História Hey Nerd! - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gildartz, Gray Fullbuster, Happy, Igneel, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Lyon Vastia, Mavis Vermilion, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Sting Eucliffe, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Tags Escolar, Gale, Gruvia, Jerza, Lucy, Nalu, Natsu, Romance
Visualizações 223
Palavras 1.168
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oi meus xuxus
feliz dia dos pais!!!
pelo fato de eu estar no t é d i o eu decidi escrever fanfic pq né, nada melhor do que escrever fanfic de novo
as vezes eu penso que escrever fanfic ta mexendo muito comigo, eu escrevi fanfic o dia todo na sexta e fora os outros dias que eu passei horas escrevendo minhas infinitas fanfics

Capítulo 13 - Dimaria Yesta


Já era terça feira, na segunda eu simplesmente sumi do mundo, não entrei em nenhuma das redes sociais que tinha e nem mesmo respondi mensagem alguma, apenas escrevi coisas aleatórias em meu caderno. Ninguém ousou falar comigo segunda e nem mesmo fizeram questão de entrarem em meu quarto.

A reação que não tive no domingo estava aparecendo aos poucos, meu jeito de demonstrar reações pelas coisas é um pouco diferentes dependendo do que for, um noivado arranjado não era uma idéia muito original ou algo do tipo, mas eu queria que meus pais fossem felizes e se aquilo os deixassem feliz eu não iria recusar algo daquele tipo.

Eu sabia que minha mãe não havia gostado tanto da idéia quanto meu pai, ele, apesar de me amar, nunca gostou do jeito que eu lido com as coisas ou da minha forma de me distrair. Ele queria que eu tomasse um rumo em minha vida e isso é extremamente idiota pra mim, ele sabe que sempre fui uma garota que obedecia aos seus caprichos.

- Lucy Heartfilia poderia prestar atenção na aula? – perguntou o professor com um sorriso um tanto que cínico.

- Hm? Ah, claro desculpe. – falei sem o maior animo para o rebater.

Muitos devem ter notado que eu não estava “bem”, nunca fui de deixar um professor dizer algo como aquilo e depois ninguém daria boas risadas com minhas respostas. Mas eu realmente não estava bem e nem mesmo com cabeça.

Hoje de manhã meu pai simplesmente deu uma de louco e começou a me xingar do nada, não me deixou tomar café, muito menos dei pegar uma quantia boa de dinheiro para que eu comprasse alo na escola, eu não sabia o que tinha acontecido com ele e isso estava me deixando de cabelos ao alto, estava tudo uma bagunça.

A aula estava chata, a voz do professor estava me deixando tonta e eu não agüentava mais os cochichos daqueles idiotas se referindo a mim, apenas deitei minha cabeça na carteira e fechei os olhos.

 

(...)

 

Acordei com vários sentindo vários cutucões, mas mesmo assim não abri meus olhos, logo ouvi a pessoa bufando e depois começou a me fazer cócegas .

- Meu... deus... p-para! – tentei falar por conta das minhas gargalhadas.

- Acorda bela adormecida, já é o intervalo. – falou o rosado.

- Me deixava dormir, não estou com fome... – falei bocejando.

- Queria bastante, você é insuportável, mas como sou um bom amigo eu não a deixei aqui sozinha. Não minta pra mim, você não comeu nada hoje. – falou.

- Você não estava comigo pra saber se comi ou não. – falei me levantando.

- Você não trouxe dinheiro e chegou mais cedo, deve ter acontecido algo com você é meu sogrinho. – faliu a ultima parte em meu ouvido e isso me fez ficar de certa forma envergonhada.

Eu não o respondi, logo deu um sorriso convencido de que estava certo, fomos ate o refeitório e ele me comprou algo pra comer. O nosso grupo deve estar estranhando meu “adorável” comportando, normalmente eu já teria xingado Natsu falando que não aceitava caridade ou estaria pegando qualquer um da escola.

