História Hidden - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford
Exibições 21
Palavras 1.596
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ahhhhh aposto que não esperavam outro capítulos nas próximas 24 hrs né! ahahhahaahh boa leitura

Capítulo 8 - Capítulo Oito


Eu devia ter feito uma cara muito engraçada porque minha tia ficou rindo e Luke me olhava com um sorriso bobo pelo retrovisor. Cara o que eu falo?? To na merda 

Tia... hã... eu e Luke somos apenas amigos. A senhora sabe disso. - eu dizia pausadamente pra dar fim ao assunto, mas falhei feio.

- É verdade tia - Luke começou - A Lou gosta de mim só como amigo. - ele disse de modo atrevido e piscou pra mim. Gente como assim? É  o que? Como esse lindo desgraçado tem coragem de dizer isso? Insinuando que gosta de mim e que não é correspondido, parecendo E U! CARALHO O MICHAEL DISSE PRA ELE. 

Sabe na minha época da faculdade eu tinha um casal de amigos como vocês dois são hoje. - minha tia começou a conta a historia mas minha mente, e coração, estavam em estado de euforia pelo o que Luke tinha dito - Eles viviam dizendo pra todo mundo que eram apenas amigos e como ninguém era cego, ninguém acreditava. - ela disse rindo e arrancando um sorriso da boca de Luke. - Eles já estão casados a mais de trinta anos.

- E como eles perceberam que se gostavam mais que amigos? - Luke perguntou e eu tentei o máximo não olhar para o retrovisor e ver seu olha sobre mim. Sentia que estava me encarando. 

- Eu não me lembro na verdade. Mas foi muito tempo pra eles perceberem, muitos anos. - ela deu ênfase no muitos. 

- Viu ai Louise, nós já somos amigos á mais de seis anos, ainda da tempo de você me aceitar. - Luke disse num tom brincalhão, e apesar de estar nervosa eu ri e minha tia também. 

- Eu ainda estou pensando no seu caso bonitão. - disse entrando na brincadeira e dando uma piscadela pra ele. E depois disso meu nervosismo foi embora. Chegamos ao restaurante italiano e nós três pedimos massa. Eu e minha tia pedimos o mesmo macarrão á bolonhesa, já Luke pediu um com molho branco. Conversa foi, conversa vem. A comida chegou e ''comemos'', comemos entre aspas porque Luke mal deixava minha tia engolir a comida que ficava fazendo gracinhas e contando as piadas mais ruins que já ouvi na minha all life, mas acabei rindo dele. Dele, não das piadas. O tempo voou e eu estava mais que feliz por ver minha tia sorrindo tanto e interagindo com outras pessoas. Depois que terminamos de comer nós fomos a um parque que tinha perto dali, compramos sorvete e decidimos subir pra um tipo encosta com uma árvore bem grande. Mas minha tia preferiu ficar no banco perto do carro de sorvete, e concordei, afinal era uma subida que exigia um pouco de esforço e a minha tia apesar de ser nova não tinha uma saúde tão favorável.

Quando estávamos subindo eu me desequilibrei e quase cai mas Luke me segurou pela cintura. AMDS Quado chegamos no pico a primeira coisa que fiz foi me deitar no chão e ofegava tentando recuperar o fôlego. Eu nunca fui essas garotas que se exercitam então passava mal com qualquer pequeno exercício físico. Luke se deitou do meu lado e ficamos em silêncio observando as nuvens. 

- Olha lá aquela parece uma chaminé acessa. - Luke observou e apontou para seu lado o norte. Eu sorri, parecia mesmo.

-  Aquela parece um tipo de rato dragão. - disse apontando pra onde estava a chaminé 

- Eu acho que se parece mais á um cachorro. - ele disse e depois sorriu pra mim, eu sorri do seu sorriso. Ficamos em silêncio de novo. Eu observei que na imensa árvore que estava sobre nós um ninho de pássaro. Apesar de não ter visto nada eu imaginei um mãe passarinha alimentando seus filhotinhos, os mesmo aprendendo a voar. Sorri com a ideia de presenciar tudo isso. Quando me virei pra falar isso pra Luke, ele estava tão perto que pude sentir seu aroma invadindo minhas narinas. 

O que aconteceu em seguida foi tão súbito que mesmo se estivesse em plena sã consciência e com meus batimentos cardíacos em estado normal não poderia descrever. Luke estava mesmo me beijando. Ali. Naquele exato momento. No começo foi só um selinho bem demorado mas depois ele colocou suas mãos na minha nuca e aprofundou o beijo. Me puxou mais pra perto e enfiou sua língua na minha boca. E eu, claro, correspondi a tudo aquilo colocando minha mão no seu ombro e depois passando para a sua nuca e puxando de leve seus cabelos tão macios. Eu não sei quantos minutos aquilo durou, mas eu acho que foram alguns longos. Quando paramos o beijo por falta de ar Luke estava quase em cima de mim e com umas das mãos segurando forte minha cintura. Eu fiquei encarando aqueles olhos azuis brilhantes. 

