História Híbridos - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias 2PM, B.A.P, Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO, Got7, Monsta X, Seventeen
Visualizações 21
Palavras 2.192
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá
Cheguei
Dois ep atrasada, mas cheguei.
Vou tentar não atrasar tanto, agora que já cheguei onde queria rs.
Pessoal, por favor: deixe um comentário :( A falta disso me desanima TANTO pra escrever T.T ultimamente só as participantes da história tem comentado.

Piscina da lua* imagem da capa.

Boa leitura.

Capítulo 11 - Piscina da lua


Fanfic / Fanfiction Híbridos - Capítulo 11 - Piscina da lua

Lunnah  

Acordo com batidas na porta que logo resultam em uma porta abrindo, revelando um Jackson cuidadoso, carregando em suas mãos uma bandeja com café da manhã. 

—Mm, não tinha planos de levantar hoje? — ele pergunta.  

Percebo também que há somente eu no quarto, as outras duas garotas já levantaram. Não faço ideia de que horas seja, mas suponho que 10h30. 

—Eu só estava com sono. — respondo.  

Ele senta na beira da minha cama. Coloca a bandeja também sobre a cama, com cuidado para que nada caía no lençol. 

—Sabe que precisa se alimentar bem pelo bebê, né? — ele pergunta. 

—Sei. — digo — Mas eu sinto preguiça ainda. E gravidez também traz sono e essas coisas. 

Ele sorri.  

—De qualquer modo, coma sua refeição. — diz e então se levanta. 

—Não vai ficar aqui comigo? — pergunto o encarando. 

—Você quer? — pergunta, de modo que denuncia como só agiu dessa maneira para testar minha reação. 

—Quero. — digo sincera.  

Então ele senta novamente. 

—Passou mal durante a madrugada? — questiona. 

—Na verdade não. Meu bebê deve ser calmo. — digo comendo alguns morangos frescos. 

—Que bom. — diz pegando outro morango e logo levando a própria boca. 

—WooYoung... — começo a falar, mas não sei terminar a frase. 

—O que tem ele? — pergunta. 

—Não sei... Eu... Só acho que. Sei lá. As coisas poderiam ter sido diferentes. Eu o amo, mas nunca tive total certeza sobre como ele me vê. Eu também amo meu bebê, mas acho que isso foi um erro, ás vezes. Acho que não deveria ter começado nada disso. 

Ficamos quietos por alguns instantes.  

—Você quer terminar com ele? — pergunta quebrando o silêncio. 

—Apesar de qualquer coisa, eu ainda o amo. Também, o mais importante: o bebê vai precisar dele.  

—Eu cuido do bebê. — ele diz simples. 

Rio fraca. 

—Bebês não são fáceis de cuidar. — digo. 

—Garanto que tenho mais experiência que ele, e mesmo que não tivesse, eu aprenderia com o tempo. — diz — Lunnah — me encara — Não tem que fazer as coisas que, dentro de você, você sente que é errado. Não devo me intrometer, mas WooYoung não merece você. Você merece coisa melhor. 

Não sei o que dizer de imediato. 

—Bom, mas, e você? Como vai sua vida amorosa? — pergunto. 

—Você sabe que eu não tenho essa coisa. Apenas passo meus cios com outras garotas que também não procuram algo sério. Não é como se eu fugisse de relacionamentos, só não encontro a garota especial, sabe? 

—Entendi. — digo. Olho para minha barriga — Eu ainda preciso fazer ultrassom, mas — resmungo — WooYoung não parece querer participar. Sabe, na verdade já tem um tempo que ele está diferente, isso me aborrece. — finalizo o assunto com um suspiro pesado. 

Silêncio. Comendo frutas, ainda sentados na minha cama. 

—Apesar de todos os problemas, tudo ainda vai acabar bem. Eu estarei aqui pra garantir isso. — ele diz.  

Sorrio. 

—Obrigada. Mas não carregue tudo isso nas costas como se fosse problema seu...  

