História Hey! Tender Love! - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Chansoo, Chenbaek, Hunhan, Kaisoo, Kristao, Mpreg, Sebaek, Sulay, Xiuchen
Exibições 69
Palavras 2.237
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ola! Quero agradecer pelos favoritos ^^ Sou muito grata a vocês. Me desculpem qualquer erro ortográfico, não tive tempo para revisar.

Boa leitura e até as notas finais.

Capítulo 4 - Тυ∂σ ρσя υм вειנσ!


Fanfic / Fanfiction Hey! Tender Love! - Capítulo 4 - Тυ∂σ ρσя υм вειנσ!

Nunca havia corrido tanto na minha vida, mas a chance de pensar que Chanyeol estava indo embora sem mim... Deixava-me triste e com mais vontade de chegar logo no aeroporto e pedir para ele voltar comigo para casa e namorar comigo. Ele prometeu que ficaria sempre comigo, mesmo com o mundo inteiro contra nós ele prometeu e chegou a enfrentar meu pai por mim e agora estava indo embora como se nada tivesse acontecido? Chanyeol estava devendo explicações e o facto dele me ligar para marcar um encontro apenas me deixava certo de que ele não queria ir por opinião dele, mas talvez ele apenas quisesse se despedir do menino mimado que ele cuidou durante um mês inteiro e que jogou toda a amizade deles no lixo quando decidiu o beijar. Quase tive uma parada cardíaca assim que cheguei ao tal aeroporto onde Chanyeol falou para encontrá-lo, parei na entrada do local tentando recuperar o fôlego pelos seis quarteirões que eu tive de correr para encontrar o meu Channie. Iniciei outra corrida dentro do grande edifício assim que ouvi a narradora avisar que os voos para a China estavam quase a sair, como eu sei que ele vai para a china? Ele já comentou comigo que a sua única família residia naquele país e que se fosse embora da coreia iria para lá. Meus olhos já estavam novamente marejados por pensar que talvez eu pudesse perder aquele orelhudo para sempre, aquele seria a maior tortura no mundo para mim. Chanyeol era a luz do meu dia, a flor do meu jardim, o garoto que roubou o meu coração.

— Chanyeol! — Gritei assim que pude visualizar a sua figura alta — Channie!

Ele apenas continuou parado me encarando com os olhos vermelhos por que provavelmente estava chorando, mas o que me chamou a atenção foi uma figura pequena do seu lado com a sua mão entrelaçada à dele e aquilo realmente fez meu coração apertar ainda mais e mais lagrimas caírem de meus olhos. Parei enfrente a ele esperando qualquer frase ou uma explicação lógica para aquele baixinho estar agarrado ao seu braço e com um monte de malas do seu lado.

— Me desculpe Baekkie... Eu tenho que voltar — Ele disse tentando se aproximar de mim. Obvio que não deixei e meu olhar foi para o garoto ao seu lado — Ele é o Luhan, meu...

— Cala a boca! — Gritei interrompendo a sua frase — Você me usou!

— N-Não é isso Baekkie, escute — Ele tentou novamente segurar meu rosto, mas o afastei com um tapa — Baekkie... Por favor.

— Por favor, coisa nenhuma! Não volte a me chamar de Baekkie — Apontei para ele irritado — Você me beijou me deu esperanças de um relacionamento futuro e depois te vejo com essa vadia!

— ELE NÃO É UMA VADIA! — Gritou levemente alterado — Você não conhece o Luhan

— Está protegendo o namorado é? Você me da nojo Park Chanyeol — Comentei limpando as lagrimas — Você só estava comigo pelo dinheiro é?

— Não Baekkie, você entendeu tudo errado. — Sussurrou aproximando seu rosto do meu — Eu te amo Byun Baekhyun.

— Channie... — Não consegui terminar a minha frase, pois aquele louco havia me beijado. Seu beijo era calmo e eu estava amando aquilo, mas eu não podia fazer aquilo com o suposto namorado dele ao nosso lado. — P-Para.

— Por quê? Baekkie eu realmente gosto de você, mas não posso ficar na coreia — Ele disse segurando ambas as minhas mãos — Eu irei voltar Baekkie.

— Você é mesmo um traste Chanyeol — O empurrei dando um tapa em seu rosto logo em seguida — E-Eu não quero que você vá Chanyeol, Por favor.

— Eu preciso Baekhyun — Ele disse me abraçando e afagando os meus cabelos — Meu voo vai partir agora Byun Baekhyun.

— N-Não Channie, eu nunca vou perdoar você se partir — Comecei a chorar novamente e ele se afastou de mim segurando a sua mala e me encarando com um sorriso triste.

— Desculpa Baekkie. Adeus e até breve — Ele disse indo embora com aquele garoto Baixinho.

