História High School Umbrella - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Resident Evil
Personagens Ada Wong, Albert Wesker, Ashley Graham, Barry Burton, Billy Coen, Carlos Oliveira, Chris Redfield, Claire Redfield, Ingrid Hunnigan, Jake Muller, Jessica Sherawat, Jill Valentine, Kevin Ryman, Leon Scott Kennedy, Piers Nivans, Rebecca Chambers, Sherry Birkin, Sheva Alomar, Steve Burnside
Tags Chris Redfield, Colegial, Jill Valentine, Resident Evil
Exibições 44
Palavras 3.166
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boooa madrugada de domingo, povoooo!!!
Olha eu aqui, surpreendendo com esse capítulo fresquinho *--*
Espero que gostem!
Boa leitura...

Capítulo 6 - Entrando Com Tudo


Fanfic / Fanfiction High School Umbrella - Capítulo 6 - Entrando Com Tudo

* * * Sherry * * *

 

Eu estava no sofá da sala dos professores observando meu pai terminar o café e minha mãe voltar trazendo os trabalhos corrigidos para passar para o diário de classe.

Todo dia é a mesma coisa, fico aqui parada esperando a boa vontade dos meus pais de me levarem para casa.

Mas amanhã irei direto para casa da Claire, ainda nem disse nada para eles, vou de qualquer jeito, não aguento mais o clima lá em casa...

Ah, deixa para lá... Não quero pensar nisso.

E sim, claro, sem esquecer da garota nova que vai com a gente, a Jill... Nossa, ela parece muito legal, se continuar assim serei tão grudada a ela como sou com a Claire e a Becca.

Então um outro pensamento me invade... Aquele garoto marrento, irmão do pior garoto possível da escola. Ele foi gentil... O tal Jake. Ele ficou todo sem jeito por ter deixado meu livro no armário dele e me garantiu que devolveria amanhã, fiquei feliz em saber que o guardou com cuidado para me devolver.

Um sorriso surge em meus lábios por me lembrar do jeito constrangido dele e abaixo o olhar para meu pai não ver.

            -O QUE SIGNIFICA ISSO?

Um berro ecoou pelo corredor vazio da escola e eu, meu pai e o diretor Benford encaramos a porta de saída sem entender.

            -O QUE PENSA QUE ESTÁ FAZENDO SEU MOLEQUE?

Minha mãe!

Corri para fora de lá e fui em direção a sala dela de onde vieram os gritos e com meu pai e o diretor de atrás de mim, chego e a vejo com uma expressão péssima encarando o...

Espera! Jake? O que faz aqui?

            -Annette, o que está acontecendo?

O diretor se aproxima já julgando o Jake pelo olhar... Me dá uma pena tremenda dele, porque fica com uma expressão de assustado e até aterrorizado pela minha mãe, sei bem como é essa sensação.

Mas o que ele está fazendo aqui? O que fez para minha mãe pirar desse jeito?

            -ESSE MARGINAL INVADIU A MINHA SALA PARA ME ROUBAR?

            -Mãe!

            -O que houve, Annette?

            -Ele estava roubando meus livros!

            -Livros? É verdade isso, moleque?

O jeito que o diretor falou com ele me surpreendeu pelo tamanho da grosseria e me meti entre eles já que o Jake parecia ter perdido a fala.

            -Esse moleque tem nome! Parem de crucificar ele antes de dar a chance dele se explicar!

Todos me encararam assustados e até eu mesma me surpreendi por defender alguém como ele, alguém que não tenho nenhum tipo de relação, apenas quero distância por motivos óbvios.

            -Não defenda esse marginal, Sherry! – Meu pai disse.

            -Ele estava me roubando!

Minha mãe falou entre dentes extremamente nervosa e virei para ele que mantinha o olhar baixo e reparei que em suas mãos realmente havia um livro de Matemática novo, a matéria da minha mãe.

            -O que aconteceu, Jake?

            -Você o conhece? SHERRY! COM QUE TIPO DE GENTE ESTÁ SE ENVOLVENDO?

Os berros da minha mãe ecoaram, mas eu ignorei olhando para ele que desviava de mim.

Não é verdade, não é?

            -Jake?

            -Eu sempre soube que não valia nada e hoje deu a prova disso, moleque! Seu futuro assim como dos seus irmãos é em uma cadeia quebrando pedras para o resto da vida, porque nenhum de vocês vale o chão que pisam!

            -MÃE!

