História Hicstrid - Uma nova historia - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Como Treinar o seu Dragão
Personagens Astrid, Banguela, Soluço
Tags Como Treinar Seu Dragão, Hiccstrid
Visualizações 209
Palavras 2.381
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, desculpa pelos 15 dias sem postar. Mas ou eu arrumava o computador ou eu perdia tudo que estava escrito . Agradeço a paciência e espero que continuem lendo e comentando. Quem não comenta, por favor deixe a sua opinião porque isso me ajuda muito.
espero que gostem ..., Bjs Bia

Capítulo 12 - Doente


Autora
Stoico depois de ouvir o que eles falaram, ficou pensando, que talvez estivessem com a razão, não teria motivo para atacar, se não fosse por comida e porque dragões tinham medo de se machucarem, pois já sofreram anos antes. Astrid e Soluço, no momento que ele pensava estavam aflitos, com medo do que iria ser dito e decidido. Se sentaram esperando e não muito depois Stoico se virou ainda com um olhar serio e bravo.

- o que estão me dizendo certamente é um absurdo. Os dragões mataram muitas pessoas e querer mudar isso é uma missão suicida. Mas como vikings são assim, loucos a ponto de correr tal risco, eu desafio a vocês me provarem que eu estou errado. Que eles podem ser- ele passou um pouco confuso- confiáveis. Me convençam e convenceram o resto de Berk. Caso contrario seu dragão nos levará ao covil do líder e terminaremos essa guerra matando o líder.

A resposta que se foi ouvida dele, não era a esperada por eles, pois eles esperavam o pior, e quando ouviram o que o Viking tão destemido e teimoso disse, se surpreenderam e logo começaram a falar de diversas ideias de como fazer isso acontecer. Ficaram ali horas e horas conversando, Stoico se retirou e a conversa continuou ate ambos estarem praticamente babando em esboços de planos feitos.  Combinaram entre si que esperariam as provas da faculdade acabar e começaria colocar os esboços em ação.

Nesta semana de provas, eles quase não se viam pois era direto das provas para treinos agora específicos para a área que eles desejavam e a noite estavam cansados de estudar e planejar o que seria feito nos dias que ainda estavam para chegar. Quando o fim de semana finalmente veio eles se sentiam aliviados pois em alguns dias as férias estariam perto. Banguela neste meio tempo se sentiu solitário,já que não podia voar sozinho ainda e eles estavam nesta situação.

A ultima prova foi feita e o sinal do treino acabou e eles finalmente puderam voltar para suas casas, mas não foi isso que aconteceu. Ambos inconscientemente pensaram em acabar visitando o Banguela e em quanto um chegava de um lado, o outro estava no oposto. Não perceberam a chegada um do outro e gritaram juntos
- BANGUELA. – o dragão que antes estava desanimado, não sabia quem ver primeiro. Acabou indo para o lado do Soluço pois foi quem primeiro conheceu. Soluço estava tão entretido que não percebeu ainda a presença da sua namorada. Só foi perceber quando o Banguela deixou e foi lambe-la e ganhar carinho

- Adtrid- sorrio- parece que pensamos a mesma coisa não é?

Esta sorrio e foi caminhando ate o mesmo ainda sorrindo

- talvez. Estava com saudades de suas ironias já. Essas provas nos separaram mais do que uma bronca de seu pai- os dois riram, pois sabia que as broncas que era para o ruivo levar ele acabava escapando ou fugindo.

Ele acabou com o espaço que os separava e a puxou dando um beijo nela, com fogo pois as únicas coisas que não saíram da cabeça deste viking foi as provas e uma certa pessoa com os olhos tao azuis profundo quanto o mar. Ela também não facilitou e passeava com suas mãos nos cabelos e peito do namorado aprofundando mais o beijo, que logo se separaram para tomar mais folego. Ele beijava ela com fogo mas delicadamente, puxando seu lábio e mordendo um pouco ouvindo pequenos gemidos dela. Quando eles se separaram encostaram as testas e se abraçaram, depois ficando com as testas juntas  respirando um ao outro.

- não via a hora de poder fazer isso- ele sussurrou no ouvido dela mordendo levemente

- também estava assim. A única coisa que me convencia a não ir atrás disso era as provas que estavam me deixando loca. Mas não quero falar disso

- bom então o que acha de um passeio antes de comermos para esquecer um pouco das coisas- falou acariciando o rosto dela que logo ficou triste pensando no ultimo voo e as “consequências” que teve depois.
- eu acho que vou deixar para outra hora, mas podem ir se divertir. Eu fico aqui e depois comemos juntos, que tal?- perguntou com um sorriso fraco que fez Soluço negar com a cabeça
- não gosto quando fala isso , já falamos que o que aconteceu...
- eu sei – ela saiu dos braços dele se virando para Banguela que atacava as sextas trazidos por ela – mas não quero fazer isso ate conseguirmos convencer seu pai sabe?- ele suspirou e a abraçou por trás

- e se você arranjasse um dragão ? Assim ele te daria confiança , pois sem isso ele não vai permitir que você seja amiga dela, ou dele.

