História Hidden Sides - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Assassinato, Bangtan Boys, Jungkook, Psicopata
Exibições 212
Palavras 1.024
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, como vão?
Essa é minha nova fanfic, e é sobre psicopatas como já devem ter percebido. É inspirada na série 'Dexter'. (Não totalmente, então não contem que tudo será exatamente como a série, ok?)
Desculpem qualquer erro ortográfico.
ALGUNS AVISOS;
* Essa fanfic vai ser movida a comentários, então se gostou, comente. (Desculpem, único jeito de saber se estão ou não gostando da fanfic :()
* Vou tentar postar três vezes por semana.
* Não vai existir metas para os comentários.
* E se não gostou, comente também pra eu melhorar.
Boa leitura

Capítulo 1 - Prologue.


 

Essa foi a noite. E agora eu estou aqui no meu barco, procurando uma corrente marítima segura pra poder jogar o resto da minha diversão. Ele era um pedófilo, abusava dos próprios filhos. O que mais me deixou com raiva foi o fato de que, perante a sociedade, ele era um politico honesto e respeitado. Foi realmente hilário, mostrar as fotos de todos os meninos que ele abusou e matou, foi mais hilário ainda, passar minha faca preferida pelo pescoço dele. Ele era um homem grande, então foi bem complicado despedaçar ele. Demorou umas duas horas, logo depois disso, ele já estava dentro dos meus amados sacos de lixo. Tirando essa lembranças da cabeça, olhei no sensor e já havia chegado a uma corrente segura. Desliguei o motor, e com dificuldade consegui jogar todos os sacos no mar. Cheguei a superfície, fiz todos os procedimentos com o barco e fui pra casa.

Geralmente uma pessoa normal iria dormir, mas eu não sinto muito sono depois que mato alguém, talvez porque eu fico empolgada, não sei.

Me deitei no sofá e não conseguia controlar minhas risadas lembrando de como foi divertido matar ele. Fiquei alguns minutos assim, até que meu celular apitou, era uma mensagem do Kayami, um japonês que trabalhava comigo no departamento de homicídios. Sim, eu sou uma perita, viu como eu manipulo as pessoas bem?

Mensagem On

A tenente quer todos no departamento até as 5 am . Disse que é importante. 

Mensagem Off

Li a mensagem e parei de sorrir. Fui até o banheiro, tomei uma ducha rápida e troquei de roupa. Odeio o fato de ter que usar essa roupas mais serias, mas é necessário. Ajeitei meu cabelo, peguei as chaves do meu carro e fui.

Cheguei e todos estavam lá.
 

- Bom dia, Brooke - Kayami veio se sentar ao meu lado

 - Bom dia, Kayami. O que houve?

 - Não sei, vamos saber agora - ele apontou para a Tenente LaGuerta que estava na frente.

 - Bom dia pessoal - ela iniciou - Todos nós sabemos que nós sofremos desfalques na equipe. Então, contratamos um perito daqui da Coréia mesmo para trabalhar conosco, venha se apresentar Jungkook.

Um garoto se levantou e foi até lá na frente. Ele era bonito, confesso. Tem cara de ser aqueles idiotas que iludem garotas mais idiotas ainda.

Ele olhou diretamente para mim e deu um sorrisinho... irônico? 

 - Bom, meu nome é Jeon JungKook e eu vou trabalhar com vocês agora.

Ele só disse isso e voltou a se sentar. LaGuerta foi lá pra frente novamente e começou a falar sobre algo que não prestei atenção.

 - Bem, o Jungkook terá que ficar com alguém até se adaptar, alguém como voluntario?

TODAS as meninas levantaram a mão, desde as mais novas as idosas, menos eu.
 

- Ótimo - Laguerta disse incomodada - Acho que o Jungkook pode ficar com a Brooke. - Não, comigo não  - Tudo bem Jungkook?
 

- Claro - o filho da puta respondeu sorrindo.
 

- Todos podem ir trabalhar, Brooke e Jungkook ficam.

A sala se esvaziou rapidamente e só restaram eu, Tenente LaGuerta e o tal de Jungkook.

 - Jungkook, Brooke é nossa especialista em sangue, e ainda é boa em todas as outras áreas de investigação. Creio que vocês tem muito a aprender um com o outro. Agora vou sair. Conversem. - ela saiu da sala

 - Jeon Jungkook- ele estendeu a mão
 

- Brooke Audrey - apertei a mão dele.

Kayami entrou na sala ofegante, viu que estávamos dando um aperto de mão, e deu um sorriso malicioso pra mim.
 

-Homicídio na Daegu, vamos.

Nós saímos e fomos até o local do homicídio. Cada um em seu carro. E eu fui me amaldiçoando o caminho todo. Eu mal consigo me controlar direito perto das pessoas que convivo há 3 anos, imagina agora, trabalhando com um novato que tem cara de ser daqueles garotos petulantes e marrentos?

Cheguei lá, desci do meu carro e coloquei meu óculos de sol. Por falar em sol, estava um calor dos infernos.

Me dirigi até onde estava uma multidão, mostrei meu distintivo pro policial que estava contendo toda aquela gente e passei por baixo da faixa de isolamento.

Vi Kayami e Taeyong ajoelhados e então fui ver o que era.

Quando vi, a unica coisa que consegui falar foi:
 

- Mas que diabos..?

Vou descrever a cena exatamente como está: o corpo de uma mulher, esquartejado, porém todos os pedaços estavam montados e embalados em plastico, e o que mais me intrigou, sem sangue.

 - Sem sangue nenhum, nunca vi isso - Kayami se pronunciou 

Eu me virei e dei alguns passos pra ir embora.

 - Onde vai? - Richard perguntou
 

- Sem sangue, sem trabalho. - sai de lá o mais rápido possível.

Eu fui andando até o meu carro e pensando. Como pode? Sem nenhuma gota de sangue, nunca vi um corpo tão conservado assim. Como pode? Isso é tão..... Genial. Como eu não pensei nisso antes?


                                           P.O.V Jungkook

Por que eu havia prestado tanta atenção naquela garota? Loira, olhos verdes, magra. Totalmente o contrário do padrão da Coréia do Sul. O perfil totalmente oposto de garotas por quais me interesso. 

Me interesso pra matar, é claro. 

A tenente ainda me deixou pra trabalhar com ela. Pode isso? Logo fomos pra uma cena de crime e eu fiquei mais intrigado ainda. Um corpo sem sangue, sem nada de sangue. Vi que Brooke estava indignada, só que de uma forma diferente de todos. De uma forma igual a minha. 

Fui procurar ela e a vi conversando com um homem, fui até lá.
 

- Acho que devemos ir ao laboratório - cheguei interrompendo a conversa.
 

- Ok - ela se virou e respondeu -  Tchau Jaebum.

 - Tchau maninha. - o homem respondeu.

As chaces dela ser uma assassinada diminuiu quase pela metade. Geralmente assassinos são sozinhos, não tem família nem nada.
     

        (... )
 

- Era seu irmão?  - nós já estávamos no laboratório.

 - Consideração, eu sou adotada. - ela respondeu friamente.

É Brooke Audrey, parece que suas chances subiram de novo. Será que achei alguém igual a mim?
 


Notas Finais


ALGUNS AVISOS; (n o v a m e n t e)
* Essa fanfic vai ser movida a comentários, então se gostou, comente.
* Não vai existir metas para os comentários.
* E se não gostou, comente também pra mim melhorar.
Então, ta ficando boa? Posso continuar?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...