História Hey Nerd! - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gildartz, Gray Fullbuster, Happy, Igneel, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Lyon Vastia, Mavis Vermilion, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Sting Eucliffe, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Tags Escolar, Gale, Gruvia, Jerza, Lucy, Nalu, Natsu, Romance
Visualizações 251
Palavras 1.393
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oi novamente xuxus sz
eu disse que teria capitulo novo em breve risos
eu amei escrever esse capítulo, vou mentir não <3

Capítulo 11 - Casamento arranjado


Quando eu cheguei em casa eu vi minha mãe conversando com uma mulher que eu nunca vi antes e meu pai com um homem que eu também nunca vi antes, por mera educação eu fui os cumprimentar.

- Olá. – falei sendo simpática. – Me chamo Lucy, é um prazer. – falei sorrindo.

- Oh que filha linda que vocês tiveram, já o meu é um vagabundo. Me chamo Grandine querida. – falou sorrindo também.

- Igneel. – falou e eu paralisei.

O que os pais do Natsu estavam fazendo aqui, meu deus o que esta acontecendo, será que aquela conversa dele com a Lisanna realmente era verdade e não armação? Mas meus pais nem são tão ricos, mentira eles são, mas eles não tem uma empresa como os Dragneel.

- Não se enganem, Lucy não faz nada da vida também, seria um par perfeito para Natsu-san. – disse minha mãe e logo me olhou, ela sabia de mim e Natsu.

- Mãe não me expõem e nem vem com essas idéias de juntar eu e aquele idiota. – falei indo para meu quarto.

Eu to nervosa, eu não queria que os pais dele soubessem da nossa aproximidade apesar de a gente sempre estar brigando não irei mentir que as vezes parecemos ser melhores amigos. Eu não acho que seja possível eu ser a sua esposa arranjada, nem sou um exemplo e mesmo que a gente fosse ter um casamento arranjado a gente iria ter vários chifres.

Tomei um banho para esfriar a cabeça e parar de ter esses meus pensamentos negativos, coloquei uma roupa mais bonita já que tínhamos visitas e passei um gloss meio rosa, ouvi algumas risadas vindo da sala.

 

(...)

 

Já estava de noite e os pais de Natsu ainda estavam em casa pareciam que não tinham nada pra fazer a não ser gargalhar e falar coisas ruins dos próprios filhos, estavam conversando tão alto que do meu quarto – com a porta fechada – consegui ouvi-los.

Ouvi a campainha tocar e eu nem liguei, eles que atendam, ouvi Grandine falar que a decepção da família e a sua bebêzinha chegaram e entrei em choque, não queria de jeito nenhum ver Natsu e nem essa tal bebêzinha, se bem que ela pode ate ser mais legal que o rosado, na verdade eu não sabia nem que ele tinha uma irmã.

Minha mãe me chamou e eu respirei fundo milhares de vezes ate ouvir o quinto grito da minha mãe e sair do meu quarto. fui ate a sala no maior desgosto, vi que todos já conversavam entre si e Natsu ria igual um retardado das coisas que minha mãe falava, o bom é que ela não contou nada sobre eu e ele, ainda.

- Lucy minha querida. – falou minha mãe.

Comecei a suar de nervoso, Natsu me encarou em forma de espanto e logo se levantou de um jeito automático ao cair a ficha de que era eu em sua frente e que aqueles eram os meus pais.

- Lucy-san! – falou Wendy.

Espera! Natsu era o irmão da Wendy? Por que nenhum deles me falou? Natsu é bem provável que nunca contaria, mas a Wendy é meu xodó e uma das minhas melhores amigas, eu esperava que ela me contasse sobre isso.

- Lucy sente-se também. – falou meu pai.

Eu obviamente o obedeci, com os pais de Natsu e os meus no mesmo lugar eu tinha que ser comportada pelo menos, mas pro meu desgosto o lugar vago que tinha era ao lado de Natsu. Fiquei encarando Wendy o tempo inteiro desde que avia sentado, logo ela sibilou algo como “depois te conto”.

Natsu me cutucava toda hora e isso me irritava, chegou uma hora que eu quase cheguei a bater nele, mas no o fiz pois nossos pais estavam conversando. Natsu segurou sua mãe logo na parte da minha cintura que eu sinto cócegas, me concentrei pra rir, mas não consegui.

- Que caralho Natsu, para!! – falei rindo igual uma doida enquanto ele ainda me fazia cócegas.