Ela se virou animada- você acha que poderíamos fazer isso? – falou sorrindo ainda mais cogitando a ideia
-não tenho duvida, mas terá que montar em Banguela e comigo , tudo bem? –e ele disse acariciando o braço dela

- não poderia estar melhor. – disse socando o braço dele de brincadeira

Os três foram voando para uma ilha não muito longe o qual era habitada somente por dragões e desceram em duvidar por onde começar. Foram olhando cada dragão percebendo a diferença de cada classe que era explicada por Soluço. Depois de rodarem e analisarem ela se encantou quando achou aquele mesmo dragão que supostamente quase atacou Mel.

Não precisou de muitos esforços pois o próprio dragão reconheceu ela pelo cheiro, e foi ai que Soluço percebeu que era uma fêmea. Astrid logo criou uma amizade com ela e a chamou de Tempestades, pois suas cores lembravam os céus e os traços amarelos lembravam raios. Ela ficou meio receosa em montar pois não tinha cela e ela só se conheciam um dia, mas acabou confiança na marra quando a própria dragão a colocou em si e levantando voo que logo foi alcançado pelos seus dois parceiros.

Os dragões já se conheciam e seus donos resolveram apostar corrida que acabou levando o dia deles, pois acabaram indo mais longe do que as fronteiras que era permitido. Ao voltarem já tinham uma ideia de como poderiam demonstrar isso para Stoico, ele iria achar seu dragão e iria voar em um. O problema seria que teria que fazer isso na frente de mais pessoas , e os dragões poderia se irritar, mas isso se dava um jeito.

Voltaram para Berk sorrindo em meio a brincadeiras e se assustaram quando ao voltarem Stoico já tinha preparado a arena e a demonstração seria feito ali, em poucas horas.

Astrid

Não tivemos tempo para imaginar que isso poderia acontecer. Comecei a me preocupar pois Soluço conhecia dragões mas não demonstraria com Banguela, mostraria com um dos dragões que foram capturados em um dos ataques, um Pesadelo Monstruoso. Fiquei totalmente apreensiva com a ideia e combinamos que caso ele precisasse de ajuda eu estaria perto da entrada para ajuda-lo.

O que eu não esperava é mesmo o dragão muito assustado e raivoso por ter ficado preso e com os barulhos ali presentes , Soluço conseguiu demonstrar que podia fazer tal coisa sem arma alguma. O Pesadelo que antes estava em chamas , agora estava com a cabeça baixa recebendo carinho de Soluço. Todos que assistiam estavam de boca aberta e Stoico resolveu tentar fazer isso também. Tirou todas as armas que levava com sigo e foi se aproximando do dragão. Aos comando de Soluço foi se aproximando e acariciou o dragão que abaixou a cabeça demonstrando respeito e que não iria machucar ninguém ali. Quando uma multidão começou a se formar , ele foi solto e achei triste que ele estava tão assustado que ficou perdido de para onde poderia correr ou no caso voar.

A multidão que os cercavam era grande e quando esta se dissipou conseguir ir dar um abraço em meu namorado

- você conseguiu seu cabeça de iaque – ele me abraçou e me girou

- vamos mostrar a todos que é possível ter uma boa convivência e esta guerra vai acabar.

Sentia que seu abraço estava mais forte, mas não de um jeito ruim , mas de um jeito protetor. Tanto que quando me soltou pois Stoico queria falar com ele, senti falta dele .

- me desculpe filho, eu errei e quero realmente tentar  fazer desta ideia possível. Mas caso alguma coisa de errada, você sabe as consequências não é

- sim pai

- perfeito. Amanha quero conhecer o seu dragão, tudo bem?

- serio ? VOCE REALMENTE ESTA ACEITANDO – ele falou mais para si do que para Stoico e eu coloquei a mão na  boca para não rir.

- espero não ficar desapontado- e saiu e Soluço pegou e me abraçou falando que conseguimos. Fiquei envergonhada pois não era comum darmos demonstrações de afeto onde se tinha muitas pessoas, mas estava tão feliz que não liguei para isso desta vez . Fomos ´para minha casa porem no caminho encontramos a mulher que cuidava de Mel muito preocupada e chorando

- ei o que esta acontecendo ?? Por que esta chorando??

- A Melissa não esta nada bem Hofferson , eu não sei mais o que fazer , por favor você pode...- mas eu nem terminei de ouvir a frase e já falei

- me leve ate ela, agora por favor.

