História High School Umbrella - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Resident Evil
Personagens Ada Wong, Albert Wesker, Ashley Graham, Barry Burton, Billy Coen, Carlos Oliveira, Chris Redfield, Claire Redfield, Ingrid Hunnigan, Jake Muller, Jessica Sherawat, Jill Valentine, Kevin Ryman, Leon Scott Kennedy, Piers Nivans, Rebecca Chambers, Sherry Birkin, Sheva Alomar, Steve Burnside
Tags Ada Wong, Adolescentes, Aeon, Albert Wesker, Alunos, Carlos Oliveira, Chris Redfield, Ciumes, Claiers, Claire Redfield, Colegial, Drama, Escola, Estudantes, High School, Humor, Intrigas, Jake Muller, Jessica Sherawat, Jill Valentine, Leon Scott Kennedy, Nivanfield, Piers Nivans, Raccoon City, Resident Evil, Romance, Sherry Birkin, Umbrella, Valenfield
Exibições 165
Palavras 5.242
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boooa tardeee, povooo!!!
Fala aí galera que está curtindo os fervos desse colegial \o/ \o/ \o/ uhuuuuulllll ! ! !
Queria agradecer a galera que favoritou e aos que andam comentando e me dando maior apoio para continuar essa fic *--* obrigada povo, escrevo com muito carinho para todos vocês <3
E tem personagem nova hoje \o/ \o/ e rola planejamentos para vingancinha, uhuuullll...
Me empolguei um pouco na escrita hahahah mergulhem ! ! !
Espero que gostem!
Boa leitura...

Capítulo 7 - Oportunidade


Fanfic / Fanfiction High School Umbrella - Capítulo 7 - Oportunidade

* * * Ashley * * *

 

E lá estava ele... Aquele garoto lindo e perfeitamente apaixonante que fazia meu coração fazer acrobacias escandalizadas até a minha garganta.

Ele é tão... Lindo e perfeito.

Piers Nivans, o garoto mais TUDO do colégio!

Ele é maravilhoso, então fico o olhando para pegar o momento em que dá aquele sorriso fantástico que ofusca até os raios do Sol.

Mas quem me dera que ele sequer olhasse para mim... Sou a filha do diretor, isso deveria me dar mais crédito! Sou linda, loira, rica e irresistível! Mas apaixonada como boba pelo jogador mais sexy em campo.

Imagina só nossos filhos como seriam lindos! Com o sorriso do pai, os olhos e o jeito maravilhoso e perfeito de andar, comer e se mexer.

-- Ashley!

Dou um salto com a Jéssica berrando ao meu lado e rindo da minha expressão de susto enquanto desvio birrenta.

-- Para de suspirar pelo garoto e vá falar com ele!

-- Não, eu não posso...

-- Deixa de ser covarde!

-- Eu não consigo, tenho vergonha...

-- Todos já sabem da sua paixão mesmo, qual a diferença?

-- Ele nem olha para mim!

-- Porque você é invisível!

-- Eu sou a filha do diretor!

-- Continua invisível! Chame a atenção dele, vá falar com ele! Já!

-- Não... Não posso...

-- Ashley deixa de ser covarde e criança de jardim, seja mais ousada!

-- Não consigo ser como você...

-- Ah, isso é evidente... E por isso fica encalhada sem nem sequer beijar um cara por quanto tempo mesmo?

-- Para, Jéssica!

-- Ah, por favor... PIERS!?

Ela gritou em direção ao campo e aquele deus grego virou para nós me fazendo gelar e com o sinal da Jéssica ele se aproximou me fazendo sentir meu coração disparar e meu pulmão se trancar não me deixando respirar.

-- O que foi, Jéssica?

Algo que tornava o Piers ainda mais príncipe encantado, era que ele nunca olhou para Jéssica, a tratava como qualquer outra ou até mesmo como inferior mesmo ela tentando estufar o peito para chamar a atenção dele como chama de todos os outros... Mas ele a olha com tédio e sem nenhuma outra emoção.

-- A Ashley quer falar com você!

O quê?

-- O quê?

Ele olha para mim com o mesmo desinteresse e a Jéssica sai fazendo um sinal de joia para mim que fiquei paralisada em ver aquela preciosidade na minha frente, tão perto e tão alcançável...

