História Hey! Tender Love! - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Chansoo, Chenbaek, Hunhan, Kaisoo, Kristao, Mpreg, Sebaek, Sulay, Xiuchen
Exibições 147
Palavras 2.166
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi! Espero que gostem desse capítulo

Boa leitura.

Capítulo 3 - Ғℓσя ∂σ мευ נαя∂ιм


Fanfic / Fanfiction Hey! Tender Love! - Capítulo 3 - Ғℓσя ∂σ мευ נαя∂ιм


                                     
Aquele obviamente foi o meu pior aniversario. Passei o resto da tarde trancando no quarto tentando colocar as coisas no lugar e tentando descobrir o porquê do surto do meu Appa sendo que ele tratava Chanyeol como se fosse seu filho, eu iria fugir de casa para ver Chanyeol e ninguém iria me impedir de fare isso nem mesmo Suho que passou o resto da tarde batendo na minha porta e pedindo para que eu abrisse e conversasse com ele para poder descarregasse toda a minha raiva no meu boneco de pelúcia que servia estritamente para “Levar surras”, mas eu não queria e fiz questão de demostrar isso nos palavreados que eu gritei para ele assim que gritou comigo e me chamou de mimado. Onde já se viu isso? Eu Huang Byun Baekhyun mimado? – Eu detesto o meu nome completo – Suho passou dos limites ao me chamar de mimado. Levantei-me da cama colocando uma boa quantidade de roupa em minha mochila, eu iria para casa de um amigo que com certeza não contaria sobre a minha localização a ninguém e caso contasse estaria morto e nunca mais o ajudaria a tentar “conquistar” o meu irmãozinho. Eu já tinha uma pequena “corda” feita com lenços que eu preparei para emergências como essas. 

Joguei a corda pela janela do terceiro andar a amarrando na batente da janela, meu pai sempre achou que se eu dormisse em um andar mais a baixo, garotos iriam entrar da minha pobre janela para tentarem qualquer coisa comigo. Coloquei a minha mochila nas minhas costas sentando na batente da janela e segurando aquele monte de pano descendo lentamente pelas paredes me sentindo o homem aranha até que a coisa fudeu para o meu lado, meu coração quase saiu da boca assim que ouvi o barulho de algo rasgando e obviamente não eram as minhas calças. Eu entrei em desespero e fiquei em uma miragem de encruzilhada entre descer ou subir, pois eu já estava no segundo andar essa corda não me deixaria chegar até a janela do meu quarto e muito menos até o meu lindo gramado, mas algo desviou totalmente a minha atenção quando eu ouvi a voz do meu omma e do meu Appa, eles estavam discutindo sobre... O Chanyeol. Segurei-me na batente da janela de ambos continuando a ouvir a conversa.

— Você na tinha o porquê de bater na cara do MEU filho — Meu omma gritou — Ele apenas beijou o garoto seu traste!

— Tao! Foi você que me disse para mantê-lo bem distante do nosso filho, você sabe que ele era apenas um guarda costas contratado para cuidar do nosso Baekhyun e olha no que deu? Eles aos beijos no nosso jardim, eu nunca mais quero ver a cara daquele orelhudo dos infernos. — Ele disse se aproximando da porta, pois meu omma ameaçava o jogar com um vaso caríssimo vindo de Angola.

Meu coração apertou no momento que ouvi a palavra guarda costas, como assim ele foi contratado para me proteger? Por isso meu pai o trata bem e também por isso que Jongin e a sua trupe nunca chegaram a se meter mais comigo praticamente desaparecendo do mapa. Mas aquele era o menor dos meus problemas, olhei para baixo e vi Kris me olhando um pouco confuso. Kris jardineiro/­Cozinheiro daquela grande mansão e ele amava o meu omma pena que ele preferia ficar do lado daquele monte de rugas que eu chamava de pai, eu odiava tanto aquele velho que engravidou um garoto de quine anos e mesmo que aquele bebe fosse eu desejava tanto que o meu omma o deixasse e doasse a porra da criança que nesse caso era eu, acho que seria mais feliz em uma família pobre.

Voltando ao assunto principal a merda das minhas mãos estavam escorregando devido ao tanto que elas suavam e a porra da corda de trapos estava toda rasgada e se eu a segurasse provavelmente me deixaria cair e morreria ou ficaria em coma durante dias, meses ou ate mesmo anos. Olhei para Kris pedindo sussurrando por ajuda, mas o lerdo não estava entendendo nada do que eu dia até que finalmente eu escorreguei, fechei meus olhos sentindo a brisa fresca bater em meu corpo durante a queda e se eu morresse por causa daquilo queria tanto que Chanyeol soubesse o quanto gosto dele e que nunca o esquecerei. Senti meu corpo bater em algo que não parecia nada o gramado duro daquela região, era bem quentinho e suave... Meu Deus, eu morri que agora estava no céu.

