História Hey, Hands Up! - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Tags 2jae, Jinson, Markjin, Markjinson, Markson, Yugbam
Visualizações 566
Palavras 5.588
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Agradecemos aos 142 favoritos e a todos que comentam!!! :D

Para mais informações ou se quiserem bater um papo com as autoras,
nos sigam no Twitter: @giseledute | @isidoroka ;)

--
O capitulo de hoje perde música!
Call Me Daddy - EXO
Sex on Fire - Kings Of Leon
Love Me Do - VIXX
*Link nas Notas finais.
--

Boa leitura :D

Capítulo 27 - Capítulo 27


– Jinyoung, não poderei ir a sua formatura. – informou Taekwoon, com uma expressão séria. – Terei que cuidar do meu sobrinho.

– Ah, leva ele, chefe.

– Não.

– Okay. – Jinyoung balançou a cabeça afirmativamente e suspirou. Que homem! – Obrigado mesmo assim. Devo muito ao senhor.

– Se me chamar de senhor, vou demiti-lo. – O estudante quis rir, mas não duvidava que o outro poderia fazer algo assim. – Seu namorado chegou… O loiro.

– Ah, então eu vou indo. – informou e o chefe simplesmente fez um movimento displicente com a mão. – Boa noite.

– Boa noite.

 

 

Jackson dirigia em silêncio e Jinyoung estava no banco de trás com Haneul na cadeirinha. O moreno brincava com a garota que estava animada por receber tanta atenção.

Jinyoung estava estranhando o silêncio do outro, que sempre brincava com alguma coisa ou colocava alguma música e desafinava achando que estava cantando. Mas lá estava o namorado, sem pronunciar uma palavra, com os olhos fixos na estrada.

O moreno resolveu que traria o assunto quando estivessem na residência de Mark, pois a menina do lado não entenderia se de repente as atenções não fossem para ela.

Minutos mais tarde, chegaram na casa amarela de esquina e Haneul logo correu para dentro. Era engraçado imaginar que a maioria dos dias agora, ele passava naquela residência, cuidando de uma criança e esperando o outro namorado chegar do trabalho. Aos poucos, estavam formando uma rotina em família e isso era maravilhoso.

Puppy, algum problema? – Jinyoung aproveitou que Haneul estava em algum outro cômodo e resolveu ir até o namorado. – Teve um dia cansativo?

– Sim… – disse o loiro, terminando o copo de água. – Hum... Vou dar banho em Haneul. Já volto.

O moreno observou o outro desaparecer na escada e ficou se perguntando se o loiro estava mesmo cansado ou havia algo acontecendo. Jinyoung esperava que fosse a primeira opção.

Jinyoung resolveu preparar algo para alimentar a todos e rapidamente estava absorto na cozinha quando Haneul desceu correndo, já com o pijama de dormir, porém a animação de tudo, menos de ir descansar.

– Cadê seu oppa, querida?

– Ele disse que já estava vindo. – A menina respondeu, olhando para o prato na sua frente. – Posso comer, oppa?

– Pode sim.

Haneul tratou de se alimentar e alguns minutos depois Jackson apareceu na cozinha, parecendo uma outra pessoa. Estava visivelmente revigorado e sorridente, o que fez Jinyoung pensar que realmente ele só estava cansado do trabalho e automaticamente se sentiu mais aliviado.

– Princesa, você anda com muita fome, hn? Será que sobra comida pra mim ou você vai comer tudo? – O loiro brincou, fazendo cócegas na lateral do tronco de Haneul que sorriu, ficando o garfinho em uma cenoura e a levando a boca, em um gesto exagerado.

– Eu vou comer tudo! Aaahh, eu sou um urso! Ursos precisam comer para ficar grandes e fortes! Aaaaah!

Haneul arrancou gostosas gargalhadas dos adultos com suas imitações de urso faminto.

O jantar correu de maneira divertida e tranquila, para estar perfeito só faltava Mark, mas os três compreendiam que o mais velho precisava trabalhar, mas que se reuniria a eles assim que possível.

Após comerem, os dois autorizaram Haneul a assistir um pouco de televisão. A menina foi toda feliz até a sala e os namorados ficaram para trás, sorrindo para a cena.

– Melhorou, Puppy? – perguntou o moreno, colocando os braços em volta da cintura do outro, que o encarou sorrindo. – Você parecia meio tenso.

– Sim, sim… Eu precisava só de lavar o rosto. – Jinyoung pareceu satisfeito com a resposta e Jackson notou como era fácil enganar o namorado. Pensar nisso o deixou triste. – Como foi seu dia, anjo?