-- O que foi, Ashley?

O som da voz dele ao dizer meu nome me deixou nas nuvens e levantei de onde eu estava sentada, tentando tomar coragem para dizer algo que nem eu sabia direito como sairia.

-- Ah, eu... Queria... – Travei.

Ele esperou eu falar e sorriu desviando me fazendo quase desmaiar, mas claro que estava achando graça da minha cara de idiota.

-- Eu preciso ir treinar, Ashley...

-- Eu sei! E falando nisso, você treina muito bem, é o melhor!

As palavras saíram atropeladas da minha boca e mal entendi o que eu disse pelo meu desespero, e mesmo com ele me olhando parecendo não ter entendido muito também, concordou com a cabeça.

-- Obrigado... Era isso que queria?

-- Ah, não, eu...

Ele todo lindo e fofo na minha frente, meu coração palpitava... O que eu faço? Sou uma covarde, não conseguiria jamais dizer isso.

-- Eu queria...

Ai, Minha Nossa...

-- Piers, anda, eu...

Com o Chris surgindo ali na hora, ele olha para nós dois e ri encarando o Piers que parece não ter gostado da presença dele.

Isso quer dizer que queria ficar sozinho comigo?

-- Estou atrapalhando?

-- A Ashley queria... Alguma coisa.

-- É, sei, com certeza... Se arranje aí e vá para o campo, vamos te esperar.

-- Beleza.

Ele sai e o Piers faz uma expressão de quem não gostou daquilo e pareceu agoniado, então olhou para mim.

-- Fala logo Ashley, preciso ir.

-- Eu falo!

A Jéssica surgiu parecendo ter ouvido tudo e sorriu para ele daquele jeito esnobe dela e meu coração gelou.

-- A Ashley é apaixonada por você desde que te viu pela primeira vez, só que é covarde demais para confessar! É isso!

-- Jéssica!

-- Ashley, deixa de ser frouxa! Se declara de uma vez...

O Piers não olhou para mim, parecendo não ter esperado ouvir aquilo e nem ter vontade de ouvir.

Ele não gosta de mim!

E agora vai me achar uma ridícula por isso!

Sinto lágrimas em meus olhos e saio correndo dali chorando em direção aos vestiários, entrando em um dos boxes para me esconder.

Por que a Jéssica é assim?

E o Piers... Ele não gosta de mim, nem me olhou, parecia querer sair dali e ainda mostrava estar incomodado de alguém me ver perto dele.

Eu amo ele, preciso dele...

Minhas lágrimas fluem pela vergonha que passei na frente dele... Ele nunca mais vai me cumprimentar, a única coisa que eu tinha dele era o “oi” que me dava e eu me sentia especial por isso.

E minha amiga foi lá e ferrou tudo, eu quero morrer!

-- Ashley!

A voz dela me fez chorar mais e abaixar o rosto para me entregar as lágrimas e soluços até que ouvi os passos dela que abriu o boxe onde eu estava e bufou. Quando olho, me encara impaciente.

-- Para de ser frouxa!

-- Por que disse aquilo?

-- Para você se mexer... Aquele era o momento para tascar um beijo nele!

-- Você enlouqueceu? Sai daqui, não quero mais te ver!

-- Deixe de drama, Ashley...

Eu continuei a chorar e ela bufou de novo parecendo impaciente e se abaixou para mim agora com um sorriso forçado de amizade.

-- Tudo bem, desculpe se não gostou do que eu fiz... Mas prometo recompensar, pensarei em um jeito de deixar o Piers louquinho por você, tudo bem?

Levantei o olhar para encará-la e mesmo brava, sei que ela é a melhor pessoa para me ajudar, porque não tem medo de nada e não está nem aí para limites e regras, então sei que realmente poderá me ajudar.

-- O que vai fazer?

-- Vou pensar em alguma coisa para esse gato ser seu! Agora limpa essas lágrimas e vamos ensaiar...

-- Tudo bem...

Eu levantei e ela sorriu me guiando para fora de lá apenas imaginando o que ela ia propor para eu conquistá-lo... Mas não importa, o que quer que seja, vou fazer.

Ele vai ser meu!

 

* * * Jill * * *

 

Conforme eu andava pelo corredor, os risinhos aumentavam e os sussurros também me deixando mais irritada.

