História Hey My Darling! - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias SHINee
Personagens KiBum "Key" Kim, Minho Choi, Taemin Lee
Tags 2min, Gays, Minho, Romance, Shinee, Taemin, Taeminho, Yaoi
Visualizações 332
Palavras 3.163
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


"Lay Mint postando de madrugada" É Q EU TO DESDE AS OITO DA NOITE TENTANDO POSTAR E ESSE SITE TA DE PUTARIA COMIGO!!!!

Hello Peoples! Ces tão bem? Então ta bão! *calmei*

Eu demorei mais q uma semana? Demorei... Tenho uma desculpa pra isso? Não, não tenho!

Enfim, o Caribe foi ótimo, (ninguém perguntou Lay) Mas to respondendo... E Me desculpem por duas semanas sem capitulo... Tentarei não deixar isso se repetir...

Enfim espero que gostem, está menor, to tentando me controlar... O cap pode parecer meio pacato, mas faz parte nerrr!!!

Boa leitura
Desculpem os erros de português (Haa Jura?)

Capítulo 5 - Agregando Choi Minho...


 

 

Hey My Darling...

Agregando Choi Minho...

 

 

 

-Minho vai vir aqui hoje? Vejo que estamos evoluindo!

-Vai, e, por favor, sem brincadeiras de baixo calão!

-Você fala como um velho! Mas e então? Como foi ontem? Me conte, antes que ele chegue! – Kibum estava sentado na mesa da minha cozinha, me olhando completamente esperançoso...

-Foi bem legal...

-Só isso? Bem legal? Você usa bem legal quando sai com sua turminha do maternal pra tomar sorvete, não se diz “bem legal” quando é um encontro com Choi Minho, Taemin!

-Okay, foi incrível! Ele me levou pra sua cobertura, me presenteou com um jantar maravilhoso cheio de carne, com a visão de toda Seul e do céu mais magnífico que eu já tinha visto. Depois se declarou pra mim e me beijou! – No fundo estava louco pra falar com Key sobre aquela noite magnífica, mas se eu não fizer um cuzinho doce, não sou eu ner...

-Wow Taemin, vocês se beijaram! HO GOD! – Kibum estava surtando, batendo com as mãos na mesa... –Ele gosta mesmo de você garoto! Com certeza ele gosta!

-Sim ele gosta, mas esta acontecendo muito rápido, eu-

-Eu nada Taemin! Você nem ouse o recusar, ou eu te esgano garoto!O único a por empecilhos em tudo, é você, faz semanas que esse homem tenta te agradar de todas as formas. Pense, ele é dono de tudo quanto é coisa nesse país, é super ocupado, e mesmo assim da sempre um jeito de vim te ver depois da aula, te deu uma noite que você mesmo disse que foi incrível, fora que ta na cara que você já está mais que caído por ele! Não entendo pra que tanto cu doce! E daí se só faz algumas semanas? Quem liga?

-Você tem razão, eu tenho que parar com essa neura. Mas é que fico preocupado com o que as pessoas vão pensar de mim, ele é um cara publico, vão me tachar de oportunista, não sei se vou conseguir lidar com isso hyung!

-Caguei pro que as pessoas pensam Taemin! Falando assim você nem parece o Lee rabugento que se fode pra opinião dos outros! É sua vida, seus sentimentos e do Minho, não afaste de você um homem tão especial por medo da opinião alheia.

-Eu sei, e o Daddy é um cara legal de verdade... – Acho que suspirei tão fundo quando disse isso que pareci uma princesa da Disney.

-O que? – Kibum perguntou e eu fiquei com cara de tacho sem entender... – Você o chama de Daddy e está ai com duvida de mais o que?

-Não seja assim Kibum, não é nada disso que você está pensando. Ontem ele me contou sobre sua paixão por filmes antigos, e que gostava dos romances onde as garotas se apaixonavam pelos bandidos maus e mais velhos e acabavam por chamar eles assim... Eu fui zoar com a cara dele e acabei o chamando assim também o resto da noite. Hoje ao telefone eu o atendi dessa forma e apesar dele rir não pareceu se incomodar... Não foi com essa intenção suja que você ta insinuando!

-Pensando bem, isso combina com vocês. Bem cretino da sua parte Lee Taemin, já ta cheio de fetiche no homem e mesmo assim fica com todo esse drama de “eu não sei se posso!”