– Ah, foi bom. É legal não ter que ir mais para a faculdade. Quer dizer… Vou sentir falta, mas eu acordava no meio da noite achando que faltava algum trabalho para fazer.

– Eu sei, uma vez eu levei um susto. – O loiro sorriu, aproximando o rosto do outro. – Tive que te dar vários beijinhos naquele dia.

– Eu ainda vou querer os beijinhos… – ronronou, roçando os lábios nos do outro antes de selá-lo levemente. Ele gostava desses momentos com Jackson, ainda que sentisse falta de Mark. Era como se fosse um quebra-cabeças e sempre que um não estava, fazia falta e permanecia incompleto.

Depois de meia hora arrumando a cozinha os dois se encaminharam para a sala onde encontraram Haneul adormecida no sofá e um episódio de Ursinho Pooh passando na televisão.

Awn… ela dormiu. Parece um anjinho.  – Jinyoung comentou, se aproximando da menina e afagando levemente os cabelos castanhos da criança, um sorriso orgulhoso em seus lábios. Ela era tão linda. – Pelo visto filha de anjo, anjinho é.

– Sim, acho que você tem razão. – O chinês respondeu, sua expressão voltando a ficar entristecida, porém, para sua sorte, Jinyoung estava ocupado demais prestando atenção na menina para reparar nele. – Deixa que eu a levo para o quarto. Você deve precisar arrumar algumas coisas para a formatura amanhã, não?

Hm… acho que não, mas vou conferir só por precaução.

Jackson concordou com a cabeça e pegou delicadamente Haneul no colo. Ela era leve de carregar e em pouco tempo, o chinês a estava colocando na cama. A menina logo se ajeitou sobre o colchão e o loiro a cobriu com um lençol e logo depois uma colcha, só para garantir.

A menina era tão pequena e inocente, ele nem queria imaginar o que poderia acontecer a ela caso Ji Eun conseguisse sua guarda. Muito menos o que seria dele ou de Mark e Jinyoung se não pudessem mais vê-la. Seria como se arrancassem uma parte do loiro, tinha certeza, porém não conseguia nem imaginar o quão pior seria o sentimento para Mark, que deixara tudo para trás em prol de criar, amar e dar tudo de si para que nada nunca faltasse a Haneul. Jackson não poderia permitir que algo do tipo acontecesse, precisava proteger sua família. Sim, sua família. Uma que ele estava construindo aos poucos, junto das pessoas que amava. Lee Ji Eun poderia tentar o que quisesse, mas o chinês estava pronto para proteger aquelas pessoas com tudo o que tinha, mesmo que eles decidissem não o terem mais por perto. Jackson zelaria por eles mesmo assim.

– Haneul… Eu prometo que vou cuidar de você. – O loiro sussurrou, ajoelhado ao lado da cama da criança, enquanto continuava a afagar os cabelos castanhos da menina que ressonava tranquilamente. – De você, do seu pai e de Jinyoung também. Nós amamos tanto você, pequena.

Jackson sentia que estava aponto de chorar, mas não poderia se dar ao luxo de fazer isso. Não agora, não seria capaz de parar se começasse. Ele precisava se manter forte até conseguir contar tudo a Mark e a Jinyoung e esperar pela reação deles. Se preparar para o pior e esperar o melhor.

Puppy, está tudo bem?

O loiro olhou rápido para a porta, onde a voz de Jinyoung o retirava do torpor. Ele estava apoiado no portal de madeira e tinha um sorriso tímido no rosto ao mesmo tempo que a testa franzida.

Shiii. – Jackson se levantou, não antes de depositar um beijo na testa da menina e seguiu para o corredor, ao lado do moreno e fechou a porta atrás de si. – Só estava a olhando... Haneul é tão inocente.

– Sim… – O moreno novamente sentiu algo estranho vindo do outro. – Tem certeza que está tudo bem?

Jackson suspirou fundo e resolveu fazer algo para tirar a desconfiança do outro e por isso o prensou contra a parede mais próxima, o beijando. Jinyoung pareceu se espantar com a atitude, mas logo relaxou, colocando as mãos nas costas do outro.

– Vamos para o quarto. – disse o chinês, puxando o outro pelo punho.

– Mas… E Mark?

– Podemos esperar ele lá, vamos logo.

O moreno ainda parecia um tanto indeciso, mas seguiu o namorado, logo se sentando ao lado dele na cama.

– Mark odeia ser deixado de fora, você sabe. – afirmou Jinyoung, levantando uma das sobrancelhas.