Apresso o passo para ir para aula e quando entro fico feliz em ver o Carlos sentado e vou até lá quando dou de cara com aquela nojenta, desprezível e oferecida líder de torcida que mantinha um sorriso nos lábios.

Eu sorri de volta ironicamente e abanei a fazendo levantar uma sobrancelha, mas quando virei meus olhos queimaram de raiva.

Eu vou me vingar sua sem noção!

Aguarde... Você não sairá ilesa dessa.

E nem olhei direito para o sorriso encantador na carteira de trás... Que droga, Jill, se controla criatura!

Sento ao lado do Carlos brava e noto seu olhar para mim me desligando do meu problema agora e lembrando que ele disse que eu não sentaria com ele depois do que me contassem.

-- Oi, Carlos...

-- Oi.

-- Tudo bem?

Ele começou a rir desviando de mim e tive a leva impressão de que estava rindo da minha cara, então o encarei séria.

-- E eu achando que podia pegar mal para você sentar comigo... Acho que agora pode pegar mal para mim!

-- Há-há!

Ele riu e sacudiu a cabeça virando para mim com um sorriso fixo nos lábios e desviei imaginando o que ele podia estar pensando.

-- Você se importa em sentar com uma tarada agressiva?

-- Se você não se importar em sentar do lado de um idiota esquisito com um irmão odiado por todos, acho que formamos a dupla perfeita.

Eu ri com ele agora e mesmo com as piadas, eu sabia que ele não acreditava no que soube, mas mesmo assim preferi reforçar.

-- Eu fiquei trancada... Aquela cretina me trancou e só consegui sair quando eles estavam lá, não pude evitar.

-- A Jéssica fez isso com você?

Apesar de tudo ele parecia indignado com a notícia e estranhei já que foi o primeiro a me dizer que ela não prestava.

-- Sim... E mandou aquele idiota do jornalista de atrás de mim para conseguir fazer a manchete de hoje!

-- Ele serve ela como um cachorro...

-- Notei.

-- Vai deixar barato?

-- É claro que não!

-- O que vai fazer?

Sentar do lado dele e dar uma chance para uma amizade é uma coisa, mas será que posso contar a ele? Não sei o quê, mas algo dentro de mim me diz que posso confiar nele...

-- Ainda estou planejando os detalhes...

-- Quer ajuda?

Eu olhei para ele e meu sorriso foi inevitável pelas suas palavras, então ele riu percebendo meu jeito.

Ele quer mesmo me ajudar? Seria ótimo...

-- Isso é sério?

-- Quero te ajudar...

-- Por quê?

-- Porque você é legal e... Bom, motivos particulares. Ela merece.

Quais motivos? Jill, não force!

-- Legal, eu quero sim!

-- Confia em mim?

-- Quero confiar.

-- Por quê?

-- Por que não confiaria?

-- Você provavelmente ouviu falar de mim...

-- Que seu irmão é um idiota, vi pessoalmente.

-- Pois é, ouvi ele comentar, mas vi o Redfield ir te socorrer... Claro que ele não perderia essa chance.

O quê?

-- Por que diz isso?

 -- Não confie nele, Jill... Está na cara que ele está a fim de você, mas ele é um galinhão, pega e joga fora.

É sério? Está a fim de mim?

Ah, concentra...

-- Você acha que ele está a fim de mim?

Eu falei mais abobalhada do que eu queria e fiz o Carlos perder o sorriso e sacudir a cabeça antes de olhar para mim de novo.

-- E você está na dele... Eu sabia.

-- Não estou não!

Tentei negar tragicamente, mas o riso dele já provava que tinha certeza daquilo e respirei fundo sem discordar mais.

-- Tome cuidado... Ele vai te magoar se você der a chance.

Os olhos sonhadores? Não, ele é lindo e fofo... Pode ser meio galinha, mas...

Para, Jill! Já prometeu a si mesma que apenas vai achá-lo lindo de longe e nada mais, NADA!

-- Só acho ele bonito...

-- Só isso?

-- Sim...

-- Espero realmente que seja só isso ou vai se machucar.

-- Obrigada pelos conselhos, Carlos... Mas é só isso.

Meu coração revirou descendo até meu estômago querendo gritar que era mentira, mas não darei o braço a torcer.