Eu gritei agora e ela me olhou parecendo horrorizada e cuspindo fogo de raiva...

Como ela pode falar isso dele?

            -Ele. Me. ROUBOU!

            -Isso não é razão de falar assim com ele!

          -Sherry, querida, você sempre foi muito inocente e caridosa, mas EXISTEM PESSOAS QUE NÃO VALEM A PENA! CONTE A ELA QUE É CULPADO, CONTE SEU MARGINAL!

Ela terminou gritando e virei para o Jake que me olhava parecendo bravo e rezei para que me desse uma boa explicação.

            -Queria roubar esse livro?

            -Sim, eu queria.

            -Por quê?

Ele me olha com uma expressão de rancor, de tristeza e raiva que me deixou um pouco assustado, então ele riu ironicamente.

            -Porque sou um marginal sem futuro algum.

O sorriso de satisfação da minha mãe foi radiante, mas continuei a encará-lo procurando uma explicação.

Sei que não o conheço e que não tenho razões para acreditar na honestidade dele... Mas me bateu uma decepção tão grande ao ouvir ele concordar que roubou o livro do armário.

Por que ele fez isso?

            -Venha para minha sala, garoto.

O diretor saiu e o Jake jogou o livro na mesa da minha mãe fazendo ela se assustar e saiu o seguindo.

Isso não faz sentido.

Ah, não fale bobagem, Sherry... Não tem razão nenhuma para acreditar que há uma explicação coerente se ele mesmo concordou!

Talvez realmente seja só um marginal como minha mãe disse...

Mas então por que me recuso a aceitar esse veredicto final?

Tenho que saber a verdade.

            -Vamos para casa!

            -Anda, Sherry!

Preciso falar com o Jake...

            -Ah, eu lembrei... Tenho um trabalho para amanhã, terei que ficar na biblioteca para consultar uns livros.

            -Tudo bem, filha... Me ligue quando acabar, venho te buscar.

            -Combinado!

Eu sorri e eles saíram com minha mãe extremamente irritada.

A melhor coisa dos meus pais? Confiam em mim... Eles me consideram a filha perfeita porque tiro as melhores notas, não compartilho problemas de família com minhas amigas e ando com boas companhias.

Se eles soubessem porque quero ficar aqui... Me matariam!

Sigo para sala do diretor, esperando no corredor anterior para eu apenas ser vista pelo Jake, mas nenhum deles sai.

Fico quase uma hora e quando penso em procurar em outro lugar, ouço a porta se abrir e passos furiosos pelo corredor. Ao vê-lo cruzar para o outro corredor, corro em sua direção.

            -Jake!

Ele para, mas não se vira. Coloco minha mão em seu ombro e ele vira para mim afastando minha mão e me olhando irritado, mas sem dizer nada.

            -O que aconteceu?

            -Não ouviu sua mãe?

            -Sim, mas... Não é verdade que queria roubar aquele livro, é?

            -É, eu queria sim.

            -Mas... Por quê?

           -Pela razão que sua mãe mesma disse, porque sou um marginal sem um futuro diferente do de quebrar pedras em uma cadeia!

            -Se não me der uma razão coerente, talvez eu realmente deva acreditar nisso!

Droga... Sherry!

Minhas palavras saíram mais rápido do que minha mente raciocinou e me arrependi assim que as ouvi, me fazendo perder a fala automaticamente.

Ele me olhou fixamente e riu sarcástico agora, cruzando os braços na frente do corpo e me observando de um jeito que não consegui mais ver o Jake gentil em minha frente, mas sim um moleque mal educado e desprezível.

           -Isso mesmo... Acredite nisso! Assim é o certo, porque desta forma apenas ajudará mais a te afastar de mim, como deve ser! – Ele riu – Não podia ter existido uma hora pior em minha vida do que a que eu esbarrei em você essa manhã!

Como? Não...

            -Jake, me desculpe, eu...

        -Me poupe dos seus choramingos, garota! Vá consolar sua mamãezinha e coloque na sua cabeça que sou um moleque marginal que não chega nem a seus pés! Que não é digno nem de lamber o chão que pisa... Sou um lixo, Sherry, é isso que eu sou!

As palavras dele me machucaram, mas senti que cada uma saiu arranhando sua garganta e minha pena floresceu.

           -Faça o que quiser, mas não me olhe com essa cara de pena! E pense pelo lado bom, fui suspenso, não vai precisar por uns dias sujar sua visão se por um acaso se esbarrasse comigo de novo!