-Não fale disso dessa forma, já te disse que soa como se fosse sujo, e não é! Na verdade é só-só um carinho okay!? – Respondi contrariado e já envergonhado... – Porque estou te explicando isso mesmo? Nem é da sua conta, bixa enxerida!

-Há é? E ele te chama de que? Baby boy? – Fez uma voz manhosa...

-Não, seu cretino... E para com esse tom nojento! – Joguei um marshmallow na sua cara o fazendo rir ainda mais alto...

A capainha tocou, interrompendo os gritos histéricos de Key, e foi meu pai que atendeu...

-Taemin? – O olhei e ele estava só com a cabeça pra dentro da cozinha... – O príncipe encantado está aqui... – Zombou, e logo Minho surgiu atrás dele em seu típico terno escuro e impecável...

Fazer o que? Kibum e meu pai têm gosto em zombar de mim...

-Hey! Venha, sente aqui com a gente! – O chamei e ele se sentou entre mim e Key... – Quer refrigerante? – Um cara acostumado com whisky, beber refrigerante Taemin?

Esse tipo de coisa me faz realmente sentir que pereço um pivete diante dele, mas Minho é cavalheiro demais pra rir ou debochar desse meu lado...

-Quero...  – Respondeu sorrindo...

Kibum nos observava com toda cautela, e eu sabia que os olhos do meu pai ainda estavam escondidos na porta da cozinha...

-Hoje é sábado, você quer fazer alguma coisa? – Me perguntou enquanto colocava uma mecha do meu cabelo atrás da minha orelha...

-Minho... O Taemin é um antissocial, o dia da boate eu tive que o arrastar, então me agradeça se vocês se conhecem agora...

-Hahahaha claro Ho grande Key, obrigado por isso! – Ele sorriu... E cada vez que Minho sorri meu coração falha uma batida, é surpreendente...

A simplicidade dele é incrível, um homem daqueles, com uma vida daquelas, estava todo á vontade, rindo e brincando, sentado na mesa da minha pequena e simples cozinha... Isso me encanta nele, o fato da alma não ter se corrompido com tanto poder... Minho não é lindo só por fora, ele é lindo por dentro também... Nunca me cansarei de dizer isso.

-Podemos pedir pizza, assistir algo na TV e depois dar um passeio pelo bairro, o que acha?

-Se não for incomodar seu pai, faremos o que você quiser Darling. – Eu não disse? Por mais infantil que pareça tudo que sai da minha boca, ele nunca se desfaz de nada que digo... Pelo contrario, parece até dar importância demais.

Nós nos levantamos. Minho a minha frente e Kibum logo atrás de mim...

-Então não é baby boy e sim Darling, que belo fetiche! – Cochichou no pé do meu ouvido, cheio de maldade nas palavras...

-Você é um gay muito malicioso... – Dei uma cotovelada nele...

-Estressadinha... – Reclamou, mas seu sorriso cínico ainda estava lá... Key é causa perdida...

O inicio de noite foi agradável. Depois que a pizza chegou, Kibum se distraiu com o filme e parou de me alfinetar com aquela coisa de fetiche... Meu pai e Minho pareceram se entreter quando o tópico futebol surgiu entre os dois, descobriram que torciam pro mesmo time e esse fato em comum rendeu um mundo de assunto entre eles...

E eu? Cochilei feito uma criança, até o moreno me acordar pra avisar que era melhor irmos ao nosso passeio ou ficaria muito tarde...

Depois que joguei uma água no rosto, todos se despediram do meu pai e nós fomos caminhar um pouco... Na verdade se passava de onze da noite, então fomos andando junto com Key até sua casa. O meu bairro é bem familiar, e bairros como esses perdem o movimento cedo, então acabam por ficar perigosos...

-Me espanta você, Kibum, está em casa no sábado à noite. Isso tudo era curiosidade pra saber se Minho viria mesmo? – Ele me provocou a noite toda, eu não ia deixar por menos...

-Sou curioso mesmo, e meu bem, você sabe que minha noite começa depois das zero hora, eu vou pra casa não pra dormir, e sim pra ficar maravilhoso pra uma festa no centro, que inclusive eu te chamei a uma semana e você disse que não ia nem sob tortura.