Ele é lindo, fofo, perfeito e meu herói... Mas só isso.

Tem que ser só isso!

-- Mas então... O que ouviu de mim?

-- Que seu irmão é do mal e que te acham estranho por ser tão calado e na sua.

-- Algo mais?

Marcas roxas de briga... Não dá para deixar isso de fora?

-- Às vezes aparece machucado...

Ele riu sem alegria agora desviando de mim e ficando sério ao encarar o caderno, então esperei, mas nada dele.

-- Achou que eu não sentaria com você depois de saber disso?

-- Eu tinha certeza...

-- Mas eu estou aqui! – Eu sorri.

-- Por que está aqui, Jill?

-- Porque não ligo para o que os outros falam, prefiro tirar minhas próprias conclusões.

-- Até sobre isso?

-- Principalmente sobre isso!

-- Por quê?

-- Porque foi o primeiro a ser amigável comigo...

-- Não sei ser amigável, já perdi o jeito para fazer as pessoas gostarem de mim e conquistar amigos.

-- Eu não acho... Você me fez gostar de você e quero ser sua amiga.

Ele virou para mim me olhando curioso e pensei se me diria “mas eu não quero ser seu amigo”, mas pareceu que ele estudava minha expressão para ver se o que eu dizia era sincero.

-- Por que quer ser minha amiga, Jill?

-- Eu já disse, foi o primeiro a ser legal comigo, não tenho razões para não querer isso...

-- Não tem razões? – Ele sorriu.

-- Apenas avalio a pessoa comigo, não ligo se os outros te acham estranho, ainda mais que agora eu sou a peste negra da escola!

Ele riu agora e concordou comigo parecendo relaxado e animado agora, me deixando feliz por isso.

O Carlos parece tão legal... Não consigo acreditar que exista algo de ruim nele, apenas coisas boas que as pessoas insistem em camuflar apenas pela má fama do irmão dele.

-- Certo, “amiga”... O que faremos contra a miss popularidade?

-- Ainda estou vendo os detalhes, mas minha vingança tem que atacar o George também porque não quero fazer nada pela metade.

-- Tem algo em mente?

-- Sim... O que quer que eu vá fazer contra ela, quero que vire manchete também.

-- Isso será difícil, ele não vai querer vê-la brava com ele.

-- Justamente... Tenho que descobrir algum podre dele e obrigá-lo a colocar ela no jornal, assim envergonho ela e de rebate, ele perde o carinho falso que ela dá a ele.

-- Ótimo... Bem planejado.

-- Obrigada!

-- E como pretende descobrir algum podre dele?

-- Essa é a parte difícil...

-- Bom, talvez seja aí que eu entro.

Eu sorri automaticamente com o que ele disse e ele riu olhando para os lados e falando mais baixo para não nos ouvirem.

-- Ele é tipo viciado em computador e tudo que faz está lá... Posso hackear o dele e com certeza descobrimos alguma coisa.

-- Pode fazer isso?

-- Ah, tenho minhas habilidades...

Ele piscou para mim e eu ri da tamanha ajuda que poderia me dar e mesmo sabendo que poderíamos nos meter em uma baita encrenca, eu fiquei super animada.

-- Legal... Alguma coisa encontramos!

-- Pode crer!

O professor entrou na sala e ficamos em silêncio.

Minha mente começou a planejar e estruturar um plano contra aquela cobra da Jéssica e conforme meu lado mal modelava as melhores ideias, eu sentia meu sorriso aumentar.

Se as meninas me ajudarem e o Carlos também, vou dar o troco bem dado naquela garota insuportável, aguarde Jéssica, querida!

E inacreditavelmente... Apesar de risinhos toscos e que eu ignorava, meu dia de aula acabou bem! Claro, comparando com ontem...

Todo mundo apontava quando eu passava, mas ou eu estava com o Carlos ou a Sherry, então fingia não ouvir e não notar como eles.

E me perguntava o tempo todo, como podem não gostar do Carlos? Ele é divertido, parceiro e tranquilo. Adorei conhecer ele e pelo jeito curtiu minha oferta de amizade, porque está bem mais relaxado falando comigo e fazendo umas piadas.