Nenhum deles me perguntou se eu estava bem, agradeci mentalmente por isso eu não estava com cabeça pra falar tudo na cara dura e tenho certeza que Natsu não quer que eu conte tudo sobre o que aconteceu entre nossas famílias e sobre nosso casamento.

O intervalo ocorreu como sempre, vez ou outra eu me entrosava com eles também, recebi vários olhares de Juvia e de Levy como se estivessem me obrigando a contar tudo depois. Wendy não deu as caras no intervalo todo, provavelmente deve ter acontecido algo já que ela sempre esteve conosco.

Voltamos para a nossa sala e dessa vez eu consegui prestar atenção na aula, eu estava quieta e os últimos professores devem ter dado gloria a deus que eu não estava fazendo nenhuma graça.

Arrumando meu material eu acabei achando um papel que me parecia suspeito  no meio da minha bolsa, o abri e nele estava escrito o um numero de telefone e de uma mulher, como Natsu ainda não havia saído acabei o chamando para ver se ele a conhecia.

- Natsu você conhece uma tal de Dimaria Yesta? – perguntei para o mesmo.

- Bem, sim... ela é uma das funcionarias da empresa dos meus pais. – falou.

- Só isso? – perguntei novamente e o mesmo assenti.

Não entendi muito o porque de aquele papel estar comigo, mas dei de ombros, fui o caminho todo para casa ao lado de Natsu, nossa relação havia dado uma certa mudada e claro não era porque nós queríamos e sim por conta de nossos pais que queriam que a gente se conhece mais, também incluía invadir nosso espaço pessoal. Achei uma coisa desnecessária, mas não poderia negar algo quando Grandine me entrega uma forma inteira de bolo de chocolate.

Quando cheguei dentro de casa vi que a mesma estava escura, estranhei já que normalmente minha mãe sempre estava aqui e de vez em quando meu pai também.

Fui para meu quarto e troquei de roupa, queria dar uma saída e nisso acabei mandando uma mensagem para Juvia e Erza que me encontrariam na parte mais famosa de Magnolia onde tinha varias lojas e lugares para comer.

Sai de casa e fui ate um ponto de ônibus, apesar da minha família ter uma boa quantia de dinheiro nenhum de nós deixa de ser como uma pessoa sem muito dinheiro, minha mãe vive indo na costureira e meu pai indo fazendo amizade com o povo do mercado.

Quando cheguei no ponto de encontro eu encontrei as duas fácil já que os cabelos vermelhos intensos de Erza eram mega fáceis de bater o olho. Me aproximei delas quase as assustando, mas elas me pegaram desprevenida e apontaram para o canto do parque.

Lá estava meus pais comnversando com uma mulher de cabelos curtos.

- Aquela é a Dimaria Yesta, uma das funcionarias da empresa dos Dragneel. Natsu me contou que o numero dela estava na sua mochila. – falou Erza.

Eu fiquei surpresa pelo fato de ter encontrado Diamaria tão rápido, eu não sabia qual era seu envolvimento com meus pais, mas iria descobrir do jeito fácil ou do jeito difícil.

- Lucy ela é perigosa... – falou Juvia.

- Como assim? – perguntei confusa.

- Dimaria já foi presa por ajudar uma de menor a roubar a empresa de carros dos pais de Gajeel. – falou.

- Qual era o nome da menina que ela ajudou?- perguntei curiosa.

- Michelle... Michelle Lobster. – falou Erza.

...

- Mi-chan vamos brincar de boneca? – perguntei.

- Vamos sim Lu, o nome da minha boncca vai ser Michelle Lobster e a sua? – perguntou enquanto pegava sua bonca referida que trajava vestes feitas de papel.

- Vai ser meu nome mesmo, acho Lucy bonito. – falei sorrindo pegando minha boneca.

...

- Não acredito... – falei colocando as mãos na boca.

- O que foi Lucy? – perguntaram juntas.

- Michelle é minha irmã mais velha.  


Notas Finais


finalmente a tal da irmã da Lucy vai ser mais "desenvolvida" na fanfic
eu
amo
vcs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...