-E não vou mesmo, faça bom proveito, e nada de me acordar pra te buscar bêbado três da manhã!

-Não garanto nada! – Minho assistia tudo com um pequeno divertimento nós lábios.

Fora as pequenas discussões, nem preciso dizer que o loiro foi fazendo piadinhas o caminho inteiro, o que quase rendeu em um assassinato de Kim Kibum pelas minhas mãos. No fim nós parecíamos duas crianças arteiras se provocando ao redor do Choi...

Deixamos a donzela em casa e estávamos voltando pra minha casa, sem pressa nenhuma...

-Você- Você já quer ir pra casa? – Estou superando minhas expectativas com quase outro pedido de encontro...

-Por quê? Tem algum lugar que queira ir? – Ele me olha tão atento, com tanta importância, que faz eu me sentir como uma criança.

-Tem - tem ... – Preciso parar de gaguejar... – Tem um lugar aqui perto, antes do centro, eu costumo ir com meu pai às vezes, tem comida e funciona até tarde. Eu sei que trabalhou o dia todo então se estiver cansado, não precis-

-Vamos! Entre no carro... – Segurou a minha mão, me levando até o veiculo... Eu quis sorrir, mas sou turrão demais pra o permitir ver o quão feliz aquilo me deixou...

 

-Acho melhor parar aqui, ou você não vai conseguir uma vaga que caiba esse seu carro exagerado na rua principal...

-Devíamos ter vindo no seu.

-Ta louco? Você não se sentiria bem no meu!

-Por que não?

-Porque é metade do seu, essas suas pernas gigantes não caberiam!

-Que maldade falar assim das minhas pernas! – Ele ria.

-Bhow! Só disse a verdade... Vamos!

Saímos do  carro, e eu fui na frente, o guiando até a rua principal, de longe já se podia ver o movimento, e por mais que eu odeie multidões, eu gosto desse lugar. Não é nada comparado a uma balada, não tem o mesmo numero de pessoas, mas pra mim, passou de dois, já é um aglomerado  grande de seres humanos no mesmo lugar. Nada que eu não suporte se realmente tiver algo pra me entreter, o que esse lugar tem de sobra.

Finalmente chagamos aonde as coisas ocorriam. O lugar não é nada demais, só uma pequena rua  com muitas barracas de comidas. Mesas espalhadas pelas calçadas, pessoas bebendo e conversando alto, enquanto a música de um estabelecimento se mistura com a de outro.

Era pra parecer o inferno pra mim, mas misteriosamente eu gosto disso. Gosto do clima, gosto de saber que ao contrário das festas que Kibum me leva, as pessoas estão ali só por estar, não com a obrigação de beber todas e transar com alguém.

É possível ver pessoas ainda com uniformes de trabalho, conversando sobre qualquer coisa com amigos enquanto grelham carne e bebem soju. E é exatamente isso que eu faço com o meu pai quando a gente vem aqui.

-O que quer comer? – Perguntei  a  Minho, que parecia curioso olhando pra todos os lados...

-Eu não sei, nunca vim a um lugar assim... Parece tão legal! – Agora é ele parece à criança deslumbrada, e claro que isso me enche de orgulho por pelo menos uma vez conseguir inverter os papeis.

-Então que tal irmos à barraca que eu sempre vou com meu pai?

-Ótimo!

Eu o guiei no meio do corredor de pessoas e mal percebi quando sua mão tinha segurado na barra do meu moletom, como pra não se perder de mim em meio aos outros, e se ele estivesse ao menos do meu lado, teria visto o rubor das minhas bochechas...

-Hey Ajusshi!

-Hey! Taemin! Faz tempo que não te vejo por aqui... Hoje não veio com seu pai? – O senhor que sempre nos atende me recebeu simpático assim que eu apareci...

-Hoje ele ficou em casa.

-Mas vejo que trouxe alguém, nunca te vi aqui com ninguém além do senhor Lee. – Me olhou curioso já nos fazendo sentar em uma mesa simples e bem ventilada.

-Esse é Minho... Um - Um amigo! Nos traga o de sempre.

-Claro, não vai demorar! – O senhor saiu, nos deixando bem acomodados.

-Esse lugar é incrível!

-Sério? É tão normal, existe um desses a cada esquina de Seul, Minho!