Eu nunca mais veria Park Chanyeol e caso o visse fingiria não o ver, ele me abandonou e foi embora com aquele garoto loiro com cara de vadia – Todos os passivos que não fossem meus amigos tinham cara de vadia – Saí do aeroporto dando de caras com a limusine de meu omma estacionada enfrente ao grande edifício e provavelmente estava me esperando para me levarem a casa e isso já não me importava, deixei de me importar com as coisas no momento em que vi Park Chanyeol dar as costas para mim e indo embora com aquele cabeçudo. Limpei as restantes das minhas lagrimas entrando com a cabeça erguida no carro vendo meu omma fazer o mesmo, eu nunca mais seria o mesmo e a culpa era toda daquele maldito homem que eu chamava de pai. Naquele pouco tempo eu virei um dependente químico e a minha droga se chamava Park Chanyeol.

                         (...)

— Por que você fugiu? Você sabe que eu odeio criança mimada Byun Baekhyun! — Ele gritou segurando o meu pulso com força — Você é um maldito pirralho.

— Me solta! Eu não sou um pirralho seu velho abusador de adolescentes — Revidei tentando puxar o meu braço, mas sem sucesso — Você inventou essa de mandar o Omma e o Junmyeon saírem para me bater é? Então força! Deixe-me todo roxo.

— Cala a merda da boca! — Apartou ainda mais o meu pulso me dando um tapa — Você é um pirralho maldito, por tua culpa eu fui forçado a casar com a vadia do seu Omma. Você sempre foi um erro na minha vida, pobre criança... Foi se apaixonar por um garoto que nem futuro tinha! VOCÊ DEVE TER UM RELACIONAMENTO COM GAROTOS DA MESMA CLASSE SOCIAL QUE A NOSSA! É tão difícil entender isso?

— Não é verdade... — Murmurei tapando os ouvidos — Você é um monstro.

— Ouve bem Baekhyun, você nunca será nada na vida sua peste. Tudo que eu fiz ou faço por você foi porque Zitao ME PEDIU! Eu nunca vi você como um filho — Disse se aproximando de mim — Agora vá trocar de roupas que a família Oh e a família Kim viram jantar aqui e os seus dois filhos também, seu omma daqui a pouco estará em casa. Pelo menos uma vez na vida mostre que o sangue dos Byun corre em suas veias. 

Antes de ir embora olhou novamente para trás suspirando e saindo do quarto, eu me senti um lixo diante daquele homem, ele saiu de meu quarto como se não tivesse feito nada. Olhei a redor do meu quarto me sentando na cama com o rosto coberto pelas mãos, eu não queria ver a família Oh e a Kim. Aqueles quatro garotos eram terríveis e eu os odiava principalmente Jongin e Sehun os outros dois eram apenas irmãos mais novos sendo manipulados. Estava cansando daquilo, nunca deveria ter tentado ser um garoto normal como os outros e com isso também aprendi a sofrer como eles sofrem por um amor que abandonou a sua vida e levou metade do seu coração, mas já estava decidido que Byun Baekhyun nunca mais sofreria por amor e que nunca confiaria em mais ninguém. Ouvi o barulho dos carros estacionando o que indicava que os convidados haviam chegado, aquele homem tinha razão, eu tinha que deixar de ser tão sentimental e ser o Baekhyun manipulador e frio de antes. Chanyeol tinha feito vários estragos na minha vida em tão pouco tempo e eu estava totalmente quebrado e não precisava da ajuda de nenhum outro homem para me reconstruir a minha maldita vida. Eu tinha que enfrentar isso sozinho e com a cabeça erguida.
~~
Estávamos todos sentados naquela grande mesa de jantar, de um lado a família Kim e do outro a família Oh. Eu nunca acreditei em azar, mas no momento em que Oh Sehun e Kim Jongdae se sentaram do meu lado eu passei a acreditar mais do que nunca, todos nós estávamos comendo em silêncio até que a porcaria que eu chamava de pai me encarou e sorriu de canto se preparando para falar algo e aquilo obviamente seria sobre mim.

— Amanhã o Baekhyun irá para aquele colégio interno que o Senhor Oh me recomendou — Disse me encarando — Ele está precisando ficar uns tempos fora da Ásia.

— Oh Sehun e Kim Jongdae também iram para lá — O senhor Oh disse olhando para Sehun que fingia não ouvir — Nossos filhos poderiam dividir o mesmo quarto.

Meu coração doeu ao ouvir tais palavras, como assim eu iria viajar com Sehun para uma faculdade no exterior e seria obrigado a dormir no mesmo quarto que ele? Eu ainda lembro-me muito bem da surra que levei desse grupinho que estava nesse momento em minha casa e jamais aceitaria conviver com nenhum deles. Não sei por quê, mas ao meu ponto de vista aquilo séria trair Chanyeol mesmo que ele tivesse me abandonado apenas se ama uma fez na vida, fazer o quê? Eu não conseguia esquecer aquele orelhudo por nada e afinal havíamos nos visto pela última vez hoje de manhã e ainda estava magoado por aquilo.