—Sendo ou não problema meu, você também não tem que enfrentar isso sozinha. — coloca uma mão sobre a minha. — Eu estarei por você e o bebê, não importa o que aconteça. Também não é nenhum esforço. Permita-me cuidar de vocês. 

Sinto meu coração aquecer. 

●   

●   

●  

May 

Quarto 

Agora, estou somente com Jaebum. Ainda não saí do quarto hoje, na verdade nem levantei da cama. Mas ele trouxe nosso café da manhã até o quarto; Mesmo depois de, teoricamente começar a namorar JooHeon, ele não vê problema — por enquanto — de eu continuar dormindo no mesmo quarto que Jaebum. Até porque, tanto eu quanto ele imaginamos que Jae seja gay, então qual seria o risco? 

—Jae, preciso falar contigo. — digo enquanto como sentada no colchão. 

—Também preciso... Mas não sei se vai ser hoje. — diz com certa dúvida. 

—Sobre o quê? — me interesso. 

—Diga você primeiro.— ele diz. 

—Não, fala primeiro. Sobre o que é? — pergunto. 

Ele fica em silêncio alguns segundos. 

—Mas então, você e o Lee estão namorando? — pergunta de repente. 

—Acredito que sim. — digo com um sorriso. — E você? Como está sua vida amorosa? 

—Cada dia pior... — diz cabisbaixo. — Não sei se quero falar disso. 

Silêncio novamente.  

—Jaebum... —digo, encarando-o, então ele retribuí. — Posso te fazer uma pergunta meio íntima, pessoal?  

—Ah... — pensa — Tudo bem. 

—Você... gosta de meninos? — pergunto. 

Ele me olha estranho. 

—Não...? — diz como se fosse óbvio, contraindo as sobrancelhas, com um olhar sério para mim. 

O clima fica estranho. 

—Por que perguntou isso? — pergunta. 

—Ah, você nunca ficou com alguma garota, nem nunca me disse sobre alguma. — justifico. 

Ele respira fundo. 

—Pois é, né... — suspira pesado. — Se você pensasse um pouco mais sobre isso... 

—O que quis dizer? — encaro-o novamente, tentando entender.  

—Nada. — diz. 

Clima pesado e estranho. Silêncio outra vez.  

—Há algumas coisas que, pelo menos pra mim, soam tão óbvias. —começa a dizer, volto minha atenção pra ele — Mas talvez, seja a outra pessoa que não quer ver. Entretando, existe um ditado que diz: você não pode esconder o céu com a palma da tua mão. Conhece?  

Não entendo direito o que ele quis dizer. 

—Eu não... — me interrompe. 

—Fui retórico. Deixe-me falar. Porque agora estou com coragem pra isso, e não quero que essa sensação vá embora. — diz sério, olhando nos meus olhos — May. Eu gosto de você. Mais que amigos, e não como irmãos. Pelos Céus, isso é tão óbvio. Eu amo tanto você. Eu não consigo ter sentimentos por nenhuma outra garota, na verdade nem quero, assim como também não quero deixar de amar você. Porque eu acredito que esse sentimento é único, e exclusivo pra você. Eu amo cada detalhe seu, e odeio quando está triste. Eu não sei como as outras serão amanhã, mas contato que eu tenha você, está tudo bem. — abaixa a cabeça — Mas tudo o que disse é inútil. Merda. — volta a me encarar — Mas mesmo sem te ter por completa, quando as coisas estiverem difíceis, venha até mim. Eu vou resolver todos os seus problemas, então venha até meus braços sem dizer nada. — olhar sincero — Sinto inveja do seu namorado.  

Fico de boca aberta, sem reação. Ele apenas sorri. 

●   

●   

● 

Mandi 

Piscina da lua 

22h  

A piscina da lua fica em uma espécie de caverna subterrânea na praia. Apenas pessoas da Água tem acesso a esse local, é exclusivo para nós. Normalmente, eu e as meninas da Água vimos até aqui para jogar papo fora. 

—Mas isso realmente é diferente, acho que as coisas vão ficar difícies agora. — diz Yoko. 