— B-Baekkie... Você é pesado! — Kris disse segurando a minha cintura — Sai logo.

— Estou no céu? — Perguntei ainda com os olhos fechados, mas logo os abri vendo um Kris todo vermelho obviamente por falta de ar — Kris! Eu estou vivo!

— S-Sim está, mas agora levanta dai. O meu Pégaso ficou todo espalmado — Ele disse e eu logo obedeci me sentando na grama enquanto coçava a minha nuca — O que você estava fazendo lá em cima com essa mochila? Byun Baekhyun, você estava querendo fugir?

— Claro que não meu querido Appa, eu apenas queria ir passar uns dias na casa do Lay e do Soo. Por favor, não me denuncie — Kris era o meu segundo Appa, eu o amava muito mesmo — Ele me deu um tapa na cara Appa, não posso deixar isso impune.

— Ele o quê? — Ele levantou o tom de voz — Vem bebezinho, eu te levo até a casa do Lay. 

— Meu omma deveria ter casado com você ao invés dele — Comentei sorrindo, Kris era facilmente manipulável.

                                (...)

Finalmente havíamos chegado à casa do meu querido primo Lay. Eu e ele não éramos muito próximos, na verdade eu fui obrigado a passar as férias em sua casa e aquele seria o local onde nunca iria pensar em me procurar por ser o local que eu mais odeio, não por ser a casa do meu priminho, mas aquela casa era sombria e acho que mal assombrado – Estou sendo exagerado mesmo – na verdade eles apenas tinham uma decoração muito fatela e bosta. Tudo brincadeira, eu e Lay somos unha com carne a única coisa no meio de nós era o tão odiado por mim “Do Kyungsoo”

— Baekkie, o que você está fazendo aqui? — Lay perguntou com a sua típica cara de sono. 

— Eu fugi de casa Yixing, depois te conto. Adeus Yifan.

— Até quando você voltar Baekkie — Disse beijando a minha testa e indo embora.

— Desembucha Byun Baekhyun — Aquele maldito olhudo estava sentando no Sofá — Fugiu do papai?

— Vai se catar Kyungsoo, nem sei o que Lay viu em você — Um sorriso brotou em meus lábios enquanto eu arrastava Yixing comigo para o quarto de ambos.

Yixing e Kyungsoo namoravam há anos, mas nenhum deles quer assumir um compromisso mais sério do que esse simples namoro que já estava me irritando. Junnie sempre foi apaixonado por aquele babaca que eu chamava de primo que estava namorando com uma puta de um olhudo irritante. Tranquei a porta do quarto de hospedes assim que eu e Lay já estávamos dentro do mesmo, aquele Kyungsoo tirou curso para fofoqueiro de primeira por isso mais vale a pena prevenir do que remediar né?

— Conta logo Hyunnie — Yixing disse se jogando na cama comigo — Ele te magoou?

— Sim hyung, mas o que me deixou verdadeiramente triste foi que eu descobri que Chanyeol era um guarda costas que meu pai contratou para se fingir que era meu amigo e o pior é que eu me apaixonei por ele Yinnie — Falei formando um biquinho manhoso — Mas aquele monstro me proibiu de o ver, eu vou morrer se ficar sem ele.

— Você não deve desistir Baekkie, mas me conte... Como está o Junnie? — Perguntou com um sorriso safado estampado no rosto — Ele ainda é meio escandaloso?

— De santo você só tem a cara —Soltei uma gargalhada divertida, Lay era um mulherengo — Ele está solteiro se é isso que você quer saber.

— Acho que amanhã vou visitar o tio Tao — Ele disse se jogando na cama — Posso dormir aqui com você? O Kyungsoo está parecendo um cão no cio e eu estou cansado de ficar encima dele e fazer o que você sabe.

— Okay — Respondi e senti os seus longos braços rodarem minha cintura — Amanhã eu vou procurar o Channie.

— Eu vou com você meu príncipe baixinho — Disse afagando os meus cabelos — Quando o assunto se trata de amor, é melhor ter cuidado.

Eu acabei por dormir abraçado aquele maldito boneco chinês. Eu amava a família do meu omma e todos me amavam também tirando o Kyungsoo, aquele projeto de aborto caseiro.