Entrei na casa dela e fui ao quarto que ela estava. Quando a encontrei ela estava fraca e pálida.
- oi neném, o que você esta sentindo?- perguntei preocupada.
- minha barriga doi tia Asty, e ta com muito frio.- cheguei mais perto e percebi que ela estava com febre. A peguei no colo já pensando nas doenças que tinham alguns desses sintomas, mas nenhum me veio a cabeça. Já estava descendo as escadas quando vi Soluço ali, me olhando preocupado

- como ela está?- perguntou tentando me acalmar

- acho que esta doente, mas não tenho ideia de que doença pode ser .

- vai ficar tudo certo. Vamos perguntar qual foi a ultima coisa que ela comeu e vamos procurar ajuda da Gothi e suas ajudantes.

Fomos ate a moça que estava cuidando dela, que nos informou que ela junto com um grupo de crianças tinha ido passear, ela não chegou a comer depois que voltou e logo começou a passar mal. Não foi muito útil o que ela disse, então procuramos uma das crianças que estava com ela. Ficamos informados que ela tinha mexido em algumas plantas e tomou mama.

Assim que ele falou o nome das plantas corremos ate as curandeiras porque ela tinha mexido com algumas ervas que são venenosas. Entreguei a Mel para uma jovem chamada Annika, que disse que examinar e dar algum antidoto para ela.

Horas se passaram e eu ficava mais aflita. Soluço tentava me distrair mais não estava ajudando muito. Acabei dormindo um tempo depois apoiada em seu peito e fui acordada por caricias ainda meio zonza

- Asty, a Annika quer falar com você. Vem, você precisar acordar.

Levantei mais desperta e os acompanhei ate uma sala onde estava ela e algumas poucas crianças que tinham se machucado em algum ataque ou na escola. Ela estava nas ultimas caminhas de la encolhida com uns 2 cobertores de ovelha

- a noticia que tenho que falar não é uma das melhores. Demos 3 tipos de remédio para ela, para combater o veneno, esperamos resultado e não ocorreu nenhuma diferença. Ela ficava boa durante algumas horas, porem assim que o efeito passava ela voltava a ficar mal. Agora ela tomou uma espécie de tranquilizante onde o organismo vai funcionar direito mas precisamos do sangue de algum parente dela, para esse antidoto. Por isso os chamei. Para ela não morrer precisamos de algum parente. Vocês conhecem algum ?

Aquilo foi como uma facada. A mãe dela tinha morrido, junto com o resto da família. Que eu saiba não tinha mais ninguém na ilha que fosse sua parente e por mais que eu quisesse dar um pouco do meu sangue para ela não ia adiantar .

As lagrimas começaram a rolar sem eu perceber e só me dei conta disso quando senti os braços de Soluço em volta de mim me abraçando

- eiii, nos vamos dar um jeito . Deve ter outro jeito dela ficar bem- ele falou acariciando meus cabelos e costas

- a mãe e pai dela morreu Soluço, não tem nenhum parente dela...

- nesta ilha. Talvez algum saiba da onde ela veio e podemos ir atrás da família dela. O que me diz?- ele falou ainda me abraçando. Olhei para ele já não chorando tanto

- você acha que conseguimos? – ele fazia carinho em meu rosto

- sim. Mas teremos que ir com Tempestade e Banguela, se não demoraremos muito.

Assenti e falamos para Annika que voltaríamos mais tarde para levar ela a outra ilha. Fomos atrás do livro dos registros aqui de Berk ,porem estava com Stoico . Fomos falar com ele, e eu jurava que ele ia negar, mas ele permitiu e ate perguntou para outros sobre a família dela. Quando ele entendeu nossa ideia ficou apreensivo e relutante no começo, quando percebeu o quanto isso seria importante tanto para mim quanto para seu filho nos permitiu dando uma previsão de volta de não mais que 2 semanas ( já que ele achava que iriamos de barco).

Saímos de lá com o mapa de uma ilha chamada  Matamata , e aparentemente não era muito longe. Em um dia/ dois chegaríamos lá. Arrumamos nossas malas a noite e fui ate a casa onde ela estava para pegar as roupas da Mel. Soluço durante tudo isso me ajudou e no final na noite me acompanhou ate em casa .

- esta entregue. – ele parrou encostando na porta- te certeza que quer fazer isso?

- sim – abaixei meu olhar- não quero que ninguém mais morra. Eu não aguentaria se ela se fosse também.

Ele me puxou e me abraçou. – eu já peguei o resto do antídoto para prepararmos na outra ilha. Vai dar tudo certo. Agora descanse que o dia foi puxado

Ele me beijou e foi para a cozinha , comi um pouco , me banhei e cai na cama pensando em como seria amanhã. Logo então cai no sonho imaginando em como é voar sem restrições nenhuma. 


Notas Finais


E ai o que achara? Peço ajuda para o nome de dois parentes , homem e mulher. Sou péssima com isso de nomes. Digam o que acharam nos comentários e serio por favor opções de nomes!!!
Bjss e ate o proximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...