História High School Lucis Caelum - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~joyeduh

Postado
Categorias Assassin's Creed, Death Note, Devil May Cry, Far Cry, Final Fantasy VII, Final Fantasy XV, Gugure! Kokkuri-san, Kuroshitsuji, Metal Gear, Minecraft, Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug), Naruto, Resident Evil, Shadow of the Colossus, The Last of Us, The Witcher, Tomb Raider, Uncharted, X-Men Evolution
Personagens Adamska "Revolver Ocelot", Adrien Agreste (Cat Noir), Aeris Gainsborough, Akamaru, Altair Ibn-La'Ahad, Angeal Hewley, Arno Victor Dorian, Cait Sith, Chris Redfield, Ciel Phantomhive, Cindy, Cirilla "Ciri" Fiona Elen Riannon, Claudia Auditore da Firenze, Cloud Strife, Cor Leonis, Dandelion, Dante, David "Solid Snake", Edward James Kenway, Elizabeth Midford, Evie Frye, Ezio Auditore da Firenze, Geralt de Rivia, Gladiolus Amicitia, Haytham Kenway, Ignis Stupeo Scientia, Jack "Big Boss", Jack "Raiden", Jacob Frye, Kiba Inuzuka, Kokkuri-san, Konan, Lady, Lara Croft, Leon Scott Kennedy, Leonardo da Vinci, Light Yagami, Lunafreya "Luna" Nox Fleuret, Maito Gai, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mono, Naruto Uzumaki, Nathan Drake, Noctis Lucis Caelum, Ororo Monroe (Tempestade), Personagens Originais, Piers Nivans, Prompto Argentum, Ratonhnhaké:ton "Connor", Rock Lee, Sasuke Uchiha, Sebastian Michaelis, Sephiroth, Snake, The Boss, Tifa Lockhart, Tsunade Senju, Vergil, Vincent Valentine, Wander, Yuffie Kisaragi, Zack Fair
Exibições 12
Palavras 2.965
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ta ai mais um capítulo. :3

Capítulo 6 - Aulas


Pov’s Anabelly

                -Zack, você devia ter um pingo de vergonha na cara – Encaro ele furiosamente.

                -Eu tenho vergonha é de decepcionar o pai e a mãe. De beijar eu não tenho.

                -G zuis... Esparta, nada de perseguir a gaivota.

                -Que gaivota?

                -Achei uma gaivota vindo pra casa – Abro a porta. A gaivota estava dormindo na cabeceira da poltrona. Tinha derrubado um monte de coisas – Se o Esparta tivesse ficado aqui não tinha bagunçado tanto.

                -Que bonitinha... – Zack faz carinho nela

                -Pode colocar ela no seu quarto? Eu vou abrir a porta pros filhotes.

                -Okay.

                Abro a porta e ganho um banho de lambidas. Esparta logo afasta eles, porque aquele troço é mais ciumento que o meu papi. Treinei um pouco com ele uns truques simples como sentar, deitar, rastejar, esperar, ficar... Enfim, coisas mais simples. Depois coloquei comida. Depois fui pro meu quarto.

                -Zack, que faz na minha cama?

                -Deixa eu dormir com você hoje? To carente! – Me olha com aquela cara de cachorrinho

                -Se você acertar a minha fuça eu te derrubo da cama. E eu fico no canto.

                -Tcherto! – A gaivota estava na cabeceira da cama – Ei, era no SEU quarto!

                -Deixa ela ai! Ela é fofa!

                -Ela é uma fofura em penas! – Fasso carinho nela

                Esparta deitou do meu lado e eu e Zack deitamos de costas um pro outro. Se bem que logo que ele dormiu, ele me achou com cara de travesseiro e já pregou em mim. Ele tem um travesseiro daqueles grandão com a estampa de uma moça de anime. Por isso não gosto muito de dormir com ele. É muito chicletão... Mas ele é meu maninho e eu não posso negar atenção pra ele. Sai de fininho, peguei o travesseiro dele, dei pra ele abraçar e fiz cafuné pra ele ficar tranquilinho. ELE FICA MUITO FOFO DORMINDO!!! ... Leitor, quantos “eles” eu disse nesse parágrafo?

                Acordei com o despertador apitando e o Zack subindo em cima de mim. Não sei como, mas ele me passou pra beirada da cama.

                -ZACK! – Acaba de me derrubar da cama

                -CADÊ O INCENDIO? – Olha pros lados – Por que você tá no chão?