- Eu... hã... eu acho melhor nós irmos. Hã... ta ficando meio tarde e sua tia pode estar cansada... er... então vamos. - ele disse todo atrapalhado com a maior cara de pau que eu já presenciei e se levante de cima de mim. Eu estava tão perdida, não conseguia entender o que tinha acabado de acontecer. Luke tinha me beijado, me beijado pra valer, e estava agindo como se nada estivesse acontecendo. Qual era o problema dele? Por que diabos de motivos ele tinha me beijado? Beijou e por que não disse nada a respeito? Até um ''Foi mal ai, tava só querendo testar um negócio'', mas não! Ele não fez merda nenhuma! N A D A! Eu tive a expectativa de que depois de deixarmos minha tia em casa e estarmos sozinhos ele iria falar alguma coisa mas não! Ele simplesmente me deu tchau e seguiu seu rumo me deixando ir sozinha pra minha casa. 

Mas que merda! Por que ele fez isso? E eu burra fui lá e correspondi, faltei abrir as pernas pra ele lá no meio do parque! Meu Deus como eu sou burra! Desgraçado oxigenado de uma figa, magricelo, idiota, sonso mongo... Enquanto xingava Luke de todos os nomes possíveis caminhava com uma cara furiosa pra minha casa. Quando cheguei meus pais estavam na sala discutindo algo a respeito de uma filial. Perguntaram como havia sido na casa de minha tia. Fingi um dos meus melhores sorrisos e contei como ela havia se divertido e que comemos macarrão. Depois subi para o meu quarto e fui mexer no meu celular. Pensei em mandar uma mensagem para Dani e contar os acontecimentos mas eu preferi trocar de roupa e dormir.

 

[...]

6:03

Eu não estava nem um pouco afim de enfrentar uma segunda-feira depois dos atuais acontecimentos e ainda mais com duas aulas de inglês. Eu pensei em implorar para a minha mãe me deixar ficar em casa, mas decidi que era mais fácil ignorar Luke, Alex e qualquer outr pessoa pelo dia inteiro do que explicar para a minha mãe o que tinha acontecido no passeio de ontem. Ainda mais depois da nossa conversa em que ela me aconselhou a esquecer o Luke e seguir em frente, e eu fui lá e beijei o garoto. Nossa ela ficaria tão orgulhosa de mim. Sentiu a ironia? Espero que sim. Decidi me levantar e me arrumar com pressa. (1) Enquanto meus pais me levavam para a escola e me perguntaram se eu queria ir em uma confraternização que iria ter em uma filial vizinha e eu disse que iria pensar. Normalmente essas confraternização só tem velhos chatos e funcionários enchendo a cara de champanhe e eu sempre ficava isolada num canto com meu celular. 

Quando cheguei na escola fiz questão de entrar pelos fundos da escola e ir direto pra minha sala. Sentei no meu lugar de sempre e orei para que Luke não fosse tão cara de pau e não viesse a escola hoje. Mas para a minha infelicidade ele veio e pra piorar estava com uma sonsa monga nos braços. Mas que filho da puta! Ele estava lá todo sorridente e fingindo que nada estivesse acontecido. Passou por minha mesa deu um sorriso malandro e disse um oi, e eu, óbvio, o ignorei completamente. No decorrer do dia meus amigos ficavam perguntando por que estava tão calada e em todas as vezes eu dizia que era nada, só estava com sono. Só que a minha paciência se foi quando estávamos todos sentados na cantina esperando o último horário acabar por que o professor tinha faltado e a sonsa monga que eu nem sequer sabia o nome soltou na rodinha:

- Você é sempre assim? - ela perguntou me olhando com uma cara de esnobe. Meu fiozinho de paciência estava quase se rompendo.

- Assim como fofa? - disse sorrindo sínicamente demonstrando minha impaciência com aquilo tudo.

- Assim! Cara fechada, toda na sua e mal amada. - ela disse 

- O que você disse vagabunda? - eu disse alto e todos me olhavam com cara de susto. - Eu fico na minha porque eu prefiro ser uma garota mais reservada do que uma puta que fica dando pra qualquer que nem você mas não sabe converter mL pra L. -  disse com raiva e me levantando e andando em direção qualquer. Não queria olhar mais pra cara de ninguém. Senti que estava sendo seguida, quando olhei pra trás estava Ashton com cara de tacho.

- Louise o que foi aquilo? Ta tudo bem com você? - ele perguntou preocupado, mas eu estava com tanta raiva 

- Pergunta pro filho da puta do Luke. - disse simplesmente e fui embora. 


Notas Finais


(1) https://www.polyvore.com/sem_t%C3%ADtulo_176/set?id=145554787

AAHHHH BEIJO MADUKE, ''BRIGA'' MADUKE!!! TO FICANDO LOUKA COM ESSA FIC!
Enfim o Luke ta agindo como um belo fpd né ... mas dps ele vai se explicar. espero q tenham gostado e comentemmm pfvvv
xxxxxxx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...