-Mas eu nunca pude vir, pode parecer estranho, mas até onde eu como é para favorecer o meu trabalho. É difícil eu ter uma refeição só por prazer de comer, onde eu não esteja com algum negociante ou sócio...

-Nossa que coisa chata! – Eu disse sem perceber, mas logo me repreendi com a mão na boca e um olhar que suplicava desculpas pela falta de educação!

-Não precisa se reprimir, é bem chato mesmo. Mas é o meu trabalho.

-É estranho saber que te conheci naquela boate...

-E por quê?

-Porque te conhecendo um pouco melhor agora, você não parece o tipo que gosta de pessoas que freqüentam aquele tipo de lugar!

-E não gosto, não pra ficarem comigo, mas pra distração não a coisa melhor!

-Você parece o Kibum agora! – Ele deu uma sonora gargalhada...

-Entenda Taemin, todos precisamos de uma válvula de escape.

-Eu seria uma válvula de escape então? – Tentei parecer imparcial, mas a melancolia na minha voz deixou claro que aquilo me incomodou...

-Você era uma em potencial, até eu perceber que não pertencia aquele mundinho fútil que estávamos na boate.

-Isso é bom... – Sorri , dessa vez não pude evitar.

-Aqui rapazes, fresquinho pra vocês! Bom apetite! – O senhor deixou na mesa as carnes em tiras, junto com alface e alguns legumes  e também o soju... Agradeci com um aceno de cabeça e ele logo nós deixou a sós de novo.

-Eu adoro bulgogi! – Saiu bem infantil da minha parte, mas reprimir quem eu sou perto de Minho, não faz mais nenhum sentido...

-Posso perceber! –Ele riu e me acompanhou, grelhando sua carne na chapa. – Haa isso parece um encontro! – Ele exclamou tirando o terno e arregaçando as mangas da camisa. Eu fiquei sem lugar e quase me engasguei com a carne que enfiei na boca...

-Você diz essas coisas tão normalmente!

-E não é?

-Eu-eu não sei. – Baixei a cabeça e os hashis.

-Coma... Está muito bom, e não beba muito... Nós sabemos que você tem o costume de acordar na casa de estranhos quando bebe! – Ele riu e mastigou sua carne em deboche. Eu apenas rosnei de volta.

O que aconteceu a seguir foram mais conversas cheias de provocações, risadas altas por parte do senhor Choi escandaloso Minho, e um Taemin totalmente à vontade e sorridente, tanto que eu perdi totalmente a noção das horas

Ele faz eu me sentir diferente, um diferente bom...

 

                                                                               XXXX

Voltamos pra casa, e como Minho disse, estava mesmo parecendo um encontro, de uma forma que eu não sei explicar, meus olhos não saíram dele por todo percurso de volta pra casa, ele dirigia com um pouco mais de atenção por ter bebido alguns copos de soju e eu parecia hipnotizado pelo seu rosto responsável.

Tão bonito...

Descemos do carro e começamos a caminhar lado a lado pelo meu jardim da frente, e apesar de eu não gostar do verão, o clima da madrugada está bom, quente, mas a brisa rara soprando um pouco mais fria deixou tudo mais refrescante...  Enquanto andávamos num silêncio confortável, vi Minho tirar uma das mãos do bolso da calça e sem nenhum receio ele entrelaçou sua palma na minha... Aquilo me fez encarar seu rosto mais uma vez naquela noite, e ele estava sorrindo... Então, sem dizer uma palavra, eu apertei meus dedos nos dele e terminamos o percurso curto até minha porta...  Minho me deixou bem na entrada de casa, sobre os poucos degraus que antecediam a mesma...

-Taemin... – Sua voz cortou o silêncio da noite me roubando a atenção... Me vi de frente pra ele o olhando fixo... – Eu gosto de você de verdade, não é um capricho de menino rico, porque a muito eu não sou mais um menino, e eu nunca brincaria com os sentimentos de alguém como você...

-...