Agora estamos comentando sobre uma grande mudança que ocorrerá. Os professores, como já formados do Colégio para Híbridos, tem mais potencial para administrar seus poderes, e por isso estão todos convocados para o árduo treinamento de preparação para um possível conflito com uma aldeia inimiga. Já tem algum tempo que eles tem nos ameaçado, mas por algum motivo, o diretor decidiu levar isso mais a sério e agora os novos professores serão os alunos mais velhos do colégio, os prestes a se formar. Assim como meu irmão Jackson, esse pessoal.  

—Claro que ficará, mas será interessante também. — digo. — Só me preocupo com Lunnah unnie agora.  

—De qualquer jeito, parece que o WooYoung está pouco se importando com ela e o bebê. — Yoko novamente.  

—Eu acho que ele se importa sim, só não demonstra bem, ou sei lá. — diz SunHee.  

Continuam conversando enquanto me distraío com o arco-íris que forma na água, quando nossas caudas estão todas transformadas no mesmo lugar.  

—Mandi-ya?! — me chamam, então desperto. 

—Mm? Estava observando as cores. — digo, isso soa idiota então elas riem da minha bobagem. 

—Estavamos comentando sobre Jack. Você sabe algo sobre ele e a Lunnah? Assim, ele sente algo por ela? — pergunta May. 

—Mm... — começo a pensar — Não que ele tenha me falado, mas ás vezes acho que sim. Ainda mais depois dele ter aceitado assumir o bebê aquela vez. E pensando bem, sinceramente seria até melhor para todos os envolvidos. 

—Agora que WooYoung irá para um treinamento, Lunnah ficará sozinha. Ninguém sabe quanto tempo o treinamento vai durar, e, ou quando a o conflito vai acontecer. Se acontecer. — diz SunHee. — Isso tudo é tão complicado. 

—Eu acho que Jack e Lunnah deviam ficar juntos. Antes falávamos disso como brincadeira, mas pensando bem eles combinam direitinho. — comenta May.  

—Ok. Chega de falar de quem não está presente, isso é feio. — comento e rio. 

—Ah! — diz May como se lembrasse de algo importante — Tenho algo a falar para você. Jaebum. 

—O que tem ele? — perguntamos. 

—Ele se declarou pra mim. Declarou mesmo, abertamente. Ele não é gay. Ele é apaixonado por mim há anos... — desabafa. 

Ficamos todas surpresas. 

—E o que você disse?  

—Não tinha o que dizer... Agora eu namoro o JooHeon e gosto dele. Tentei explicar isso, ele apenas disse que entendia e que precisava de um tempo. Eu... fiquei triste. Mas acho que está tudo bem entre a gente.  

—Nossa, que pesado, poxa... — comento — Yoko, você e o Yoongi...? 

—Não nós falámos tem um tempo. Acho que vai continuar assim.  

—Até quando o cio coletivo chegar? É daqui alguns dias.  

—Eu... Não sei. — ela diz indecisa, então rimos.  

—Falando em cio, o seu não era hoje? — me pergunta SunHee. 

—Sim, mas já fiz o que tinha que fazer. — digo simples e direta, elas riem. — Na verdade, meu cio nem está tão forte dessa vez, eu não sei o por que.  

—Ihh, ela 'tá grávida, gente. —May me zoa.  

Normalmente, quando uma mulher engravida, no primeiro mês ela não sente tanta a necessidade do sexo, e seu cio é mais suave que o normal. Também, no primeiro mês, a gestação se desenvolve bem rápido, se alongando depois somente até 6 meses.  

—Nada a ver, não diga bobagem. — rio me defendendo.  

—Ei, a festa vai ser daqui uns dias também, não é? — diz May trocando de assunto.  

—Sim. — respondo. — O cio coletivo é daqui 2 dias, e a festa 7.  Agora que os alunos serão os professores, esse colégio vai ficar uma bagunça, vai virar uma loucura. — comento.  