– Não vamos fazer nada, Puppy. – Jackson sorriu, logo apoiando a cabeça no travesseiro. – Vamos dormir.

– Ai, que sem graça.

O formando brincou, passando uma das pernas por cima das do namorado e sentando-se no colo dele, de modo que o tronco de Jackson ficasse encaixado no meio delas. Seus olhos pequenos fitavam os do loiro com cuidado, como se tentasse decifrar o que tanto este tentava esconder dele. Jinyoung quis perguntar, quis interrogar e colocar todas as suas habilidades de advogado em prática até não restar um único segredo na mente de Jackson Wang, mas prometera respeitar o tempo do outro. Prometera que não iria fazer nada daquilo. Então, simplesmente inclinou-se para frente e selou os lábios do mais velho com carinho. Dedilhando a nuca do mesmo até que seus dedos estivessem enroscados nas mechas loiras do chinês.

Foi fácil para Jackson entrar no clima. O chinês tinha que falar, mas poderia esperar Mark, não é?

Jinyoung pouco tempo depois retirou a camisa do namorado. Ah, como ele gostava de passar as unhas no abdômen do outro, principalmente quando o loiro inclinava a cabeça para trás, parecendo estar gostando tanto quanto ele.

– Achei que Mark ficasse irritado… – falou Jackson, parando um momento para observar como Jinyoung ficava lindo descabelado, com os lábios inchados e as bochechas vermelhas. – Estamos ferrados.

– Nos entendemos com ele depois…

O loiro soltou uma leve risada e logo impulsionou o corpo para frente, jogando Jinyoung com tudo na cama. O moreno fechou os olhos antes que a cabeça batesse no colchão. Logo estavam novamente se beijando, as mãos do mais novo explorando o corpo do outro.

Jackson começou a beijar o pescoço de Jinyoung e o moreno fincou os dedos na cintura de Wang, o puxando mais para perto e o loiro acatou o pedido. Os beijos molhados estavam fazendo Jinyoung soltar uns gemidos baixos e o mais velho resolveu que não queria mais a blusa preta cobrindo o peitoral do namorado e por isso logo a tirou.

– Você fica tão fofo assim. – disse o chinês, abrindo o zíper da calça grafite do outro. – Vai ficar ainda mais assim que começar a gemer meu nome...

Jinyoung quase choramingou enquanto levantava o tronco para ajudar o outro a retirar a calça. A fricção que propositalmente o namorado estava fazendo durante todo o processo estava o matando.

O loiro ainda brincou com a ereção do outro por cima da cueca, mas em pouco retirou a peça e se posicionou melhor, sorrindo para as reações do namorado que iam desde morder o lábio a até xingar. Jinyoung amava xingar durante o sexo.

– Porra, você está acabando comigo, caralho.

Ele realmente gostava de xingar, pensou o loiro.

– Eu vou fazer Mark usar aquele chicote se você continuar com essa sua boca suja.

– Me chupa logo, filho da puta.

Jackson parou o que estava fazendo para rir. Ele tentou, mas não foi capaz de controlar e o moreno ficou visivelmente irritado, com a boca formando um bico.

– Tão fofinho, tão malcriado.

O loiro ainda ria e Jinyoung se mexeu, empurrando o outro com o pé, fazendo Jackson sair de cima dele.

– Para de rir, desgraçado.

– Vai ser difícil conseguir...

– Se não vai ser por bem, será por mal.

Jinyoung empurrou com força o loiro, que bateu com a cabeça na cabeceira da cama. Jackson nem teve tempo de reclamar, pois o outro já o estava mordendo no abdômen. O chinês demorou um pouco para acreditar no que estava acontecendo, mas quando os dentes fincaram a pele com mais força, o mais velho gemeu alto.

Jackson quase que voltou a gargalhar. Jinyoung pensava que as coisas seriam assim? Ele estava enganado. O loiro puxou o namorado pelos ombros e quando o moreno o encarou, ele novamente o jogou no colchão, ficando por cima mais uma vez.

O chinês fez caminho pelo tronco do outro, deixando beijos, lambidas e algumas mordidas; já que o outro curtia isso, teria. Jackson segurou a cintura de Jinyoung com força de modo que o moreno percebesse que não deveria se mexer e que todos os movimentos seriam feitos por ele próprio. A pele do namorado era tão alva, o chinês pode perceber, era como se pedisse para ser marcada e foi o que ele fez. Jackson segurou uma das pernas do namorado um pouco mais no alto e desferiu um tapa forte na nádega livre, segurando a mão ali por mais um tempo, sentindo aquela parte de carne esquentar por entre seus dedos e ganharem uma coloração avermelhada. Era lindo, perfeito e o detetive precisou se controlar para não fazer outra vez, principalmente ouvindo o outro gemer daquela maneira tão obscena.

