História Highway To Hell - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Angst, Homofobia, Jikook, Kookmin, Lemon, Namjin, Romance, Tentativa De Fazer Humor, Vkook, Yaoi, Yoonseok
Exibições 929
Palavras 1.077
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capítulo não revisado, me perdoe pelos erros!

Capítulo 4 - Isso definitivamente doeu


— Porra, Jeon! Tá foda! Já disse que não sou gay, merda! — Gritei impaciente e meio ofego pelo meu estresse, no mesmo instante ele ergue a sombracelha direita como se lesse em meus olhos toda a verdade com uma expressão que faz jus ao sarcasmo. — I-idiota! — Gritei novamente assim que ele me tocara forçadamente. — Solta! — Implorei tentando retirar sua mão do meu membro coberto. Meus olhos lacrimejavam, uma mistura de raiva, nojo e prazer me levara às margens da loucura, eu tentava retirar com todas minhas forças sua mão dali, minhas bochechas queimavam, mas ele tinha um pulso firme e me apertava a cada tentativa falha minha de cessar o ato. — Ah! — Gemi de dor. — Tá me machucando! — Reclamei enquanto minhas lágrimas caíam em seu pulso que continuavam com os movimentos. 

— Você não vai ser padre! — Recitou com uma voz pesada, claramente irritado, estava me machucando de propósito.

— Para, Jungkook, por favor! — Do jeito que ele me apertava, sentia que meu pênis ia explodir e espirrar sangue para todo lado.

— Não vou deixar você ir! — Murmurou enquanto notava que também estava chorando. 

— Ah! — Gritei após ele me apertar com ainda força. — Alguém me ajuda! — Berrei, mas sem resposta alguma, fazia força para sair dali, mas ele me machucava ainda mais a cada tentativa, estava até bom no começo, mas agora ele está realmente me machucando, sentia como se cada veia do meu membro fossem se romper devido à força que ele fazia. — Por favor, Jungkook, e-eu não vou... — Choraminguei. Ele me soltou, olho sem muita cerimônia para dentro das minhas calças e fito meu membro bem avermelhado, um nó imenso se forma em minha garganta, olho para Jungkook e ele estava assustado, realmente assustado.

— Desculpe-me, eu não consegui me controlar! — Exclamou com a mão cobrindo a boca. Nem ele mesmo acreditava naquilo que tinha feito, tampouco eu que o via como uma pessoa afeminada e delicada. 

— Por favor, Jeon! Vá embora! — Implorei sem olhá-lo, eu não tinha coragem para discutir ainda mais, eu nunca pensei que ele seria tão extremo ao ponto de me machucar de verdade. 

— Desculp...

— De todas as brincadeiras de mau gosto, esta foi a pior. — Falei cortando o pedido de desculpas. 

— Eu vou embora, Jimin! — Gritou limpando as lágrimas com o antebraço. — Mas faço questão de passar em todos os seminários que ver pela frente para dizer quem você realmente é: um egoísta, homofóbico e homossexual! — Exclamou alto, se retirando, me deixando com uma puta dor. 

Tentei me levantar, mas estava realmente doendo, parecia até que meu pênis tinha sido colocado para fritar. 

— Merda! — Murmurei. 

— A transa foi tão violenta assim? — Perguntou Jin com um olhar saliente, entrando no quarto; eu estava apoiado à cama, realmente estava meio difícil me manter de pé com algo queimando entre as pernas.

— Sai daqui! — Gritei. — Por que você não entrou quando te pedi ajuda? — Resmunguei. 

— Eu ouvi você gemendo, Jimin; da outra vez que eu entrei aqui, vocês estavam literalmente envolvidos, acha mesmo que eu ia arriscar atrapalhar um coito? 

— Estava gemendo de dor! Àquele... — Me contive para não xingar novamente.

— Eu sei que dói, Namjoon pega pesado algumas vezes e...

— Me poupe! — Gritei tentando caminhar até a porta, para poder entrar logo no seminário antes que Jungkook chegasse lá. 

— Aonde você vai? Você não tem permissão para sair deste hospital agora, Jimin! — Exclamou me segurando. — Você ainda tem exames para fazer, inclusive tem um psicólogo vindo falar com você, a respeito da sua fobia. 

— Ele vai destruir minha vida! Taehyung não está dando a bunda o suficiente? Por que ele está insistindo tanto comigo, hyung? — Perguntei retornando a chorar, Jin me abraçou e me guiou de volta a cama. 

— Olha Jimin, eu vou ser sincero com você! — Falou se sentando na cama enquanto eu fazia o mesmo, com certa dificuldade. — Jungkook e Taehyung possuem um relacionamento forjado. A intenção era te fazer ciúmes, e eu não sei se ele obteve sucesso com isso, às vezes eu tenho certeza que você é gay, outras vezes eu duvido arduamente disso, então eu cheguei a conclusão que se de fato você o ama, nunca assumiria para si mesmo, porque você é preconceituoso demais com algo que era para ser natural.

— C-como? — Perguntei meio gago.

— Jungkook me contou do dia em que ele se assumiu para você e que você ficou quase um mês sem falar com ele; me contou também da noite em que você bebeu feito um pinguço de bar enquanto ele te provocava ao dançar com Taehyung; me contou também que enquanto você vomitava vodka loucamente, pode ouvir nitidamente um "você é meu" logo em seguida. Eu não sei você, Jimin, mas Jungkook não é esse menino levado e autoritário, muito pelo contrário, Jungkook é o tipo de pessoa doce e gentil e que muita gente gosta, menos você, talvez seja por isso que ele te "infernize". — Sabia que Jin tinha razão, sabia que eu não era um bom amigo, mas discordava com ele no aspecto "infernizar", Jungkook não me inferniza, na verdade sou eu que assim faço com ele. Sim, ele é um dêmonio que brinca com meus medos, mas quem o trata mal sou eu. 

— Ele me machucou de verdade hoje, hyung. — Disse baixinho.

— Mas dói mesmo, Jimin! Lógico que dói!

— Não estou falando disso! — Me exaltei, Jin me olhou curioso. — Ele queria "me provar" que sou gay e acabou realmente me machucando.

— O que ele fez? — Perguntou curioso.

— Ele me tocou. — Respondi bem baixinho; Jin imediatamente sorriu.

— E desde quando isso dói? — Interrogou-me claramente feliz.

— Desde que ele apertou meu pênis até quase estourá-lo! — Exclamei alto, Jin logo fez uma expressão de agonia, contorcendo os lábios, entendendo agora a dor que eu estava sentindo. 

— Então foi por isso que ele saiu daqui apressado? 

Droga! Isso faz me lembrar que ele vai acabar com minha entrada ao seminário, preciso impedi-lo de alguma forma! 

— Hyung, traz o Jungkook aqui, por favor! — Implorei meio desesperado, agarrando seus braços com certa força. 

— Mas por quê? — Perguntou com os olhos arregalados, fitando a minha afobação.

— Por favor só o traga aqui! — Supliquei, Jin assentiu, porém ele não parecia muito apressado; em passos normais deixou o quarto.

Eu precisava tomar medidas drásticas com Jungkook, eu provavelmente me sentiria um nojo depois disso, mas era preciso. Só assim eu conseguiria entrar para o seminário e ter a paz que tanto desejava.

Eu vou propôr uma troca: O silêncio absoluto sobre nós e em troca eu darei o que ele tanto quer. 


Notas Finais


Voltei com a fic depois de tantos pedidos. Fico muito feliz por saber que vocês gostam de verdade de HTH e espero continuar com ela até o final!
Beijos e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...