História Highway To Hell - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Angst, Homofobia, Jikook, Kookmin, Lemon, Namjin, Romance, Tentativa De Fazer Humor, Vkook, Yaoi, Yoonseok
Exibições 979
Palavras 1.024
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Chegay mais cedo! Muito obrigada pelos +170 favoritos e 29 comentários! Estou muito feliz!
Não está revisado, porque hoje eu tô ocupadona, mas não há muitos erros (eu acho).
Boa leitura!

Capítulo 3 - Saia do armário


Algumas vezes eu me pergunto se não sou radical demais com Jungkook, tudo bem que ele me estressa e que muitas vezes brinca com meus medos, mas eu nunca parei para pensar o porquê destes acontecimentos, acho que sempre quis ter minha total atenção, porque com mais ninguém ele age assim; às vezes, esse menino me assusta de verdade! 

Yoongi atravessou a porta, logo entrando Jungkook, ele continuava com o rosto meio avermelhado e não me olhava nos olhos, para piorar, me senti pior ainda depois da conversa nada amigável com Yoongi, entretanto ele continuava lá, mesmo eu o magoando de tal forma, ali estava ele, em pé, com as pernas meio trêmulas e cabisbaixo. 

— J-Jungkook, eu acho que te devo desculpas! — Recitei baixinho, Jungkook ainda não olhara para mim. Engoli seco vendo a merda que tinha feito. — Eu entendo se você está chateado, eu fui um idiota, imaturo, prepotente, desgraçado e...

— Você não é nada disso. — Disse baixinho agora olhando para mim, seus olhos estavam realmente vermelhos, seu rosto estava abatido, e eu me senti um completo babaca por fazê-lo chorar de tal forma. — Jimin, eu... Sei que você está indo para o seminário e sei que você não tem vocação para isso, Hoseok acabou de me contar.

— Eu não permiti que ele contasse! — Exclamei me alterando. 

— Acha mesmo que tem vocação? — Perguntou com uma expressão séria e sôfrega ao mesmo tempo. Engoli seco, sem saber o que dizer, no fundo eu sabia que não.

— Te-tenho. — Respondi gaguejando e completamente incerto. — Oras, não é da sua conta o caminho que irei seguir, você será um ótimo engenheiro e eu serei um padre responsável. — Recitei ou fitar a indignação no olhar do moreno.

— Pois bem. — Disse engolindo o choro e limpando as lágrimas. — Eu tenho uma proposta para te fazer. — Falou se aproximando de mim.

— Eu não quero propostas, Jungkook! Não sou redação dissertativa. 

— Cala a boca! — Exclamou se sentando ao meu lado, me deixando um pouco apreensivo. — Eu não vou deixar você ir assim. — Falou um pouco constrangido, mas olhando nos meus olhos, minha respiração estava ofega, não compreendia até que ponto ele iria chegar com isso.

— O que diabos você vai fazer? — Perguntei indiferente, já havia tomado minha decisão, eu iria para o seminário. 

— Eu quero te provar que você não tem vocação. — Recitou firme, levando sua esquerda à minha nuca, se aproximando ainda mais de mim. — Está nervoso, mas não quer recuar, é isso o que você está sentindo agora, Jimin? — Sussurrou em meu ouvido, me deixando sem reação, eu estava entrando em colapso comigo mesmo, deixar ou não? Meu Deus, desde quando "deixar" passou a ser uma opção? Estou enlouquecendo! — Arrepiado? — Perguntou baixinho beijando suavemente meu pescoço. — Meu coração pulsava tão forte que eu tinha certeza que ele estava ouvindo; cada pelo do meu corpo se eriçou de maneira abrupta e absurda, estava parado, sem coragem para me esquivar, sem coragem para pronunciar qualquer palavra contra. — Estou retirando a sua dúvida, hyung? — Perguntou manhoso sugando de leve meu pescoço. — Não acredito que ele ouviu! — Senti sua esquerda acariciar minha nuca, me fazendo suspirar pesado, fechando os olhos, desejando arduamente que alguém me tirasse dali, porque eu não teria força para evitar. Úmideci os lábios sentindo a mão do moreno passear pelo meu pescoço, dedilhando calmamente minha clavícula, enquanto seus lábios me enchiam de beijos arrepiantes em meu pescoço.

— Ju-Jungkook! — Recitei baixinho, parecendo mais um gemido.

— Não geme assim, hyung! Eu já estou excitado demais! — Olho para baixo rapidamente e fito o volume entre as pernas de Jungkook e o pior, eu estava na mesma situação. 

— Ah! — Gemi manhoso ao sentir os dedos do hyung invadir minha blusa e acariciar meu mamilo direito, fazendo movimentos circulares e vez ou outra, dando leve apertadas e friccionadas. 

— Hyung! — Gemeu em meu ouvido, para me provocar, senti uma visgada leve em minha glande, revirei os olhos, conseguindo compreender porquê ser gay é tão gostoso. 

— Jungkook eu já... — A porta existe para bater, bata nela quando quiser entrar, que merda! — Jungkook, vocês... — Jin nos fitava com um sorriso enorme no rosto, enquanto minha cara esquentava de vergonha.

— Não é isso que você está pensando! — Exclamei me afastando de Jungkook, que estava claramente constrangido, assim como eu.

— Claro que é! — Retrucou olhando para minhas partes íntimas cobertas, mas com uma excitação impossível de disfarçar, droga! 

— Isso foi... Um acidente! — Rebati gaguejando e completamente sem argumentos.

— Ah sim! — Fingiu acreditar, com a expressão mais indescente o possível. Meu Deus eu só quero um buraco para enfiar minha cara! — Eu sabia que isso ia acontecer, só não imaginava que seria tão cedo e em um quarto de hospital, mas não vou interromper ainda mais, continuem! — Sorriu maldosamente se retirando. Me deixando com um arrependimento monstruoso. 

— Desculpe-me por isso, Jimin! — Exclamou sem graça fitando a minha irritação.

— Vá embora, Jungkook! — Recitei cabisbaixo enquanto fazia força para não chorar.

— Hyung, eu sinto muito! 

— O que você queria com isso? Nos constranger? Agora todos nossos amigos irão saber, e o pior, se alguém do seminário souber, eles não me deixarão sequer entrar! Está feliz? — Perguntei ríspido, Jungkook permaneceu calado, sem saber o que dizer. 

— Não, hyung, não me importo que todos saibam, até mesmo Taehyung sabe o que sinto por ti e sinceramente não me importa se não te deixarem entrar no seminário; eu sei que estou sendo egoísta em te dizer isso, mas é a verdade! Eu quero você comigo, e caso você entre, hyung, eu nunca vou te deixar em paz, eu juro! — Meus olhos lacrimejaram, mas de ódio, rangi meus dentes tentando conter a revolta que sentia, ele não tem o direito de intervir nas minhas decisões, não tem!

— Eu vou ser um padre, e você ainda verá que isso tudo que está fazendo é errado. — Recitei olhando para baixo, me recusava a olhar em seus olhos.

— Você não vai, hyung! E quando eu te mostrar o porquê, você verá que não tem a mínima vocação para isso. — Afirmou fazendo-me olhar em seus olhos. — Você estava gostando, hyung. O que te faz pensar que será um verdadeiro padre? O que te faz pensar que você não é gay?  


Notas Finais


Obrigada pelo apoio, meus amores!
Beijão!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...