— Estou sem fome — Comentei levantando da mesa e indo embora da sala de jantar sem me importar com o meu pai dizendo para eu voltar e terminar o jantar.

Estava me sentindo tão vazio enquanto caminhava em direção à piscina, eu e Chanyeol amávamos ficar apreciando a luz do luar sobre a água da piscina. Sentei-me na beira da piscina sentindo as lágrimas escorrendo de meus olhos, aquilo era realmente doloroso para um garoto de dezenove anos e sem experiências sobre a vida como eu, ter perdido Chanyeol foi o pior castigo do mundo para mim. Byun Baekhyun estava realmente quebrado.

— B-Baekhyun? Por que você está chorando? — Aquela voz era realmente conhecida e que me deixava com raiva a cada segundo — D-Desculpe por tudo.

— Desculpas não vão fazer desaparecer as minhas cicatrizes. — Respondi ainda chorando — Sabe na ultima vez que me bateram? Você disse que iria acabar com a minha carinha... Deveria ter feito isso.

— Não diga isso Baekhyun... Você lembra quando nos conhecemos? Eu tinha cinco anos e meus pais me trouxeram para a sua casa — Ele disse e eu ri fraco — Você era uma fofura com aquele biquinho manhoso.

— Você era tão doce naquela época — Me virei para poder olhar nos seus olhos — Por que te tornaste nessa pessoa tão sem escrúpulos Sehun? Eu não me importo de levar uma surra todos os dias, mas o que mais me doeu foi o facto de ser você uma das pessoas que tanto me batia Sehun.

— D-Desculpa Baekhyun — Disse baixando o seu rosto —  Eu fiz tudo aquilo por que gosto de você.

—  Isso não justifica... Espera! O que você disse?  —  Perguntei confuso — Repete logo Sehun!

Fui surpreendido pelo beijo repentino de Sehun, tal como Chanyeol Sehun também beijava calmamente. Sua mão foi até a minha nuca aprofundando ainda mais o beijo, senti a sua língua passar por meu lábio inferior pedindo entrada e que Deus me perdoe, mas eu permiti que ele explorasse cada canto da minha tão amada boca. Ficamos uns dez minutos nos beijando até que finalmente tomei noção do que estava fazendo e empurrei Sehun fazendo com que caísse na piscina.

— Que merda você fez Sehun? Quem disse que você podia me beijar? — Perguntei me levantando da beira da piscina assim que o vi nadando em minha direção —  Você deve ser louco!

—  Louco? não fui eu quem jogou um garoto na água, tudo por um beijo! —  Ele revidou saindo da água — Eu não te obriguei a nada, eu não disse para você ficar dez minutos comigo nos beijando.

—  Merda! —  Gritei entrando na casa pela porta traseira, minha cabeça estava uma tremenda confusão.

—  Baekhyun! Espera! —  Jongdae gritou vindo na minha direção — Eu preciso conversar com você.

—  O que foi Chen? —  Perguntei o vendo corar —  Podemos conversar no meu quarto? Estou tentando não me aproximar do Sehun.

—  Okay —  Sussurrou entrando no quarto comigo. —  Eu não sei como expressar isso por palavras Baekhyun.

—  faça isso logo Chen! Eu tenho que ir embora dessa casa logo.

Me arrependi profundamente de ter dito aquilo, Chen praticamente atacou meus lábios me levando consigo até a minha cama ficando encima de mim. Diferente de Chanyeol e Sehun, Chen gostava de beijos ferozes e excitantes. Até pouco tempo atrás estava reclamando sobre nenhum garoto dar a minima para mim e por Chanyeol ter me abandonado e agora acontecia isso? No total eu já havia beijado três garotos em um só dia. Eu estava ficando excitado com aquele homem se esfregando em mim algo que não me agradou, o empurrei com uma expressão irritada me sentando novamente na cama e o encarando.

— Saí do meu quarto agora Chen, AGORA! —  Gritei o vendo levantar e ir embora. Um sorriso sacana brotou em meus lábios, eu era um adolescente e precisava de aproveitar a vida não é?

                       Cσηтιηυα


Notas Finais


Três! Três garotos Baekhyun!

Tá parei. Como alguns devem ter notado, o nosso Baekkie irá sofrer uma reviravolta em seus comportamentos - Culpa do Chanyeol - na próxima atualização irei saltar um pouquinho no tempo e revelar algumas surpresas sobre um certo omma santinho e o Cozinheiro.


Até a próxima atualização! Kissus.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...