Em pouco tempo, Jackson se encontrou com o pênis do namorado em sua boca e como dito anteriormente, ele o abocanhou, sugando com força. Jinyoung acabou por bagunçar o cabelo enquanto esfregava a cabeça no lençol de cama.

– Porra, caralho…

Jinyoung xingava, mas também tentava falar algumas outras coisas, porém nada com muito sentido. Os dedos da mão direita se perdiam por entre os fios aloirados do detetive, o segurando e o forçando ainda mais de encontro ao seu membro duro e latejante. A sensação era indescritível. A boca de Jackson era morna, úmida e macia; a língua trabalhava em sintonia com os movimentos de sucção, ora lambendo o membro rijo por baixo e ora circulando apenas a cabeça, a massageando lentamente.

De propósito, Jinyoung notou na mesma hora, Jackson começou a se engasgar com o membro do moreno e o mais novo quis empurrá-lo ou algo parecido, mas a sensação era tão boa. Ele conseguia sentir os movimentos da garganta do outro e era muito bom para pedir para parar. O chinês não queria parar também, pois segurou com força a cintura do namorado, o que o levou ao orgasmo com facilidade e só então ele afastou a boca, lambendo obscenamente os lábios avermelhados e abusados por Jinyoung, que praticamente soltou um rosnado diante da cena pensando que ele tinha muita sorte em namorar Jackson Wang.

O chinês levantou a cabeça e olhou o relógio da escrivaninha e notou que ainda faltava bastante para Mark chegar e por isso resolveu continuar com a brincadeira. Jinyoung tinha o braço por cima dos olhos e respirava com dificuldade e o loiro aproveitou a posição que estava e começou a beijar a virilha do outro, que fez um barulho com a boca.

Tirando os gemidos do moreno, o local estava silencioso, a meia luz. O quarto do namorado tinha um regulador de iluminação e Jackson adorava aquilo. Não demorou muito para Jinyoung ficar novamente excitado e o detetive aproveitou para passar a língua na fenda que existia na extremidade do membro do outro, que choramingava, reclamando de tortura.

Nesse momento, eles escutaram uma batida de leve na porta do quarto. Seria Haneul? Pela divindade! Que ela não tivesse escutado nada. Jackson foi o primeiro a reagir, se levantando, procurando a camisa e a colocando. Jinyoung se cobriu com o lençol, já com vergonha.

Jackson olhou para o moreno e vendo que ele estava minimamente aceitável, destrancou a porta, mas para o seu alívio, era Mark, com um sorriso de lado. Logo que o outro moreno entrou e novamente trancou a porta, Jackson sentiu uma boca na sua, com volúpia.

Os beijos de Mark, assim como os de Jinyoung, traziam um sentimento diferente em Jackson, algo que ele não soube classificar no início, mas depois soube que era amor. Ele amava os dois e lhe doía pensar em perdê-los.

As mãos do americano pararam por um momento na cintura do loiro e Jackson resolveu que contaria depois do beijo, mas o mais novo levou a mão até a excitação do namorado e Wang gemeu, logo mordendo o lábio inferior do outro.          

– Sinceramente… vocês não conseguiram me esperar por duas horas? – sussurrou o moreno no ouvido de Jackson, que umedeceu os lábios. – Eu vou tomar um banho rápido e quando eu voltar, terei minha vingança. – proferiu, desta vez levando o olhar até Jinyoung, que o encarava por entre os lençóis. Propositalmente o americano mordeu sensualmente a lateral do pescoço de Jackson, tendo a certeza que o estudante os assistia a todo o momento.

O chinês balançou a cabeça afirmativamente e viu Mark ir em direção a cama, se inclinando para beijar o advogado, que logo ficou de joelhos, beijando vorazmente o bartender. “Que cena”, pensou o chinês, sentindo seu membro que já estava ereto, outra vez latejar.

– Eu já volto...

Jackson pensou que estava tudo bem, que ele poderia contar depois que o moreno saísse do banho. Sem problemas.

O loiro voltou para a cama e Jinyoung quis ajudá-lo, como um bom rapaz, mas Jackson o enrolou, com beijos e palavras bonitas, deixando que a camisa fosse retirada, mas evitando que a própria calça fosse tirada. Se ele ficasse sem a peça, não conseguiria contar. Mas no final, distrair o namorado era bom, o formando ficava todo sentimental quando notava que era beijado apaixonadamente.

