História Hey, Guys! - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Annabeth Chase, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Bianca di Angelo, Calipso, Charles "Charlie" Beckendorf, Chris Rodriguez, Clarisse La Rue, Connor Stoll, Cronos, Dionísio, Frank Zhang, Frederick Chase, Gleeson Hedge, Grover Underwood, Hades, Hazel Levesque, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Jason Grace, Katie Gardner, Leo Valdez, Luke Castellan, Malcolm, Miranda Gardiner, Nico di Angelo, Octavian, Paul Blofis, Percy Jackson, Perséfone, Piper Mclean, Poseidon, Prometeu, Quíron, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Silena Beauregard, Thalia Grace, Travis Stoll, Tyson, Will Solace, Zeus, Zoë Nightshade
Tags Franzel, Jasiper, Percabeth, Thalico, Tratie
Visualizações 64
Palavras 1.318
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hey, amores! Aqui estou eu com o primeiro cap da fic! Já vou avisando: vou dar mais destaque para os P.O.V.s da Annie, Katie e Thals. Quando eu achar que estiver num momento delicado, em que a gente sempre quer saber os dois lados da história sabe?, eu vou colocar um P.O.V. dos meninos.
Bjoss!

Capítulo 1 - Katie


Ok, Katie. Respira fundo, não agrida a sua irmã... Miranda vai se ferrar de algum jeito, não suje suas mãos com isso. Abri os olhos e encontrei ela ali, na minha frente, distraída lixando as unhas. Quase pulo em seu pescoço e a enforco, mas já estou muito ferrada.

— Miranda, o que você ainda está fazendo no meu quarto? 

— Sei lá. Lixando as unhas - disse dando de ombros.

— Olha, Miranda. Você tem três segundos pra sair daqui antes que eu pule em seu pescoço e te enforque até você desmaiar - ameacei.

— Katie, querida. Você não me dá medo. Eu te ensinei esses truques. E eu sou a irmã mais velha, não me sinto ameaçada. Você não consegue fazer mal pra ninguém - ela disse debochada.

 Mi, como gosta de ser chamada, sempre se achou superior por ser a mais velha. Mas não só comigo. Com todos. Ainda não entendo como ela tem amigas. Ela que me ensinou tudo de ruim que eu sei. Manipulação, chantagem, persuasão, roubo... Só não me ensinou a lutar. Disse que era delicada demais para isso. Disse que era uma dama. Não sei onde Miranda pode ser considerada uma dama. Tem cara de anjo, uma garota delicada. Mas é um monstro. É três anos mais velha que eu. Está no segundo ano da faculdade. Já fez mal a quase todos. Chantagem emocional e social, manipulação, ameaças... De tudo um pouco. Seu hobby é amedrontar pessoas; fazer elas se sentirem menores, inferiores.

 Mas o que ela não admitiria, nunca, é que sua irmãzinha, a tão delicada e sensível Katie fosse quase tão ruim quanto ela. Ela se recusa a acreditar que eu sou capaz de tudo o que ela é, que eu sou uma ameaça para os outros e para ela. Mas isso não passa de hoje. Hoje ela não vai ter escolha a não ser conhecer a irmã que ela criou. O monstro que ela criou.

— Tem certeza, Miranda? Se eu sou tão inofensiva, como você explica os nudez seus e do Stoll que vazaram depois que você roubou meu celular? E as mensagens em que você e suas amigas estavam discutindo sobre assaltar uma joalheria? Como elas foram parar com a polícia? - Questionei, vitoriosa.

— O que?! Não foi você... Não pode ter sido! - Ela diz, exasperada.

— Aceita que dói menos.

— Você é um monstro! - Ela diz. Como se tivesse alguma moral para isso.

— Ué, não foi você quem me ensinou tudo isso, Mi? — Perguntei, dando ênfase em seu apelido. - Se eu sou um monstro, o que você é, Miranda?

— Sua vagabunda! Você não tinha esse direito! - Ela reclamou, praticamente gritando nos meus ouvidos.

— Miranda, eu não sou surda, o.k.? E outra. Você acha mesmo que você ia me mandar pra uma escola interna e eu ia deixar barato? Há! Fala sério, né!

— Você é uma vadia! - Ela disse.

— Você não é diferente de mim, Miranda. Você é tão vadia quanto eu - eu disse e ela saiu do meu quarto.

Ela armou para mim ir para uma escola interna e realmente esperava que eu deixasse barato. Ela é muito mais burra do que eu pensei. Mas o que mais eu esperaria dela? De Miranda Gardiner, a filha "perfeita" da famosa chefe de cozinha Deméter Gardner? Uma garota superficial, manipuladora e uma grande vadia que se finge de santa. Não esperava nada muito diferente de uma piranha sem cérebro feito ela. Todos os dias agradeço por ser sua irmã só por parte de mãe. Assim não convivemos juntas o ano inteiro. Mas com a escola interna vou passar ainda mais tempo longe da Miranda, o que é uma ótima notícia.