Ele com certeza será um ótimo amigo e se eu pudesse mesclá-lo com as meninas, minha vida aqui estaria perfeita... Bom, se o sorriso encantador viesse junto, aí sim, perfeita!

Jill, para!

Reviro os olhos para mim mesma enquanto caminho para fora do colégio com a Sherry do lado vendo a Rebecca sozinha nos esperando.

-- Oi, meninas!

-- Oi.

-- E a Claire? – Sherry pergunta.

-- Foi falar com o Chris e já volta para irmos juntas.

-- Tudo bem...

Vi que Sherry continuou de olhar baixo assim como no dia todo, porque mesmo animada notei que não estava tão animada quanto ontem.

-- O que foi, Sherry?

-- Ah, deixa para lá... Conto depois na casa da Claire.

-- Tudo bem.

Claire surgiu parecendo brava e nós três olhamos para ela e rimos do seu jeito que revirou os olhos.

-- O que foi?

-- Nada... Meu irmão atormenta, é o suficiente!

-- Vamos?

-- Sim!

-- Claire?

Alguém a chamou e todas viramos para olhar um menino de cabelos castanhos meio bagunçados sorrindo de um jeito bobo para ela que nos olhou de canto parecendo nervosa.

-- E aí, Steve.

-- Oi... Eu queria saber se... Se está de pé amanhã...

Ela ficou vermelha pela indireta dele e nós nos olhamos desconfiadas, então ela tossiu e concordou.

-- Sim, pode ser!

-- Legal... Te mando uma mensagem para combinarmos!

-- Tudo bem!

Ele saiu todo sorridente deixando claro como gostou da resposta da Claire e principalmente mostrando que está caidinho por ela.

Ela virou para nos olhar e rimos parecendo sem entender muito, mas todas tirando a mesma conclusão.

-- Nem comecem... São só umas aulas de Biologia.

-- Do corpo humano com especificação nos lábios e língua? – Sherry perguntou.

-- Para, credo!

Nós rimos e elas desviaram indo para o caminho e meus olhos me traíram parecendo ser puxados automaticamente para um par de olhos verdes que me hipnotizaram mais uma vez.

Era ele... Um pouco longe, do lado de um carro com aquele amigo dele também do time do futebol.

Mas eu desvio antes que dê na cara minha insistente e incoerente paixonite pelo garoto.

Será que ele estará lá na casa da Claire?

Droga, Jill! Se controla!

Ah... Mas eu espero que sim...

 

* * * Chris * * *

 

Não gostei nada de ver a MINHA boneca de risinhos com aquele idiota do Carlos, mas fiquei encarando para ver se ele tentaria alguma coisa.

Tive esperança de que a Claire e as amigas dela contassem desse cara para Jill e ela se afastasse dele, ainda mais depois que eu disse que era irmão do Albert que quase a agarrou em público.

-- Está com ciúmes, Redfield?

A voz irônica do Leon me fez desviar deles e forçar um sorriso de alguém que não se importava com o que via.

-- Não sinto ciúmes de ninguém!

-- Não é o que está parecendo...

-- Eu fico com ela quando eu quiser, isso não é problema.

-- Aham, sei...

Ele e os demais riram e desviei fingindo me concentrar enquanto puxo o caderno e o livro, mas meus olhos vão para lá de novo e algo me sobe a cabeça quando vejo ela rir maravilhada com algo que ele disse.

O que ele está falando para ela ficar assim?

Será que... Ela está a fim dele? Será que me enganei quando achei que era de mim que gostava?

Não! Não, não, não pode... Aquele jeito dela me olhar, falar comigo e sorrir não me enganam, é de mim que ela gosta.

Mas por que está se desmanchando com ele?

Quando o professor chega, eles param e a minha boneca se concentra para frente, não me deixando mais ver a expressão dela.

-- Você podia ao menos disfarçar...

Piers fala baixo ao meu lado e o encaro, então ele ri da minha expressão me fazendo desviar.

-- Disfarçar o quê?

-- Que está se mordendo de ciúmes da novata com o Carlos...

-- Você pirou.

-- Então por que está com essa cara de bunda?

-- Porque não entendo porque sentou de novo do lado dele e está cheia de risinhos animados.

Ele riu mais ainda tentando se conter com o que eu disse e desvio sentindo meu estresse aumentar.

