História Híbridos Loucos - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Kristao, Longfic, Sulay, Xiuchen
Visualizações 236
Palavras 3.318
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie baby's Wolf, desculpem a demora mesmo. Eu realmente estou cheia de tarefas de casa e também de tarefas que tenho que fazer em casa, como limpar a casa. Daí fica meio difícil para mim, mas prometo tentar melhorar isso. Chu 😘😘

Capítulo 10 - Gatinho mal


Fanfic / Fanfiction Híbridos Loucos - Capítulo 10 - Gatinho mal

~4 de março de 2016, 20:30 da noite, sexta - feira ~

P.O.V. CHANYEOL

Fiquei na cozinha imaginando do que o menor seria capaz se eu não desse o que ele queria, iria ser bem triste perder o mesmo por algo tão normal na juventude, ter um bebê não é nada raro nos dias de hoje e também não é nenhum problema. Aliás, eu tenho muita grana, então coisas para o bebê não vão faltar, nem alimentos e nem mimo, que é uma das coisas que mais quero fazer pelo meu bebê, o mimar como uma criança feliz. Porém eu não tenho 100% de certeza que quero isso, "Ah qual é Chanyeol, você tem dinheiro, tem fama, tem tudo para ser um pai, fora a sua idade que já está passando do tempo de ter um filhote. Qual o seu problema em ter um bebê?", Fiquei brigando mentalmente comigo mesmo, até ouvir passos tímidos vindo em minha direção. Olhei para o lado e vi Baekhyun sentando no banquinho do meu lado, encarei o mesmo por alguns segundos e perguntei:

- Aconteceu algo, gatinho? - o mesmo assentiu, porém não falou nada - O que aconteceu?

- Promete que se eu contar não vai ficar bravo? - assenti e me arrumei na cadeira melhor - Eu acho que quando estávamos na nossa penúltima transa…você… v-você… não colocou camisinha - falou baixo, quase não deu para ouvir.

- Você acha ou tem certeza? - perguntei um pouco calmo para o híbrido não se assustar.

- Na verdade eu vi que você estava sem camisinha - suspirei - Mas eu queria tanto um bebê que não falei - me levantei da cadeira - Por favor Chanyeol, não me ba.. - o cortei com um abraço vindo de minha parte.

Peguei o pequeno no colo e o deixei apoiado em meu ombro, o mesmo demorou alguns segundos para perceber o que estava havendo, porém quando se ligou apenas devolveu o abraço e começou a afagar os cabelos de minha nuca, que eram poucos ja que deixo meu cabelo cortado em uma medida bem elevada. Ficamos alguns minutos assim, até Baekhyun levantar sua face e olhar para mim, o híbrido se aproximou de meus lábios e deu um selo no local, em seguida perguntou:

- Mas você disse que não queria bebê? - perguntou com um bico nos lábios.

- Eu não falei que não queria, apenas falei que não estava preparado, mas com você me ajudando, pode ficar tudo mais fácil - falei dando um beijo nos lábios pequenos do híbrido, que apenas sorriu com o ato.

Ficamos alguns minutos nos abraçando, porém logo nos separamos para irmos em direção a sala. Chegamos no local e todos estavam conversando entre si, Luhan olhou para mim e perguntou:

- Já se resolveram? - olhei para o menor atrás de mim e sorri.

- Parece que vamos ter um novo integrante na família - falei fazendo todos arquearem a sombrancelhas - Parece que eu esqueci de colocar a camisinha, então provavelmente o Baek está grávido.

Todos sorriram e começaram a vir em nossa direção, Luhan e Kai me parabenizou, os híbridos ficaram mimando Baekhyun com carinho e tudo mais. Sorri com a imagem do rosado dando risadas gostosas por conta dos amigos que o davam carinho e elogiava como o bebê seria fofo. Realmente, se ele estiver grávido torço que seja um menino e que seja a cara dele, tudo em Baekhyun é bonito, seu sorriso, seu jeito, seus lábios, seu rostinho, suas manhas. Tudo nele é lindo.