            -Por que está falando assim?

          -Eu não sou nada, ninguém! Não desperdice seu precioso tempo comigo, patricinha... Vá cuidar da louca da sua mãe! E ME DEIXA EM PAZ!

Os gritos finais dele me assustaram... Não me deixaram com medo dele, mas me deixaram imaginando se eu havia errado tão feio em seu julgamento.

Minha mãe deve estar certa...

Ele me deu as costas e saiu nervoso pela escola, mas senti um vazio em meu estômago e mesmo machucada por suas palavras, me senti um caco por ofendê-lo concordando com o que minha mãe disse, foi apor isso que ele começou a se irritar comigo também.

Burra, Sherry!

Mas ele deve ser um marginal mesmo, apenas isso... Deve ser.

Jake...

 

* * * Claire * * *

 

Chegamos em casa e fui reto ao meu quarto fazer meus deveres enquanto comia uma maçã e ouvia meu irmão ouvir música no quarto dele... Mas eu vi aquele sorriso galanteador no rosto dele.

Está pensando em uma garota! Coitada... Que se cuide.

Assim que terminei tudo fui para o banho e fui ao quarto secando o cabelo, me maquiando, me perfumando e escolhendo um vestido rodado verde escuro para sair.

Vou vê-lo hoje! Que saudade... Quase não me aguento de felicidade e preciso esconder isso de todos.

Depois de pronta escuto meu celular vibrar e corro até ele abrindo um sorriso ao ver a mensagem.

 

“Não desistiu de mim, não é?”

(0302)

 

“Bobo... Nunca!!!”

(Claire)

 

“Estou indo para o nosso cantinho, te espero lá!”

(0302)

 

“Já estou saindo! Saudade, meu amor <3”

(Claire)

 

“Saudade minha princesa <3 venha logo, não aguento mais ficar longe de você... Seu sorriso, seu olhar, seu jeito doce, seu carinho, seu abraço e seu beijo! Estou enlouquecendo sem você! Vou te encher de mimo!”

(0302)

 

“Quero ver mesmo hahah! Vou cobrar cada beijo e abraço seu também *--* ”

(Claire)

 

“Pode cobrar!!! Pago com o maior prazer ;-D ”

(0302)

 

“Certo, estou saindo! Até logo amor <3”

(Claire)

 

“Até logo <3 minha ruivinha perfeita”

(0302)

 

Saio saltitando do quarto e sigo lá para baixo disfarçando a animação quando vejo minha mãe na cozinha cortando legumes com nossa governanta.

            -Mãe, vou sair...

            -Para onde vai?

            -Me encontrar com as meninas!

Eu odeio mentir para os meus pais, mas para encontrá-lo, é a única maneira.

            -Tudo bem, mas não volte tarde e olhos no celular para me atender se eu ligar!

            -Certo... Até depois, mãe!

Dou um beijo em seu rosto e saio pela porta, agora correndo pela rua até nosso ponto de encontro que demorava uns dez minutos para chegar.

Era um lugar reservado... Um lugar espaçoso, mas ficava atrás de um campo depois de algumas casas que ninguém costumava frequentar. Lá havia uma árvore... A nossa árvore. Nosso ponto de encontro.

Onde nos encontramos pela primeira vez, nos beijamos pela primeira vez, confessamos nosso amor e fizemos planos para nosso futuro! E claro, onde estão nossas iniciais gravadas...

Meu coração acelera quando chego até a árvore e o procuro de atrás dela, onde sempre foi cheia de galhos e folhas secas.

Onde ele está?

Quando sinto suas mãos quentes tampando meus olhos, meu coração dispara e sorrio muito feliz em senti-lo perto de mim novamente.

            -Adivinha quem é...

            -O amor da minha vida... O homem que me faz cometer loucuras pelo amor viciante que despertou em mim!

Ele tira as mãos de meus olhos e me viro com ele me puxando em um abraço e o correspondo desesperada pelo seu carinho.

            -Eu te amo... Te amo, Claire.

            -Eu também te amo...

Seu abraço, seu calor e seu carinho me fazem esquecer de tudo no mundo e quando se afasta para olhar em meus olhos deixando meu rosto sobre suas mãos, ele me dá o olhar que mais amo.

Sabe aquele olhar de garoto extremamente apaixonado que admira a pessoa amada? Esse... Como não amá-lo?

            -Como senti sua falta...

            -E eu a sua.

            -Quanto tempo temos?

            -Não muito, sabe como meus pais são.