-Só me veja como Minho, okay? Não me veja como o cara rico, prepotente, ou qualquer outra coisa... Sempre tive problemas com relacionamentos, porque pode parecer uma coisa idiota, mas quando se vive uma vida como a minha é difícil saber quem se aproxima por amor ou por interesses... E você logo de cara me dispensou, mesmo sabendo quem eu era. E eu pensei: Uau que garoto incrível! – Ele parecia nervoso, o grande Choi Minho estava nervoso, as mãos inquietas e a voz mais baixa denunciavam isso. Talvez ele estivesse achando que a noite de ontem foi descartada por mim, ou que suas palavras não tivessem surtido efeito, por isso estava mais uma vez se declarando... Sem saber ele que eu já estava caidinho, que ele não precisava mais falar nada... – Eu quero você pra mim Taemin, e pode soar arrogante, eu sei, mas faz parte do que eu sou, e pode ter certeza, o meu lado arrogante é o mais sincero também!

Nesse momento só tive o impulso de abraçá-lo pelo pescoço... Ele soava tão verdadeiro e transparente, que eu não pude me aborrecer com toda petulância... Demorou um pouco pro mais alto retribuir o abraço, mas enfim pude sentir suas mãos circularem minha cintura, e me apertarem com força...

-Só não me machuque Minho... – Suspirei em seu pescoço...

-Jamais, My Darling... – E quando ele disse isso soprado em meu ouvido, com certeza sentiu como meu corpo tremeu abraçado ao seu... Algo no tom da sua voz me chacoalha por dentro instantaneamente... E diante disso, dizer que eu não estou me apaixonando pelo Choi é uma mentira deslavada...

-A quem eu estava enganando? Já estou envolvido nisso até o último fio de cabelo... – Comentei baixo em um tom humorístico...

-Devo me desculpar? – A pergunta veio de imediato, no mesmo tom divertido...

Fui retirando devagar meu rosto da curva de seu pescoço, mas minhas mãos permaneceram na sua nuca... Os cabelos negros ali eram tão macios... Encarei o rosto másculo de traços tão fortes e bonitos, seus olhos não despregavam de mim, e mais intenso do que aquela noite de verão, eram os arfares que saiam da boca do Choi...

Os lábios rubros e cintilando, pareciam chamar por mim, o que fez com que eu  passeasse a língua pelos meus próprios de ansiedade... E quando seu aperto se tornou mais firme na minha cintura eu pude sentir de perto o hálito quente dele sobre minha boca.

Seus dentes vieram primeiro, mordendo-me o lábio inferior num arrastar que me fez gemer baixo, e depois de um selo molhado, sua língua invadiu minha boca de uma forma macia, úmida e experiente... Foi como uma explosão dentro de mim, quente, um quente que provinha de ternura.

Seus lábios tão aveludados passeavam sobre os meus e eu podia sentir como ele estava gostando tanto quanto eu... E não existia mais toda aquela insegurança de antes... Meus dedos cravados em seus cabelos eram prova que eu não queria que acabasse... Choi Minho foi à coisa mais incrível que já me aconteceu...

Não é um daqueles beijos desajeitados do colegial, é um beijo de verdade... Comprovando que assim como o beijo de ontem, ele me faz sentir ridiculamente mais quente, um fervor ao qual eu nunca senti antes...

Se tudo nele for assim, eu, definitivamente estou perdido...

-Hora - de - entrar... – Ele disse entrecortando meus lábios com selos... Eu só consegui sorrir feito um idiota enquanto sentia o afrouxar de suas mãos ao redor de mim...

-Boa noite Daddy... – Ele riu do apelido provocativo ter voltado a tona, mas me respondeu da forma mais doce possível.

-Boa noite Darling!

 

Sim, foi uma boa noite...

 

 

 

 


Notas Finais


CONSEGUI POSTARRRR CARALHOOOOO!!!!


E é isso que a vida tem de melhor!!!

Ces repararam em como eu tenho começado sempre os capítulos com dialogo? Gente reparei isso hoje '-'

O capitulo ta chatim? Taaaa!


Mas entendam pessoas, os seres humanos tem q se conhecer antes de se comer, é assim a vida nos clichês, eu sei q ces querem um secsu selvagem, mas fazer o que ner -_- *eu tmb quero*

Por ter deixado vcs sem cap semana passada, tentarei att ainda essa semana, então segurem os furicos, ate sábado deve sair mais alguma coisinha okay?

Nem preciso falar dos comentários lindos que ces me deixaram ner *-* sarango todo mundo sz


Até o proximo
Beijus de Luz
Mamãe ama vocês
Chu no heart :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...