Resumindo, nosso dia foi repleto de festa, os meninos sempre falavam como o novo membro da família seria bonito e fofo por conta dos pais serem lindos, gostei bastante do elogio dos meninos, mostra o quanto eles apoiam qualquer tipo de coisa que eu estiver envolvido. Mesmo conhecendo a pouco tempo o moreno, ele mostra ser uma pessoa confiável e que se pode contar os segredos mais importantes da sua vida. Me sinto tão feliz em tê-los na minha vida, antigamente era apenas eu e o Luhan, agora estamos com tanto integrantes em nossa família, que me sinto muito feliz em ter ido aquele abrigo encontrar o híbrido que eu nem ao menos vi na vida, mas que agora posso chamá-lo de appa do meu filho, ou melhor, meu namorado e quem sabe futuramente meu marido.

Quando anoiteceu, Kyung e Kai foram embora, porque segundo o menor, o moreno teria que ir trabalhar amanhã bem cedo. Mesmo que no outro dia fosse sábado, ele teria que fazer hora extra, Kyung não sabia o motivo, mas eu sabia que ele estava ganhando dinheiro para ter condições de pedir o híbrido em casamento. Luhan e Sehun ficaram no quarto de hóspedes da casa, até porque o loiro ainda não superou o trauma de entrar em seu próprio apartamento, acho meio estranho da parte do mesmo, porém apenas deixo de lado e o permito dormir em meu apartamento, aliás, é espaçoso, não tem nenhum problema em questão de tamanho.

Eu e Baekhyun dormimos normalmente, nada de mãos bobas ou algo do gênero, porque mesmo que tenhamos um filhote - Bom, é o que eu tô torcendo que seja, um bebê -, somos completamente estranhos, exemplo, Baekhyun é um híbrido que eu comprei de um abrigo a mais ou menos 3 dias atrás, ou até menos, não me recordo. Porém se for o caso de nos conhecermos melhor com o tempo eu até apoio, porém temos que ter meio que uma barreira que teremos que respeitar de alguma maneira.

Depois de alguns minutos conseguimos dormir tranquilamente. Baekhyun sempre me acordava de noite com os seus miados ou às vezes de seus roncos baixinhos, era normal do menor fazer algo desse gênero, já estava até mesmo acostumado.

~ 5 de março de 2016, 7:00 da manhã, sábado ~

P.O.V. KYUNGSOO

Amanheceu um dia bem chuvoso, as janelas estavam fechadas, mas o frio ainda emanava pelas frestas das portas do apartamento e também pelas pequenas aberturas que havia nas janelas, mas nada que um cobertor quentinho possa resolver algo desse gênero. Me mexi na cama e vi que Kai já não se encontrava mais ali, me lembrei que o maior teria hora extra hoje, o que me deixava um pouco triste e decepcionado por não poder passar o dia com o mais velho. Ele trabalha tanto que duvido até que esteja fazendo algo para mim, ou algo do gênero. Porém me pergunto o que deve ser para ser tão caro, exemplo, temos dinheiro para pagar as contas e a água, na verdade já estão em dia, mas ele sempre insisti em trabalhar mais pra juntar dinheiro, não sei o motivo, só sei que ele junta e nunca compra nada para si, sempre peço pra ele comprar uma calça nova, ou uma blusa, qualquer coisa que seja do seu agrado, mas ele sempre nega e fala que quer guardar dinheiro.

Me levantei da cama com o cobertor envolta de meu corpo, coloquei minhas pantufas que estavam embaixo da cama e segui em direção a cozinha, que na minha opinião, estava um gelo, pelo simples fato de Kai sempre deixar a janela aberta para entrar ar dentro de casa. Ele é louco, não está entrando ar, está entrando neve daqui a pouco, porque está tão frio que não consigo nem me movimentar direito. Só vim até aqui porque preciso me alimentar.

