaixarem. -Ei oque foi?

-E-Ele me fez perguntas que eu não sabia responder e depois me chamou de inútil e de… - Seokjin parou olhando para o chão triste e com as orelhinhas ainda abaixadas.

-De que, Seokjin? - perguntei aflito e com medo da resposta.

-...Brinquedo.

Aquilo foi a gota d'água. Oque eles pensam que são para falar e fazer coisas tão cruéis com um híbrido indefeso? Eu iria ir embora daqui, e levaria Seokjin comigo.

Peguei delicadamente a mão de Seokjin e o guiei até a saída. Peguei as chaves do meu carro, que se encontrava no estacionamento. Seokjin sentou no banco do passageiro e coloquei o cinto no mesmo.

Eu iria deixar Seokjin em um centro de cuidados, lá eles cuidam dos híbridos e tentam arrumar uma família para o mesmo.

Não demorou muito e logo chegamos até o centro de cuidados.

-Seokjin, fique aqui, ok? - pedi e vi Seokjin acedir me olhando com seus olhos grandinhos e com as orelhinhas mexendo.

Sai do carro e entrei no local. Atrás de um balcão havia uma moça, aparentemente mais nova que eu, magra, com os cabelos castanhos soltos e com um óculos no rosto, ela parecia ser bem simpática.

-Com licença. - falei olhando para a moça que mexia em uns papéis.

-Pois não? - falou a moça me olhando com um sorriso sem mostrar os dentes, como eu esperava ela era sim, alguém simpático.

-E que eu tenho um híbrido, na verdade ele não é meu, eu só o encontrei, sabe ele também não tem dono e ninguém próximo 'pra cuidar dele, e eu quero saber se vocês podem ficar com ele e encontrar alguém para adotá-lo. - perguntei nervoso, afinal eu não queria que Seokjin ficasse em mãos ruins.

-Ah senhor, infelizmente nós não temos mais espaço para abrigar nenhum híbrido, a não ser filhotes. - disse a moça com um olhar meio cabisbaixo. -Mas, se o senhor preferir ele pode ficar na sua casa ou em algum lugar seguro e se por acaso alguém vier procurar híbridos para adoção e se interessarem no híbrido que você achou nós entraremos em contato com o senhor. Oque acha?

-Pode ser. - falei simplista.

-Ótimo! - a moça parecia bastante alegre, ela com certeza gosta dos híbridos. -Apenas preciso que o senhor preencha esse formulário com as informações do híbrido e sua.

Acedi, a moça me entregou o tal formulário e uma caneta. O formulário era bem simples, eram coisas tipo: nome do híbrido, idade, altura, sexo, coloração da pelagem e classificação. Preenchi tudo que eu sabia. O nome logicamente era Kim Seokjin, a idade e altura eu apenas chutei oque podeira ser, já que ele aparentava ser mais novo e era menor que eu, o sexo era bem óbvio: masculino, mas tinha a classificação. Eu não sabia muito sobre isso de classificação. Ômegas e alfas.

-Moça, oque é a classificação realmente? Essas coisas de alfas e ômegas? - perguntei a moça, ela com certeza saberia me dizer.

-Bom, vamos levar em consideração que os híbridos têm um pouco de lobo em si e é como em uma matilha, os alfas são os líderes, os mestres da sociedade. Eles geralmente são agressivos, impiedosos e mais másculos, mesmo quando é um alfa mulher. Seu comportamento é quase sempre selvagem, e por conta disso, muitas vezes não conseguem reprimir a vontade de rosnar. - a moça falou soltando um pequeno riso ao dizer a palavra ‘rosnar’, era bem incomum ver alguém com feições humanas rosnar. -Os alfas possuem um tipo de "encantamento" na voz, um timbre acionado que pode afetar as demais pessoas, deixando-as com medo ou persuadindo-as a fazerem o que os alfas desejam, independente do que for.

-Então os alfas são como os “machões”? - perguntei e vi a moça acedir. -E os ômegas?

-Então, os ômegas normalmente são bem submissos. Geralmente são acanhados e pequenos, mas isso não significa que saem dando para qualquer alfa por aí. - falou a moça enquanto olhava o formulário que até agora estava incompleto. -Mesmo num homem, o ômega possui feições mais delicadas e um aroma adocicado, sendo esse último muito importante na descrição dessa classe.

-Os ômegas tem características femininas? Eles são como mulheres? Até os homens ômegas? - perguntei tentando entender todo esse papo de classificação.

-Mais ou menos assim, digamos que em uma relação sexual, o ômega sempre será o passivo e o alfa sempre será o ativo, independente de seu sexo, exceto pelas mulheres alfas, elas continuam sendo passivas, mas como eu disse tendo uma feição mais máscula e controladora. - a moça disse me fazendo entender tudo sobre a classificação dos híbridos. -Senhor, creio que saiba que terá uma grande probabilidade do cio dele ou dela chegar durante o tempo.

-Oque é o cio? - perguntei confuso a moça que me olhou com um sorriso meio sem graça. -Desculpe, e que eu realmente não entendo sobre híbridos.

-Sem problemas, eu te explico. - falou a moça pegando um prendedor de cabelo e prendendo o mesmo. -Bem, os cios são períodos completamente tensos e carregados de tesão, tanto para alfas quanto para ômegas. Basicamente, um alfa só fica satisfeito por completo quando fode um ômega e um ômega só fica satisfeito por completo quando é fodido por um alfa, tudo isso da forma mais carnal que você pode imaginar, e as vezes, quase sempre, uma única foda não satisfaz o indivíduo no cio. Uma coisa importante é que nessa fase, os ômegas estão férteis para poderem engravidar.

Agora tudo estava explicado, tudo oque eu ouvia antes fazia sentido agora. Peguei a caneta e o formulário sobre o balcão e preenchi a informação que faltava.

•Classificação do híbrido: ômega.

   


Notas Finais


Então, olá!

Eu demorei pra trazer o próximo cap por preguiça e falta de inspiração, sorry.

E que tmb eu não gosto de escrever meus capitulos com menos de 1.000 palavras e eu tmb tenho a Greed nothing more than that e fica meio complicado, sabe.

Mas eu vou tentar ao máximo atualizar as duas ainda essa semana.

Até? ^ω^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...