                -Porque você me derrubou!

                -Eu nem mecho na cama...

                -Não meche pouco! – Me levanto – Sai daí que já é hora do café!

                -Só mais 10 minutos! – Se cobre de novo e Esparta também sobe na cama

                -Tá bem...

                Saio e coloco comida pros cachorros que já estavam fazendo farra no quintal, já que saíram pela portinha da cozinha. Também catei as caquinhas deles. Depois de lavar as mãos fui ver como estava a gaivota. Ela tinha passado pro quarto do Zack durante a noite. Acho que pra aproveitar o Sol que tinha entrado pela janela já que o puppy esqueceu de fechar as cortinas. Ela fuçou na ração dos filhotes ontem a noite, então a deixei comer isso mesmo. Quando fui colocar a ração lá pra ela vi o Dante pela janela. Eu preferiria não saber o tamanho do documento da criança.

                -Zack, leitinho! – Se senta na cama

                -Brigado. Que cara é essa?

                -Nada? – Estava com os olhos esbugalhados

                -.... Viu o vizinho pelado pela janela?

                -Como c sabe?

                -Porque a janela dele dá na minha janela, e eu gosto do Sol da manhã, mas umas coisinhas que eu já vi foram bem desnecessárias.

                -Desnecessário foi EU ter visto! Tu ainda tem a mesma coisa que ele! Eu não! Vou ter pesadelos com aquilo!

                -Assiste o Banguela que tu sonha com dragões.

                -Os batatinhas são fofos!

                -Temo pelo menos pão de forma e ovos? Acabou o cereal e o bolo de pacote...

                -Tem sim. E eu to morrendo de fome! – A campainha toca – Sim? Bom dia...

                -Bom dia. Zack Fair?

                -É aqui mesmo!

                -Pode assinar aqui por favor?

                -Claro! – Assino e devolvo o papel – Não aceita um como d’água ou um copo de café?

                -Não, obrigada. Tomei café agorinha. Tenha um bom dia – Pego a caixa que era bem leve

                -Você também. Obrigada – Ele sai e eu fecho a porta – ZACK, É PRA VOCÊ!

                -NÉ NÃO! É PRA VOCÊ! – Ele me da um susto. O bocó estava atrás do balcão.

                -Pra mim? – Abro – AI, MEU ODIM! UM BATATINHA DE PELÚCIA! – Quando eu digo “Batatinha” seria um bebê Gronckle. E como a Gronckle mais famosa de lá se chama Batatão, bebê Gronckle é Batatinha – MELHOR MANINHO! – Fico dando beijinhos na bochecha dele enquanto não parava de apertar

                -De nada! De nada! De nada! A gente não sabe o seu aniversário e você chegou pra gente mais ou menos no começo do ano, então feliz suposto aniversário!

                -Brigada! Brigada! Brigada!

                -Brigado nada! Quero um ótimo presente pro meu aniversário!

                -Vai ter! Olha que Batatinha mais fofo Esparta... – Fica cheirando o Batatinha – Vou levar ele pra escola!

                -Sério?

                -Sim!

                Comemos o pãozinho na chapa com margarina e ovo frito e tomamos suco de laranja natural (Temos uma laranjeira no quintal de casa). O casal de idosos que morava aqui gostavam muito de plantas, então nosso quintal tem a laranjeira e um carvalho bom pra fazer uma casa na árvore.

Tomamos banho e fomos pra escola. No caminho passamos na lanchonete pra comprar umas rosquinhas. Esparta ganhou uma rosquinha de brinde do gerente.

                -Não acredito que você trouxe o Batatinha...

                -Devo nada pra ninguém... – Entramos na escola e passamos pelo estacionamento. Um Professor estava atrapalhado com umas caixas e papéis tentando sair do carro carregando tudo – Professor, que ajuda? – Já peguei os papéis e Zack pegou a caixa. Esse professor ainda não tinha nos dado aula, mas me lembro dele quando o diretor apresentou os funcionários.

                -Obrigado – Ele pegou mais uma pasta de couro no carro e trancou – Mas eu não sou professor. Sou coordenador. Pera... Eu sou professor de matemática... Ah, meu nome é Lazard.

                -Hihi... Aceita? – Ofereço umas rosquinhas e ele pega uma.

                -Obrigado. Trouxe um Gronckle pra assistir a aula?