                               (...)

Acordei na manhã seguinte com alguns gritos vindos da parte de Kyungsoo. Apalpei a cama e lá estava Lay dormindo que nem uma pedra parecia até que tinha morrido, então como o homem viril que era – Olhem a ironia – me levantei da cama bocejando na direção da bendita porta do quarto abrindo a mesma preparado para dar uns bons socos naquela bicha barulhenta, mas eu parei no meio da escada percebendo que ele não estava propriamente gritando. A VADIA ESTAVA GEMENDO! E vocês nem imaginam quem estava com ele, nada mais nada menos do que “Kim Jongin” coitado do Lay era corno e pelo sono pesado ele nem deve perceber, me aproximei deles assim que tive a certeza que aquilo havia terminado e que me daria tempo para a minha grande entrada dinâmica.

— Belo espetáculo — E assim a diva Baekhyun apareceu do nada batendo palmas e eles tomaram uma baita de um susto — Jonginnie, você por aqui? 

— B-By... — Jongin tentou falar algo, mas pareceu que as palavras fugiram de sua boca.

— Você está sonambulo Baek e isso é apenas um sonho! — Kyungsoo sussurrou pensando que poderia enganar a mim e o meu QI elevado — Volta para a cama!

— CAMA PORRA NENHUMA SUA VADIA! O LAY SABE DISSO? SE NÃO, VAI SABER AGORA — Eu iria me virar para correr até o quarto onde Lay estava, mas o vi ele parado na escada com a sua expressão de sono.

— Tanto barulho! Porra Baekkie, para de gritar — Ele disse bocejando indo até a sala — Bom dia Jongin.

— ... — Acho que minha expressão mataria alguém a risada de tão confusa e surpresa estava — Como assim?

— Bom dia senhor Lay — Jongin respondeu acabando de fechar a camisa — Então o garoto irritante que você falou era o Byun?

— LAY! PASSA-ME AQUI AGORA! VOCÊ SEMPRE SOUBE QUE ERA CORNO E NUNCA DISSE NADA? — Eu gritei tanto e ele apenas assentiu sorrindo, definitivamente meu primo era louco.

— A SUA MALDITA FICHA CAIU SEU MERDINHA — Kyungsoo gritou rindo — O Lay e eu temos um acordo.

— SUA VADIA OLHUDA! REPETE ISSO QUE EU TE MATO LOGO EM SEGUIDA! —Gritei de volta ainda seguindo Lay — Yinnie, vamos banhar juntos como antes!

— Eu vou me atrasar, tenho que ir Kyungie — Jongin disse indo embora sorrindo — Até breve Baekkie.

Passamos a manha inteira aos prantos, Lay apenas gritou assim que ouviu o nome de Suho no meio das nossas gritarias e ofensas. Mas um motivo para que meu Appa me mantinha distante de Lay, ele era louco mesmo. Onde já se viu alguém aceitar ser corneado em sua própria casa e ficar com uma grande cara de sonso como se nada tivesse acontecido? Lay merecia estar internado e a vadia do Kyungsoo também, mas o que realmente me tirou do sério foi ver eles quase se comendo na sala enquanto assistíamos a um filme romântico e foi ai que eu me lembrei de que tinha um pequeno Chanyeol me esperando.

— Yixing vamos logo — Pedi manhoso — Eu preciso me encontrar com Chanyeol.

— Okay Baekkie — Ele disse saindo finalmente de cima daquele estrupício — Vou apenas me arrumar.

— Okay... — Minha frase foi interrompida assim que ouvi o meu celular chamar e marcar o numero de Chanyeol, meu coração quase saiu pelo cu de tanta felicidade — Alô?

— Baekhyun? L-Lamento muito — Ele estava chorando — Eu não irei cumprir a minha promessa, venha ter comigo até o aeroporto principal de Seul... Não demore muito — E desligou.

Eu apenas senti o meu rosto ficar quente e lágrimas escorrendo pelo mesmo, como assim ele não irá cumprir a promessa? Ele estava no aeroporto? Ele iria partir? Sem mim. Quando dei por mim já estava correndo pelas ruas de Seul na esperança de chegar a tempo de o impedir de partir e talvez o pedir em namoro, pois Chanyeol era a flor mais preciosa do meu jardim.

                    Cσηтιηυα


Notas Finais


Se ficou péssimo me avisem por favor, estou precisando de ouvir as opiniões alheias para poder melhor

Adeus e até a próxima atualização ;')


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...