Abri a geladeira, para a minha infelicidade por conta desse frio, e peguei uma pequena jarra de suco natural que havia no local, peguei um copo que estava perto das louças limpas e despejei o suco dentro do mesmo, logo em seguida bebendo do líquido com o sabor de laranja, um dos meus favoritos. Fui em direção ao armários da casa e peguei um pequeno pacote que continha alguns pães de forma, tirei do saco e o comi puro mesmo, estava com tanta preguiça de fazer as coisas que duvido muito que eu limpe a casa nesse frio. Fui em direção a sala me jogando, praticamente, no sofá, peguei o controle remoto e liguei a pequena tv que havia no local, não estava passando nada, apenas estava passando algumas ofertas de perfumes e relógios, porém uma coisa que me chamou atenção foi o programa de culinária. Eu amo culinária, mas por conta de Kai não poderei fazer faculdade de gastronomia para seguir meu sonho de construir um restaurante para o povo provar minhas comidas, o moreno é egoísta demais para deixar eu pelo menos conhecer mais afundo da área, apenas quer saber de me colocar em uma faculdade de direito, porque segundo ele, isso vai ter dar dinheiro.

Deitei minha cabeça no braço do sofá e comecei a fechar os olhos no intuito de dormir só um pouco até o moreno chegar. Foi o que eu fiz, depois de alguns minutos já estava no mundo dos sonhos, apenas acordei com o barulho da porta sendo aberta, não fiz questão de olhar quem era, até porque eu tinha acabado de acordar, parecia que eu tinha dormido uma eternidade, mas na verdade eu tinha dormido apenas 2 ou 5 minutos - pelo menos é o que eu acho. Ouvi passos se aproximando do sofá, pela curiosidade abri meus olhos dando de cara com o moreno me encarando, dei um pequeno sorriso para o mesmo, mas não fui retribuído, o maior apenas se sentou na ponta do sofá e ficou passando as mãos sobres seus fios negros do cabelo. Me sentei no sofá e perguntei:

- Aconteceu alguma coisa meu amor? - cheguei um pouco mais perto do moreno e segurei uma de suas mãos que estavam em seu cabelo.

- Eu fui demitido, porque segundo o chefe eu estou falindo o restaurante por conta de tantas horas extras, o que acaba gerando um conflito com os funcionários que ficam falando que eu ganho mais, porém não me esforço tanto - falou se encostando no sofá e respirando fundo por conta do cansaço.

- E por que ele te despediu sendo que poderia despedir os outros funcionários por não trabalharem tanto? - perguntei passando minhas mãos em suas coxas fartas.

- Porque eles são a grande maioria e eu sou apenas 1% - falou dando um suspiro alto - Eu não sei mais o que eu faço, Kyung, tenho que arranjar um emprego rápido.

- Para de trabalhar tanto nas coisas, descanse um pouco, Kai, você está muito cansado - falei para o maior que deu mais um suspiro.

- Eu não posso, tenho que trabalhar para te sustentar, meu amor, eu preciso te sustentar - falou me olhando e segurando minhas bochechas com suas mãos média.

- Você apenas precisa ficar do meu lado e com a saúde boa, isso já será um grande alívio para mim - falei me aproximando de seus lábios apenas para dar um selo no local.

- Será que tem vaga de estagiário onde o Chanyeol trabalha? - perguntou mais para si do que para mim.

- Vamos parar de falar de trabalho e vamos pensar em nós dois, apenas eu e você Kai - falei me aproximando dos lábios do maior, o mesmo apenas cedeu os meus desejos e começou a beijar carinhosamente meus lábios como se não houvesse amanhã.

Mas logo cessamos por falta de ar, Kai me colocou em seu colo e comecei a distribuir vários selares em meu rosto e lábios. Fiquei apenas com meus braços envolta de seu pescoço aproveitando cada momento e cada toque, esperando por algo mais quente, porém não veio por conta da insegurança de me machucar novamente e porque estava com fome, o mesmo me olhou quando cessamos mais uma vez o beijo e falou:

- Não quero te machucar, Kyung, ainda mais que eu sei que você está com fome, já que já são 11:30 da manhã - fiquei confuso com a fala do maior.