                -Ele é bebê... Tem que aprender a ler – Ele ri da minha desculpa

                -É que eu dei ele pra essa criança feliz hoje. Gostou tanto que grudou.

                -O senhor gosta de Como Treinar o Seu Dragão?

                -Meu sobrinho adora. Assisto com ele de vez em quando. Até ensinou ele a gostar de animais. Inclusive cavalos, já que da pra montar. Mas é um desenho bem bacana...

                -Be Amazing!

                Seguimos ele até a sala dele. Deixamos as coisas onde ele disse pra deixar e ele nos ofereceu um cafezinho já que chegamos adiantados uns 40 minutos. Pra que chegamos tão cedo? Ainda faltavam uns 30 minutos pra tocar o sinal quando o diretor entra lá na sala.

                -Com licença...

                -Bom dia diretor

                -Bom dia. Conseguiu se organizar Lazard?

                -Sim. Esses 2 me ajudaram a trazer o resto das coisas. E ainda trouxeram rosquinhas.

                -Aceita diretor?

                -É bom ver que temos alunos dispostos a ajudar. E obrigado – Pega uma rosquinha – Onde compraram essas? Gostei.

                -É aqui perto da...

                -Pai, a Gillian tá perguntando o que a gente quer pro almoço – Olha pra gente – Meleca - Era o Noctis.

                -Não quer que ninguém saiba que você é o filho do diretor pra que ninguém chegue perto por interesse nem acha que ele te trata de forma “especial”?

                -Issae!

                -Preocupa não. Ninguém vai saber. Aceita?

                -Valeu, mas já comi. E obrigado por não contar nada.

                -Tá de boa.

                -A gente sempre fica com fama de puxa saco... A gente sabe como é.

                -Não é puxação de saco! É que meus pais me deram educação! Me ensinaram que devemos ajudar os outros e respeitar os mais velhos e meus superiores. E é isso que eu faço!

                -É... De respeitar superiores seu pai entende bem.

                -Conhece ele diretor?

                -Por que acham que estão estudando aqui? Servimos o exército juntos por um ano. Eu, Cor e seu pai. Ele não contou?

                -Deve ter contado enquanto ela tava assistindo o Banguela. Ela não escuta mais nada quando tá assistindo aquilo.

                -Deu pra ver que ela gosta... – Noctis cutuca meu bixinho

                -TIRA A MÃO DO MEU BATATINHA!

                -Huhu... Bem qualquer dia eu convido vocês pra ir lá pra casa pra gente conversar direito. Agora estou ocupado.

                -Falando em estar ocupado, Tá quase na hora da aula. Vem seus ouriços! – Saio puxando o Noctis e o Zack

                -Espera, o meu celular tá com o meu pai!

                -Não vai mandar mensagens durante a aula. Não vai precisar dele.

                -Que tal seguir o exemplo dela?

                -Eu não vou trazer o meu Banguela pra escola!

                -Tem um Banguela?

                -Tenho! Eu também assisto o HTTYD!

                -Casa comigo!

                -QUE?

                -Brincadeira! Pega o seu celular e vamos! Tenham um bom trabalho e um bom dia vocês 2.

                -Boa aula!

                -Boa aula!

                Fomos nós 3 pra aula e achamos Prompto e Cloud no corredor. Sentamos os 5 perto um do outro e ficamos conversando. Chegaram Sephiroth, Angeal e Genesis e entraram “na roda” também. Bem, eu comecei a falar com a Lara e a Evie já que a Carter não tinha chegado e a Lara começou a falar das cruzadas navais e Evie também gosta muito de história. Fala nisso a aula agora não é de história?

                Do nada Connor entrou correndo.

                -Que foi homem?

                -A professora de história é a Boss!

                -BOSS? – Todos os alunos sossegam e se arrumam nas carteiras

                -Quem é Boss? – Pergunto o Noctis

                -Ela se chama Joy e odeia o apelido. Fica quieta!

                -... – Uma mulher de cabelos loiros e olhos azuis entra na sala. Todos se levantaram pra recebe-la.

                -Bom dia senhora Joy – Todos dizem numa só voz

                -Bom dia alunos. Podem se sentar.

                -Obrigado - Todos dizem juntos novamente e se sentam.

                -Pra quem não me conhece, me chamo Joy. Sou sua professora de história. Não permito conversas paralelas. Se tem alguma dúvida, ergam a mão e espere que eu lhe chame. Se chegarem atrasados, dirijam-se diretamente ao diretor. Não permitirei que entrem sem uma boa explicação e sem a presença dele. Entenderam?