            -E seu irmão?

            -Trancado no quarto...

            -Não desconfiaram?

            -Não.

            -Bom... Então chega de papo, não é?

            -Sim, chega!

Nós sorrimos um para o outro e ele me puxa para um beijo apaixonado de saudade e entrelaço meus braços ao redor dele sentindo meu coração enlouquecer dentro do peito.

Eu o amo... Não consigo JAMAIS imaginar minha vida sem ele, eu enlouqueceria se o perdesse.

O amor da minha vida, esse garoto perfeito por quem faço tudo... Eu te amo, meu amor, meu príncipe, não vivo sem você.

O sabor doce dos lábios dele em mim me dominaram e esvaziei a cabeça apenas mergulhando no imenso amor que sentíamos um pelo outro...

 

* * * Jill * * *

 

Quando cheguei na varanda da minha casa mal conseguia acreditar que até o início do intervalo minha vida estava virada em um inferno... As duas últimas aulas passaram tão bem que até estranhei, esperando que caísse um meteoro em minha cabeça a qualquer instante.

Mas em compensação... Última aula. Vi ELE de novo...

Ah, que droga... Tire ele da cabeça, Jill!

Ele é do time de futebol e nem sabe o nome dele! Se afaste! Já! Principalmente os pensamentos!

Sim, devo ignorar... Aqueles olhos verdes hipnotizantes, o sorriso encantador e o jeito gentil e educado dele falar comigo.

Suspiro ao abrir a porta e dar de cara com minha mãe decorando um bolo na cozinha. Ela me olha com um sorriso doce e vou dar um beijo nela.

            -Como foi seu primeiro dia, querida?

Por razão nenhuma eu poderia contar o que aconteceu e da existência de uma garota possuída pelo capeta disposta a arruinar minha vida.

            -Foi legal...

            -As pessoas são legais?

Pois olha...

            -Só conheci algumas.

            -Fez algum amigo?

            -Acho que sim!

            -Que bom, meu amor... Tem tarefa?

            -Tenho, várias! Quer ajuda?

            -Não, vá fazer suas coisas e descansar...

            -Tudo bem... Qualquer coisa estou no quarto.

            -Tudo bem, querida.

Eu saí de lá e fui ao quarto jogando minha mala no chão e me jogando na cama para “digerir” meus pensamentos...

Primeiro: O tal Redfield... Pare de pensar nele! Sim, ele é lindo, fofo, encantador, maravilhoso, um espetáculo, perfeito e... Eu já disse maravilhoso? E encantador? E extremamente apaixonante...

Pare, Jill! Afaste isso!

Ok...

Segundo: Carlos... Ele pareceu gentil e uma boa pessoa, mas pelas informações das meninas, realmente era melhor eu não me aproximar... Mas eu vou ouvir? Não! Não porque curto o perigo, mas prefiro tirar minhas próprias conclusões. Enquanto não me fizer mal, não tem porque me afastar. Poxa, ele foi o primeiro a ser legal comigo! Não tenho coragem de ignorar...

Irmão pirado, comportamento estranho e machucados misteriosos... Não ligo, se ele me der espaço, quero ter sua amizade. Não esqueço fácil as pessoas que me ajudam de forma tão querida e sem me pedir nada em troca...

Terceiro: Jéssica... Vaca! Odeio ela, que se cuide, não vai ficar assim!

Quarto: Meninas legais... Claire, Sherry e Rebecca pareceram uns amores e se foram indicadas pelo meu sorriso encantador, tudo bem...

Jill, para!

Certo, elas parecem legais... Tentarei cultivar a amizade e pelo jeito gostaram de mim, já trocamos os celulares e me atualizaram sobre detalhes da escola e alunos, foram super simpáticas... Na verdade, adorei elas. As três!

Espero que realmente sejam verdadeiras e que eu possa confiar nelas... Que possamos ser amigas!

Essa escola me promete um futuro assustador pela frente... Mas interessante!

Ah, e amanhã vou para casa da Claire... Será que realmente meu herói de olhos verdes brilhantes estará lá? Nossa, que sorte seria...

Jill, chega com isso!

Bufo estressada para minha própria consciência e vou para o banho. Faço meus deveres e desço ajudar minha mãe... Ela passa o tempo fazendo doces e salgados sobre encomenda, é o que nos sustenta, ela é ótima.

Depois do jantar me despeço e vou para cama com os pensamentos girando e com dois olhos verdes me perseguindo...

Ah! Chega disso!