Quando a porta do banheiro foi destrancada, ambos olharam para ela e quase engasgaram com a visão. Mark usava uma cueca branca e uma camisa social cinza, acima do tamanho, a fazendo quase cobrir toda a região pélvica. Mas, tinha algo a mais na mão do americano e um pouco tarde demais, Jackson notou que o namorado estava com um choker preto de seda preso ao pescoço; este tinha um longo detalhe acoplado, transformando o cordão em uma coleira.

Okay, Jackson falaria depois de qualquer que fosse o que iria acontecer. Não daria para falar agora, não é? Iria acabar com a surpresa de Jinyoung, que por sinal, estava com a boca aberta, enquanto olhava para o outro moreno. Ele era fraco, tão fraco!

– Jackson-oppa, eu preparei uma surpresa para Jinyoung-oppa. – afirmou o americano, andando lentamente até a cama. – Mas você foi um bom menino, então poderá aproveitar também.

Hn. – O loiro resolveu se beneficiar o que estava acontecendo para nada estragar. “Você é nojento, Jackson Wang”, o chinês pensou. – O que faremos pelo nosso futuro advogado?

– Isso tudo é para mim? – Jinyoung fez um gesto para o corpo do outro moreno, com as sobrancelhas levantadas. – Oh, oh… Era isso que você estava escondendo Jackson?

– Hum… Sim. – O chinês quis se socar, mas o sorriso do namorado era tão lindo, que ele teve que mentir. – Eu sabia que haveria uma surpresa…

– Ah, eu tenho os melhores namorados do mundo!

– Sim, você tem. – Mark murmurou, mordiscando o lóbulo da orelha de Jinyoung, que suspirou enquanto sentia seu corpo todo arrepiar com o gesto. – Você pode pedir o que quiser, Jinyoungie… O que você quer primeiro?

Jinyoung queria tudo, tudo e um pouco mais se fosse possível, mas ele não conseguia colocar em palavras. Não com Mark distribuindo beijos molhados pelo seu maxilar, pescoço e ombro direito e principalmente não com as mãos de Jackson, que lentamente o masturbava.

– Use suas palavras, Puppy… – O chinês praticamente ronronou a frase, sorrindo ao notar o quão excitado o mais novo estava ao receber toda a atenção.

– Eu… hm… Eu quero ver você exatamente como nos vídeos… – O formando finalmente conseguiu proferir as palavras, ainda que entrecortadas por gemidos.

Jackson logo entendeu que o moreno estava muito próximo do orgasmo e parou de tocar o membro do outro, passando a acariciá-lo em outras partes do corpo.

– Você que um showzinho particular, amor? Hm?

– Sim... Por favor.

Awn… por favor… Tão educado… – Mark sorriu de maneira maliciosa, mordiscando lentamente o lábio inferior de Jinyoung e o puxando para si até que este escapou naturalmente por entre seus dentes.

O moreno então devagar se retirou da cama, tendo a certeza de que os dois pares de olhos estavam fixos em sua bunda, coberta apenas pela boxer branca e pela parte final do blusão social. Ele foi até a poltrona marrom fazendo questão de empinar e rebolar o tanto quanto era possível, sem parecer vulgar.

Seu sorriso aumentou ao perceber que tanto Jinyoung quanto Jackson o encaravam com os queixos caídos e por pouco não babavam. Seu ego inflou na mesma hora. O bartender sempre gostou da ideia de ser desejado, porém ser desejado por aqueles dois tinha um gostinho todo especial.

O americano cruzou as pernas sensualmente na poltrona e mordeu o próprio lábio inferior para conter o sorriso sacana que brincava em seus lábios avermelhados pelos beijos brutos que trocara com os namorados instantes antes.

– Me diga, Jinyoungie… por onde eu devo começar? O que você quer que eu seja hoje? Um bom anjinho ou um mau anjinho?

Jinyoung olhou do moreno para o loiro e tentou pensar no que queria mais, mas era tão difícil. Mas resolveu pedir por um lado que quase não via em Mark, principalmente nas transmissões, pois não agradava aos telespectadores.

– Um anjinho mal. – afirmou o formando. Jackson, que estava ao seu lado, fez um som, como se prendesse a respiração. – Seja mal, oppa.

– Hum… Tanto poder que tenho em mãos agora. – Mark utilizou a coleira e começou a rodá-la na mão, enquanto tamborilava o queixo com o dedo indicador. – Jinyoungie… Comece retirando as roupas de Jackson. Eu não posso pensar com este tanto de pano o cobrindo.