-- Essa garota já começou a fazer milagre...

-- Por que ela continua com ele?

-- Talvez esteja a fim dele!

Eu virei para encará-lo e de vez que riu da minha cara, me fazendo desviar de novo sabendo que era piada.

-- Ela está a fim de mim e não dele.

-- Quem sabe...

-- Eu sei! Lembre do jeito que me olhou... Sou eu quem ela quer.

-- Pode te achar bonito, mas talvez o coração bateu mais forte por ele e não por você.

-- Quem ia preferir um zé mané irmão do maior otário da escola no lugar do Capitão do time de futebol que todas as garotas querem?

-- Alguém que não liga para nada disso... Uma garota com cabeça para tirar as próprias conclusões e que não se deixa levar pelas aparências e títulos!

Não posso negar que a Jill é diferente... Qualquer garota já teria se jogado para cima de mim depois de eu tê-la salvo do badboy da escola e ela se manteve no espaço dela, me agradeceu, mas se manteve distante.

Droga... Preciso ficar sozinho com ela!

Hoje vai lá em casa e não posso deixar a oportunidade passar... Tenho certeza que ela quer e se eu tiver a chance de me aproximar estando sozinho com ela, aposto tudo que ela cede.

Piers não falou mais e eu continuei assim, mas ele ria quando me pegava olhando para ela apesar de eu desviando rapidamente.

Quando a aula acabou, ela saiu com ele sem nem olhar para mim, parecendo animada com algo que ainda fofocavam e mesmo eu tendo apertado o passo para me aproximar e ouvir, eles falavam baixo demais... Não ouvi nada.

Mais uma aula com ela ali de sorrisos com ele e me deixando com o sangue fervendo e o Kevin me azucrinando do lado.

-- Você não está apaixonado não, não é, Redfield?

-- Não fale bobagem!

-- Parece que está com ciúmes... E ciúmes vêm quando se está apaixonado!

-- Não estou com ciúmes.

-- Aham, sei... Vou fingir que acredito.

Sobrevivi a mais uma aula e meu estômago embrulhou em vê-la sair para uma direção diferente da minha com aquele bocó no pé dela.

É, Chris... Parece que eles se tornaram amigos.

Ótimo! Maravilha!

Meu sorriso de extrema ironia e descontentamento fluiu em meus lábios e segui para próxima aula rezando para que acabasse logo... Quando acabou, fui ao refeitório aliviado em vê-la na mesa da minha irmã rindo e cochichando também.

Quando fui para minha mesa com minha comida, ignorei o papo dos demais e comecei a fazer planos em minha mente sobre hoje a tarde quando me deparasse com ela na minha casa.

O melhor é que não saiba que sou irmão da Claire, por enquanto prefiro que ache que sou visita... Tentarei adiar isso, assim se torna mais próxima da minha irmã e terei mais chances de esbarrar com ela lá em casa.

-- Fala, Redfield!

Com um empurrão no ombro olho para os demais que riem enquanto me encaram e eu finjo estar tudo bem.

-- O que foi?

-- Eu que pergunto, por que está com a cabeça nas nuvens? – Joseph pergunta.

-- Só estava distraído... Pensando em hoje a tarde!

-- Beleza, faremos altas jogadas na sua casa!

-- É isso aí!

Eles comemoraram e eu concordei como se realmente pensasse naquilo, mas minha cabeça estava desligada no momento para lances de bola em campo de futebol.

Eu só queria fazer um gol nela, a pegando de jeito hoje e sentindo o gostinho delicioso que aquela boquinha carnuda deve ter.

Eu ri com o pensamento e finalmente começo a socializar com um sorriso no rosto ao falar de futebol, mas deixando o pensamento correr na tarde de hoje que prometia para mim.

Final da aula... Aleluia!

É claro que a vi de novo e sorri alegremente quando a vi me olhar e dar um sorriso meigo do jeitinho que só ela faz.

Mas foi nossa única interação de hoje, então assim que bateu o sinal fui para o carro onde já estava o Piers mexendo no celular. Quando cheguei ele o guardou no bolso e riu ao me olhar.

-- E aí apaixonado, vamos?

-- Não me enche... Vai ver que hoje ela não me escapa!

-- Estou torcendo para que ela te dê um fora...

-- Grande amigo você, hein...