                -Sim senhora! – Todos dizem juntos novamente.

                -Ótimo!

                Joy, ou Boss, aparentava ter uns 40 anos. Seu cabelo estava preso num rabo de cavalo bem preso. Usava uma camiseta branca, uma calça social azulada e sapatos de saltos baixos bem engraxados. Toda a sua roupa estava impecável, assim como seu cabelo não tinha um único fio fora do lugar. Não usava maquiagem e nem precisava. Sua pele é muito bonita. Tinha uma expressão constantemente séria e fala bem calmamente.

                Zack começa a me cutucar de leve usando código.

                -Cadê a Carter? – Cutuco de volta

                -A avó dela deve ter se sentido mal.

                -Por favor, não conversem nem em código Morse. Vocês vão prestar atenção nos códigos em vez da aula – Como ela viu se ela estava de costas e a gente mal se mexeu?

                -Perdão senhora Joy – Eu e Zack dizemos de cabeça baixa

                -Vocês conhecem código Morse... O que podem me dizer sobre a Segunda Guerra Mundial?

                -Bem, após a primeira Grande Guerra, a Alemanha foi acusada de ter “causado” o combate e foi responsabilizada financeiramente sobre os danos e... – Uma aula depois... - ...Após isso se deu início a guerra fria que... – A professora ergue a mão.

                -Obrigada por me pouparem 3 aulas – Sua expressão muda um pouco – Alguém tem alguma dúvida que queiram perguntar aos colegas?

                -Então Hitler não era ariano? – Prompto pergunta

                -Não! E a mãe dele era judia!

                -Da pra entender esse cara? – Ele parecia encabulado

                -Mais alguma pergunta?

                -Não senhora.

                -Não ficou irritada né?! – Tava quase afundada na cadeira de vergonha

                -Não. Eu realmente agradeço. Vocês são dedicados, isso é bom. Quem aprende com o passado, sofre menos no futuro. E já que os colegas entenderam que tal vocês 2 elaborarem e trazerem 20 perguntas na próxima aula pros seus colegas responderem? Vamos fazer um teste oral – Povo reclama – Vocês não disseram que tinha entendido? Vamos ver se entenderam mesmo. E são 20 questões, cada um de vocês 2 tá?! Não quero ver moleza.

                -Sim senhora!

                O resto da aula foi com alguns alunos com cara emburrada, alguns entediados e outros prestando bastante atenção na aula. Noctis ficou o resto da aula brigando com o sono, porque ninguém ali era doido de dormir na aula dela.

                O modo como Joy age e fala... Ela é ex-militar das mais dedicadas.

                Depois da aula o povo ficou enchendo o saco da gente só pra descontar o teste oral desnecessário. Não os culpo... Teste oral é MUITO chato. E é um jeito brincalhão de resolver isso né?!

                Próxima aula, Física.

                Gente, que professor lindo é aquele? Cabelos violeta avermelhado (Que faz com que a cor do cabelo pareça mudar de acordo com a luminosidade), olhos que lembram a cor do âmbar, de feição forte. Cerca de 40 anos. Suas roupas são realmente incomuns... parecem roupas do estilo vitoriano e modernas ao mesmo tempo. Não dá pra explicar em palavras... Um pouco de barba (A barba era da cor do cabelo então ele não pintava o cabelo. QUEM TEM UM CABELO TÃO DIVOSO DAQUELE JEITO?) e um sorriso descontraído. Seus cabelos eram tão sedosos que se moviam com um mínimo movimento dele.

Ele entrou organizando suas coisas na mesa deixando os alunos ainda fazendo bagunça

                -Maninha, fecha a boca antes que você babe! – Zack fecha a minha boca

                -Ter um professor lindo assim devia ser proibido! Tá me distraindo!

                -Se fosse só você... – Tinha várias gurias olhando do mesmo jeito que eu

                -O que ele tem de mais? Eu sou mais gato! – Jacob, o mesmo carinha que tinha piscado pra mim outro dia , comenta

                -Eu sou muito mais gato que você meuamigo! – Zack fala

                -Ah é, Anabel, Carter, Evie, qual de nós 2 é mais gato? – Carter? Nem vi ela chegando!

                -Tenho nada haver com isso!

                -Não... É só uma pergunta! Quem é mais bonito? Eu ou ele?