Mas estou com tédio, então mando uma mensagem para as meninas.

Vacas Lokas

                                                             Eu: Oi gente

Lia: Oi Kit-Katie                                                        

Annie: Oi                                                                                                        

                                Eu: Miranda armou pra mim dnv  

Annie: O que a vadia fez dessa vez                          

Annie: ???                                                               

              Eu: Organizou 1 dos assaltos dela e colocou a culpa em mim

Lia: Q fdp!!!

                    Eu: Tbm acho. Agr tenho q ir. Minha mãe tá me chamando pra eu ir arrumar a mala

Lia: Tá. Bjs

Annie: Flw Katie 

Eu: Flw meninas. Bjs

Sai do WhatsApp e fui até a cozinha, onde minha mãe estava cozinhando o café da manhã. Bem, ainda eram nove da manhã e eu já havia discutido com Miranda. Novo recorde.

— Mãe? - Chamei.

— Ah, você está aí. Chame sua irmã para tomar café e vá arrumar sua mala - ela disse arrumando os cachos acobreados em um coque. 

— Eu não vou falar com a Miranda - eu disse, cruzando os braços.

— Katie, por favor - ela pediu.

  Como eu sou a idiota que tem um coração mole, cedi e fui até o quarto da Miranda. Parei em frente a porta cor-de-rosa e bati duas vezes. Logo ela apareceu para abrir a porta. 

— A mãe está chamando pra tomar café - eu disse.

— 'Tá. Fecha a porta - ela disse enquanto amarrava os cabelos acobreados em uma trança lateral.

 Antes de fechar a porta, dei uma olhada no quarto. Aquele lugar tinha mudado tanto... Fazia muito tempo que eu não ia ali. Faziam cinco anos que eu não chegava nem perto do quarto da minha irmã. A última vez que eu entrei naquele lugar, Miranda ainda tinha 14 anos. Ainda era bondosa, gentil, sorridente, amorosa. Ainda me amava. Ainda era minha irmã. Mas, depois ela se transformou no que é hoje. Eu nunca gostei de sua turma, dizia que era má influência para ela. Mas ela nunca ligava. Antes ela parava e dizia: "Eu nunca vou ficar igual a eles, Katie. Eu vou sempre ser sua irmã, e você sempre a minha irmãzinha." Mas um tempo depois ela só dizia que eu não tinha nada que me meter na vida dela e que eu estava errada. Mas não estava. O quarto antes rosa bebê, cheio de fotos nossas sorrindo e se divertindo, cheio de vida, flores e cores hoje estava morto. As paredes agora eram de um tom enjoativo de magenta, não havia mais flores ou cores ou vida, e todas as fotos sorridentes foram substituídas por outras. Em que ela e as amigas aparecem com jóias e outros artigos roubados. Ou ela e seus inúmeros ficantes. Olhando a cena senti meus olhos arderem e a garganta fechar. O que fizeram com a minha irmã? Mas, lá atrás, bem no fundo do quarto, havia um quadro. Era uma foto nossa, sorrindo. Estava ela, eu e Travis. Ao olhar para o rosto dele, já não segurei mais as lágrimas. Ele havia sido outro que me abandonou. Ele era meu amigo. Na verdade, meu melhor amigo. Eu gostava dele, sentia algo a mais. E Miranda sabia disso. Mas, quando ela fez 15 anos, ela o beijou. Bem na minha frente. Mas não era só isso; ele também sabia dos meus sentimentos. Mas nem assim recusou o beijo. Só que ele também estava mudado. Ele e seus dois amigos, Percy e Nico, eram os maiores galinhas da escola. Isso com 14 anos. Eles são um ano mais velhos que eu e as meninas. Mas isso não impedia nossa amizade. Até Miranda mudar e mudar eles também. Pouco tempo depois as meninas e eu mudamos de escola e nunca mais os vimos. Acho que não os reconheceríamos mais. Nós mudamos muito, física e psicologicamente, e eles também. Mas isso não importa mais. Enxuguei as lágrimas, fechei a porta e desci as escadas. Eu devo estar ficando paranóica, porque quando passei pela sala - que no caso tem as paredes de vidro - eu podia jurar que vi ele no jardim. Que vi ele saindo correndo enquanto o cabelo castanho esvoaçava. O mais estranho era que ele parecia ter saído pela varanda da Miranda. Mas não podia ser verdade. Ele não estava ali, ele não saiu do quarto da minha irmã. Porque, por mais que eu negue, falar dele ainda dói. E muito.

 Continua...


Notas Finais


E foi isso, amores! Pensei em trazer um pouco de drama pra história. Ficou legal? Comentem a opinião de vocês!!!
Bjoss!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...