O formando prontamente obedeceu e em poucos instantes as mãos de Jinyoung trabalhavam em retirar as peças de roupa que ainda cobriam o corpo do chinês. O formando estava definitivamente excitado e em um impulso, ele beijou os lábios do loiro, mas aquilo não durou muito tempo, pois logo a voz autoritária de Mark se fez presente.

Yah! Eu disse que vocês podiam se beijar? Tsc… tão malcriados…

– Nos desculpe, oppa! – pediu Jinyoung, respirando fortemente. – Mark… Eu preciso…

– Precisa do que, Puppy?

Jinyoung sabia que os namorados estavam o provocando e fechou os olhos com força, tentando respirar calmamente, mas em pouco tempo os lábios de Jackson estavam novamente nos dele enquanto a palma atiçava o membro rijo do estudante, que gemia por dentre os lábios. 

– Então… Vocês gostam de partirem para ação sem mim, hn? – O americano chamou atenção para si, interrompendo os namorados. Mark finalmente encostou na elevação da própria cueca e o toque o fez se arrepiar, mas nada era mais satisfatório do que ver os outros o desejando. – Mas… hoje eu estou afim maltratar vocês…

O moreno deixou uma leve risada, quase inocente sair de seus lábios, mas os olhos castanhos recheados de malícia não o deixavam ser confundido. O americano então se encaminhou para o armário de roupas e buscou no fundo deste uma caixa preta de tamanho médio. Era ali que o homem guardava a maioria dos apetrechos sexuais que utilizava em seus vídeos. De dentro da caixa, ele retirou alguns anéis penianos de silicone e um plug anal.

Seu sorriso maldoso cresceu e os outros dois engoliram em seco ao mesmo tempo, antecipando o que viria a seguir. Mark voltou a se encaminhar para a cama e se colocou ajoelhado no final desta, entre os dois homens nus e completamente excitados só em observá-lo.

– Jackie…

O loiro arregalou os olhos ao ouvir seu nome e mordeu o lábio inferior ao observar e sentir o moreno engatinhando pelo curto espaço da cama até conseguir se encaixar sentado bem em cima de sua ereção. Um gemido quase doloroso deixou os lábios do chinês que apertava a cintura do americano, já colocando a mão na roupa íntima do outro, tentando abaixá-la.

– Quanto tempo você acha que ele consegue se controlar, Jinyoungie? – questionou o mais velho, começando a rebolar suavemente por cima do membro de Jackson, que já pulsava tamanha era sua excitação. – Você acha que consegue não gozar?

– O que voc-

– Jackson, o beije. – interrompeu Mark, com uma voz autoritária. O chinês soltou o ar com força e enquanto segurava a cintura do americano, se inclinando para o lado para beijar o namorado. – Ah, Jinyoung… Quero tanto cuidar de você…

O mais novo murmurou algo por entre o beijo, mas logo sentiu uma mão em torno do seu pênis. Mark era habilidoso e enquanto atiçava o estudante, continuava a rebolar no colo do chinês, que já estava terminando o beijo em busca de oxigênio.

Nesse momento, Jinyoung olhou chocado para o próprio membro, percebendo que Mark havia posto um anel peniano enquanto Jackson o beijava. O estudante respirou com força, choramingando em seguida.

– Jack… O quanto você ama Jinyoung?

– Muito… Tanto quanto eu te amo.

Jackson novamente lembrou-se que tinha que falar algo, de suma importância. E ele quase falou, as palavras chegaram na sua garganta, mas o chinês as engoliu, apertando os próprios lábios e fechando os olhos por um momento. “Seu covarde de merda!

Mark se inclinou para frente, para beijar o chinês, que hesitou por alguns segundos e por isso recebeu um olhar estranho do americano. Jackson sorriu, tentando disfarçar e aceitou o beijo, levando uma das mãos a cintura do bartender e outra ao pênis de Jinyoung, que começou a reclamar, pois precisava de mais.

– Temos que cuidar do nosso futuro advogado, né? – Jackson concordou com a cabeça. – Jinyoung... O que você quer que Jackson faça para você?

– Eu… o quero dentro de mim.

A resposta rápida do estudante mostrava que ele realmente precisava daquilo e com mais um rápido beijo, Jackson retirou delicadamente Mark do seu colo e se posicionou por entre as pernas de Jinyoung, que já estava levantando o tronco, pedindo por aquilo.

Mark buscou o lubrificante no criado mudo enquanto Jackson pegava um dos travesseiros e posicionava nas costas do mais novo, para que a ação ficasse mais confortável para ambos.