Taco um travesseiro em meu rosto e pego no sono assim mesmo acordando no meio da noite quase engasgada o fazendo voar para longe... Então sonho com o sorriso encantador chegando em minha casa em cima de um cavalo branco, mais lindo do que eu lembrava...

Acordo assustada com o despertador e frustrada pelo término do meu sonho...

PARA, JILL!!! JÁ CHEGA DISSO, ESQUEÇA ELE!!!

Levanto e faço o processo comum para me arrumar, pego a bolsa, me despeço da minha mãe e sigo para escola.

Apesar de tudo, sigo com um sorriso no rosto e ao me aproximar da escola me animo... Sei, é bobagem, mas mesmo com tudo que aconteceu me sinto leve e feliz.

E não, não é por ele! Bom, talvez... Uma certa porcentagem...

Jill... Já chega.

Reviro os olhos e sigo para lá notando alguns olhares e cochichos ao redor, mas não me surpreendo, ainda sou a novata.

E nada mais importa quando vejo meu jogador de futebol favorito rindo aos prantos com os amigos dele bem distante de mim agora... Ele fica lindo de vermelho e essa jaqueta do time o deixa mais irresistível.

Lindo...

Jill, qual é!

Ah, me deixe, não custa nada admirar de longe!

Caminho para a entrada da escola vendo uma garota distribuindo alguns papeis e quando chego ela ri me entregando um.

            -Jornal da escola, novata!

Reconheço a morena de olhos verdes vivos que me encarou feio no refeitório ontem, mas que agora tinha um sorriso esnobe que me fez ficar enojada.

Jornal da escola é uma bobagem!

Quem disse que eu queri... O QUÊ?

Quando olho para manchete daquele lixo vejo uma foto minha que sabe Deus quando tiraram de mim no corredor.

 

“NOVATA SE MOSTRA ATIRADA E AGRESSIVA”

 

Eu arregalo os olhos e a boca ouvindo risos ao redor das pessoas que esperavam minha reação, mas quando olhei para eles, todos desviaram.

            -Jill?

Claire, Sherry e Rebecca surgem com expressões cautelosas e encaram o jornal em minhas mãos parecendo já saber.

            -Vocês viram isso?

            -George não ia perder essa!

O garoto do vestiário??? TE MATO IMBECIL!!!

            -Como ele fez isso?

            -Se acha a manchete ruim, leia o que a matéria diz...

Sherry cutucou a Rebecca que ficou calada e ouvi mais risos ao redor sentindo meu sangue ferver quando os encarei e se afastaram com o jornal na mão.

Desgraçada, foi coisa dela!

            -Foi a Jéssica! Ela mandou publicar isso!

            -Não duvidamos, o George é cachorrinho dela...

            -Ela vai me pagar!

Eu estava tinindo de raiva...

Que lindo, no primeiro dia já consigo ser a manchete do jornal! Maravilhoso! ESPLÊNDIDO!

            -Ela vai me pagar...

            -O que pretende fazer?

Claire me olhou com um interesse visível e Sherry e Rebecca me olharam animadas com minha direta... Será que posso confiar nelas? Eu preciso!

            -Vou dar o troco... Me ajudam?

Elas se entreolharam e seus sorrisos maldosos me fizeram retribuir agora cruelmente feliz e animada em encarar essa.

            -Com certeza! – Claire disse.

            -Vamos dar o troco nessa sem noção! – Sherry riu.

            -Já tem um plano?

            -Tem que ser algo memorável também, digno de manchete... Tenho algumas ideias, mas precisarei de ajuda.

           -Pode contar conosco... Agora oficialmente deixamos de ser um trio e nos formamos um quarteto! Selando amizade com uma vingancinha saudável contra essa garota insuportável!

Claire sorriu e estendeu a mão, as outras colocaram as delas sobre a da ruivinha charmosa que eu estava adorando ainda mais e juntei minha mão sobre a delas.

            -Vamos causar um estrago!

Essa Jéssica não perde por esperar...


Notas Finais


Ah, o que essas meninas vão aprontar?
Jéssica, se cuida!!!
E a Claire, hein... Huuum!
Quem é o sortudo, dono desse amor todo que ela carrega?
E o Jake? A Sherry vai acreditar que ele não vale nada ou vai procurar uma resposta?
E ele vai dizer a verdade ou vai apenas ignorar?
Muito para rolar, galera...
Espero muito que estejam gostando!
Até a próxima *--*
Bjooon :-)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...