                -O Zack! – Nós 3 concordamos

                -Nem a minha irmã... que sacanagem!

                -Sou sincera meu irmão!

                -Bom dia pra vocês! Eu sou Ardyn Izunia. Sou seu professor de física. E de estilo, como podem ver – Povo ri dele

                -Amei suas roupas professor.

                -Obrigado. E eu gostei do seu colar! – Aponta pro meu colar de carnotauros

                -Obrigada.

                -Okay. Alguém pode me dizer como as novas naves militares conseguem se manter no ar sendo daquele tamanho, tendo aquele peso todo e serem tão silenciosas quando estão no ar?

                -Sobre ser silenciosas, acho que é porque não são rápidas como os aviões. Não precisam de tanta potência nos motores, então eles fazem menos barulho.             

                -Esse é um dos motivos. Mas também... Qual o seu nome?

                -Jacob.

                -Jacob. Nessas naves também tem um sistema que...

                Enfim, ele sabe MUITA coisa sobre as novas naves. É muita física envolvida... O cara que inventou aquilo é um gênio! Seja lá quem seja. Ele nunca revelou sua identidade. Talvez pra não ser perseguido por inimigos ou repórteres. As naves estão sendo usadas a 3 anos e já estão espalhadas pelo mundo. O cara que as inventou mandou elas pras 8 maiores potências econômicas do mundo como um “presente” e uma mensagem, explicando que era canadense, que conseguiu as peças e lataria com várias e várias carcaças de navios e aviões e que demorou 10 anos pra construir uma das naves em modelo de teste. Pouco tempo, contando os recursos que tinha e pra manter isso em segredo. Quando terminou, apresentou a ideia pros militares e pediu recursos pro governo. Eles imediatamente agilizaram tudo que é processo pra que elas fossem construídas e testadas o mais rápido possível. Bem, isso tudo levou mais uns 5 anos. Ou seja, o cara tem pelo menos 35 anos, e tem que ter muita lábia pra conseguir uma façanha dessas. Isso só veio a público a 3 anos quando as naves já estavam voando pros seus respectivos países. A nave americana passou pela cidade que eu estava morando. Colossal! Com uma enorme bandeira dos EUA dos 2 lados dela. Atualmente o Canadá e os EUA estão fabricando essas naves. Elas são exclusivas de uso militar, devido as armas acopladas em seu sistema original. Apesar das armas, elas foram minunciosamente planejadas para NÃO transportar uma arma nuclear. O inventou ainda pensou nisso. As armas alojadas nas naves são de médio calibre (no máximo misseis pequenos e canhões de plasma). Elas servem muito mais pra nave de transporte do que nave de combate (pelo tamanho delas, a quantidade de armas é pouca. E a defesa de cima delas é fraca. O que é ruim já que elas voam baixo e são “lentas”). A ausência de armas em cima e todo o tamanho dela é explicada por ela precisar do teto pra absorver energia solar. Sim, elas são movidas a energia solar!

                Quanto a identidade do inventor, só os militares mais confiáveis, tipo agentes da CIA, que sabem.

                Sei de tudo isso porque o papai me contou. Ele já viu o inventor pessoalmente. Mas por razões óbvias, ele não pode contar pra gente como ele é. Ele não pode nos contar várias coisas na verdade. Mas um dia eu e Zack chegaremos a patente dele e saberemos.

                Enfim, o professor é fascinado por essas naves. Muitas das reações físicas podem ser exemplificadas nas naves. Gravidade, dilatação, calorimetria, transformações de energia...

                Ele explica muito bem e tem tudo que é resposta na ponta da língua. São exemplos são bem divertidos; tipo ele comparar células em movimento a crianças hiperativas; Ou comparar elétrons positivos e negativos a meninos nerdes tímidos que se interessam por filhinhas de papai populares que mandam na escola. “Os opostos se atraem”. Sem contar as frases engraçadas pra decorar fórmulas. Ex: V0 = V01 + at = “Vovô e vovó anda tentam”. Ele é bem descontraído, e dessa forma engraçada faz com que a gente mantenha a atenção na aula.

                Além desses exemplos ele disse que usaria até músicas pra gente aprender certinho a matéria. Todo mundo gostou e entendeu tudo na aula dele. As horas passaram rápido... Logo fomos pro almoço.


Notas Finais


Comentem por favor... Nunca te pedi nada... ;3;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...