História Hi Cat - Capítulo 43


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chandler Riggs
Personagens Chandler Riggs
Tags Chandler Riggs, Norman Reedus
Exibições 127
Palavras 1.110
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 43 - Temp.2


   O caminho para casa dela foi um silêncio. Chegamos lá estacionei o carro na garagem e ela desceu sem falar nada. Fiquei parada lá,  tentando digerir o que eu tinha escudado. 

- Que Deus me ajude 

   Sai dali. Entrei e vi Norman rindo deitado no tapete brincando com meu irmãozinho. 

- Norman...

- Kare... Filhão, vai lá para a mamãe  (Ele saiu correndo e me sentei no sofá com ele ao meu lado) ta tudo bem?

- Nunca tá bem!

- O que foi?

- A Jessy vai passar um tempo no hospital

- O que ela tem?

- Vai conversa com ela... eu vou para casa

   Me levantei e sai. Depois de um tempo o taxi me deixou na empresa que eu trabalhava. Entrei na sala do chefe e ele me fitou confuso

- O que faz aqui?

- Vim pedir demissão (ele se engasgou com a própria saliva)

- Como é? Não... calma pelo amor de Deus!

- Minha mãe está doente e eu preciso me entregar a ela

- Eu entendo, mas depois você pode voltar se quiser

- Não eu passeu anos da minha vida na faculdade, trabalhando sem tirar ferias... e agora... eu necessito delas então tchau (antes de sai eu me virei) e mais uma coisa... Vai se foder (estarei o dedo do meio para ele e fechei a porta)Palhaço

   Depois de finalmente chegar em casa, cansada, exausta e tranquei a porta e me joguei no sofá e pode desabar ali mesmo. Eu chorava pois era algo que eu nunca queria passar. Meu celular tocou uma vez, duas, três d na quarta eu atendi

- VAI CHUPAR ALGUMA COISA (e desliguei)

   Tomei um banho e pois o mue pijama da pantera cor de rosa.

   A campainha tocou e abri vendo Chandler chupando um picolé

- Que porra é essa?

- Você mandou eu chular alguma coisa oshi, eu to chupando

- Explicado...entra

   E assim fez, ele foi na cozinha e botou o picolé no congelador

- Por quê? (Perguntei)

- Oh querida, é picolé!  Não se pode desperdiçar

- Não sou sua querida

- Onde eu já ouvi isso? (Ele me pois em seu colo)

- Em um livro talvez...

- Que livro?

- Um livro que tem beijo nele

- Que tal nos atuarmos essa cena? 

- Para que encenar? se podemos fazer de verdade? E garanto que vai ser melhor

   Ele sorriu e entrelacei minhas pernas em sua cintura o beijando. Era como se fosse o primeiro beijo, era delicado, cauteloso, romântico, apressado.  Suas mãos acariciavam meus braços enquanto em brincava com sua nuca. O abracei e o apertei para mim e ele fez o mesmo

- Promete nunca me abandonar? (Falei afogados meu rosto em seu pescoço)

- Prometo meu bem... o que foi?

- E se eu ficar doente? Promete nunca me larga por causa disso?

- Kare o que foi? (Sua feição estava preocupada)

- Promete que seu eu tiver com uma doença que pode levar minha morte você ira estar ao meu lado?

- Chega... o que foi?

- Minha mãe está com câncer

- O meu bem (ele me abraçou forte) vai ficar tudo bem

- Tem mais uma coisa

- Hum...

- Eu posso ter 80% de chance de obter também

- É Câncer de mama?

- Sim...

   Ele ficou me encarando com uma aparência que eu não conseguia distinguir. Então sem falar nada ele me abraçou. Abraçou como se minha vida fosse sair de suas mãos.  Eu só queroa estar ali... pertinha dele, sem pensar mais em nada... só eu e ele. O seu toque me fazia suspirar, suas palavras faziam a minha raiva que tentava ter escorrer pelo ralo. Eu sentia algo por ele, mas não queira admitir, não queira pensar que ele poderia me fazer sofrer... eu precisava me entregar.

   Nos combinamos que eu iria passar uns dias em sua casa então fiz uma malinha e fomos para lá.

   Assim que entrei Diego gritou meu nome e correu até mim de bracinhos abertos, então o peguei e o girei. 

- Fala ai projeto de super-homem

- Vai dormi aqui mamãe? 

- Vou sim

- EBA! NÃO VOU PASSA FOME

- Como?

- A comida do papai é de vomitar nossa alma

- Meu Deus

- Não é tão ruim assim (Chan se defendeu cruzando oa braços)

- Papai... o frango que você tentou fazer tinha cheiro de morte... sabe o que é cheiro de morte? 

- Odeio te falar isso Biggs, mas as crianças não mentem... deixa que eu preparo o jantar

   Fui a cozinha e deixei elea arrumando a mesa, preparei purê de batata com macarrão de molho branco e uma especiaria minha, batata de molho branco com queijo derretido em cima. Botei as coisas na mesa e me sentei

- Finalmente vou comer como um rei (Deigo falou e botei a comida dele)

   Comemos em silêncio e depois Diego ficou jogado no chão tentando respirar de tão cheio que estava

- Depois que vomitar vai sobra para mim (falei me levantando para tirar a mesa até Chan toca meu ombro)

- Você já fez essa comida maravilhosa,  deixa que eu tiro e amanhã dona Jô lava

- Dona Jô? (Perguntei levantando as sobrancelhas)

- Uma senhorinha que arruma essa casa

   Dei um banho no Diego e Chan ficou segurando ele enquanto eu tentava por seu pijama,  no fim me deitei ao seu lado e Chan se sentou na poltrona contando uma história. Acordei quando senti eu ser suspensa no ar e ele me por contra o seu peito

- Não me tira daqui (falei manhosa e senti seus corpo vibrar ao soltar uma risada)

- Eu preciso tomar um banho

- Então me embrulha em um edredon e me joga na cama

   Ele riu e me deitou na cama logo tiroua camisa e foi para o banheiro, escutei o chuveiro ser ligado e depois de um tempo desligado. Ele sai com uma toalha azul amarrada em sua cintura e uma branca para secar os cabelos. Os pingos da água escorriam do seu rosto para seu peito e abdômen

- Você quer me deixar louca? (Perguntei me sentando)

   Era como se fosse uma escultura.  Seu sorriso de lado com um olhar de desejo, o jeito que agia ou tentava me fazer deseja-lo era deliciosamente sexy.

- Vem sempre aqui? (Perguntei com uma voz rouca e arrastada)

- Venho... sabe... eu moro aqui

- Interessante, essa cama está tão vazia... deita aqui comigo

- Deixa eu me vesti

- Como se você liga-se para isso

   Ele sorrio e veio até a mim me prendendo e começou a me beijar, sua mão foi passando por baixo da minha blusa

- ECA (Diego gritou e nós nos levantamos rápido)

- Filho (Chan falou) por que não esta dormindo?

- Vocês fazem muito barulho papai

   Comecei a rir e eles foram para o quarto, quando Chan voltou ele se deitou ao meu lado e me puxou para si

- Vamos dormi antes que nos peguem no flagra novamente


Notas Finais


Sorrry pelos erros


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...