Logos os nossos progenitores pararam de conversar e prestaram atenção em nós dois que já estávamos no chão, eu morrendo de rir e Natsu dando um sorriso diabólico.

- Vocês... já se conhecem? – perguntou Grandine quando Natsu parou de me fazer cócegas e eu logo levantei e me arrumei no sofá.

- Que? Ah, não. – falei, mentindo.

- Sim. – Natsu me encarou, filho da puta.

- Sério? É melhor ainda Jude! – falou Igneel.

Eu e Natsu estávamos suando de nervoso, me levantei do nada os assustando e peguei a Wendy pelo braço a levando para meu quarto.

Respirei inúmeras vezes de um jeito rápido para controlar a minha irritação e também qualquer sentimento que eu estivesse sentindo dentro de mim.

- Me explica, agora o que esta acontecendo! – falei brava para  Wendy.

- Bem, eu não te contei sobre ser irmã do Natsu pelo fato de sermos meio-irmãos. Nossos pais se casaram faz um cinco meses e antes eles já se conheciam e sabiam sobre o filho de cada um. Eu e Natsu não nos consideramos irmãos então não contamos sobre nossa relação. – falou e eu logo entendi tudo.

- Ah, saquei, mas o que seus pais fazem aqui?

- Eles querem que Natsu sossegue e pelo jeito os seus quem que você sossegue também, meus pais tiveram a idéia de um casamento arranjado já que ambos tem dezoito anos e em breve iram terminar a escola, juntar os dois daria em algo bom para nossos pais – falou de um jeito calmo.

- meu deus eu vou dar na cara dos meus pais depois. – falei com raiva.

- Não fique assim, Lucy-san. – falou Wendy nervosa.

Logo ouvimos batidas na porta, Wendy foi ver quem era pra mim e logo depois saiu e Natsu apareceu na minha frente, eu estava deitada na cama já, não conseguia acreditar no que meus pais estavam fazendo, se queriam eu eu parasse de ser assim era só me pedirem ou me mandar pra casa das minhas tias.

Natsu desde que entrou no meu quarto não falou nada, talvez ele tenha tido a mesma reação que a minha quando a sua mãe teve aquela idéia, mas não fora totalmente igual pelo fato de eu ter descoberto em meio de sua conversa com Lisanna e apesar de eu ter saído da sala antes de os ouvir, eu acabei escutando a palavra “casamento arranjado” pela parte Lisanna, parecia que ela queria que todos ouvissem.

Natsu se sentou ao meu lado e logo eu me levantei me sentando também e respirando fundo e logo o olhei.

- Você escutou a minha conversa com Lisanna não é? – perguntou e eu assenti. – Eu sabia que tinha algo de errado com você naquela hora, Lisanna não deveria ter se intrometido... – falou e eu concordei. – O eu acha disso tudo? – perguntou.

- Uma idiotice, se queriam que a gente parasse era só falar, eu sempre obedeci meus pais, quando eles pediam para não ficar com tal menino eu não ficava. – falei.

- Concordo... – falou rindo nasalado.

Ficamos mais um tempo em silencio, nem eu e nem ele queríamos voltar para aquela sala e encontrar os quatro novamente e fingir que nunca nos beijamos ou algo do tipo, era cansativo.

Eu tentei pensar de vários jeitos que aquele casamento arranjando fosse a melhor coisa, mas não me via nada de bom em mente, se minha irmã estivesse aqui ela começaria a me aconselhar da pior forma possível, me batendo, Michele sempre foi agressiva e dou graças de ela estar bem longe com minha tia a educando do jeito certo.

Tanto eu, quanto Natsu estávamos deitados, eu nunca me imaginei sendo algo de Natsu, apesar de sermos meio que compatíveis um com outro, acho impossível. Fechei meus olhos fazendo com que eu mergulhe ainda mais em meus pensamentos.

Senti Natsu se remexer e logo senti um peso sobre mim, mas não quis abrir os olhos. Logo mais uma respiração se juntou a minha e senti algo me meus lábios, Natsu estava me beijando e eu não entendo o porque de ele continuar fazendo isso sendo que tecnicamente a gente se odeia.

O beijo foi aumentando a velocidade eu logo agarrei seu pescoço começando a mexer em seus cabelos. Nos separamos rapidamente para respirar e voltamos a nos beijar, porem de um jeito diferente, como se um novo sentimento tivesse vindo a tona, meio que estranho. 


Notas Finais


eu amo vcs d++++ bicho
EU TO MT LOKA JÁ ESTAMOS COM 106 FAVORITOS EU TO C H O C A D A


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...