– Quantos dedos, Anjo? –  questionou o chinês, sorrindo maliciosamente.

– Dois…

Como mandado, Jackson lambuzou dois dedos com o gel, primeiro provocando a entrada do outro, que novamente começou a choramingar, mas logo o loiro introduziu os dígitos, fazendo movimentos circulares, ao mesmo tempo indo mais fundo dentro do namorado.

– Está gostando Jinyoung? – A voz de Mark estava próxima ao ouvido do moreno, que quase em desespero levou o braço ao membro do outro, mas encontrou a cueca no lugar e mesmo por cima dela, começou a atiçar o americano. – Você quer a mim ou a Jackson?

– Os dois… Os dois…

– Chega, é o suficiente. – O americano ordenou e Jackson parou, retirando os dedos e olhando para o moreno mais velho. – Foda ele, Jackie…

Jinyoung afastou as próprias pernas para que o namorado se encaixasse entre elas, ao mesmo tempo que Jackson segurava na própria ereção, deslizando-se facilmente para dentro do mais novo.

Mark resolveu somente assistir e por isso, se apoiou na cabeceira da cama, retirando a cueca branca e a jogando em algum canto. O bartender buscou o lubrificante e jogou um pouco na palma, se masturbando vagarosamente em seguida.

– Porra… Mark. – Jackson proferiu, se movimentando com ritmo compassado. A fala fez Jinyoung olhar para o outro moreno, percebendo o que o namorado falava: o jovem pai também estava com um anel peniano, só que o dele era vermelho, enquanto o do mais novo era branco. – Há quanto tempo você está com isso?

Hm… indiferente agora, não acha? Concentre-se no nosso Puppy.

Jinyoung engasgou quando Jackson propositalmente estocou com mais força, abaixando o corpo para roubar um beijo do estudante, que abriu a boca e recebeu toda a volúpia do chinês. O mais novo levou os braços até o pescoço do loiro, cravando as unhas na nuca do outro. Wang sorriu, ainda no meio do beijo e saiu de dentro do namorado, mas antes que recebesse alguma reclamação, voltou a estocá-lo com força. Era bom demais escutar os gemidos do moreno.

Jackson acelerou ao notar que Mark olhava para a cena, tocando a própria ereção. Eram tantas sensações, de todos os lados, que o loiro sabia que não aguentaria mais muito tempo.

– Vocês são tão perfeitos… Me fazem tão bem. – O bartender proferiu, gemendo em seguida, ao sentir Jackson o puxando pela coleira, o deixando bem próximo da boca de Jinyoung. – Ah… Puppy, toma conta de mim?

Jinyoung não pensou duas vezes, antes de abrir a boca, recebendo o pênis do namorado na boca. Jackson facilitou o processo, virando um pouco o estudante, mas logo voltou a se aprofundar no mais novo.

– Tão lindo… tão lindo. – O americano tinha uma das mãos apoiada na cabeceira enquanto estava ajoelhado na cama, a outra mão estava nos fios escuros do namorado. – Amo vocês.

Jackson chegou ao orgasmo naquele momento, com um som entrecortado de gemido e respiração pesada. Jinyoung tirou a boca do membro do namorado e praticamente chorou, também recuperando o oxigênio perdido. Mark mordeu o próprio lábio e chegou até o ouvido do loiro, que ainda estava parado no mesmo lugar, aproveitando o momento.

Jinyoung abriu os olhos e observou Mark falando algo no ouvido do chinês, que sorriu maliciosamente. O americano se movimentou novamente e entregou algo na mão do loiro, que rapidamente saiu de dentro do outro moreno, o introduzindo algo em seguida.

O estudante já estava praticamente no seu limite. Seu pênis estava preso, não chegando ao orgasmo e agora os namorados haviam colocado um plug anal nele. Mas, isso não foi tudo, pois Mark foi até a caixa, revirou por uns segundos e saiu com algo na mão e após apertar um botão, o mais novo sentiu uma vibração dentro de si.

– Porra, caralho! – Jinyoung rebolou, ainda com o travesseiro embaixo dele e em seguida soltou uma espécie de gemido alto. – Ah, seus filhos da puta! Ahh!

Mark apertou novamente o botão, acelerando o vibrador.

Ahhh! Por quê?

– Se continuar a reclamar, eu coloco na velocidade máxima.

Jinyoung apertou os lábios e Jackson se divertiu ao observar o quão suado estava o estudante. O chinês puxou o tecido de seda preto e Mark acabou se chocando contra ele. O loiro contornou o rosto do mais velho e o beijou, com extremo carinho e o bartender amoleceu um pouco no lugar, logo sentindo os dedos frios do namorando puxando a camisa cinza e a retirando dele.