- Achei que eu tinha dormido apenas uns 2 ou 5 minutos, não achei que dormir por tanto tempo assim - falei coçando meus olhos que insistam em arderem sempre que eu acordava.

- Você é gatinho preguiçoso, só foi ouvir a porta se abrir que acordou, mas mesmo assim não se levantou do sofá para me receber - falou depositando um selar molhado em minha clavícula.

- Hum…. Kai, vamos para o quarto, hm? - falei manhoso.

- Não gatinho, vamos comer - falou depositando mais um beijo em minha clavícula.

- Não quero comer, eu quero você, Kai - falei arrastado bem próximo do ouvido do mesmo.

- Gatinho… - o maior já estava perdendo sua sanidade e era isso que eu queria.

- Vamos, meu amor - comecei a rebolar no colo do maior vendo o mesmo se contorcer com os nossos membros que se encostavam.

- Mais tarde, Kyung - falou por fim dando um gemido sôfrego, por eu ter quicado em seu membro.

- Mas eu quero agora - falei começando a distribuir beijos pelo seu pescoço.

Não demorou muito até Kai me empurrar em direção ao sofá e a começar distribuir beijos pelo meu corpo inteiro, eu só sabia gemer com cada contado íntimo do mais velho, mesmo que tenhamos feito tantas vezes fico perdido em cada toque e carícia. Kai prendeu minhas mãos encima de minha cabeça e começou a beijar todo o meu corpo coberto pela blusa, porém logo foi tirada de meu corpo e jogada para algum canto qualquer da sala, porém Kai se levantou do sofá e foi em direção a blusa novamente a trazendo para perto de mim. O mesmo se sentou em meu colo e colocou a blusa em meus pulsos, logo os prendendo fazendo eu ficar impossibilitado de tocar em si. O moreno começou a beijar minha barriga e depois meu peitoral, logo começando a sugar meu mamilo fazendo eu dar um gemido sôfrego...

Poderíamos ter continuado, mas alguém começou a bater na porta desesperado. Kai tirou prontamente minha blusa de meus pulsos e mandou eu colocá-la novamente, bufei um pouco irritado por terem atrapalhado nosso momento. Logo quando o moreno abriu a porta vimos Baekhyun correndo vindo para cima do sofá de nossa casa, o mesmo estava pulando que nem bobo, porém logo foi reprendido por Chanyeol que se encontrava na entrada do apartamento, o mesmo entrou e falou para o híbrido se aquetar.

Depois de toda essa cena toda começamos a conversar, disseram também que irão se conhecer melhor, quanto mais tempo para se conhecerem, melhor. Kai apenas ria da empolgação do outro, mas quem queria estar desta forma era eu, saber que tem uma vida em sua barriga era tão bizarro, mas ao mesmo tempo adorável, porque pelo menos uma vez na vida você se vê importante com tal coisa, horas, vocês estará dando vida a um ser humano, tem coisa melhor do que isso. Porém Kai sempre nega ter filhos tão cedo, me deixa um pouco chatiado esse assunto, não que eu seja tão dramático e ache que ele apenas não me quer, porque se fosse por isso ele já teria me batido e me estrupado a tempo, porém o moreno apenas está ajeitando as coisas, estamos apenas tendo a experiência de duas pessoas morando junto, como se fossem marido e mulher, mas que no caso seria marido e homem, porque querendo ou não eu sou homem.

Depois de alguns minutos começamos a ir para cozinha, Kai estava pronto para preparar algo para comer, mas o impedi:

- Deixa que eu faço - falei já pegando a panela de suas mãos.

- Nada disso, Kyung, você vai se machucar - falou pegando novamente a panela.

- Por favor, deixa pelo menos uma vez? - fiz biquinho para que o maior deixasse.

- Não, meu amor, não quero que você se machuque - falou afastando a panela de mim.

- Então eu não quero comer hoje - falei me virando em direção a sala.