-- Se ela fugir, você vai correr mais de atrás e quem sabe você gama mesmo nela, não é?

-- Está para nascer a garota por quem vou me amarrar!

-- Eu diria que ela já nasceu e está caminhando ao lado da sua irmã que agora está vindo para cá...

-- Oi, mano!

Claire chegou aos pulos e com um sorriso de orelha a orelha provavelmente animada por passar a tarde com as amigas.

-- Vou caminhando com as meninas, nos vemos em casa!

-- Tudo bem... A novata também vai?

-- Vai sim, por quê?

Bingo... É hoje!

-- Por nada...

-- Porque seu irmão está de olho nela.

-- Piers!

A Claire olhou para ele perplexa e me encarou dando um soco no meu ombro e afastei sua mão.

-- Qual é, Claire!

-- Fica longe das minhas amigas!

-- Não quero saber das suas amigas, deixe de bancar a louca...

-- Para o seu bem espero que seja verdade! Vá se galinhar com a Jéssica e garotas do tipo dela, a Jill não é para o seu bico...

-- Mas ele acha que sim!

Com o riso do Piers me entregando para minha irmã eu o encarei feio e com meu senso de vingança fervendo contra ele.

-- Olha só quem fala, o gostosão que ganhou uma declaração de amor hoje!

Ele perde o sorriso completamente e desvia, então eu rio alto do jeito dele e cutuco minha irmã que também não sorria mais.

-- Pergunta para ele qual foi a emoção de ter a certeza que a filha do diretor está na dele... É, Piers, não sou bem eu o apaixonado!

-- Aquela garota é um porre, capacho da Jéssica!

-- E daí... Por que não a ajuda a seguir para o caminho da luz?

Ele desviou parecendo nervoso e eu ri ainda mais da cara dele que desviou parecendo bravo comigo.

-- Não tem graça, não quero saber dela!

-- Ah, então é assim... Você pega no meu pé e eu não posso pegar no seu?

-- Você está na dela e eu quero distância da Ashley, não me joga praga, ela é amiga da Jéssica e nada vindo daquela garota é bom!

-- Calma, esquentadinho... Se acalma.

-- Bom, eu já vou... Nos vemos em casa.

Claire sai dali e vejo que o Piers levanta o olhar para acompanhá-la com o olhar e desvia quando o encaro.

-- Qual é, Piers, é só brincadeira...

Ele bufa e entra no carro jogando a mala para o banco de trás e entro rindo olhando para as meninas com minha irmã... Mas ao ver um olhar em minha direção desviando rapidamente, eu sorrio sabendo que estarei mais perto dela daqui há uma hora ou menos.

Entro no carro sorridente e o Piers está pendurado no celular e eu bufo ao ver sua expressão tensa.

-- Qual é o problema, Piers?

-- Nada, só não gosto daquela garota, Chris, não força a barra!

-- Tudo bem, tudo bem...

-- E você curte a Jill, não se faça de inocente!

-- Certo, mas não quero que minha irmã saiba por enquanto, quero me entender com a Jill sozinho sem a Claire se intrometer.

-- Ok, eu não sabia...

-- Agora sabe!

-- E não negue, está todo derretido por ela!

-- Sim, mas tem limites... Eu gosto, mas não estou apaixonado.

-- Logo você descobre, geralmente demoramos um pouco para sacar essas coisas.

-- Vamos ver!

Ele finalmente riu de novo e guardou o celular parecendo descontraído agora.

Quando cheguei em casa, a maioria do meu time já estava lá e fomos direto para o campo de atrás da minha casa deixando as malas de lado e indo treinar.

Me perdi na hora quando começamos e passei muitas jogadas e estratégias a eles que pegavam tudo muito rápido.

Com certeza esse ano o troféu será nosso!

-- Podia dar um tempo para nós, não é Capitão afobado?

Leon gritou do outro lado do campo e eu ri fazendo sinal de tempo e todos se jogaram no chão onde estavam mesmo.

Desviei deles limpando minha testa de suor e levanto o olhar para ver o quarto da minha irmã onde já vejo um movimento.

Elas devem estar lá!

-- Já volto!

Saio de lá e vou correndo até a direção do quarto da minha irmã onde já escuto uma música alta ao me aproximar e vejo a porta entreaberta.