A próxima coisa que Mark sentiu foram as próprias costas contra o colchão enquanto o outro o beijava no pescoço e no ombro. Rapidamente o americano mudou as posições, ficando por cima.

– Como você está se sentindo, Jinyoung? – perguntou Mark, em seguida jogando a cabeça para trás ao sentir os dedos do chinês em volta do seu pênis, em um movimento de vai e vem. – O que é melhor? O vibrador ou a porra de Jackson ainda dentro de você?

O estudante não respondeu, com a boca aberta ao mesmo tempo que encarava os namorados. Os músculos de Jackson e Mark se flexionavam de forma única e o modo como a cabeça do americano pendia ao sentir o loiro o masturbando era algo incrível e admirável.

Jinyoung quase saltou no local ao sentir a mudança de velocidade no plug anal.

– Seja bem-educado e responda. – A voz foi a de Jackson e pela divindade, ela estava grossa e beirava a vulgaridade. – O que é melhor?

– Você… ainda dentro de mim.

Mark olhou para Jackson e sorriu, se inclinando e beijando o chinês rapidamente, antes de sair de cima dele e se colocar no meio das pernas de Jinyoung, que quase comemorou o fato.

– Fica de quatro, amor. – pediu o mais velho, ajudando Jinyoung a se posicionar. – Você também me quer dentr-

– Sim, sim! – Jinyoung já havia alcançado a fase de implorar e acabou interrompendo o namorado, que sorriu para Jackson. – Por favor.

O loiro estava com o controle na mão e quando Mark pediu, ele desligou o dispositivo. O americano retirou o plug e penetrou Jinyoung de uma vez, que gemeu alto, logo mexendo o quadril apressado, pedindo por mais.

– Você continua tão apertado, Puppy. – Mark estocava com força enquanto segurava a cintura do outro com firmeza. Seu pênis estava indo bem fundo, fazendo os três gemerem, pois Jackson já tinha a mão no próprio membro. – Tão gostoso…

Mark tirou parte do membro rijo de dentro do outro e soltou o seu anel peniano, voltando a estocá-lo, agora com mais vigor. Ele não aguentaria por muito tempo, principalmente com o seu corpo dando sinais de estar chegando ao orgasmo.

– Por favor… por favor…

As palavras do mais novo não faziam muito sentido, mas Jackson entendeu o que ele queria e olhou para o americano, que concordou rapidamente com a cabeça. O loiro não teve dificuldade em retirar o anel peniano de Jinyoung e para o deleite do estudante, o chinês começou a masturbá-lo. Seu estômago já doía e o estudante sabia que mais algumas estocadas, de ambos, ele alcançaria o clímax.

Após Jinyoung gozar, com um som alto saindo por seus lábios após um intenso orgasmo, Mark também o seguiu, jogando o líquido quente dentro do mais novo, que choramingou, se jogando de barriga para baixo contra o colchão. O americano engatinhou e tomou o lado direito do estudante enquanto Jackson chegava ao ápice pela segunda vez, logo se deitando do outro lado do namorado.

– Anjo… – Jinyoung foi o primeiro a se pronunciar, se virando de barriga para cima e puxando o outro moreno pela coleira, o que fez o americano rir. – Foi o melhor presente que já recebi.

– Poxa… Bate a minha caixa de bombons? – brincou o loiro, que encarava o teto.

– Seu bobo… – respondeu o formando. – Acho que precisamos de um banho...

– Hum… Vão vocês. – Jackson falou, já se levantando. – Eu vou mudar a roupa de cama e depois eu vou…

Os outros dois estavam prontos para negar a proposta, mas no final o cansaço ganhou. Os dois morenos foram para o banheiro, deixando para trás Jackson, que começara a se arrepender de ter demorado tanto para contar a situação. Por fim, ele decidiu que explicaria tudo no outro dia, assim que acordassem.

Na manhã seguinte, Jackson Wang não contou.


Notas Finais


Call Me Daddy - EXO: https://www.youtube.com/watch?v=6zu28Kec2bA
Sex on Fire - Kings Of Leon: https://www.youtube.com/watch?v=k_jLRWqKO64
Love Me Do - VIXX: https://www.youtube.com/watch?v=diqvQOS9_so

( ͡° ͜ʖ ͡°)

Gostaram do capítulo?
Por favor, deixem comentários com as suas opiniões; amamos lê-los.
Até amanhã ;*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...