 

●   

●   

● 

●   

●   

● 

● 

● 

Dias depois  

Sim, ocorreu o cio coletivo. Obviamente, passei com Hoshi. Minhas amigas com seus namorados, obviamente também. Yoko e Lunnah é um caso a parte. Yoko, acredito que de qualquer jeito tenha passado com Yoongi. Ela disse que iria conversar com ele. Mas no dia seguinte do cio, eles não estavam juntos. Na verdade, eu nem mesmo vi Yoongi; Desde que os professores foram ao treinamento, as aulas tem estado meio desorganizadas. Não está uma completa bagunça, mas longe de estar tudo OK. Lunnah, ela está grávida então não sente tanto desejo. Mas no caso, eu realmente acho que ela possa ter passado com Jackson. Eles tem estado tão próximos ultimamente, do tipo, eles não desgrudam, MESMO; SunHee e Baek, aquela coisa obcecada de sempre. May e JooHeon, o casal mais fofinho, pode entrar.  

Mas ok. Falei sobre todos não é mesmo? E como tem estado as coisas entre Hoshi e eu?  

Realmente queria poder dizer que está tudo bem, mas... 

Caralho. Eu não sei o que aconteceu. Não exatamente.  

De repente, todo mínimo detalhe se tornou irritante, tanto pra mim quanto pra ele. Qualquer motivo é motivo suficiente. Até mesmo nossos amigos estão estranhando nossas atitudes. O que resultou em um pequeno afastamento. Basicamente, só dormimos juntos. Isso há 4 dias. Eu não sei como e nem quando isso vai mudar. O mais estranho, é que no fundo eu nem me importo se isso vai ser solução. Estou nem ai.  

E é claro que Vernon aproveitou o espaço para se infiltrar.  

E algo me diz que isso me colocará em problemas maiores do que imagino.  

A festa é hoje.  

 

●   

● 

● 

● 

 

Copos coloridos, tantos cheiros, o som alto. Na verdade, eu nem me lembro direito como a noite começou, quando a festa iniciou. Agora, só tenho uma pequena consciência do lugar onde estou. Um local escuro e provavelmente bagunçado. Colchão no chão, onde estou deitada. Apenas sinto os lábios da outra pessoa, o qual está comigo, beijando meu pescoço, fazendo uma trilha. Depois de fazer o caminho 3 vezes, volta a minha boca, onde o beijo começou. Beija com vontade, com desejo. Suas mãos exploram meu corpo, até chegar na cintura, onde aperta e me puxa pra mais perto. Sinto seu íntimo me tocando.  

Coloca minhas mãos a cima da minha cabeça, olha profundamente nos meus olhos, mas pela baixa iluminação e minha embriaguez, não é tão simples decifrar o rosto, mesmo que eu tenha a suspeita mais óbvio. E surpresa, eu nem me importo.  

Fica me encarando por alguns segundos. Minha visão está meio borrada, e meus sentidos estão diferentes. Continua me encarando. Normalmente eu sentiria medo, mas nesse momento não. Então ele desvia o olhar e vai para o outro lado do meu pescoço, agora o esquerdo. Assim que seus lábios tocam de forma bruta, faço um pequeno gemido de dor, mais como manha. Rapidamente ele recua e volta a me encarar. 

—Vernon? — sussurro. 

Ele não responde, apenas volta a beijar mas dessa vez com mais delicadeza. 

Eu apenas entro na dança dele, apenas sigo o baile até que... 

 

 

 

 

Acordo de manhã. 

Dor de cabeça. 

Não lembro de mais nada. Nada. 


Notas Finais


Até pensei em ser outra pessoa, mas já está enrolando muito a interação Manon (Mandi+Vernon, inventei agora lol) ou Manol (Mandi Hansol). E também, não precisamos enfiar mais pessoas nessa círculo amoroso, né?
Também, mudei o desenvolvimento da história. As coisas serão mais rápidas, com passagens de tempo;

Por favor, deixe seu comentário~~

-TWITTER-
pessoal: mandyoshi
aulas de coreano: xbrxkorea
sobre SM audition: smaudition_br

Fighting~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...