- Kyung - falou o moreno logo atrás tentando fazer que eu voltasse para cozinha.

Fui em direção ao quarto e fechei a porta com uma força absurda, a grande diferença minha com os outros híbridos é que eles são bem sensíveis, mas quando eu estou nervoso tenho vontade de quebrar tudo ao meu redor. Ultimamente isso tem piorado, mas eu não seria capaz de quebrar o rostinho lindo do moreno, então desconto essa raiva nas coisas do nosso quarto, na verdade eu fico apertando as coisas até quebrar, às vezes da alguns prejuízos para o Kai, mas tudo que eu já quebrei aqui foi porque ele não queria me dar algo, ou deixar eu fazer algo. O moreno me priva de tudo, até de lavar a louça do almoço, isso me deixa realmente bravo.

Peguei tudo o que vi pela frente e fiquei jogando para todo o canto do quarto, era a única maneira de me acalmar, mesmo sabendo que tinha visitas em casa e que provavelmente estavam ouvindo. Logo a porta foi aberta em um estrondo, não pensei duas vezes em jogar o tênis que estava em minha mão no moreno, porém percebi que não era o mesmo, também notei que o tênis pegou bem no braço da pessoa, Baekhyun deu dois passos para trás por conta da dor. Fiquei estático por um momento, porém quando ouvi um fungado de sua parte me aproximei mais que imediato. Abaixei para tocar sem braço, até porque o mesmo estava sentado no chão segurando seu braço. Toquei de leve, porém o mesmo deu um gemido de dor, fiquei um pouco desesperado, se Kai descobrisse iria brigar comigo por eu ter machucado o mais velho, eu não sei como o Chanyeol iria reagir, mas provavelmente ficaria chatiado. Fiquei alguns minutos encarando o híbrido que fazia careta por conta da dor, então acabei por perguntar:

- Está doendo muito? - o mesmo assentiu e deitou sua cabeça em meu ombro.

Peguei o híbrido no colo, mesmo que ele fosse pesado e provavelmente eu teria dores pelo corpo mais tarde, além de eu estar parecendo uma formiga carregando uma bala bem pesada. Chegamos na sala com muita dificuldade, sentei Baekhyun no sofá e falei que iria chamar os meninos. Fui até a cozinha e vi os dois conversando animadamente, quando seus olhos bateram em mim ficaram um pouco assustados, porém apenas perguntaram:

- O que aconteceu? - os dois perguntaram ao mesmo tempo.

- Eu acho que machuquei o Baek - falei baixo, fazendo com que os dois ficassem com um pingo de preocupação.

Chanyeol se levantou da cadeira, porém parei em sua frente e falei:

- Não foi por querer, eu juro - falei com uma voz de choro, na verdade eu estava prendendo o choro.

- Tudo bem gatinho, só deixa eu ver se ele está bem - falou passando por mim e indo em direção ao sofá onde se encontrava um gatinho todo choroso.

       Chanyeol se aproximou do mesmo e perguntou se estava doendo muito, Baekhyun assentiu mais uma vez e fez um biquinho por conta da dor. Kai ficou atrás de mim vendo tudo, mas eu sei que ele não estava olhando só para os dois citados na sala, estava mais olhando para mim do que para o restante. Chanyeol se levantou do sofá e falou que iria levar Baekhyun para o hospital, Kai falou que iria junto levar os dois, eu até tentei pedir para ir junto, mas o olhar que o moreno me olhou já dizia que eu deveria ficar e pensar nos meus erros. Então apenas abaixei a cabeça e fiquei sem expressão alguma no rosto, esperando a porta bater deduzindo que os mesmos tinham ido embora, logo foi ouvida. Olhei para cima para ver se Kai tinha ficado, mas apenas vi que o lugar estava vazio assim como de manhã. Me sentei no sofá e fiquei esperando o mais velho chegar, já estava preparado para a bronca que levaria do mesmo...


Notas Finais


É isso meus amores. Espero que tenham gostado, até o próximo, Chu 😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...