Chego em silêncio e posso ver as meninas pulando e dançando em cima da cama e procuro uma em especial... E quando a vejo...

Meu coração acelera e meus hormônios enlouquecem ao ver aquela boneca linda dançando com um sorriso na boca e fico ali apreciando aquela visão maravilhosa.

Ela é linda demais... Tentadora demais... Preciso pegá-la de jeito, de hoje não passa! Essa boquinha provocante dela não me escapa hoje!

-- O que você quer?

A Claire subitamente abre a porta saindo do quarto e tirando minha visão das demais que nem pareceram notar minha presença.

-- Ah, eu... Só vim ver como estavam.

-- E desde quando essa preocupação?

-- Desde sempre, maninha... Já vou indo, se divirtam aí!

Eu saí e ela continuou parada na frente da porta como se marcasse meus passos para longe dali até que sumi de vista ao voltar caminhando ao campo.

Droga, Claire!

Preciso da Jill sozinha...

De volta ao campo, fui até os meus ainda pensando em uma estratégia para tirar a Jill da companhia das demais, mas como um presente do céu vejo as meninas surgirem pela porta correndo e virem rindo até a lateral da casa.

-- Pega essa, Chris!

Levo uma bolada no peito do Leon que ri aos prantos e o olho com raiva com os demais levantando e jogo para o Kevin.

Volto a olhar para as garotas e vejo que saem correndo para o outro lado, mas a Jill prende o olhar na minha direção e para.

Eu sorrio mentalmente e fisicamente para ela que sorri sem jeito e aceno para ela que parece ficar vermelha e sorrio mais a fazendo desviar.

Quem disse que Carlos tinha chance? Ela é minha!

-- Pega aí, Chris!

Eu viro e desvio rapidamente da bola rindo da furada que Piers deu, mas a expressão dele muda completamente olhando para trás de mim.

Olho para onde ele encarava e vejo a Jill caída no chão com as mãos no rosto.

Acertou ela!

Corro para lá como um desesperado e ao me aproximar vejo que se contorce de dor e puxo sua mão para longe de seu rosto vendo um pouco de sangue no nariz.

-- Jill, fala comigo!

-- Meu nariz...

-- Que bola certeira, hein, Piers?

Leon riu dele que parecia preocupado e os demais acompanharam olhando para ela que cobria o rosto sentindo dor.

-- Desculpe, Jill...

-- Tudo bem.

Ela gemeu e eu respirei fundo olhando para os demais, então com minha mente preocupada, mas no fundo adorando ter uma chance, eu sorrio.

-- Continuem a treinar e vou levar ela para dentro... Depois a levo para casa e volto para continuarmos!

Eles se entreolharam com risinhos baixos e olhares maliciosos na minha direção que ela não viu porque ainda tampava o rosto.

-- Vem, boneca...

Eu a puxei para meu colo e ela continuou com as mãos sobre o nariz me dando uma baita pena dela... Não precisava ter sido desse jeito, mas já que foi me resta aproveitar a oportunidade.

Minha mãe é médica e deve estar em algum lugar da casa, vou chamá-la e depois a levo para casa e será minha chance... Vou ficar sozinho com ela!

Caminhando para dentro da casa sem ver o paradeiro da minha irmã, abro um sorriso ao saber que essa era minha chance.

Essa boneca linda não me escapa hoje!


Notas Finais


Ashley afundada em seu amor... E Jéssica se oferecendo para ajudar, corre Piers!!!
Jill descobriu uma grande amizade que pode gerar ótimos frutos para vida dela e principalmente para seus planos contra Jéssica... O que será que ela, as meninas e o Carlos vão aprontar?
E o Chris heheheh... Está louquinho para ficar sozinho com a Jill! O que será que rola nessa carona?
Será que a Jill vai ceder?
Espero que tenham gostado ! ! !
Até a próxima *--*
Bjooon :-)

...

MAIS UMA COISA ! ! !
Sei que a maioria de vocês ama o Naruto e o que melhor do que uma fic caprichada da minha Gabyhzita linda, fofa e tudo de bom, hein??? Povo, ela escreve muito bem e sei que vão adorar!
"Another Dimension": https://spiritfanfics.com/historia/another-dimension-7105699
Bjooon <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...